Faculdade de Medicina de Olinda


09/09


2019

Livrai-nos dos gafanhotos!

MONTANHAS DA JAQUEIRA – Uma nuvem de gafanhotos do Congresso aprovou o fundo partidário, com licença da palavra, de 2,8 bilhões de reais, em aberto, para patrocinar as eleições, inclusive o pagamento aos causídicos de despesas dos que cometem pecados contra o 7º Mandamento da Taboa de Moises.

Antigamente havia as saúvas. Hoje seja dito: ou o Brazil acaba com os gafanhotos políticos ou os gafanhotos acabam com o Brazil.

Os gafanhotos pecam contra os 10 Mandamentos, o Código Civil, o Código Penal, o Estatuto da Criança, o Estatuto do Idoso, o Estatuto de Gafieira e a santíssima Lei da Gravidade. Crise fiscal? Balela. Eles devoram as florestas monetárias.

É mais fácil um camelô ou muambeiro passar no buraco de uma fechadura que faltar dinheiro nos fundilhos dos gafanhotos e dos lobos.      

Mas, quem irá amparar os desvalidos do SUS?  Quem irá prover o sustento das famílias de 12 milhões de desempregados? Os sobreviventes da classe média trabalham cinco meses por ano para sustentar as nobrezas da República.

Saúde, direito de todos e dever do Estado brasileiro – esta é uma lenda tragicômica. Há mais lendas na proclamada Constituição Cidadã que no Sítio do Pica-Pau Amarelo de Monteiro Lobato, a começar pela lorota de que todo poder emana das manadas bovinas, lero-lero.

Os bovinos apenas dão alguns mugidos nas ruas. Muuuummmm! 

Expulsar as camarilhas vermelhas do poder, oh glória!

O novo governo herdou uma herança nefasta e a cebola está contaminada em todos os poros, da casca ao tutano.

A economia começa a reverter a estagnação e o desemprego. Privatizações, concessões e medidas de desregulamentação seguem na rota da modernização e abertura do mercado. Medida Provisória do Governo cria a carteira digital de estudante, a custo zero. Quem concedeu o monopólio capitalista da emissão de carteiras de estudante aos gafanhotos comunistas? Vem de uma lei de 2013.  Vamos lá que sejam 15 milhões de carteiras a um custo de 35 dinheiros por unidade.

O monopólio equivalia a mais que uma “revolução” de Sierra Maestra por ano. De grão em grão os gafanhotos dos ovários de ouro da caterva vermelha estão sendo castrados.  

São lampejos de libertação. Zeus dos céus e das lavouras, livrai-nos dos gafanhotos!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Governo de PE


02/09


2019

The Gaulle: Amazônia é joia

MONTANHAS DA JAQUEIRA – Olha só quem aflorou no recinto, o cientista político The Gaulle! Ele veio dar um rolé nas quebradas para matutar sobre os incêndios e a proposta de internacionalização das florestas amazônicas.

Vosmecê aceitaria ser o chanceler internacional das florestas tropicais? perguntei. Aí vareia, respondeu. Depende do reino das riquezas minerais, animais e vegetais, botijas de ouro e diamantes. A Amazônia é joia.  

Ora, direis, não tem como internacionalizar a Amazônia. Ah inocentes! Basta liberar recursos para as ONGs e deixa-las atuar livremente.  Nas imensas reservas indígenas de hoje, tipo nações soberanas, os brasileiros já são tratados como estrangeiros.  

O pão francês é uma das principais riquezas da floresta amazônica, segundo o cientista político The Gaulle.

Os ambientalistas estrangeiros querem proteger a beiçola do cacique Raoni, ou seja, as reservas de nióbio, a fotossíntese do ouro,  aliás, a síntese do manganês, as minas de bauxita, castanheiras, jacarandás, a pirataria do mogno.      

Motores de Toyota, máquinas selvagens, são cultivados nas reservas indígenas em troca de madeiras de lei.

Dizem que no reino passado havia uma vez uma floresta encantada com zero incêndios, pássaros dourados, índios inocentes e ONGs filantrópicas à moda de São Francisco de Assis. Subitamente, não mais que subitamente, a floresta foi desvirginada por carbonários malvados a mando do Capitão Marvel.  

Faz parte da guerrilha do cordão encarnado contra o cordão azul. O Planalto está em chamas, as planícies estão em chamas, os palácios estão em chamas. É o fogaréu da política.

Dom Joaquim Francisco, o filósofo de Macarapana et Orbi, entra na linha e observa o pagode. Fazer política é o ofício de escalar coqueiros e tirar o coco no meio de casas de marimbondos, afirma. Os marimbondos vermelhos estão acesos.     

A carreira artística do Capitão Marvel, tirador de coco vitorioso em Brasília, é feita de lances ousados. Ele sacoleja os coqueiros e atiça os marimbondos. Brasília é terra de marimbondos ferozes. Estão espalhando brasas nas florestas.

