PF grava ameaça de morte de deputado do PMDB a fiscal da ANP

 Documento da Polícia Federal relata que o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) ameaçou um superintendente de fiscalização da ANP (Agência Nacional do Petróleo) para favorecer o Grupo Magro, do setor de distribuição de combustíveis no Rio. Trata-se da transcrição de conversa que, conforme o documento, ocorreu entre Cunha e o então superintendente de Fiscalização da ANP Jefferson Paranhos Santos, no dia 9 de agosto de 2007.

''O sr. Ricardo Magro [do Grupo Magro] é nosso amigo. Eu e o partido devemos muito a ele. Ele está sendo vítima de perseguição e arbitrariedade'', disse Eduardo Cunha, conforme o documento. ''Em sua defesa vamos até a morte.'' Em 2007, uma das empresas do Grupo Magro tinha sido interditada. ''Você está complicando as coisas. Basta desinterditar a empresa. [...] As coisas no Rio se resolvem de outra maneira, alguém pode se dar mal'', continuou.

Também consta dos papéis que o delegado federal Cláudio Nogueira deu proteção a Santos devido às ameaças. Por conta disso, foi interpelado na Justiça por Cunha. No domingo, ''O Globo'' revelou que Magro é o principal alvo de inquérito que apura o envolvimento de um parlamentar do Rio em fraude no setor de combustíveis.

Publicado em: 27/11/2010