Ministro vai a Noronha discutir revisão de taxas

O porta-voz da Presidência da República, general Otávio Rêgo Barros, afirmou que o ministro Ricardo Salles (Meio Ambiente) e o presidente da Embratur, Gilson Machado, viajarão, amanhã, a Fernando de Noronha para discutir com a concessionária do Parque Nacional Marinho do arquipélago a redução das tarifas de visitação cobradas dos turistas.

No último domingo, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que a taxa cobrada para visitar as praias do parque "é um roubo" e disse que pretende revê-las.

"O ministro do Meio Ambiente e o presidente da Embratur vão a Fernando de Noronha para, juntos com representantes da concessionária [EcoNoronha], iniciarem estudos para analisar de forma consensual o preço das tarifas", disse o porta-voz, ontem.

"O presidente quer proporcionar também oportunidade de acesso de pessoas de menor poder aquisitivo a tantos e tantos parques e pontos turísticos do nosso país", acrescentou.

De acordo com Rêgo Barros, Bolsonaro se preocupa com taxas de visitação que, segundo ele, "são extremamente onerosas". No entanto, ele ressaltou que os contratos assinados entre o governo federal e as concessionárias serão "perseguidos e atendidos na sua plenitude."

"O que ministro do Meio Ambiente e o presidente da Embratur vão realizar na quinta-feira, juntos com dirigentes daquele órgão que cuida de Fernando Noronha, é buscar pontos de forma consensual para que aquela tarifa, que é de responsabilidade do governo federal, possa ser rebaixada", declarou o porta-voz. De acordo com ele, a eventual facilitação do acesso de turistas deve ocorrer "sem ofender aspectos de proteção ambiental."

A EcoNoronha é a empresa responsável pela administração do parque marinho desde 2012. Até agora, após vencer a licitação, foram investidos R$ 15 milhões no parque. Só no ano passado, a empresa arrecadou R$ 9,6 milhões.

O valor dos ingressos para turistas brasileiros visitarem o parque é de R$ 106. O valor para estrangeiros sobe para R$ 212 – o bilhete vale por dez dias.

Visitantes de Noronha pagam ainda uma taxa de preservação ambiental de R$ 73,52 por dia, com teto de 30 dias.

Publicado em: 17/07/2019