Coluna da quarta-feira

O ataque do inelegível Lula

O ex-presidente Lula sabe que, dificilmente, terá recuperado os seus direitos políticos até 2022 quando Bolsonaro tentará a reeleição num cenário, hoje, em que ganharia de todos os adversários, inclusive Sérgio Moro e Ciro Gomes, que seriam os mais competitivos. Mas, mesmo assim, deu o seu grito para reacender a militância vermelha, que ainda está adormecida.

Numa carta à nação, escrita e publicada em vídeo, o petista fez duras críticas a Jair Bolsonaro e ao Governo. Lula segue impedido de concorrer por ter sido condenado em segunda instância, porém, conforme o especialista em direito público e eleitoral, Agnelo Sad Junior, o quadro pode mudar, caso haja uma anulação das decisões judiciais condenatórias. Lula aproveitou o feriado de 7 de setembro para criticar duramente a forma que o atual comandante do País está lidando com a pandemia.

De acordo com o ex-presidente, o Governo "converteu o coronavírus em uma arma de destruição em massa". “Um governo insensível, irresponsável e incompetente, que desrespeitou as normas da Organização Mundial de Saúde e converteu o coronavírus em uma arma de destruição em massa. Os recursos que poderiam estar sendo usados para salvar vidas foram destinados a pagar juros ao sistema financeiro", apontou.

Lula também falou sobre o sucateamento do SUS e do trabalho feito pelos profissionais da saúde para lutar contra o vírus. “Os governos que emergiram do golpe congelaram recursos e sucatearam o Sistema Único de Saúde, o SUS, respeitado mundialmente como modelo para outras nações em desenvolvimento. E o colapso só não foi ainda maior graças aos heróis anônimos, as trabalhadoras e trabalhadores do sistema de saúde”, criticou.

Ainda em seu pronunciamento, Lula lembrou da última eleição e apontou que o País vive em um "pesadelo sem fim". “Aceitaram como natural sua fuga dos debates. Derramaram rios de dinheiro na indústria das fake news. Fecharam os olhos para seu passado aterrador. Fingiram ignorar seu discurso em defesa da tortura e a apologia pública que ele fez do estupro”, disse.

E acrescentou: “As eleições de 2018 jogaram o Brasil em um pesadelo que parece não ter fim. Com ascensão de Bolsonaro, milicianos, atravessadores de negócios e matadores de aluguel saíram das páginas policiais e apareceram nas colunas políticas”. A linha de embate pode até está correta, mas Lula terá que fazer malabarismos para destravar sua inelegibilidade. A pauleira, entretanto, mostrou que ele está vivinho da silva e já tem uma estratégia para 2022.

ACREDITE SE QUISER Em ritmo de despedidas da presidência do Supremo Tribunal Federal, o ministro Dias Toffoli almoçou com Bolsonaro e amenizou a relação de horror que teve com o Governo. "Em todo relacionamento que tive com o presidente Jair Bolsonaro e com seus ministros nunca vi da parte deles nenhuma atitude contra a democracia. Tive um diálogo intenso no sentido de manter a independência entre os Poderes e fazer compreender que cabe ao Supremo declarar inconstitucionais determinadas normas, porque essa é nossa função e a do Governo é respeitar e o presidente respeitou ao fim e ao cabo", disse.

PERDÃO – O presidente Bolsonaro vai perdoar das igrejas uma dívida da ordem de R$ 1 bilhão. Hoje, apesar de não estarem sujeitas ao pagamento de impostos, as igrejas ainda precisam pagar contribuições como a CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido) e a contribuição previdenciária. Algumas instituições religiosas tentam driblar a legislação e são autuadas pela Receita Federal. Elas distribuíram parte da arrecadação entre os principais dirigentes e lideranças sem pagar os tributos obrigatórios. O perdão chega por meio de projeto, já aprovado pelo Congresso, do deputado David Soares (DEM-SP), filho do missionário R. R. Soares, fundador da Igreja Internacional da Graça de Deus.

NÚMEROS DO HORROR – Desde o início da pandemia do novo coronavírus, 244 médicos brasileiros morreram em decorrência da Covid-19, segundo levantamento do Sindicato dos Médicos de São Paulo. O primeiro óbito aconteceu no dia 22 de março, e o último, em 2 de setembro. Entre as vítimas, a grande maioria (88%) é de homens. Além disso, 45% delas tinham mais de 60 anos. O Estado com mais mortos é São Paulo (51), seguido do Rio de Janeiro (40). Nos meses de abril e maio, o número de óbitos foi maior. O Conselho Federal de Enfermagem e o Conselho Internacional de Enfermeiros divulgaram no final de maio um outro levantamento segundo qual o Brasil é o País com mais mortes de enfermeiros devido à pandemia.

MICO DO FERIADÃO Três turistas pernambucanas resolveram passar o feriado prolongado de Dia da Independência em João Pessoa, fizeram reservas no Hotel Tambaú, mas foram surpreendidas com o local fechado. As mulheres disseram que fizeram as reservas pela operadora Hotel Urbano e precisaram dormir dentro do carro porque nem conseguiram arranjar outro hotel nem receberam o apoio esperado por parte da operadora. A assessoria de imprensa do hotel confirmou que o estabelecimento está fechado desde maio e que continua de portas fechadas. Avisou também que isso foi informado às operadoras de viagem, mas destacou que algumas delas não estão acatando as informações repassadas.

DITADURA DE NORONHA – A Polícia Civil autuou um casal por quebra da quarentena preventiva à Covid-19, determinada pelo governo, em Fernando de Noronha. Uma empresária, que deveria estar em isolamento, recebeu a visita de um homem, que mora na ilha e não deveria encontrá-la até que saísse o resultado de exame para detectar o novo coronavírus. O flagrante foi realizado após o delegado da ilha receber uma denúncia anônima. Moradores de Noronha, ao retornarem do continente, devem ficar em isolamento até que sejam liberados. “A empresária chegou e recebeu a visita do rapaz. Nós recebemos a denúncia e, ao chegarmos à pousada onde ela está hospedada, encontramos o morador no mesmo quarto”, afirmou o delegado Vitor Leite.

HOJE TEM RATINHO O apresentador Carlos Massa, o Ratinho, do SBT, faz a live deste blog, hoje, às 18 horas pelo YouTube com transmissão simultânea pela Rede Nordeste de Rádio, formada por mais de 40 emissoras, hoje abrangendo um raio de ação nos Estados de Pernambuco, Alagoas e Bahia. Ratinho aceitou falar sobre os investimentos que está fazendo no polo de confecções de Santa Cruz do Capibaribe, no Agreste pernambucano. Na cidade, os moradores poderão acompanhar a entrevista de Ratinho pela Polo FM 100.7, que faz sua reestreia na Rede Nordeste de Rádio depois de suspender a transmissão do Frente a Frente por questões de natureza técnica.

Perguntar não ofende: Por que só Fernando de Noronha foi escolhida para ser a Cuba de Pernambuco? 

Publicado em: 08/09/2020