No meio do fogaréu dos ambientalistas, caciques e índios são massas de manobras e também são manobristas. A inocência foi perdida na floresta.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Governo de PE


26/08


2019

A virgindade florestal

MONTANHAS DA JAQUEIRA – Incêndios e queimadas, espontâneos ou não, aconteceram na Floresta Amazônica em 2002, 2003, 2019, 2020, na Catedral de Notre Dame em Paris (abril 2019), no Museu Nacional (setembro 2018), administrado pela ultra esquerda do Rio de Janeiro, nas florestas da Califórnia, no Instituto Butantã em São Paulo (2016), nas florestas de Chapecó e da casa de chapéu.  

Os maconheiros queimam a cannabis sativa para navegar no Nirvana e os agentes da lei queimam as inocentes lavouras de maconha em nome da moral e dos bons costumes. Paz e amor, bicho!  Os corações das mulheres do sexo feminino incendeiam os corações dos marmanjos do sexo masculino. Somos todos incendiários na vida. 

A questão ambientalista na Amazônia sempre existiu e tornou-se exponencial nos laboratórios do cordão encarnado como arma de artilharia para bombardear o pastoril do Capitão Marvel.

Disseram que na dinastia vermelha a floresta amazônica era virgem, usava cinto de castidade. Era tão virgem quando a mulher do Imperador Cesar.

Lembro-me como se fosse anteontem quando o Imperador Nero mandou tocar fogo em Roma, amor, para se vingar dos senadores do Centrão que faziam campanha contra ele. Os senadores da ultra esquerda estavam envolvidos na CPI Lava-Jato e aprovaram uma lei contra abuso de autoridades em Roma.

Antigamente havia muita corrupção no Império Romano. Barrabás e sua camarilha foram presos em flagrante delito por invadirem as minas de petróleo do Rei Salomão. Pôncio Pilatos lavou as mãos e entregou os juízes para serem devorados pelos leões do Coliseu. E mais os leões do Coliseu do Coaf foram proibidos de rastrear as contas bancárias dos suspeitos de tenebrosas transações.

No dizer politicamente correta existe a expressão “no lugar de fala”. Significa dizer que cada um fala no seu quadrado. Nesta idade de lobo mau, meu lugar de fala é ser aprendiz de jornalista. Um dia em chego lá.

O embaixador de Ecoturismo da Embratur, Richard Rasmussen, integrante da equipe do presidente Gilson Machado Neto, em seu “lugar de fala” como conhecedor da Amazônia, reiterou os dados de realidade de que as queimadas são fenômenos sazonais, noves fora sensacionalismos.

Richard Rasmussen conversa, de homem para homem, com os igarapés, jacarandás, mognos, jacarés, nitrogênio, onças, cascavéis, passarinhos, dinossauros, lobisomens, tubarões, comunistas e outros insetos da floresta. Ele é um bicho ecologicamente selvagem.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura do cabo


19/08


2019

A lenda do Boto Cor de Rosa

MONTANHAS DA JAQUEIRA – Subitamente, não mais que subitamente, as ONGs do planeta se uniram para defender a fauna, a flora, as borboletas, os mananciais, os rios, as cachoeiras, os igarapés e as pororocas da Amazônia. É a nova descoberta da Amazônia. Dizem que no passado a Amazônia era uma floresta virgem, não havia defloramento nem desmatamento. 

Era uma vez a lenda do Boto Cor de Rosa, amigo dos pescadores, dos poetas, namorados e seresteiros da Amazônia.

Nas noites enluaradas o Boto Cor de Rosa saia das águas e se transformava num belo cavalheiro, galanteador, para conquistar as donzelas femininas nos bares, nos solares, nas lanchonetes e na Internet. Quando seduzia uma donzela o Boto a convidava para visitar sua choupana no fundo do rio Amazonas. Deitava e rolava e deixava suas digitais no coração das donzelas. 

Um belo tempo o Boto Cor de Rosa ficou encantado com uma charmosa donzela fêmea do sexo feminino e ofereceu para ela um chocolate Sonho de Valsa. Ela exerceu o abuso de autoridade e respondeu “Eu não quero chocolate, eu quero um iate”. Desilusão.  A lenda do sonho de valsa acabou. O Boto Cor de Rosa recolheu-se à sua choupana no fundo do Rio Amazonas da Freguesia dos Passarinhos dos Aflitos.    

Também existe a lenda de que as ONGs estrangeiras amam as árvores da Amazônia, os índios, jacarandás, as vitórias-régias, mognos, peixe-boi, sucuris, mico-leão dourado, as seringueiras, jacarés. Despejam milhões de denários por amor febril à natureza.

As ONGs só amam as riquezas do solo e subsolo da Amazônia, os segredos farmacológicos das árvores e da fauna.  

Os gringos não amam as baleias. Os leões e elefantes da África são troféus de guerra diante dos fuzis dos valentes europeus.     

As ONGS estrangeiras não amam a flor do mandacaru do Nordeste, não amam as asas da graúna, as bromélias e juazeiros, calangos, tatus e xique-xiques. Os gringos não amam os galos cantando as manhãs, o coaxar dos sapos cantando as jias na beira dos rios.  

