Coluna da segunda-feira

Célia bate fofo em Arcoverde

A população de Arcoverde ficou extremamente frustrada na última sexta-feira com a presidente da Câmara, Célia Galindo (PSB), que não cumpriu a palavra empenhada em entrevista ao Frente a Frente e a este blog, de que instalaria naquele dia a CPI que apura irregularidades em um programa social na gestão da prefeita Madalena Brito (PSB). Ouvida, disse que não contou com a compreensão dos vereadores que indicou inicialmente seguindo o preceito da saudável proporcionalidade.

São três parlamentares, cabendo a presidência ao maior partido da Casa. “O poder de indicação e escolha é meu, os que convidei, estranhamente, não aceitaram”, justificou Galindo, adiantando ter esperanças de que hoje, prazo final da instalação da CPI, possa contar com a colaboração dos vereadores. Autora da proposta, Zirleide Monteiro, da bancada do PTB, está desconfiada de que a promessa não possa ser cumprida, até porque ao longo do fim de semana Galindo sumiu e não atender sequer ao telefone dos seus pares no parlamento.

“Ela não tem motivos para não instalar. A CPI foi aprovada por maioria absoluta. Estamos diante de um caso muito nebuloso, que, sem explicações, foi abandonado pelo Ministério Público”, disse Zirleide. Segundo a denúncia dela, desde 2016 um esquema de desvio de recursos vinha sendo praticado no âmbito da Secretaria envolvendo inclusive recursos do BPC (Benefício de Prestação Continuada), nomes de pessoas utilizadas como laranjas para receber recursos através de empenhos.

Em somente um caso citado no pedido de CPI, um senhor, agricultor, recebeu em sua conta bancária transferências que somam quase R$ 20 mil, além de ter recebido pagamento por ministrar cursos para a secretaria, quando mal sabe escrever. Segundo foi apurado, a conta teria sido aberta a pedido da senhora ‘Raquel Franklin Brito Alencar', diretora de Tesouraria da Secretaria de Assistência Social. O escândalo foi denunciado ainda em 2019 e foi pedido ao Ministério Público de Pernambuco, em Arcoverde, à época, que investigasse o caso, mas, passado mais de um ano, não se tem notícia nem mesmo do número de inquérito que teria sido aberto no MP.

“Não podemos deixar de instalar essa CPI. A população de Arcoverde precisa saber o que realmente aconteceu naquela Secretaria aonde o que mais faltou foi transparência e honestidade. A criação da Comissão Parlamentar de Inquérito se faz urgente e necessária, sob pena de vermos milhares de reais, de recursos púbicos, terem escorrido pelos ralos sem nenhuma punição”, afirmou Zirleide.

Revelações – Após a denúncia do escândalo, a então diretora de Tesouraria da Secretaria de Assistência Social foi exonerada dois meses depois. Ela chegou a ser ouvida pelo MP e teria revelado informações de outros tipos de desvios que a CPI terá a função de investigar e comprovar. No pedido da CPI foram anexadas cópias das denúncias, extratos bancários da principal pessoa utilizada como ‘laranja’, cópias de extratos do Portal da Transparência de empenhos e pagamentos a outras pessoas também envolvidas ou utilizadas no esquema de desvio de recursos, informou a vereadora Zirleide Monteiro.

O que ela disse – Tão logo fui informado que a CPI não foi instalada, sexta-feira passada, perguntei a própria Célia Galindo o que havia dado errado. Contou que encontrou dificuldades na montagem da comissão, mas que aproveitaria o fim de semana para falar um a um com os vereadores. “Vou instalar e segunda (hoje) revelo os nomes escolhidos para atuar nas investigações”, disse, adiantando que a CPI só não sairia se fugisse do seu controle. Quanto às pressões para não fazer a instalação, a parlamentar afirmou que, em nenhum momento, isso ocorreu. “Até porque não me submeto a esse tipo de coisa”, assinalou.

Namoro ou noivado? – O namoro de Bolsonaro com Michel Temer, iniciado após este declarar que se sentiria honrado em fazer parte de um conselho de notáveis para auxiliar o chefe de Estado, durante live com este blogueiro, continua firme e forte. Ontem, presidente anunciou o envio de uma missão de ajuda humanitária e técnica ao Líbano, para ajudar na reconstrução do país após as explosões que destruíram a região portuária de Beirute. E convidou para chefiar a equipe brasileira o ex-presidente Temer, filho de libaneses. A declaração foi feita durante uma conferência organizada pelo presidente da França, Emmanuel Macron.

Conta salgada – Segundo um levantamento realizado pelo jornal O Estado de São Paulo, com base em estimativas do governo e dos bancos, a pandemia deverá custar só em 2020 cerca de R$ 700 bilhões aos cofres públicos, o equivalente a quase 10% do PIB (Produto Interno Bruto) e a R$ 3,3 mil para cada brasileiro. Daria para pagar o Bolsa Família, já considerando o aumento de beneficiários ocorrido durante a crise, por 21 anos. Do ponto de vista das contas públicas, isso representa quase seis vezes o déficit previsto para este ano antes da pandemia, de R$ 124,1 bilhões.

CURTAS

E AGORA, JOSÉ? – Ao contrário do que informei na coluna de sábado, a pesquisa do DEM sobre a sucessão no Recife, a ser divulgada hoje, não bate com a do Instituto Potencial postada neste blog. Soube, ontem, que traz João Campos, pré-candidato do PSB, na frente, seguido de Mendonça Filho, do DEM. Estranhamente, a petista Marília Arraes, que na do Potencial abriu dez pontos de frente ante aos demais adversários, aparece em quarto ou quinto lugar. E agora, José? Os números serão apresentados hoje pelo diretório nacional do DEM. Quem fez o levantamento foi o Instituto Conecta.

LIVE DA QUARTA – A advogada criminalista carioca Maíra Fernandes é uma das mais credenciadas defensoras dos direitos humanos no País. É a convidada da live da próxima quarta-feira, às 19 horas, pelo Instagram deste blog. Ninguém conhece como ela alternativas para melhoria da política prisional, investimento pelos estados em modelos de apoio aos detentos, como associações de proteção e assistência a condenados e colônias agrícolas. É grande estudiosa das legislações sobre drogas. Acha que deixar que o policial decida se a quantidade de droga apreendida configura tráfico ou uso, sem tabela de quantidades, dá margem a arbitrariedades e defende a criminalização das drogas no País. Se você ainda não segue o Instagram do blog, anote o endereço: @blogdomagno.

Perguntar não ofende: A quem a Polícia Federal vai dar bom dia ao longo desta semana?

Publicado em: 09/08/2020