Trump quer pressionar Temer contra Venezuela

Funcionário de aeroporto em Havana, recebe colchões doados a Cuba pela Venezuela

 

Funcionário de aeroporto em Havana, recebe colchões doados a Cuba pela Venezuela

Folha de S.Paulo – Isabel Fleck  (De Washington)

No jantar que terá com o presidente Michel Temer na próxima segunda (18), o presidente dos EUA, Donald Trump, espera ouvir do homólogo propostas de ações que o Brasil possa tomar para pressionar mais Caracas.

Além de Temer, estará no encontro o presidente colombiano, Juan Manuel Santos, e, possivelmente, o peruano Pedro Pablo Kuczynski.

Segundo um alto funcionário do governo americano, os EUA reconhecem os esforços feitos pelo Brasil até agora, como sua atuação na suspensão da Venezuela do Mercosul e na reunião de agosto em Lima, quando 12 países concordaram em não aceitar decisões tomadas pela Assembleia Constituinte convocada por Maduro. No entanto, Trump quer que outros países de peso na região, como Brasil, tragam para a mesa "as ações mais eficientes que possam tomar".

"Adoraríamos ver o presidente Temer vir preparado para discutir mais ações que o Brasil poderia tomar", disse o alto funcionário à Folha. A ideia é que sejam ações que possam impactar o regime de Maduro, com o objetivo de restaurar a democracia, segundo o representante do governo Trump.

"Não há dúvida de que o Brasil pode ter um grande papel, e o presidente Trump está muito interessado em ver o presidente Temer se pronunciar sobre isso."

Publicado em: 14/09/2017