Ex-servidora denuncia rachadinha em Joaquim Nabuco

Houldine Nascimento, da equipe do blog

Uma ex-funcionária da Prefeitura de Joaquim Nabuco, na Mata Sul pernambucana, protocolou uma denúncia na Câmara de Vereadores contra a administração municipal, na última quarta-feira (12). A enfermeira Jhenyffe Carolyne da Silva Castro acusa o prefeito Neto Barreto (PTB) de implantar um esquema de “rachadinha”.

O caso veio a público por meio do vereador Fred Malaquias (PROS), que leu a denúncia em sessão plenária. Com vencimento base de R$ 2,4 mil e adicional de R$ 231,08, o salário de Jhenyffe totalizava R$ 2.631,08. Ela conta que a situação mudou a partir de março de 2019, quando passou a ter uma gratificação de R$ 2,4 mil e que foi forçada a repassar os valores a um servidor a mando do prefeito.

“Fui informada pelo Departamento Pessoal da Prefeitura, na pessoa do servidor Wanderson Eugênio Cabral da Silva, que, por ordem do prefeito, Senhor Antonio Raimundo Barreto Neto, passaria a ter uma gratificação de 100% sobre os meus vencimentos e que esse adicional deveria ser devolvido ao mesmo servidor para que fosse entregue ao prefeito”, declarou Jhenyffe por escrito.

Ainda segundo a denunciante, a prática seguiu durante vários meses, o que a incomodou. “Procurei o servidor Wanderson para dizer-lhe que não colocasse mais as referidas gratificações. Para minha surpresa, recebi uma ligação do prefeito para que pudesse falar com ele pessoalmente. Ao chegar, o prefeito foi logo dizendo que, se eu não concordasse com a situação exposta, tinha quem concordasse. Eu me recusei a continuar com isso e fui demitida”, detalhou.

A ex-funcionária de Joaquim Nabuco também afirmou que há outras servidoras envolvidas no esquema de “rachadinha” e citou nomes. Jhenyffe Carolyne alertou, ainda, que as folhas de pagamento não são atualizadas desde 2017 no portal da transparência da Prefeitura. “Por estar inconformada com esta imoralidade e improbidade administrativa, apresento esta denúncia, requerendo a adoção de medidas que visem à apuração dos fatos”, prosseguiu.

No documento, a ex-servidora anexou cópias de contracheques e informou que a denúncia foi entregue ao Ministério Público de Pernambuco (MPPE), Tribunal de Contas do Estado (TCE), Justiça Federal e ao Departamento de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado (Draco).

Segundo o vereador Fred Malaquias, outras suspeitas pairam sobre a atual gestão em Joaquim Nabuco. "Como fiscalizador, tenho o dever de apurar com prudência o fato narrado pela denunciante. Tenho certeza que os colegas vereadores, com muita cautela e imparcialidade, também cumprirão com excelência o seu papel de legisladores. Joaquim Nabuco está vivendo uma situação difícil em diversos setores, com muitas denúncias para serem apuradas. No momento que estamos vivendo, com um sistema de saúde tão precário na cidade, uma denúncia dessas requer muita atenção, principalmente por se tratar de profissionais da saúde".

Diante da acusação, a Câmara de Vereadores de Joaquim Nabuco se comprometeu a marcar a ouvida da denunciante.

Publicado em: 14/08/2020