Por que Eduardo pulou fora do governo Dilma com o PSB

 Suposta trama palaciana que teria motivado o desembarque do governador Eduardo Campos e seu PSB do governo Dilma seguiu um  roteiro que é narrado por Felipe Patury, na sua coluna da revista Época. Eis a versão de Patury:

Todas as ações do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, nos últimos dias tiveram um objetivo: consolidar sua liderança no PSB. Presidente do partido, Eduardo identificou um movimento do governo para desestabilizar seu controle da agremiação.

Confidenciou a interlocutores que o Planalto passou a atender os governadores socialistas para evitar que apoiassem a candidatura dele, Eduardo, a presidente da República.

Segundo o relato, os pedidos eram encaminhados pelo ministro da Educação, Aloizio Mercadante. Antes que esse movimento tomasse corpo, Campos convocou a executiva do PSB para deixar o governo, interveio no diretório do Rio de Janeiro e sinalizou que poderia fazer o mesmo no Ceará, onde o governador Cid Gomes e seu irmão Ciro lideravam uma resistência à candidatura de Eduardo Campos.

Publicado em: 29/09/2013