As ONGs estrangeiras não amam o luar do Sertão. Elas só amam denários e rios de dinheiro.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha



12/08


2019

O império dos goelas

MONTANHAS DA JAQUEIRA – Zero novidade dizer que a cada ano mais de 60 mil pessoas biológicas morrem de morte matada no Brazil. Mas, zero estatísticas existem sobre quantas pessoas jurídicas são assassinadas pelo Fisco a cada ano, de morte lenta ou dolorosa. Isto o IBGE não fala.

Olhai os lírios dos campos! Olhai as falências e concordatas! Os operadores da descarga elétrica tributária não fiam nem tecem, apenas acionam suas máquinas infernais. Todíssimos dias os cobradores de impostos extorsivos aplicam facadas, socos, pontapés e punhaladas nas costas das pessoas biológicas, pessoas físicas e pessoas jurídicas.

O aborto de fetos é proibido por lei. Pessoas jurídicas são eletrocutadas impunemente no nascedouro pela descarga elétrica tributária. A longevidade empresarial é um milagre neste País.

A mortalidade atinge as criaturas jurídicas ainda na infância. E as pobrezinhas PJs também são vítimas de aborto.

O presidente da República suplicou, humildemente, aos donos do Fisco para aliviar um pouquinho a alíquota do Imposto de Renda.  Suas Excelências os goelas responderam que não existe tempo-espaço para fazer caridades. Antipatrióticos e antissociais, eles mandam e desmandam nesta pinoia. 

A tabela do IR está congelada desde 2015. O nome disto é confisco, extorsão, apropriação indébita. 

Ao ser proclamada a reforma da Previdência, foi anunciado que haveria uma economia de 900 bilhões de denários a médio prazo.

Inflação sob controle, a taxa Selic de 6 % ao ano é a menor da série histórica desde 1999. Significa redução de centenas de bilhões em encargos da dívida pública.

Em cinco anos de existência, a operação LavaJato recuperou mais de 10 bilhões de denários roubados da Petrobras e de outras empresas públicas. Foi estancada a sangria desatada no BNDES, bancos estatais e fundos de previdência.

Impossível acreditar que os gênios tributaristas serão favoráveis à redução da descarga elétrica tributária, eles os construtores do monstrengo que nos devora. Serão sempre favoráveis, sim, aos procedimentos para esfolar cada vez mais os pagadores de impostos.

Vivemos sob o império dos goelas.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Wellington Antunes

\"O presidente da República suplicou, humildemente.....\" kkkkkkkk o Bozo é uma pessoa humilde.


Prefeitura de Abreu e Lima


05/08


2019

Importante é explorar a derivada positiva

MONTANHAS DA JAQUEIRA – Nosso País fez a travessia dos pântanos tenebrosos. E agora, sete meses depois, qual o legado da nova era do Capitão Marvel? Sem armistício, a luta continua e a guerrilha também continua, de ambos os lados. Vejamos alguns dados de realidade.

Depois das roubalheiras satânicas e da recessão devastadora, mais de 440 mil empregos com carteira assinada foram criados no primeiro semestre, resultado mais positivo desde 2015.

A Petrobras sobreviveu aos furacões tenebrosos e apresentou lucro de 18,9 bilhões no segundo trimestre deste ano. A quebra de monopólio da Petrobrás na distribuição de gás atrair investimentos e irá reduzir o preço do gás de cozinha. Faz parte da lei de mercado.

Em cinco anos de funcionamento a operação LavaJato recuperou mais de 13 bilhões roubados da Petrobras.

O ex governador Joaquim Francisco cita um fato social relevante, além dos indicadores macroeconômicos positivos: redução de 22 %, do índice de assassinatos nos últimos cinco meses, segundo levantamento do Fórum Brasileiro de Segurança Pública da USP e G1, monitores da violência.

O filósofo from Macaparana é um cara cerebral e centrado.

O Brazil fez um acordo histórico com a União Europeia e está a caminho de ingressar na OCDE – Organização pra a Cooperação e Desenvolvimento Econômico. Significa uma pauta para incrementar negócios na ordem de centenas de bilhões de dólares.

A Bovespa ultrapassa a marca dos 100 mil pontos, sinalização de atrativos econômicos e financeiros para investidores. Os juros da taxa Selic são os mais baixos da série histórica.

A liberação de vistos para países desenvolvidos e abertura de mercado para empresas aéreas internacionais incrementam o turismo.

Novos bárbaros do MST foram apascentados, estão mansinhos.

Foram fechadas dezenas de consulados e embaixadas inúteis criadas apenas para abrigar lombrigas do cordão encarnado.

O pacote anticrime do ministro Sérgio Moro proporciona ferramentas eficazes para combater a corrupção e a violência.

Ignorar estas conquistas, paciência, é torcer contra o Brazil ou destilar o mal secreto. O importante é explorar a derivada positiva.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Magno coloca pimenta folha


29/07


2019

A lenda dos cisnes vermelhos

MONTANHAS DA JAQUEIRA – Reza uma lenda que os cisnes vermelhos do Palácio do Itamaraty são criaturas eruditas, cantantes  de muitas línguas, vestidas com luvas de seda e de pelica. Os cavalos brancos dos cisnes vermelhos só falam inglês, oh yeah!   

