UMA NOVA CAMARAGIBE

04/03


2015

Dólar chega perto de R$ 3

O dólar norte-americano chegou perto de R$ 3 às 13h desta quarta-feira, cotado em R$ 2,9904 para compra e R$ 2,9910 para venda. Os valores foram divulgados pelo Banco Central e se referem a PTAX, que corresponde às médias aritméticas das taxas de compra e venda com base em informações fornecidas por dealers de dólar durante o dia. Dealers são instituições financeiras credenciadas pelo Tesouro Nacional e pelo Banco Central.

As taxas de câmbio de compra e de venda referentes a cada consulta correspondem, respectivamente, à média das cotações de compra e venda efetivamente fornecidas pelos dealers, excluídas, em cada caso, as duas maiores e as duas menores.

Neste ano, a moeda norte-americana acumula alta de mais de 7,5% em relação ao real. O dólar também subiu em relação a outras moedas, como o euro, depois da divulgação de dados que mostram a recuperação da economia dos Estados Unidos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Congresso Amupe

04/03


2015

Pouca energia

Por Lauro Jardim – Veja Online

O consumo de energia no Brasil em janeiro é um retrato fiel da economia. O consumo do setor industrial caiu 4,1% em comparação com janeiro do ano passado. Mas os setores comercial e de serviços também revelam o tamanho da freada. Aos números:

O consumo de energia pelo comércio aumentou 4,1% entre janeiro deste ano e janeiro de 2014. Uma vertiginosa desaceleração quando se olham os anos anteriores: comparando janeiro de 2013 com o mesmo mês do ano anterior, o consumo cresceu 11,0%. E entre janeiro de 2014 e janeiro 2013, o aumento foi de 7,6%.

Nos serviços, o aumento em janeiro comparado com janeiro de 2014 foi de 1,5%. Nos dois anos anteriores, havia sido, respectivamente, de 5,7% e 7,7%.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


04/03


2015

Cunha autoriza a criação de mais três CPIs

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), autorizou, na manhã desta quarta-feira, a criação de três novas Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs) na Casa.

Junto à CPI da Petrobras, passam a funcionar na Câmara a CPI da violência contra jovens negros e pobres (proposta pelo petista de Minas Gerais Reginaldo Lopes), a CPI do sistema carcerário (do petista de São Paulo Carlos Zarattini) e a CPI da máfia das órteses e próteses no País (sugerida pelo peemedebista do Mato Grosso do Sul Geraldo Resende).

Embora houvesse parecer favorável da assessoria técnica para a instalação, o requerimento do deputado Ricardo Barros (PP-PR) para criação de uma comissão sobre a divulgação de pesquisas eleitorais desde as eleições de 2000 foi rejeitado. Cunha considerou que não havia fato determinado, critério básico para a instalação de uma CPI.

Cunha também indeferiu a criação de uma comissão para averiguar denúncias de irregularidades em planos de saúde - protocolada pelo deputado Ivan Valente (PSOL-SP) - e o pedido do petista Paulo Teixeira (SP) para investigar as causas da violência no Brasil.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Onodera Estética

04/03


2015

Abertura da Lista de Janot depende de Zavascki

A chegada dos inquéritos que pedem a investigação de políticos citados na Operação Lava Jato ao Supremo Tribunal Federal ainda não foi capaz de acalmar os ânimos no Congresso Nacional. Isso porque, até agora, pouco se sabe sobre o conteúdo das peças elaboradas pelo grupo de Rodrigo Janot, procurador-geral da República.

Para que a famosa “lista de Janot” seja conhecida, é preciso aguardar a decisão do ministro Teori Zavascki, o relator da Lava Jato no Supremo. Cabe a Teori retirar o sigilo dos 28 pedidos de abertura de inquérito enviados pela PGR e sete solicitações de arquivamento. Só aí se saberá, oficialmente, quem são os 54 nomes que Janot quer investigar formalmente.

