Volta a ideia de supermercados venderem medicamentos sem prescrição

O Globo - Por Ancelmo Gois

Com o número de farmácias crescendo mais do que o de templos evangélicos — entre 2013 e 2018, as drogarias saltaram 38,5% —, volta com força na Câmara a ideia de permitir que os supermercados possam vender medicamentos isentos de prescrição (MIPs). Na verdade, é uma novela antiga, que se arrasta há uns 30 anos, mas que agora voltou a esquentar.

Aliás, a turma da saúde privada está tão otimista com 2020 que a Confederação Nacional de Saúde projeta que o setor possa criar em média 111 mil novos postos de trabalho. Seria um salto em relação aos 88.400 gerados em 2019. No ano passado, o nicho respondeu por 14% de todas as vagas abertas no Brasil.

Publicado em: 16/02/2020