No tempo dos pântanos tenebrosos o chanceler do Brazil,  comandante em chefe dos embaixadores, era um cara pequenininho do tamanho de um paralelepípedo, devoto das ditaduras comunistas da Venezuela, Coreia do Norte, Cuba e Bolívia (quem inventou a palavra paralelepípedo devia levar um paralelepípedo na testa).

Sem noção do ridículo, o paralelepípedo se propôs à missão de intermediar negociações entre o Irã e Estados Unidos sobre armas nucleares.

Para que servia a erudição dos cisnes vermelhos do Itamaraty? Para endossar a compra de títulos podres da Venezuela?! Para apoiar a entrega de uma refinaria de petróleo aos cocaleros da Bolívia?! Para exercitar o terceiro-mundismo fracassado?! Financiar ditaduras corruptas da África e do Caribe faz parte das missões diplomáticas?

Lembremos o óbvio, que a indicação de embaixadores é prerrogativa do presidente da República, independente de laços familiares. Se for indicado embaixador em Washington, o deputado Eduardo Bolsonaro, o Zero 03, com certeza jamais será capacho de ditadores comunistas facínoras.

Advogado, concursado da Polícia Federal e deputado campeão de votos, o cara é terrivelmente preparado para ser embaixador, em igualdade de condições com os cisnes do Itamaraty.

Invejosos, os vermelhos questionam a competência do rapaz para ocupar a Embaixada do Brazil nos Estados Unidos. São os patrulheiros ideológicos armados de pré-conceitos.

Os falsos iluminados da esquerda se arvoram no direito de decretar a competência ou incompetência alheia. Vem da lenda do “guia genial” dos povos barbudos e dos sapos barbados.      

Qual o critério para definir competência: ser bom de urna e vitorioso? Ter fluência verbal? Falar inglês? Saber mentir? Ser politicamente correto? Ser doutor? Usar luvas de pelica?  Curioso, não se costuma questionar a competência do guru vermelho para ser presidente da República. Ele foi eleito pelo voto, dirão. O Capitão também. A mulher mandioca também. Tiririca também.

O chanceler Ad Hoc da dinastia vermelha, o finado Toc-Toc, adorava o ditador Hugo Chavez e dizia que o regime da Venezuela era uma democracia, sim, uma democracia efervescente.

Fritar hambúrguer no Estado do Maine (EUA) é ofício mais nobre que ser amante de tiranias comunistas.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Limoeiro


22/07


2019

Alô-som! Alô-som! Epa!

MONTANHAS DA JAQUEIRA – Nestes tempos politicamente corretos, lembrei de Rubens Ricúpero, ministro da Fazenda no Governo Itamar Franco e chamado de “sacerdotes do Plano Real”, idos de 1994. Protagonizou o chamado “Escândalo da Parabólica” e foi obrigado a renunciar ao cargo. O caso eu conto como o caso foi.

Cena número 1 – Diplomata de carreira e intelectual de altos teores, Ricúpero estava nos estúdios da TV Globo para participar de uma entrevista com o repórter Carlos Monforte sobre o engenhoso Plano Real. Sem saber que os microfones já estavam abertos, soltou o verbo:

“Eu não tenho escrúpulos. Eu acho que é isso mesmo: o que é bom a gente fatura, o que é ruim a gente esconde”.

Cena número 2: O Capitão Marvel reúne-se com a Imprensa internacional no Planalto. Alô-som! Alô som:

“Daqueles governadores de “Paraíba” o pior é o do Maranhão”.

Cometeu um ato falho, navegou no preconceito disseminado no Rio de Janeiro e São Paulo, nas regiões Sul e Sudeste. Foi flagrado no éter, com o microfone aberto.

O governador do Maranhão não é “Paraíba”, nem é paraibano. Ele é um cara terrivelmente comunista, visceralmente hostil ao Capitão Marvel e ao Governo Federal.    

Seja dito: o preconceito do Capitão Marvel não redime os crimes das camarilhas vermelhas em 16 anos no poder. As “tenebrosas transações” foram crimes de lesa-pátria.

Reconheço os pecados do Capitão Marvel. Mas uma coisa é uma coisa. Outra coisa é outra coisa.

Noutros tempos, quando o guru da seita vermelha chamou as feministas de “mulheres do grelo duro” e disse que a cidade de Pelotas (RS) era um polo exportador de viados, não houve nenhum escândalo.

Agora, o primordial é o projeto de Nação, para reconstruir o Brazil devastado depois do dilúvio vermelho. O bate-estaca já  começou a trabalhar.  

Na área do turismo o Capitão Marvel “deu luz verde”(jargão dos paraquedistas) e o presidente da Embratur, Gilson Machado Neto, liberou os vistos para o Canadá, Austrália, Japão e Estados Unidos. Existe um potencial exponencial de turismo em nossa vastidão territorial. Meta os peitos, Capitão Gilson Machado Neto!

