Acidente nuclear no Japão acende alerta em Angra

A tragédia nuclear japonesa acendeu um alerta nas usinas Angra 1 e 2, no Estado do Rio de Janeiro. Mas, se no Japão a população já estava instruída e tinha infraestrutura para esvaziar a área com segurança, no Brasil é diferente. A reportagem de O DIA percorreu neste domingo o trajeto entre Angra dos Reis e a capital e constatou que as rotas de fuga não são apropriadas para que a população da Costa Verde consiga escapar em caso de acidente, e a população não é treinada adequadamente. A BR-101, que liga as cidades, além de mal sinalizada, tem trechos com quedas de barreiras em obras desde o Réveillon de 2010, quando a chuva fez centenas de mortos na região.

O tipo de reator da usina japonesa tem diferenças do modelo brasileiro, segundo o físico Luiz Pinguelli Rosa, da Coppe/UFRJ. ''Nosso sistema apresenta vantagens, mas tem a proximidade do mar. Uma tsunami não é provável, mas estamos vulneráveis''. (De O DIA)

Publicado em: 14/03/2011