Coluna da sexta-feira

O PSB e a corrosão de valores

A operação da Polícia Federal, ontem, no Recife, aponta que a eleição deste ano será marcada pelo debate da corrupção, do desvio ético e da moralidade. Mas em se tratando de PSB, nenhuma novidade. O partido tem suas digitais em outros escândalos locais e federais, como a Lava Jata, no plano nacional, e a Casa de Farinha, no estadual. O ingrediente que se apresenta novo agora é a da canalhice, da estupidez e da desfaçatez.

Meter a mão em dinheiro destinado a salvar vidas de gente que agoniza nos hospitais, arrastada para o túmulo pela Covid-19, é crime odiento, horrendo e inafiançável. O preço maior deve ser político, pago nas urnas com o povo usando a sua arma mais poderosa, o voto. Nunca se viu na história algo mais arrepiante, e até inacreditável: comprar respiradores usados em porcos para quem está entre a vida e a morte numa UTI pública.

Nem Hitler! Isso prova que o fascínio não morreu, que há gente capaz de tudo, inclusive de cometer genocídio. O Brasil, especialmente Pernambuco, cansou. Fim a insensatez sem limites! Nada floresceu para o bem nessa era socialista em Pernambuco. O vermelho do socialismo exercitado no Estado, com forte odor concentrado na Prefeitura do Recife, é o do ódio, da mentira, de políticas perversas e enganadoras.

O verdadeiro socialismo prega que nenhuma pessoa pode ser dona das máquinas e dos outros recursos utilizados na produção de bens de consumo.  É a humanidade, por assim dizer, a dona desses recursos. Aqui, isso é o inverso na era PSB, prática do capitalismo disfarçado. O socialismo daqui resultou em escassez, ineficiências e desperdícios assombrosos com o dinheiro alheio.

Desnecessário dizer que, quando não se tem compromisso social nem elevado espírito público, o preço maior quem paga é a sociedade, afundada em um empobrecimento progressivamente deteriorante, como se observa hoje num Estado que já foi no passado um leão e numa capital, orgulhosamente conhecida lá fora como a Veneza Brasileira. Os pobres por aqui não foram feitos para usufruir do que o poder emana, mas para sustentar o poder de políticos maus, insanos e irresponsáveis.

A triste realidade, por fim, é constatar que a corrupção política é apenas uma consequência das escolhas do povo. Meu avô dizia que o povo tem o governo que merece. A política, quando gera corrupção na célula social, é um verdadeiro câncer que destrói toda a sociedade e os seus valores morais. A corrupção moral, política, a da palavra e da alma, enfim, leva o povo, a família, amigos e amores à corrosão de valores.

Raio bem maior – Na operação da Polícia Federal o que chamou atenção, ontem, foi que se destinou atingir apenas um alvo da busca e apreensão de documentos: o secretário de Saúde, Jailson Correia, quando é sabido que o prefeito Geraldo Júlio tem um exército de áulicos cumpridores de missões quase impossíveis. A PF não foi advertida sobre esse detalhe extremamente importante ou está escondendo a parte mais importante da sua investigação? Oxalá a segunda opção, porque as compras suspeitas do prefeito estão em torno de R$ 700 milhões e não apenas de R$ 11,5 milhões, objeto da operação da Federal no gabinete da Saúde e na casa do secretário.

Falta aprender – Seria cômico se não fosse trágico o prefeito do Recife afirmar, na maior cara de pau, que mandou devolver a dinheirama referente às compras de respiradores para porcos e que em função desse gesto estaria impune de qualquer punição. Ora, o direito versa sem arrodeios que isso, na prática, é confissão do crime. Se o assunto não tivesse vindo à mídia, a partir inicialmente de denúncia neste blog, a farra então com o dinheiro público estaria mantida. Deveria aprender que não entrou na política para agradar corruptos nem fazer corrupção, mas para lutar pela dignidade do povo, que está morrendo sem saúde, sem educação, sem segurança e sem emprego, por causa do alastramento dos efeitos da Covid-19.

O preço da morte – Triste realidade: no dia em que a Polícia Federal põe os pés no Recife para rastrear ilegalidades em contratos com o dinheiro federal da Covid-19, foram registrados mais 794 casos e 98 óbitos. Com isso, o Estado passou a ter 30.713 confirmações e 2.566 mortes por essa doença causada pelo novo coronavírus. Esses números são contabilizados desde o início da pandemia, em março. Se o dinheiro liberado pela União tivesse sido usado na compra de respiradores humanos e não para porcos, certamente muitas dessas vidas teriam sido salvas no Recife.

Livrando a cara – Acuado com a operação da Polícia Federal, o prefeito Geraldo Júlio exigiu até do presidente nacional do PSB, o ensaboado Carlos Siqueira, uma nota de solidariedade com a intenção de mostrar que o errado nessa história é a Polícia Federal. Eis o principal trecho: “As investigações em curso, conduzidas pela Polícia Federal, não maculam a administração de Recife que já veio a público, em nota oficial, para esclarecer a situação objeto das diligências realizadas. Nestes termos, o PSB Nacional manifesta sua solidariedade para com o Prefeito Geraldo Julio, convicto de que os fatos se esclarecerão rapidamente, e em favor da administração municipal.”

CURTAS

BAIXO QUORUM – Mesmo com sessões feitas pela internet, apenas 13 deputados participaram de todas as votações nominais da Câmara dos Deputados durante a pandemia do novo coronavírus, mostra levantamento feito pelo G1, portal do sistema Globo. Isso significa que 97,5% dos 513 deputados federais faltaram a pelo menos uma votação remota durante a quarentena. Nas sessões virtuais, criadas para lidar com a pandemia do coronavírus, os deputados carregam no celular o aplicativo da Câmara e podem votar de qualquer lugar. Até então, precisavam estar pessoalmente no plenário da Casa, em Brasília. Ao longo das últimas semanas, foram votadas várias proposições relacionadas à pandemia do novo coronavírus, como a PEC do Orçamento de Guerra e o projeto de ajuda financeira a estados e municípios.

EMPREGOS SOMEM – A taxa de desemprego no Brasil subiu para 12,6% no trimestre encerrado em abril, atingindo 12,8 milhões de pessoas e com um fechamento de quase cinco milhões de postos de trabalho em relação ao trimestre anterior. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Mensal (PNAD Contínua) divulgada, ontem, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado representa uma alta de 1,3 pontos percentuais na comparação com o trimestre encerrado em janeiro. Dessa forma, o número de pessoas na fila por um emprego aumentou em 898 mil pessoas em três meses, em meio aos impactos da pandemia de coronavírus na atividade econômica.

MÚCIO NA LIVE – O entrevistado pela live do blog da próxima terça-feira é o presidente do Tribunal de Contas da União, o pernambucano José Múcio Monteiro. Nome sempre lembrado para uma eventual disputa ao Governo do Estado em 2022, Monteiro vai tratar dos efeitos da pandemia na vida da corte de contas, na política e na economia. É a primeira live que ele participa na condição de presidente do TCU e certamente deve gerar uma grande expectativa nacional.

Perguntar não ofende: A operação da Polícia Federal no Recife vai se estender também ao gabinete do governador e do Governo Paulo Câmara?

Publicado em: 28/05/2020