Bolsonaro diz que ONGs comandam crimes ambientais

Em discurso gravado e apresentado hoje na cúpula sobre biodiversidade da Organização das Nações Unidas (ONU) o presidente Jair Bolsonaro afirmou, sem mostrar provas, que organizações, em parceria com “algumas ONGs", comandam "crimes ambientais" no Brasil e também no exterior.

Bolsonaro foi um dos chefes de Estado que enviaram discurso gravado à ONU, para a cúpula que ocorreu dentro dos eventos da assembleia-geral que, neste ano, foi realizada de forma virtual devido à pandemia do novo coronavírus.

Na semana passada, em discurso na Assembleia das Nações Unidas (ONU), o Bolsonaro já havia dito que que o Brasil é "vítima" de uma campanha "brutal" de desinformação sobre a Amazônia e o Pantanal.

“Na Amazônia, lançamos a 'Operação Verde Brasil 2', que logrou reverter, até agora, a tendência de aumento da área desmatada observada nos anos anteriores. Vamos dar continuidade a essa operação para intensificar ainda mais o combate a esses problemas que favorecem as organizações que, associadas a algumas ONGs, comandam os crimes ambientais no Brasil e no exterior”, disse Bolsonaro.

Bolsonaro não apresentou provas nem citou nomes de ONGs que estariam por trás de crimes ambientais.

Essa não é a primeira vez que o presidente acusa ONGs de estarem por trás de crimes ambientais. Em agosto do ano passado, ele declarou que as organizações poderiam estar por trás de queimadas na região amazônica para “chamar atenção” contra o governo do Brasil.

À época, questionado se havia embasamento para as alegações, Bolsonaro disse que não havia registros escritos sobre as suspeitas.

Publicado em: 30/09/2020