A paixão de papai pela política e a sinceridade de mamãe

Entre um olhar à distância recomendado em tempos de pandemia, a vontade de abraçar e beijar sua face perfumada do meu pai Gastão Cerquinha ao longo dos últimos três dias em Afogados da Ingazeira, me chega essa pérola de vídeo enviado pela minha conterrânea Márcia Cruz. O longo depoimento, gravado pelo meu amigo Fernando Pires, foi dado por papai e mamãe Margarida há 10 anos, quando completaram 60 anos de amor e cumplicidade.

Já tinha visto, mas foi muito emocionante rever neste momento de tempos sombrios. Por isso, compartilho com meu público para que possa compreender a fonte da minha inspiração permanente. Redescobrir a paixão do meu pai pela amada que Deus levou há sete anos, pelos filhos, que revela ser o grande tesouro da sua vida, e por outra paixão ardente, a política, além do amor pela sua terra, a qual escreveu três livros sobre seus grandes personagens, é de arrepiar.

Descobrir, mais do que isso, a forte personalidade de mamãe, que puxou ao meu avô Severo. No depoimento, ela confirma histórias que já contei por aqui, como o desgosto por papai ter se abraçado com a vida pública, e o engraçado episódio do eleitor que pediu para ela lavar seus pés. Mamãe era uma mulher sincera, transparente e valente. Dizia na cara o que não gostava, agradasse ou não ao interlocutor. Herdou de vovô Severo, dos Martins da paraibana Monteiro.

Que saudade! Clique e veja se tiver um tempinho. 

Publicado em: 12/07/2020