Mandetta diz que alertou Bolsonaro sobre milhares de mortes

O ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta afirmou, em entrevista ao programa "Conversa com Bial", que mostrou ao presidente Jair Bolsonaro, enquanto estava no governo, a possibilidade de que o novo coronavírus matasse centenas de milhares de pessoas no Brasil.

A reação de Bolsonaro, segundo Mandetta, foi "bem negacionista e bem raivosa".

"Eu nunca falei em público que eu trabalhava com 180 mil óbitos se nós não interviéssemos, mas para ele eu mostrei. Entreguei por escrito, para que ele pudesse saber a responsabilidade dos caminhos que ele fosse optar. Então, foi realmente uma reação bem negacionista e bem raivosa”, disse Mandetta.

A entrevista foi ao ar ontem, véspera do lançamento do livro "Um paciente chamado Brasil: Os bastidores da luta contra o coronavírus". No livro, Mandetta apresenta relatos do período em que, como ministro da Saúde, lidou com a pandemia da Covid-19.

Médico ortopedista e ex-deputado federal, Mandetta foi o primeiro ministro da Saúde do governo Bolsonaro. Foi empossado no cargo em janeiro de 2019 e permaneceu ministro até 16 de abril deste ano, quando foi demitido em razão das divergências com Bolsonaro sobre o enfrentamento da pandemia.

Até as 13h de hoje, o Brasil já contabilizava 140.040 mortes pela Covid-19, segundo levantamento do consórcio de veículos de imprensa a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde.

Publicado em: 25/09/2020