Candidato fantasma em Floresta

O pré-candidato do PR a prefeito de Floresta, Favinho Ferraz, passou um ano como servidor fantasma do Governo do Estado embolsando salário de R$ 5,6 mil, conforme atesta documentos do seu vínculo, o ato de nomeação e o de exoneração assinados pelo governador Paulo Câmara (PSB). A função era de gerente de articulação de políticas sociais. Durou de julho de 2019 a junho de 2020.

Ele vive no Sertão e nunca bateu ponto no local de trabalho, a Secretaria de Prevenção à Violência e Drogas. A boquinha, segundo seus adversários em Floresta, pode ser obra do seu irmão, o deputado estadual Fabrizio Ferraz (PP). No período, ele embolsou quase R$ 60 mil reais.

Publicado em: 29/06/2020