Ainda não há uma previsão de quanto tempo o ministro do STF vai levar para tornar públicos os inquéritos da Lava Jato. Com perfil discreto e avesso a comentários sobre o caso, Teori mantém silêncio rigoroso na Corte, despertando a curiosidade dos próprios colegas de Tribunal.

No gabinete, é possível contar nos dedos de apenas uma mão o número de funcionários com acesso às delações de Paulo Roberto Costa e Alberto Youssef e ao trabalho da PGR. A chance de que se confirmem, antes da decisão de Teori Zavascki os nomes de políticos que serão investigados estão em outro ponto da Praça dos Três Poderes: o Congresso.

Janot está avaliando se irá enviar comunicados aos parlamentares citados sobre a situação de cada um, informando o que foi pedido ao Supremo. A decisão, segundo fontes da PGR, deve sair ainda nesta quarta-feira, e será tomada pessoalmente pelo procurador.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Comentários

Nehemias Fernandes Jaques

LAUDO DA PF ENGAVETADO NO GOVERNO FHC LIGAVA YOUSSEF À CAIXA DE CAMPANHA DE SERRA E DO PRÓPRIO FHC. Documentos começam a esclarecer por que o laudo de exame financeiro nº 675/2002, elaborado pelos peritos criminais da PF Renato Rodrigues Barbosa, Eurico Montenegro e Emanuel Coelho, ficou engavetado nos últimos seis meses do governo FHC, quando a instituição era comandada por Agílio Monteiro e Itanor Carneiro. Nas 1.057 páginas que detalham todas as remessas feitas por doleiros por intermédio da agência do banco Banestado em Nova York está documentado o caminho que o caixa de campanha de FHC e do então candidato José Serra, Ricardo Sérgio Oliveira, usou para enviar US$ 56 milhões ao Exterior entre 1996 e 1997. O laudo dos peritos mostra que, nas suas operações, o tesoureiro utilizava o doleiro Alberto Youssef, também contratado por Fernandinho Beira-Mar para remeter dinheiro sujo do narcotráfico para o Exterior. Os peritos descobriram que todo o dinheiro enviado por Ricardo Sérgio ia parar na camuflada conta número 310035, no banco Chase Manhattan também em Nova York (hoje JP Morgan Chase), batizada com o intrigante nome “Tucano”. De acordo com documentos obtidos por ISTOÉ, em apenas dois dias – 15 e 16 de outubro de 1996 – a Tucano recebeu US$ 1,5 milhão. A papelada reunida pelos peritos indica que o nome dado à conta não é uma casualidade. Os dois responsáveis pela administração da dinheirama, segundo a perícia, são figurinhas carimbadas nos principais escândalos envolvendo o processo de privatização das teles e auxiliares diretos de Ricardo Sérgio: João Bosco Madeiro da Costa, ex-diretor da Previ (o fundo de pensão do Banco do Brasil) e ex-assessor do caixa tucano na diretoria internacional do BB, e o advogado americano David Spencer.


Naipes Consultoria

04/03


2015

Começa reunião de Dilma com base aliada

Começou nesta quarta-feira, com atraso de quase duas horas, a reunião da presidente Dilma Rousseff com líderes da base aliada na Câmara dos Deputados. O encontro estava previsto para iniciar às 11h30, mas o horário foi comprometido pelo alongamento da conversa com senadores da base, que terminou por volta de 12h10.

As reuniões acontecem no dia seguinte do envio ao Supremo Tribunal Federal (STF), pelo Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, da lista com nomes de políticos que devem ser investigados no âmbito da operação Lava Jato. O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), que já teria sido avisado que seu nome está na lista, devolveu nessa terça, ao Executivo a medida provisória que reduz a desoneração da folha de pagamento de empresas.

Participam das reuniões os ministros de Relações Institucionais, Pepe Vargas, e da Casa Civil, Aloizio Mercadante. Os encontros são uma tentativa de melhorar a articulação do Palácio do Planalto com o Congresso, comprometida inclusive entre parlamentares que compõem a base aliada.

