Jornalistas abandonam entrevista de Bolsonaro

Os jornalistas que acompanhavam a fala do presidente Jair Bolsonaro na saída do Palácio da Alvorada, hoje, deixaram o local da entrevista após o presidente, mais uma vez, estimular apoiadores para que hostilizassem e xingassem os repórteres.

Depois de uma pergunta sobre a postura do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, que tem dado orientações contrárias às de Bolsonaro durante a crise do coronavírus, um dos apoiadores começou a gritar que a imprensa "colocava o povo contra o presidente". Bolsonaro reagiu incentivando o apoiador a falar e mandando que os jornalistas ficassem quietos.

"É ele que vai falar, não é vocês não", disse Bolsonaro. Com isso, os apoiadores começaram a xingar os jornalistas, que se retiraram do local e ficaram ao fundo. O presidente ficou inicialmente surpreso com a reação dos repórteres, mas logo aproveitou para ironizá-los.

"Mas vão abandonar o povo? Nunca vi isso, a imprensa que não gosta do povo", gritou Bolsonaro aos repórteres que se mantinham afastados.

Em seguida, enquanto continuava a conversar com caminhoneiros que se reuniram na porta do Alvorada, Bolsonaro continuou falando aos jornalistas.

A pergunta que levou o presidente a estimular a hostilidade de seus apoiadores foi sobre as recomendações feitas por Mandetta em entrevista na segunda-feira no Palácio do Planalto, de se manter o isolamento social.

"Eu não sei o que ele falou. Eu tenho que ver, porque acreditar no que está escrito... ninguém se esqueça que eu sou o presidente. Eu sou o presidente", disse Bolsonaro.

Nesse momento, um dos apoiadores, que possui um canal no Youtube, começou a gritar com os jornalistas, e Bolsonaro mandou que os repórteres se calassem e o ouvissem.

Esse apoiador, alterado, gritava que a mídia colocava as pessoas contra o presidente e contra seus ministros, e que agora com a internet ninguém mais precisa de jornalistas porque eles agora "se informam uns com os outros”.

Publicado em: 31/03/2020