Jovens de SP formam grupo político para "endireitar" o Brasil

 ''''Houve uma demonização da direita no Brasil, e isso nós queremos corrigir. Queremos reabilitar o nome ''direita'''', afirma o advogado Gastão de Souza Mesquita Filho, 32. Munidos desse pensamento e da ideia de que pessoas bem-sucedidas devem lutar pela ''moralização da vida pública'', jovens paulistanos como Mesquita Filho juntaram-se em 2006 para criar o Movimento Endireita Brasil. São advogados e empresários que defendem o objetivo de ''endireitar o Brasil'', comprometidos com a ''luta pela diminuição do Estado e pelo fim de todos os mecanismos que limitam ou ferem a liberdade do cidadão''. Eles reconhecem que a luta não é fácil.

''Não temos apoio ideológico de ninguém. Nas últimas eleições, quando lançamos candidato pelo DEM, fomos aconselhados por gente do partido a largar o nome ''direita'''', diz Mesquita Filho. Ricardo Salles, o candidato que o MEB apresentou na campanha eleitoral de 2010, conquistou cerca de 25 mil votos e não conseguiu se eleger deputado estadual.Para Roberto Pitaguari Germanos, 31, a dificuldade que seu grupo enfrenta pode ser explicada em parte pelo estigma criado pela ditadura. ''Há duas confusões. A primeira é a associação automática entre direita e conservadorismo: há pessoas de direita que não são conservadoras. A segunda é a identificação da direita com a ditadura, o que não faz sentido.''

Publicado em: 14/03/2011