Coluna desta sexta na Folha

Dirceu não queria Ana no TCU

Não sei os motivos nem quem deu a orientação para o governador Paulo Câmara (PSB) dividir a mesma ceia na casa do deputado Wolney Queiroz (PDT), quarta-feira passada, em Brasília, para, dentre outros assuntos, preparar a munição a ser usada numa bomba atômica capaz de transformar em pó a pré-candidatura da petista Marília Arraes à Prefeitura do Recife.

O ex-governador Eduardo Campos, criador da criatura empostada no poder, odiava o capitão da turma da roubalheira de Lula, chefe da quadrilha. Foi Dirceu, por exemplo, que articulou a candidatura do ex-ministro Aldo Rebelo, para concorrer com Ana Arraes, mãe de Eduardo, a vaga de ministra do Tribunal de Contas da União.

Pego de surpresa e sentindo-se traído, Eduardo teve que fazer do limão uma limonada, nas articulações que empreendia com maestria, para emplacar a mãe, capítulo de uma página vitoriosa na sua ascensão nacional.

André foi sabido – Na peregrinação política sobre os tapetes verdes e azul do Congresso, na última quarta-feira, o governador Paulo Câmara foi paparicar o líder do PSD na Câmara dos Deputados, André de Paula, pré-candidato a prefeito do Recife. Para não dar espaços a uma agenda pinçada na aldeia, André recrutou um verdadeiro batalhão de deputados liderados por ele para servir de testemunha.

O padrinho – Aos que acham que o empresário Douglas Cintra, escolhido por Bolsonaro para o comando da Sudene, bebe ainda nas fontes do ex-senador Armando Monteiro Neto e do deputado José Queiroz, o distanciamento é de léguas. Cintra está sendo nomeado e toma posse no próximo dia 12 abençoado apenas pelo senador Fernando Bezerra Coelho (MDB).

Ferido de morte – Considerado o rei do gesso no Araripe, o empresário Tião do Gesso (SD) sofreu um golpe mortal, ontem, no seu projeto de disputar a Prefeitura de Araripina: operação federal o pilhou praticando trabalho escravo em suas minas. Com uma marca desta magnitude numa campanha para prefeito, nem empurrado pelas benções celestiais subiria as escadas da Prefeitura.

Revelação – Para jornalistas com sensibilidade e engenharia política, a experiência na gestão pública acaba sendo reveladora. É o caso do companheiro Ricardo Almoêdo, que deixou a Secretaria de Imprensa da prefeita tucana Raquel Lyra, em Caruaru, para missões no mundo da política.

Enxaqueca – O secretário de Turismo, Rodrigo Novaes, só não perdeu o trono ainda porque o deputado André de Paula, líder do PSD na Câmara, não aceitou indicar o sucessor na pasta, ofertado pelo governador Paulo Câmara, que só tem tido dores de cabeça com os reclamos da base sobre a atuação de Rodrigo.

CONGRESSO – Atendendo convite da direção do Avante, pego a estrada, hoje, rumo a Gravatá, para falar no primeiro estadual da legenda, a partir das 15 horas, no Hotel Canariu's. O evento tem a assinatura e a coordenação dos irmãos Sebastião Oliveira, deputado federal, e Valdemar Oliveira, presidente do diretório estadual.

Perguntar não ofende: É justo o contribuinte arcar com R$ 3,8 bilhões para bancar as campanhas eleitorais, através do fundo aprovado, ontem, pelo Congresso?

Publicado em: 06/12/2019