Arcoverde: Vereadores não apoiam chapa com delegado

A sucessão municipal de Arcoverde ganhou um novo capítulo, na noite de ontem, quando a vereadora e presidente da Câmara Municipal, Célia Galindo (PSB), afirmou que era sim candidata a vereadora nas eleições deste ano e que não subiria no palanque do candidato do governo, o empresário do grupo LW, Wellington Maciel, do MDB, caso a vaga de vice fosse ocupada pelo delegado Israel Rubis (PP). Os vereadores Siqueirinha e João Taxista, também do PSB, disseram que seguiriam a mesma posição da presidente.

“Sou e serei mais do que nunca candidata a vereadora em 2020. Tenho livre arbítrio. Não serei pedra no caminho de qualquer candidatura. Coloquem quem quiser porque eu não vou interferir, mas se o grupo da prefeita quiser marchar com um candidato a vice que tentou desmoralizar essa casa, pode seguir, eu não seguirei”, disse Célia.

Ela se referia a notícia que circulou durante a noite de que a chapa escolhida pela prefeita Madalena Britto, do PSB, estaria fechada com Wellington Maciel prefeito e o Delegado Israel Rubis na vice.

Os vereadores Siqueirinha e João Taxista também referendaram a decisão da presidente da Câmara de Vereadores, afirmando que não acompanhariam o candidato da prefeita nesta situação. Segundo Siqueirinha, caso se confirme essa composição (Wellington/Israel), seguirá a presidente.

“Fomos pegos de surpresa aqui, quando surgiu esse boato. Caso seja verdade, não irei acompanhar. Essa pessoa fez uma investigação que, até hoje, não teve nenhum fundamento e não levou a lugar nenhum, apenas para se promover. Não acompanharei, assim como a presidente, ficarei sem pedir voto para a chapa do governo”, afirmou.

Segundo Célia Galindo, seu compromisso é com a prefeita Madalena, porém questionou se a mesma não teria um compromisso com ela. “O meu compromisso é com a prefeita Madalena. Se ela não tiver um compromisso comigo, é diferente”, concluiu.

Publicado em: 14/07/2020