Inpe considera possibilidade de mancha ser piche

Pesquisadores do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) trabalham também com a possibilidade de a mancha tóxica que contamina o litoral brasileiro ser piche, e não óleo cru. O oceanógrafo Ronald Buss de Souza informou na segunda, 18, que embarcações de piche passam por um ponto em comum ao traçado pelos petroleiros. “A tese mais plausível é que um navio tanque tenha ejetado esse material para mar aberto. Quem fez isso não tinha ideia das consequências ambientais do que estava fazendo”, afirmou ele.

Publicado em: 19/11/2019