Eduardo Campos critica Milton Coelho

O ex-ministro de Ciência e Tecnologia e candidato ao Governo de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), rebateu, hoje, as denúncias envolvendo o presidente estadual do partido, Milton Coelho, que se afastou do cargo na última sexta-feira. Segundo ele, as gravações apresentadas pelo empresário Saulo Batista - em que Milton aparece acertando valores de propinas em troca de beneficiamento em contratos da sua empresa - são “fraudulentas e criminosas”. “Essa é uma prática odienta, uma prática atrasada de reduzir o debate político a mentiras e as agressões”, afirmou.

 Eduardo chegou a comparar as denúncias com o caso Maria do Socorro, em que uma moradora do bairro de Brasília Teimosa, na Zona Sul do Recife, que confirmou ter recebido dinheiro para dar um depoimento contra a candidatura à reeleição do prefeito do Recife, João Paulo (PT), na campanha de 2004. “A gente viu aqui na campanha de João Paulo a Maria do Socorro, que foi uma armação que envolveu a Casa Militar do Governo do Estado de Pernambuco”, lembrou o candidato, em entrevista à Rádio CBN. 

 Eduardo mais uma vez garantiu que não tinha conhecimento das denúncias e criticou Milton Coelho por sua postura no caso. “Ele tentou de maneira errada fazer o papel de polícia”, afirmou o socialista, reiterando a justificativa do presidente da legenda, de que foi ao encontro para prender o empresário. O candidato também defendeu a investigação dos fatos, que chamou de “armação”. “Quem deve está temendo é quem armou com esse cara”, assegurou. As informações são da Agência Nordeste.

 

Publicado em: 25/09/2006