Coluna desta segunda na Folha

PSB já prega distância de Lula

No congresso da autorefoma do PSB, no Rio, com direito a descampar  para o debate internacional, choveu pauleira no PT e a pregação, quase consensual, de que o partido deve se distanciar do lulismo-petismo e da própria sombra do ex-presidente Lula.

Então lulista de carteirinha, o ex-governador da Paraíba, Ricardo Coutinho, disse que as falas de Lula, após a sua soltura, isolam o PT, quando afirmam que o partido não nasceu para apoiar, mas para ser apoiado, abrindo, assim, o caminho para candidaturas próprias nas capitais e em colégios eleitorais acima de 200 mil eleitores.

“Lula se comporta muito mais como chefe de partido, quando deveria ser um líder com estatura para aglutinar mundialmente setores afinados com a democracia”, reclamou Coutinho. “Se o PT acha que não precisa fazer autocrítica, essa já é a nossa maior diferenciação”, bradou o ex-governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg.

Nem livre, nem preso – Uma das falas que mais repercutiram foi a do vice-presidente nacional do PSB, Beto Albuquerque (RS). “Não somos nem Lula livre nem Lula preso. Isso é questão da justiça. Nossa luta é pela democracia e contra a brutal desigualdade”, disse. O deputado Júlio Delgado (MG) afirmou que o PSB já se afastou do PT ao discordar de NIcolás Maduro e sair do Foro de São Paulo.

Voz destoante – Já o prefeito Geraldo Júlio, que tem interesse na manutenção da aliança com o PT no Recife, foi dissonante. Para ele, o debate deve se concentrar na melhoria da vida dos brasileiros e pregou a união da oposição para o combate as perdas sociais. “Não é o momento de discutir a hegemonia de A, B ou C”, afirmou. Pelo jeito, não há consenso no divórcio com Lula.

Briga feia – Em Araripina, a radicalização impediu que o município, a exemplo de tantos outros, assinasse um empréstimo de R$ 4,5 milhões com a CEF. A maioria na Câmara rejeitou o pedido do prefeito Raimundo Pimentel. O município ficou negativado no Cauc durante 18 anos e só limpou a ficha em julho passado. Adversários, Bringel Filho, Aluizio e Tião do Gesso ajudaram na derrota.

Lei imoral – Os shoppings brasileiros estão infestados de cachorros depois de aprovada a lei que os ambientes comerciais podem servir de praça para a cadelada em geral. Nunca vi uma lei tão absurda! A caravana de cães faz cocô, xixi, late e ainda põe em risco a vida de crianças indefesas.

Guerra – O alvo dos ataques de Bolsonaro não é mais a Globo, mas a Folha de São Paulo. Depois de cancelar assinaturas digitais em todas as esferas do Governo, partiu para o ataque. “Não quero mais ler a Folha e ponto final. O povo faz coro: “Nem eu, nem eu”, disse, ontem, nas redes sociais.

QUEM TEM RAZÃO? – Enquanto em Araripina a oposição rifa o empréstimo à CEF, o prefeito Raimundo Pimentel (PSL) pagou, na sexta-feira passada, o salário de novembro, a segunda parcela do 13º salário da Educação e mais uma parcela do parcelamento dos salários atrasados da gestão Alexandre Arraes (PSB).

Perguntar não ofende: Quem é o pai do 13º salário do programa Bolsa Família em Pernambuco: Bolsonaro, que voltou a reafirmar, ou Paulo Câmara?

Publicado em: 02/12/2019