Terrivelmente nordestino, oriundi da Serra da Borborema, eu  sou pequenininho do tamanho de um vagalume, mas não bato continência para a caterva vermelha nem para os  zumbis que trabalham com amor febril contra as plataformas de reconstrução nacional.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banner de Arcoverde


15/07


2019

Hoje é o dia seguinte

MONTANHAS DA JAQUEIRA – Hoje é o Dia Seguinte. Depois da reforma da Previdência, o galo canta a reforma da descarga elétrica tributária e da reforma política administrativa.

Este é o País das ditaduras perversas do sistema financeiro parasitário e da descarga elétrica tributária, das tiranias dos planos de doenças, das corporações maléficas nas áreas de saúde e educação, do ensino universitário gratuito para os ricos e do ensino médio e fundamental indigente para os pobres.

Neste contexto o ministro da Economia, Paulo Guedes, ultraliberal até o tutano, representa um lampejo de modernidade econômica e avanço civilizatório. 

No lado avesso, este é um Brazil de intelectuais coliformes que celebram como mito um farsante guru de uma seita ideológica.

Exemplo de antiliberalismo: o Ministério da Educação proibiu, em portaria de novembro 2017, por cinco anos avante, a abertura de novas faculdades de Medicina no Brazil. A desculpa esfarrapada é melhorar a qualidade de ensino das atuais faculdades.

Isto aconteceu no Governo de Michel Temer. As elites pecaminosas silenciam. E o estrago antissocial continua.

O objetivo real é manter a reserva de mercado e os privilégios dos profissionais e suas corporações, em detrimento das carências da sociedade. Esta medida afronta as demandas da população, de centenas de milhares de famílias e jovens estudantes.

Somente os gênios dos cursinhos, filhotes de ricos têm acesso às faculdades públicas gratuitas de Medicina, mantidas com impostos dos assalariados. Cuba, uma ilha-presídio comunista com 11 milhões de escravos, fabrica mais médicos que todo o Brazil com 210 milhões de almas, mesmo que os médicos de lá sejam fabricados nas coxas feito os charutos cubanos.  

Continua liberada a criação de faculdades nas áreas de humanidades e desumanidades, para a promoção de surubas e formação de panfletários ideológicos com o dinheiro público.       

Em Pernambuco nos anos recentes foram criadas faculdades de Medicina em Garanhuns e Serra Talhada, inviabilizadas por conta da má vontade do Governo federal e das entidades corporativas.

Revogar a proibição da abertura de faculdades de Medicina seria uma medida eficaz para destravar o ensino universitário e atender às demandas da população. Equivale a um fator em favor da mobilidade social.

O Capitão Marvel, os ministros Paulo Guedes e Abraham Weintraub terão peito para enfrentar os espíritos de porco das corporações e revogar a proibição da abertura de novas faculdades de Medicina? O fim das reservas de mercado e desregulamentação administrativas contraria interesses poderosos e atiça vespeiros.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha



08/07


2019

O satânico Doutor Intercept

MONTANHAS DA JAQUEIRA – Batman, o Cavaleiro das trevas -- Gotham City é aqui. Junto com o ministro Lanterna Verde, nosso herói vai interceptar o vilão que atormenta a cidade. Teje preso, Coringa malvado! 

My name is Bond, James Moro Bond, 007 contra o satânico Doutor Intercept, o espião que veio das trevas. O satânico Doutor Intercept quer libertar o Godzila, preso numa jaula em Curitiba. Os espiões vermelhos trabalham nas trevas.

Os kryptonianos estão em pânico na TV. Dizem que o vilão foi preso sem provas do Enem, nem do Mobral, nem do exame de admissão. Mas, o Super James Moro sacou as provas dos exames Supletivos de segundo instância e lançou a espada de aço de He-Man; “Eu tenho a força, sou invencível, vamos, amigos, unidos venceremos a semente do mal.” Pelos poderes de Greyskull! La-la-la-!

Tarzan, o rei das florestas, também entrou na linha no tempo e deu uma gravata no espião perverso das nuvens. As nuvens são tigres de fumaça. Não são nuvens de rochedo. 

A Mulher Mandioca pediu a palavra. Com base em provas do Ibope ela se autoproclamou senadora eleita por Minas Gerais. Não seja por isso, o roqueiro Supla, vestido com uma sunga vermelha erótica de causar suspiros em Dona Marta, também será proclamado senador da Pauliceia Desvairada.

Marta, my dear, meu coração por ti gela, sussurrou o roqueiro Supla à moda de Bob Dylan.

Entonces, Radar irá revogar a faixa presidencial do Capitão Marvel e ocupar o trono do Palácio do Planalto. 

E o vento levou a Mulher Mandioca.

Rebobinemos a história. Al Capone quer prender Eliot Ness por ter investigado a vida dele. O que fazer com 13 milhões de desempregados em primeira instância? A sentença do desemprego não transitou em julgado, segundo os alienígenas vermelhos.    

