Recife, Salvador e Fortaleza em discussão

Depois de uma semana em Salvador, de onde voltei encantado com o acolhimento, o calor humano e a energia da baianada, que, na verdade, é uma mistura cariocada, até no gingado e nas manhas, já começo a fazer o meu roteiro de Fortaleza, para informar aos leitores do blog, ouvintes do Frente a Frente e dos que me seguem pelas redes sociais.

Meu embarque não será de imediato, logo na semana seguinte a Salvador. Só decolo na segunda-feira, 27, logo cedo. Fico por lá até a sexta, 31, mesmo período do axé baiano. Espero que a etapa cearense seja tão produtiva quanto a baianense. 

Minha intenção não é fazer comparações com o Recife ou enaltecer lá e rebaixar cá. A pauta  foi posta em prática a partir da entrevista do empresário João Carlos Paes Mendonça, quando afirmou que Salvador e Fortaleza eram, hoje, estuários de tudo que se observa de mudanças estruturais no Nordeste.

Mudanças na concepção urbana, no trânsito, nos programas sociais, no turismo e na exploração das vocações nordestinas. Com isso, senti que colocamos ou acendemos a chama do debate saudável em torno da qualidade do viver no Nordeste.

Salvador é um paraíso? Não. Lá existem os mesmos problemas crônicos do País: aglomerados de gente morando em morros e favelas, desemprego, desigualdades gritantes e muita pobreza também. 

Mas Salvador vive um momento novo e único. Atrai investimentos, privatiza o que não deve ser público, está sempre limpa e bem cuidada, uma orla humanizada  com equipamentos modernos, que vão desde abertura exclusivas de ciclovias à quiosques padronizados.

Salvador tem também um centro histórico repaginado, dois corredores de trânsito em conclusão de 12 km com quatro faixas, cada um. Praticamente todas as praças reformadas e conservadas e está inaugurando, no próximo dia 26, um dos melhores centros de convenções do País.

Com um detalhe: toda a pauta de eventos do ano, seja seminários nacionais e internacionais, ou shows, já está lotada. Isso é uma das molas geradoras de emprego e renda.

Salvador tem, por fim, a chance de virar cidade modelo em mobilidade urbana. Além dos dois corredores - as linhas Vermelha e Azul  - conta com os serviços do metrô, um dos mais modernos do Brasil, padrão internacional. 

É bom lembrar que já existe também em funcionamento uma parte do sistema de transporte BRT, com previsão de estar em operação totalmente em 2022. Se isso não fosse suficiente, o Governo da Bahia e a Prefeitura já licitaram o VLT, Veículo Leve Sobre Trilhos, para entrar em circulação em 2022.

Por fim, a Bahia tem uma política de gestão compartilhada, entre aspas, PT x DEM. Rui Custa, o governador, é a maior revelação de administrador público do PT e da nova safra nacional de governadores. Já ACM Neto, de linhagem democrata, aparece nas pesquisas como o melhor do País. E brigam para fazer mais, cada um ao seu modo.

Quanto a Fortaleza, tenho as melhores referências do prefeito Roberto Cláudio, do PDT, assim como do governador petista Camilo Santana. E vou descobrir e detalhar o que estão fazendo em termos de inovação.

Publicado em: 18/01/2020