Tem boi na linha

 A partir desta eleição, os candidatos são obrigados a fazer prestação de contas da campanha à justiça eleitoral de dois em dois meses. Em Pernambuco, a última dos postulantes a governador, entregue ao Tribunal Regional Eleitoral há dois dias, tem algumas coisinhas que despertam curiosidades.

Em transportes - avião, carro, ônibus, kombis, etc - o candidato do PFL a governador, Mendonça Filho, gastou R$ 207 mil, enquanto Eduardo Campos, do PSB, declarou R$ 19 mil e o petista Humberto Costa menos ainda - R$ 17 mil.

Com material de publicidade - bandeiras, estandartes, cartazes, etc, - Mendonça gastou R$ 323 mil. O material de Eduardo foi bem mais barato, pois desembolsou apenas R$ 40 mil, enquanto o petista Humberto Costa foi ainda mais tímido - R$ 21 mil.

Eduardo Campos, segundo o TRE, não gastou um tostão nos últimos dois meses com carro de som. Dá para acreditar? Alguma coisa anda errada. Ou então... Bom, não precisa ser tão claro.

Publicado em: 14/09/2006