A Sinhazinha do narizinho de Pinóquio jura que o velho lobo é a alma via mais inocente da floresta auriverde e só tomava mingau. Wau-wau-wau! Quem queria degustar a vovozinha era o espião Moro,  James Moro Bond, um cara malvado. 

Chamem o xerife Eliot Ness! Chamem o detetive Sherlock Holmes! Quem roubou os tesouros do povo brasileiro?  Elementar, meu caro Eliot James Moro! Revoguem o Petrolão, soltem os bandoleiros, devolvam bilhões de reais aos corruptos!

Movido por kryptonita vermelha radiativa, o satânico Doutor Intercept está sendo capturado nas nuvens de silício pelo guerreiro Lanterna Verde.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha



01/07


2019

Sergio Moro, as lendas e os goelas

MONTANHAS DA JAQUEIRA – Pra não dizer que não falei das manifestações de rua no domingo, minha cantoria é a seguinte: eu sou pequenininho do tamanho de um passarinho, estou com meu herói o ministro Sérgio Moro e não abro nem para o trovão azul. Na moral. Taokay!

O folk lore do Brazil é povoado de lendas pitorescas, criativas, comoventes. Aliás, não só no Brazil, em todas as latitudes existem lendas, mistérios, romances, na Rússia, nas Arábias, no bairro dos Aflitos, na Serra da Borborema, Urbi et Orbi, até no planeta Marte.

Luís da Câmara Cascudo, o mais magistral folclorista brasileiro, relata a lenda “O negrinho do pastoreio”, uma das mais belas criações do Brazil em sua narrativa. “Era uma vez um estancieiro (fazendeiro) muito mau, muito”. Havia um escravo, “pequeno ainda, muito bonitinho e preto como um carvão e a quem todos chamavam somente o “Negrinho”. A este não deram padrinhos nem nome; por isso o Negrinho se dizia afilhado da Virgem, Senhora Nossa que é madrinha de quem não a tem”.

“Todas as madrugadas o Negrinho galopeava o parelheiro baio” do estancieiro malvado. A tarde sofria os maus-tratos do filho do estancieiro, que o judiava e se ria”. Um dia o cavalo baio do estancieiro atuou carreira com o cavalo mouro do seu vizinho. E largaram os parelheiros. Hip-hip! Valha-me a Virgem Madrinha, Nossa Senhora, se o sete léguas perde, o meu senhor me mata, gemia o Negrinho. Perdeu.

O estancieiro malvado botou a culpa no Negrinho. Mandou amarrar o bichinho num tronco e dar-lhe uma surra de chicote até ele não mais chorar nem gemer. Depois mandou atira-lo na panela de um formigueiro para as formigas devorarem sua carne e seus ossos.

O Negrinho chamou pela Virgem sua Madrinha, deu um suspiro triste e adormeceu. Para encurtar a lenda, foi amparado por sua Madrinha Nossa Senhora. Tão serena, pousada na terra, a Madrinha apascentou o formigueiro. Sarado e risonho, o Negrinho montou o cavalo baio e saiu a cavalgar nos pastoreios, cheio de ternura humana.

Viva o Negrinho do Pastoreio! Viva a ternura humana!  

Além da imaginação de Câmara Cascudo, existe uma lenda surreal no Brazil de que “Todo poder emana do povo... lero lero”.      

Ah! Inocentes! Todo poder emana dos goelas. São os príncipes e princesas dos Poderes da República, de todas as latitudes onde sopram os ventos. Prefiro acreditar nas proezas de Saci Pererê, o menino treloso e saltitante de uma só perna com bonezinho vermelho e cachimbo caipira. Goelas são discípulos de Macunaíma, o herói sem nenhum caráter.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha



25/06


2019

O Desarmamento deu chabu

MONTANHAS DA JAQUEIRA – Sob inspiração da Madre Superiora, em referendo popular em 23 outubro 2005, como parte do Estatuto do Desarmamento de 2003, 59.109.265 pessoas de coração generoso disseram “sim” e uma dizima periódica de 33.333.045 pessoas malvadas foram contra a venda de paus de fogo e munição em todo o País.

Os contrabandistas de armas e territórios de traficâncias nas fronteiras do Brazil estremeceram de emoção. Meliantes ficaram felizes e comemoraram o desarmamento da população com rajadas de metralhadoras.

Os brasileiros bem intencionados devolveram revólveres, metralhadoras, pistolas, fuzis, espingardas de dois canos, espingardas de três canos, escopetas, tanques de guerra, granadas, canhões. Seremos felizes e pacíficos, diziam. 

Eu mesmo devolvi minha garrucha de estimação do tempo em que lutei nas volantes contra o bando do cangaceiro Lampião. Naqueles idos, cortei muitas cabeças de cangaceiros com meu facão. Também lutei na guerra do Paraguay e ajudei a dizimar o Exército de pés rapados de Solano Lopes. Eu era malvado. 

A tradição brasileira é de violência e vai continuar sendo. São histórias que a Madre Superiora não contou. 

Mas, esqueceram de avisar aos bandoleiros, assaltantes, ladrões, meliantes em geral para ser desarmarem.