Não há previsão de entrevista coletiva após o encontro, mas o líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT-CE), informou que conversará com os jornalistas ao fim da reunião.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Comentários

Nehemias Fernandes Jaques

LAUDO DA PF ENGAVETADO NO GOVERNO FHC LIGAVA YOUSSEF À CAIXA DE CAMPANHA DE SERRA E DO PRÓPRIO FHC. Documentos começam a esclarecer por que o laudo de exame financeiro nº 675/2002, elaborado pelos peritos criminais da PF Renato Rodrigues Barbosa, Eurico Montenegro e Emanuel Coelho, ficou engavetado nos últimos seis meses do governo FHC, quando a instituição era comandada por Agílio Monteiro e Itanor Carneiro. Nas 1.057 páginas que detalham todas as remessas feitas por doleiros por intermédio da agência do banco Banestado em Nova York está documentado o caminho que o caixa de campanha de FHC e do então candidato José Serra, Ricardo Sérgio Oliveira, usou para enviar US$ 56 milhões ao Exterior entre 1996 e 1997. O laudo dos peritos mostra que, nas suas operações, o tesoureiro utilizava o doleiro Alberto Youssef, também contratado por Fernandinho Beira-Mar para remeter dinheiro sujo do narcotráfico para o Exterior. Os peritos descobriram que todo o dinheiro enviado por Ricardo Sérgio ia parar na camuflada conta número 310035, no banco Chase Manhattan também em Nova York (hoje JP Morgan Chase), batizada com o intrigante nome “Tucano”. De acordo com documentos obtidos por ISTOÉ, em apenas dois dias – 15 e 16 de outubro de 1996 – a Tucano recebeu US$ 1,5 milhão. A papelada reunida pelos peritos indica que o nome dado à conta não é uma casualidade. Os dois responsáveis pela administração da dinheirama, segundo a perícia, são figurinhas carimbadas nos principais escândalos envolvendo o processo de privatização das teles e auxiliares diretos de Ricardo Sérgio: João Bosco Madeiro da Costa, ex-diretor da Previ (o fundo de pensão do Banco do Brasil) e ex-assessor do caixa tucano na diretoria internacional do BB, e o advogado americano David Spencer.

Nehemias Fernandes Jaques

Metam os peitos! Optei pela identidade feminina para entrar na PM; veja relato de transexual. O soldado Marcelo Viana dos Santos, 28, está na Polícia Militar de Pernambuco desde 2010 e atua no Recife. Ele nasceu mulher e descobriu que era transexual aos 21 anos, quando trabalhava como professor de matemática em uma escola municipal. Desde então, passou a vestir roupas masculinas, mas não tinha dinheiro para fazer tratamento. Isso só foi possível quando já estava na PM. A descoberta da transexualidade Sempre achei que tinha alguma coisa errada comigo, mas eu não sabia exatamente o que era. Vivia muito deprimido e tinha várias crises existenciais. Pensei que era homossexual e me assumi. Só que, mesmo no meio das lésbicas, eu não me sentia bem. Aos 21 anos, entendi por que eu tinha dificuldades tão grandes. Conheci o Leonardo Tenório, que é um transexual de Pernambuco. Quando eu conversei com ele, senti que era realmente naquilo que me encaixava. Mas as cirurgias eram muito caras e eu não teria o apoio dos meus pais, católicos fervorosos. Eu sabia que tinha de trilhar sozinho. Sabia que tinha de conseguir um emprego um pouco melhor. Tive muita sorte. Mesmo sem tomar hormônios, já tinha muitas características masculinas, como uma voz um pouco mais grossa. Fui fazendo minha transição com o que eu tinha em mãos, fui vestindo roupas masculinas. Mesmo sem tomar hormônios, ninguém me confundia mais com uma mulher. A entrada na PM Desde criança eu queria entrar nas Forças Armadas ou na polícia. Tinha um tio de que eu gostava muito, e ele era policial rodoviário federal. Sempre ia na casa dele e o via fardado. Ele colocava o quepe na minha cabeça e eu saía correndo todo feliz. Queria muito ser igual a ele desde criança. Quando surgiu o concurso da PM, optei pela identidade feminina para não sofrer nenhum tipo de problema nas provas físicas e até no curso de formação. Naquela época tinha muito medo de ser excluído da Polícia. Era meu único meio de sustento. Mas meus superiores me orientaram que esse tipo de situação não seria motivo para minha exclusão e deram apoio. Assim que terminou o curso, comecei novamente a montar minha transição.

