Mendonça nega tom de ofensa a Arraes no debate

O candidato ao Governo de Pernambuco pela coligação União por Pernambuco, Mendonça Filho (PFL), comentou, há pouco, seu desempenho no debate realizado ontem à noite, na TV Clube, afiliada da Band em Pernambuco, quando esteve frente a frente com seu oponente no segundo turno, o candidato da Frente Popular, Eduardo Campos (PSB). O pefelista negou ter feito referências pessoais ao ex-governador e avô do socialista, Miguel Arraes, falecido em agosto do ano passado. “Todas as vezes que mencionei o nome de Arraes foi reverenciando sua memória, sua história e o fato dele ter sido governador do Estado por três vezes”, minimizou, após polêmica levantada no debate de que Mendonça Filho teria acusado Eduardo Campos de se “escorar” na imagem de Miguel Arraes.

 

O primeiro debate entre os candidatos no segundo turno foi marcado pelo clima de confronto, com troca de acusações de cunho administrativo e pessoal. Num dos momentos do debate, Mendonça Filho acusou o candidato a vice-governador de Eduardo, João Lyra Neto (PDT), de ter dívidas com bancos. Hoje, Mendonça disse que sua atitude não foi desrespeitosa para com o vice. “Esse assunto veio à tona a partir da manifestação do deputado Eduardo Campos, mas não foi nenhuma atitude de desrespeito ao candidato a vice-governador. Pelo contrário, as atitudes empresariais dele, ele deve ao mundo empresarial, não a mim, como político e cidadão”.

 

Após ter lançado a provocação no debate, o governador-candidato demonstrou não mais estar preocupado em insistir no assunto das supostas dívidas de João Lyra. “Não vou entrar nesse debate. Meu debate é propostas e programas com relação ao futuro de Pernambuco”, esquivou-se.

 

No início da tarde, Mendonça Filho teve um encontro a portas fechadas com o presidente das Assembléias de Deus do Estado de Pernambuco, pastor Roberto José, na unidade da igreja de Abreu e Lima, na Região Metropolitana do Recife. Apesar do compromisso estar em sua agenda de campanha e de ter sido acompanhado pelo deputado estadual reeleito pastor Cleiton Collins (PSC), que tem aparecido no programa eleitoral pedindo votos para o pefelista, Mendonça negou que a visita foi de caráter eleitoral. “Vim fazer uma visita ao presidente da Assembléia. Não tem nenhum caráter eleitoral nisso. Sempre freqüentei a Assembléia e tenho boas relações com o eleitorado evangélico”, justificou.

 

Questionado se pretende buscar apoio no eleitorado evangélico para pedir votos, Mendonça Filho foi generalista. “Conto com o voto de todos, evangélicos, católicos, judeus... Sou ecumênico e respeito as opções religiosas de cada cidadão pernambucano”, argumentou. Informações da Agência Nordeste.

Publicado em: 17/10/2006