Se o freguês quiser comprar metralhadora, bombinhas atômicas de São João dos Carneirinhos, fuzis, remédios para perebas e outros mangaios, basta dar um pulo na Feirinha de Peixinhos do Paraguay, é tiro e queda. A Feirinha de Peixinhos só não vende peixinhos. 

Naqueles tempos de 2005 ocorriam 50 mil mortes matadas, “de susto, de bala ou vício”. De 2005 até hoje, na base de 60 mil mortes violentas por ano, mais de 900 mil almas verde-amarelas foram para o Além.  

Entonces eu pergunto: pra quer serviu o Estatuto do Desarmamento? Para morrer mais gente de morte matada?! “A prática é o critério da verdade”, diz o princípio da dialética. Tô fora dessa latomia dos falsos pacifistas. Não por acaso as ditaduras mais ferozes adotam o desarmamento da população.

De minha parte, não tenho armas nem de brinquedo, nem pretendo ter, mas defendo o direito de quem quiser possuir o seu pau de fogo.
Agora eu sou um pacifista-belicista. “Se vis pacem, para bellum”, se queres a paz, prepara-te para a guerra, diz o provérbio em latim. E o tal princípio dissuasório. Assim acontece nas sociedades democráticas do mundo. Dizem que o brasileiro não está preparado para usar armas. Quem defende os corruptos da seita vermelha não está preparado para votar, não está preparado para nada. Taokay! O Estatuto do Desarmamento no Brazil deu chabu.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha



17/06


2019

Assombrações de carne e osso

MONTANHAS DA JAQUEIRA – Nos tempos de antanho, na era pós grandes navegações e descobertas, corsários e piratas saqueavam tesouros nos mares e nos oceanos não pacíficos. Corsários tinham licença dos reis. Piratas operavam na iniciativa privados.

Os piratas e corsários cibernéticos de hoje, hackers, roubam tesouros nas nuvens de silício do universo digital. Informações/comunicações são tesouros preciosos e poderosos nesta era digital.

Cada guerrilheiro, pirata, corsário, hacker ou terrorista navega no seu tempo.

Nos idos de 1970 houve a guerrilha do Araguaia. Armados com paus de fogo e faca nos dentes, os pixotes lutavam contra moinhos de vento da ditabranda de direita. O ideal sublime dos guerrilheiros, aliás, dos terroristas do Araguaia era fuzilar os reacionários para derrotar a ditabranda capitalista e implantar uma ditadura comunista.

O ideal sublime dos hackers de hoje seria detonar a cabeça do Capitão Marvel, a Operação Lava-Jato, Sérgio Moro e seus pupilos. Também querem reinventar o reinado das comilanças do cordão encarnado.   

Um passarinho globalista me contou que esses bichos navegam nas estratosferas e transam jogadas geopolíticas internacionais.

WikiLeaks, Julian Assange. CIA, KGB, Intercept, Rede Globo, caixas-pretas, casas de marimbondos, Geoge Soros, Lava-Jato, Capitão Marvel, zero 01, 007 – a aldeia global auriverde está em transe.

Assange, do WikiLeaks, preso na Inglaterra, acusado de espionagem internacional, será julgado em abril 2020 com pedido de extradição para os Estados Unidos. A acusação veio do tempo do querido das esquerdas, Obama, e não do direitista Donald Trump.

No dizer dos intelectuais o Brazil vive uma distopia, tipo uma utopia pelo avesso, terra arrasada. Digo eu, no popular, que nosso País tá na bagaceira, nas artes, na política, bagaceira social, em todos os cantos onde canta o carcará. Na base da embromation, a bagaceira pode ser chamada de esculhambation.

A seita vermelha foi um terremoto, deixou um legado de terra devastada. Agora, adelante! Depois dos terremotos sempre restam as doenças, febre amarela, febra vermelha, a bubônica, a bexiga lixa. Temos uma herança nefasta de 13 milhões de desempregados.

Antes do cientista Louis Pasteur e da descoberta do microscópio havia a teoria da geração espontânea, de que as doenças e os micróbios nasciam do nada. Puft! Assim germinavam os microrganismos do cólera, da tuberculose, da gota serena. Os vermelhos agora estão dizendo que os 13 milhões de desempregados nasceram do nada, da noite para o dia.

Seja repetido mil e uma vezes: a seita dos zumbis vermelhos não desiste jamais.  


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha



10/06


2019

Assombrações de carne e osso

MONTANHAS DA JAQUEIRA – O admirável novo Brazil é uma mistura de high tech, sítios tribais, novos bárbaros, Jeca Tatu, vampiros, Macunaíma, zumbis vermelhos, beatos, conselheiros e assombrações. Quem não conhece os novos bárbaros, vampiros, Macunaíma, Jeca Tatu e assombrações de carne e osso não conhece o Brazil.

Assombrações de carne e osso povoam a atmosfera, estratosfera e a camada de pré cloreto de sódio desta Pátria gentil.  

