Coluna do sabadão

O exemplo da Colômbia

Referência na segurança pública pelos projetos sociais associados à repressão, a Colômbia virou vitrine para os gestores da América Latina. É o caso do governador Paulo Câmara (PSB). Nas redes sociais, ele disse que em Medellín está tendo a oportunidade de conversar com pessoas que tiveram um papel fundamental na queda das estatísticas da violência, como Jorge Melguizo, ex-secretário de Cultura do município.

A cidade de Medellín era conhecida como a mais violenta do mundo na década de 90, segundo a ONU. Porém, atualmente é vista como um modelo no combate ao tráfico de drogas, após reduzir os índices de violência. O país pode servir ao Brasil como um exemplo, já que o País enfrenta uma grande crise na segurança pública.

“Juntos, visitamos a Comuna 13, uma comunidade que consegue resumir bem como o poder público pode constituir um novo ambiente social com respeito e estímulo à valorização da identidade local. Uma criação coletiva, que encontra nos mais diferentes tipos de integração um ponto de partida para a atuação do Estado”, escreveu o governador.

Pernambuco vem tentando algo parecido. Os dois COMPAZ construídos pela Prefeitura do Recife são iniciativas importantes para a capital nesse sentido, inspiradas no modelo colombiano – ainda que tenham sido elaborados com proposta, em um aspecto, diferentes dos equipamentos da Colômbia: lá são as próprias bibliotecas equipamentos públicos; aqui, são equipamentos públicos com bibliotecas dentro, o que faz muita diferença.

Só o COMPAZ Ariano Suassuna possui 12 mil pessoas cadastradas, através de suas atividades, contribuiu para uma redução de 8% da violência nos bairros de seu entorno, em se comparando com os números da violência na cidade como um todo, que aumentaram no período. Mudar a maneira de olhar para o público é urgente.

A exemplo da Colômbia, estimular isso vai gerar cidadãos mais críticos, participativos e conscientes dos papéis sociais que podem exercer. Os parques-bibliotecas e os inúmeros eventos culturais nessas cidades são prova disso. Para se ter uma ideia, nos anos 90, Medellín tinha 380 homicídios para cada 100 mil habitantes, o que lhe rendeu o título de cidade mais violenta do mundo.

Os números da violência foram caindo com a implantação do processo de cultura cidadã e chegaram, em 2016, a apenas 21 homicídios por cada 100 mil habitantes. Com inúmeros projetos de música, teatro, dança, arte e literatura, a cidade vem enfrentando com êxito a violência e a pobreza – o que se refletiu também na economia: desde 2010, o produto interno bruto da região vem crescendo acima de 3% ao ano.

Cidade modelo – Na década de 90, Medellín era associada ao cartel de drogas que levava seu nome, dirigido pelo traficante Pablo Escobar. Hoje é reconhecida como uma cidade-modelo que está vencendo o crime. Em 2013, Medellín foi eleita a Cidade do Ano em um concurso realizado pelo The Wall Street Journal e pelo banco Citibank, em parceria com o Urban Land Institute, dos Estados Unidos. Não foi um resultado isolado. Medellín vem se destacando regularmente nos rankings internacionais de inovação — e na frente das grandes capitais brasileiras.

Sem jogo de cintura – A prefeita de Caruaru, Raquel Lyra (PSDB), anda se lamuriando por causa da merreca de R$ 800 mil que o Governo do Estado patrocinou o São João do ano passado, mesma cota prometida para os festejos deste ano. Ela tem lá suas razões, porque o dinheiro de 2018 não foi liberado até hoje. Caruaru, que faz o maior São João do mundo, já recebeu cotas de patrocínio do Estado acima de R$ 2 milhões na gestão José Queiroz (PDT). O problema é que a prefeita assumiu uma posição frontal ao Estado, resmunga até na presença do governador em atos formais e institucionais em favor do município. Se tivesse mais jogo de cintura certamente seria melhor tratada.

