Ameaça à democracia

Por Marlos Porto*

Militares não se encontram acima da lei! Tentar intimidar o Poder Judiciário é inadmissível em um Estado Democrático de Direito. É vergonhosa postura a do ministro do Gabinete de Segurança Institucional, general Augusto Heleno, e dos generais reservistas que o apoiam – mais ainda se considerarmos o "móvel" (o celular do presidente) para a sua "nota" destoante e desclassificada, em termos de propriedade e justiça.

Acaso temem que eventuais conversas espúrias entre o presidente e seus asseclas sejam escancaradas? Ou seriam as tratativas indecentes, visando ao ilegal acobertamento de seus familiares e capangas, que querem ocultar às vistas da nação? Esses senhores de alvas cãs e patéticos gestos, cujo indecoroso silêncio diante de tantas obscenidades proferidas e praticadas pelo vil ocupante do mais alto cargo da República grita mais que o vociferar da turba fanática e ensandecida que lhes serve de acúleo, deveriam supor que o Brasil não é uma pátria de néscios aparvalhados e manipuláveis.

Se quisessem preservar o respeito e a credibilidade das Forças Armadas, jamais cometeriam a indignidade de fazer supor que seriam capazes de usar suas baionetas para homiziar-se um vil e traidor mandatário! Regozijam-se em covardemente bradar suas torpes palavras em tom de ameaça contra um dos mais probos e lúcidos magistrados do Supremo Tribunal Federal, guardião da constituição.

Aos espíritos porventura atônitos diante de tão atroz impatriotismo: saibam que o débil ranger das gangrenosas armas em que o general e sua horda se escoram jamais poderão, perante a História, fazer frente ao sublime e impertérrito clangor da Justiça e de seus valentes esteios, que soa e soará pelas eras sem conta, enquanto Humanidade houver! Pela Constituição Federal, pela República, pela ordem e pelo Brasil: #ForaBolsonaro!

*Funcionário público e membro do partido Cidadania em Arcoverde

Publicado em: 25/05/2020