MPPE defende bares e academias fechados em Afogados

O promotor Lúcio Luiz de Almeida Neto representou o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) em uma reunião feita durante a semana, que envolveu a Prefeitura de Afogados da Ingazeira, CDL, Polícia Militar, além de representantes das academias, bares e restaurantes. Para ele, não há condições de retomar as atividades nestes setores.

"Se o Estado autorizasse na próxima semana, não teríamos segurança pelos indicativos e o Ministério Público seria a favor da manutenção do fechamento". O que agrava a situação, nas palavras do promotor, é que muitos desses estabelecimentos não possuem registro, dificultando o controle e acompanhamento das autoridades.

O MPPE interpretou como correta a decisão do governo do Pernambuco de não avançar para a reabertura de academias e restaurantes no próximo dia 20, diante do número de casos da doença na região.

Ele defendeu rigor para que haja um retorno seguro, preservando vidas. Outra informação foi a de que, quando for confirmada a nova data da retomada dessas atividades, haverá uma reunião para que sejam firmados os protocolos.

*Com informações do Blog de Nill Júnior

Publicado em: 11/07/2020