Sem aperto – Em entrevista, ontem, ao Frente a Frente, o novo prefeito de Bezerros, Breno Borba (PSB), disse que o antecessor Severino Otávio (PSB), que renunciou na última terça-feira, deixou as finanças do município equilibradas. “Os municípios em geral estão enfrentando um arrocho muito grande em seus caixas, mas estamos pagando os servidores em dia e não existem obras paradas por falta de recursos”, afirmou. Breno assume, oficialmente, na próxima segunda-feira, data em que o ex-prefeito manda â Câmara sua carta de renúncia.

Ação no Supremo – Em nome do PDT nacional, o advogado pernambucano Walber Agra entrou com uma ação ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra o corte de 30% no orçamento de universidade federais anunciado nesta semana pelo governo do presidente Jair Bolsonaro. A ação ainda será sorteada entre os ministros daquela corte. Cabe ao STF decidir se suspende ou não a determinação do governo federal. Na última terça-feira, o Ministério da Educação (MEC) anunciou o corte de verbas de três universidade federais, mas não indicou o motivo. A Universidade Federal Fluminense (UFF), a Federal da Bahia (UFBA) e a Universidade de Brasília (UNB) foram as primeiras terem o orçamento bloqueado em 30%.

São João Ameaçado – O Ministério Público Federal (MPF) pediu a suspensão do São João de Petrolina de 2019 no Pátio de Eventos Ana das Carrancas em Petrolina. A solicitação foi feita através de uma ação civil pública ajuizada na 17ª Vara Federal de Petrolina. Para tentar resolver a questão, na próxima segunda-feira uma audiência de conciliação será realizada entre os representantes da Prefeitura de Petrolina, o Ministério Público e o juiz federal responsável pelo caso, Arthur Napoleão Teixeira Filho. De acordo com o Ministério Público, caso a justiça não acate o pedido principal, o MPF vai requerer que só haja eventos no local após estudo conclusivo do comando da aeronáutica, analisando todos os problemas ocorridos nos últimos sete anos, como o comprometimento da visibilidade de pilotos.

TV-ALEPE – Não reeleito, o ex-deputado Ricardo Costa (PP) aceitou o desafio do presidente da Assembleia, Eriberto Medeiros (PP), para coordenar a área de comunicação daquela Casa. Em pouco tempo, deu uma enxugada e modernização no setor, que deve ter um ganho excepcional com a chegada da TV-Alepe, em sistema aberto e fechado, para transmissão das sessões plenárias. O canal será vinculado à TV-Cultura de São Paulo e, segundo Ricardo, terá uma programação local na vertente cultural, explorando o potencial e a riqueza dos municípios.

CURTAS

PISO NACIONAL – Uma correção da coluna de ontem: em Surubim, a prefeita Ana Célia (PSB) já pagou nos dois primeiros anos de sua gestão o piso nacional dos professores. Ao contrário do que informamos, ela só não equiparou o salário da categoria referente a este ano, mas a mensagem, depois de muitas reclamações por parte dos professores, já está em tramitação na Câmara de Vereadores.

RECLAMAÇÃO – O vereador Renato Antunes, da bancada do PSC na Câmara do Recife, protocolou, junto ao Ministério Público, reclamação apontando irregularidades detectadas na rede municipal de ensino. De acordo com as denúncias, a Prefeitura desrespeita a legislação vigente relativa ao direito humano à educação.  Na visão do parlamentar, o crescimento do número de dias sem aulas, ou com carga horária reduzida, compromete diretamente uma legislatura nacional, que obriga 200 dias letivos.

PEITOS MOLES – Em entrevista, ontem, à TV Globo o prefeito de Goiana, Osvaldo Rabelo Filho (MDB), afirmou que “jamais iria difamar qualquer mulher” do município. Na entrevista concedida à Rádio Goiana transmitida na terça (30), o gestor diz que "estavam reclamando tanto da buraqueira, que os peitos das mulheres aqui em Goiana estavam ficando moles, de tanto balançar".

Perguntar não ofende: Até quando Maduro vai resistir na Venezuela?

Publicado em: 03/05/2019