Envolvidos no dossiê Serra são petistas roxos

 Ainda da coluna de Cláudio Humberto: ''São petistas roxos e não ''oportunistas'' interessados em ''tirar proveito'', como insinuam dirigentes do partido, os dois que foram presos pela Polícia Federal. Valdebran Padilha e Gedimar Pereira Passos estavam hospedados no Hotel Ibis próximo ao aeroporto de Congonhas, em São Paulo, de posse do dinheiro em espécie, à espera de Paulo Roberto Trevisan, tio e representante de Luiz Antônio Vedoin Trevisan, chefe da máfia dos sanguessugas.

Paulo foi abordado no aeroporto de Cuiabá, quando embarcava para São Paulo levando uma fita de vídeo e fotografias do ex-ministro da Saúde José Serra em uma solenidade pública de entrega de ambulâncias. Padilha é filiado ao PT e atuou como tesoureiro da campanha do partido à prefeitura de Cuiabá, em 2004.

Ele tem tanta influência no PT, inclusive no plano nacional, que até indicou o atual superintendente da Funasa no Mato Grosso, Evandro Flores, um funcionário de sua empresa de engenharia e saneamento, a Saneng. Gedimar Passos, um ex-agente da PF, já aposentado, é conhecido por sua atuação política sectária, pró-PT, em entidades de classe''.

Publicado em: 18/09/2006