Pessimismo com a América Latina faz bolsa recuar

Incerteza quanto à guerra comercial entre China e EUA e conflitos na região levam o Ibovespa a cair 0,65% nesta quarta-feira. A queda foi a segunda seguida do dia.

Cenário externo promove declínio do Ibovespa, que fechou aos 106.059 pontos, nesta quarta-feira, 13 (Cris Faga/NurPhoto/Getty Images

Da Veja - Por Lucas Cunha

O Ibovespa, principal índice da bolsa de valores brasileira, fechou em queda nesta quarta-feira, 13, influenciado pelas turbulências políticas ocorridas na América Latina e pela incerteza das negociações entre China e Estados Unidos sobre a guerra tarifária. Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa caiu 0,65%, aos 106.059 pontos.

O cenário internacional foi determinante na variação negativa da bolsa de valores brasileira. As agitações ocorridas no Chile e Bolívia acabaram afetando o bloco econômico sul-americano como um todo. “As contínuas tensões e instabilidades políticas e econômicas da América Latina acabam afastando os investidores”, afirma Luis Salles, analista da Guide Investimentos.

Além disso, as negociações entre China e Estados Unidos sobre a guerra tarifária ficaram permeadas de incerteza nos últimos dias. Na terça-feira, 12, o presidente dos EUA, Donald Trump, fez declarações mistas, ditando cautela no mercado. O otimismo com o acordo comercial entre as duas nações, que era esperado nas próximas semanas, diminuiu após as afirmações.

Trump disse que aumentará as tarifas sobre produtos chineses se o país asiático não fizer um acordo com os EUA, mensagem que não foi bem recebida pelos mercados ao redor do mundo. O pessimismo se intensificou após o Wall Street Journal publicar que as negociações esbarraram em um obstáculo sobre as compras de produtos agrícolas, com a China não querendo um acordo que pareça unilateral a favor dos EUA.

Com Reuters)

Publicado em: 14/11/2019