Jeca Tatu vive. Macunaíma vive. Jeca is alive, sobrevive nos lixões e nos descampados. Macunaíma está vivinho da silva, reina nos palácios, nas mansões, embaixo dos tapetes, em todos os cantos onde canta o carcará e onde cantava o sabiá. Macunaíma é suprapartidário, está sempre na crista da onda e na crista do galo vencedor.     

O Mário de Andrade, o antimito da “Paulicéia Desvairada”, foi o descobridor de Macunaíma, o herói zero caráter. Jeca Tatu nasceu na cabeça de Monteiro Lobato.       

Um passarinho me contou que depois da reforma da Previdência haverá ondas de felicidades neste Brazil, vírgula. O céu não é perto. Foram muitas ondas de desmantelo. Todas as camadas da cebola estão contaminadas por patifarias mil, da pele ao tutano da cebola.

Por falar na reforma da Previdência, eu sou pequenininho do tamanho de um passarinho, mas se o Governo exterminar o BPC e o Funrural de 1 salário mínimo das velhinhas e velhinhos mais pobres, eu vou ficar invocado e protestar. Neste País do desemprego, do subemprego e das indigências, os desvalidos de mais de 60 anos que ganham um salário mínimo são considerados privilegiados e sustentam uma ninhada de parentes.

A descarga elétrica tributária é uma das ditaduras mais perversas que afligem os brasileiros. A indústria da sangria tributária foi montada, de caso pensado, com o firme propósito de esfolar os pagadores de impostos, asfixiar as atividades econômicas produtivas e encarecer o custo Brazil.

A tabela do Imposto de Renda está congelada desde 2015. O nome disso é confisco. Atualmente os donos do Fisco estão empenhados em boicotar a ideia do presidente da República de reduzir a alíquota do IR.

Nos meses de janeiro, fevereiro, março, abril, maio e até sexta-feira passada neste mês de junho os cofres do BNDES não financiaram as ditaduras da Venezuela, Cuba, Bolívia e Nicarágua.

Foram rompidos os laços com o eixo do mal comunista e o Brazil não será uma Venezuela.

Estas são realizações de governo, tão importantes quanto obras de pedra e cal e cimento. Oh glória!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha



03/06


2019

Importante é ter sangue bom

MONTANHAS DA JAQUEIRA – Nova política?! Velha política?! Novelha política?! Zumbis?! Lobos, raposas, lobisomens?! O importante é ter sangue bom.

Há sempre um pouco de novo em cada velho. Há sempre um pouco de velho em cada novo.

Meu guru filosófico Nelson Rodrigues costumava dizer: “Jovens, envelheçam!” Meu sonho de consumo é ser um jovem Matusalém.  

O Império estava velhíssimo em 1889. Os liberais proclamaram a República. Foi golpe, protestaram os monarquistas. Os libertários mataram e esfolaram os jagunços do beato Antônio Conselheiro em nome dos novos ideais republicanos. Foi a maior carnificina na história da nascente República.

Nos idos de 1937 Getúlio Vargas decretou a ditadura do Estado Novo. Veio da República Velha, das oligarquias rurais, chamada de República dos Carcomidos. Ser chamado de carcomido era uma ofensa tipo ser chamado de petista ou comunista, com licença das palavras.

Ah saudades do velhinho Tancredo Neves! Proclamou a Nova República em 1985 depois de ser eleito, via indireta, pelo Colégio Eleitoral. Mas, a vida é uma vela acesa. O velhinho apagou-se. Os marimbondos de fogo de Ribamar Sarney entraram na linha. A Nova República virou Novelha. Ribamar tinha bigodes de vassoura do tamanho do Maranhão. Hoje é uma múmia. O Maranhão é o Egito.

Aqui nesta terra dos altos coqueiros, “Nova Roma de bravos guerreiros”, as torcidas de Arraes e José Múcio Monteiro cantavam o refrão em 1986: “O velho é o novo, o novo é o velho”. Zé Múcio foi rotulado de velhinho na florescência da idade. Arraes rejuvenesceu e ganhou a eleição.

Hoje Zé Múcio é um jovem ministro do Tribunal de Contas da União, cada dia mais jovem e mais rio formoso.

Eu sou um cara da Jovem Guarda. Eu sou um cara seminovo.

A jovem guarda envelheceu? Tô nem aí. Envelheceu para vocês que são uns ingratos, mas permanece vivinha da silva no meu coração juvenil. “Quero que você me aqueça neste inverno e que tudo mais vai pro inferno!”

A palavra Novo é sedutora. O verbo Seduzir também é sedutor. Os tutanos, as tripas das palavras escondem mistérios.

Nova política, novelha política ou velha política?! Ai vareia. Mais importante é saber a natureza da onda, é ter sangue bom. É nóis,  bicho, vamos nessa onda!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha



Warning: PHP Startup: Unable to load dynamic library '/opt/cpanel/ea-php56/root/usr/lib64/php/modules/mcrypt.so' - /opt/cpanel/ea-php56/root/usr/lib64/php/modules/mcrypt.so: cannot open shared object file: No such file or directory in Unknown on line 0