Delegada entra com representaĆ§Ć£o para me intimidar

Pré-candidata à prefeita do Recife pelo Podemos, a delegada carioca Patrícia Domingos encaminhou ao Sindicato dos Jornalistas de Pernambuco uma representação judicial contra este blogueiro, sustentando que cometi crime contra ela, que gera ação indenizatória, previstos no Código de Ética dos Jornalistas. Reclama que a ofendi ao informar que teria recorrido judicialmente ao Estado para trabalhar em casa, no sistema de teletrabalho, por se julgar no direito na condição de portadora de hipertensão arterial.

O que estranha é não ter dado entrado no processo diretamente na justiça, mediante um oficial de justiça. Quando recorre ao Sindicato da minha categoria, na verdade, ela passa a impressão que está tentando apenas me intimidar. A delegada, segundo documento em poder deste blog, já havia gozado licença prêmio, mas queria continuar trabalhando em casa sob a alegação de que estava no grupo de risco da pandemia.

Pelo que sei, porque também sou hipertenso, a doença é controlável mediante remédio prescrito por médicos, o que já faço há mais de 10 anos, e isso nunca me impediu de trabalhar, de viajar, nem tampouco sair de casa. O engraçado é que a delegada não pode trabalhar de máscara na delegacia, mas pode fazer campanha pelas ruas, conforme este blog também constatou por meio das suas próprias postagens em redes sociais.

Ela diz, em sua representação, que a informação que postei no blog é fake. Ora, se tenho documento em meu poder da sua representação ao Estado, no qual exige até uma multa diária, caso não seja atendida, como pode ser notícia falsa? Quem está falseando a verdade é a delegada, a quem, aliás, dei todo direito de resposta quando se sentiu ofendida por nada que foi ofensivo.

Volto a reafirmar: sofro da mesma morbidade da delegada e isso não me impede de trabalhar na pandemia, usando álcool gel e máscara. O que ela queria, na verdade, era ficar mesmo de pernas para o ar, com tempo disponível para a campanha eleitoral. Na delegacia, onde deveria voltar a bater ponto depois de vencida a sua licença prêmio, a carioca não teria tempo nem, convenhamos, espaço para fazer proselitismo político.

Publicado em: 14/07/2020