Feitosa destaca Fórum Nordeste na Alepe

O deputado Alberto Feitosa (SD) destacou, na tarde de hoje, na Tribuna da Casa Joaquim Nabuco, a 11ª edição do evento Fórum Nordeste 2019, coordenado pelo Grupo EQM realizado, ontem que abordou o que há em mais atual em biocombustível, etanol e energias limpas.  Na ocasião, o parlamentar também mencionou o anúncio do Líder do Governo, no Senado, Fernando Bezerra Coelho, durante o Fórum sobre o planejamento de um grande projeto de geração de energias eólicas e nuclear, no Estado que prevê mais de R$ 30 bilhões em investimentos.

Feitosa ainda ressaltou sobre o encontro que deverá acontecer, no próximo dia 30, entre Bezerra Coelho, toda equipe do Ministério de Minas e Energia e o governador Paulo Câmara para tratar da temática e repercutiu, a fala de Bezerra sobre a oportunidade de Pernambuco desenvolver um projeto de investir em energia nuclear em Itacuruba, Sertão Pernambucano, iniciado ainda no Governo Eduardo Campos. O governo vai apresentar seu plano decenal de 2020 a 2030 e será discutida a localização das novas usinas nucleares, em Itacuruba.

“O tema da energia nuclear vai fazer parte do cenário econômico do Estado. É só uma questão de tempo”, pontuou Feitosa, antecipando que sua assessoria está finalizando uma PEC (Proposta de Emenda à Constituição), permitindo instalação de uma usina do tipo no Estado.

O parlamentar também confirmou que, entre os dias 16 e 18 de outubro, está agendada uma visita às usinas localizadas em Angra dos Reis, no litoral do Rio de Janeiro, a convite da Eletronuclear. “A empresa espera uma grande comitiva de parlamentares, que terão a oportunidade de esclarecer dúvidas sobre o funcionamento do empreendimento”, ressaltou.

Ainda em seu pronunciamento, Alberto Feitosa repercutiu o artigo Energia Nuclear: sinônimo de prosperidade do Sertão, publicado na edição de hoje, no Diario de Pernambuco. No texto, o deputado defende a instalação de a usina nuclear, em Itacuruba por acreditar que proporcionar desenvolvimento, renda e receita para o município e para a região. “Só de arrecadação anual em tributos seria algo na ordem de R$ 800 milhões em ICMS para o Estado e R$ 160 milhões para o município. Pernambuco não pode abrir mão desse empreendimento”, destacou Feitosa.

Publicado em: 17/09/2019