Lula: viagens controversas

Carlos Chagas - Tribuna da Imprensa

 Não se questiona a viagem do presidente Lula à Guatemala, para prestigiar a posse do novo presidente daquele país, ou, muito menos, a esticada em Cuba para encontrar-se com Fidel Castro. Afinal, a identidade entre eles pode não transitar pela avenida da economia, mas é indiscutível que passa pelas praças públicas do populismo.

O que não dá para entender é a composição da comitiva que acompanha o chefe do governo brasileiro. O chanceler Celso Amorim, é claro, tem lugar cativo, mas o que dizer dos ministros do Desenvolvimento Industrial, Miguel Jorge, da Saúde, José Gomes Temporão, e da Educação, Fernando Haddad?

Ir à praia, propriamente, não está dando tempo. Comprovar que em termos de Educação e Saúde a ilha nos dá lições permanentes, tornando-se desnecessária a presença dos ministros respectivos. Quanto ao Desenvolvimento Industrial, pode ser que a Guatemala nos surpreenda com um programa até agora sigiloso...

Publicado em: 15/01/2008