Demissão: ameaça de Bolsonaro, alvo amanhece demitido

O advogado Marcos Barbosa Pinto apresentou neste sábado (15) uma carta de renúncia. Bolsonaro havia dito estar “por aqui” com Joaqui Levy, presidente do BNDES por manter um ligado a Lula no cargo. Marco Pinto foi indicado por Paulo Guedes.

Tenho orgulho da minha carreira, diz advogado ao pedir demissão do BNDES

William Castanho – Folha de S.Paulo

O advogado Marcos Barbosa Pinto apresentou neste sábado (15) uma carta de renúncia. Ele ocuparia, a convite de Joaquim Levy, a Diretoria de Mercado de Capitais do banco de fomento. Mais cedo, Bolsonaro disse que demitiria Levy na segunda-feira (17) se a nomeação fosse mantida.

Bolsonaro ficou incomodado com o fato de Barbosa ter atuado em gestão petista. Levy também atuou em governos do PT —no de Lula como secretário do Tesouro e no do Dilma como ministro da Fazenda.

Folha teve acesso à carta de Barbosa Pinto a Levy. Ele tentou falar com Levy ao longo do dia, mas não obteve retorno.

“É com pesar que entrego esta carta, logo após ter tomado posse, mas não quero continuar no cargo diante do descontentamento manifestado pelo presidente da República”, escreveu o advogado.

Ele tomou posse na quarta-feira (12) e começaria a trabalhar na diretoria nesta segunda.

"Tenho muito orgulho da carreira que construí ao longo dos anos, seja no governo, seja na academia, seja no mercado financeiro”, afirmou.

Barbosa Pinto foi sócio durante sete anos de Arminio Fraga, ex-presidente do Banco Central, na Gávea Investimentos. Segundo ele, em razão de sua experiência acreditava que poderia contribuir na implementação de reformas econômicas importantes para o país.

Barbosa Pinto destacou a relevância do banco para o país. Segundo ele, seu desejo era ajudar no seu fortalecimento. "Infelizmente, isso não será possível." Ele disse admirar o trabalho de Levy e agradeceu o corpo técnico do BNDES

Publicado em: 16/06/2019