PGR: MPF critica romaria de candidatos ao Planalto

Foto: João Américo/Secom/MPF

Folha de S. Paulo - Painel
Daniela Lima

 

A romaria dos candidatos ao posto de procurador-geral da República ao Palácio do Planalto para falar com Bolsonaro começou a ser criticada no Ministério Público Federal. O gesto tem sido chamado internamente de “ato de mendicância” e de “humilhação para a categoria”.

A situação piorou à medida que o governo passou a falar abertamente sobre o perfil que o presidente busca para a PGR: alinhado à pauta conservadora, sem vínculo com a esquerda e que atue pelas maiorias, não pelas minorias.

Para procuradores, quem cumprir o último item da lista estará traindo sua missão institucional.

Publicado em: 24/08/2019