Nehemias Fernandes Jaques

Metamos peitos! Optei pela identidade feminina para entrar na PM; veja relato de transexual. O soldado Marcelo Viana dos Santos, 28, está na Polícia Militar de Pernambuco desde 2010 e atua no Recife. Ele nasceu mulher e descobriu que era transexual aos 21 anos, quando trabalhava como professor de matemática em uma escola municipal. Desde então, passou a vestir roupas masculinas, mas não tinha dinheiro para fazer tratamento. Isso só foi possível quando já estava na PM. A descoberta da transexualidade Sempre achei que tinha alguma coisa errada comigo, mas eu não sabia exatamente o que era. Vivia muito deprimido e tinha várias crises existenciais. Pensei que era homossexual e me assumi. Só que, mesmo no meio das lésbicas, eu não me sentia bem. Aos 21 anos, entendi por que eu tinha dificuldades tão grandes. Conheci o Leonardo Tenório, que é um transexual de Pernambuco. Quando eu conversei com ele, senti que era realmente naquilo que me encaixava. Mas as cirurgias eram muito caras e eu não teria o apoio dos meus pais, católicos fervorosos. Eu sabia que tinha de trilhar sozinho. Sabia que tinha de conseguir um emprego um pouco melhor. Tive muita sorte. Mesmo sem tomar hormônios, já tinha muitas características masculinas, como uma voz um pouco mais grossa. Fui fazendo minha transição com o que eu tinha em mãos, fui vestindo roupas masculinas. Mesmo sem tomar hormônios, ninguém me confundia mais com uma mulher. A entrada na PM Desde criança eu queria entrar nas Forças Armadas ou na polícia. Tinha um tio de que eu gostava muito, e ele era policial rodoviário federal. Sempre ia na casa dele e o via fardado. Ele colocava o quepe na minha cabeça e eu saía correndo todo feliz. Queria muito ser igual a ele desde criança. Quando surgiu o concurso da PM, optei pela identidade feminina para não sofrer nenhum tipo de problema nas provas físicas e até no curso de formação. Naquela época tinha muito medo de ser excluído da Polícia. Era meu único meio de sustento. Mas meus superiores me orientaram que esse tipo de situação não seria motivo para minha exclusão e deram apoio. Assim que terminou o curso, comecei novamente a montar minha transição.

RENAN

OU ENTÃO MARCOS, VAI TRAÇAR MAIS ALGUMAS ESTRATÉGIAS PRA MENTIR, ENGANAR O POVO BRASILEIRO!!!

marcos

SERÁ QUE ELE VAI TIRAR DOLARES DA CUECA?


Stampa Midia

04/03


2015

Luciana Genro participa de ato no Recife

Do Diário de Pernambuco

A candidata derrotada do PSOL à Presidência da República, a ex-deputada federal Luciana Genro, participa de um ato nacional do partido no Recife, na noite desta quinta-feira, no auditório G1, da Unicap, no Centro do Recife, às 19h. O evento faz parte de uma programação nacional do partido de esquerda que tem como objetivo o debate e a busca de alternativas para sair da “crise política e econômica do país”.

O encontro terá, ainda, como tema a análise e propostas apresentadas pelo PSOL na carta de Brasília, documento aprovado e apresentado pela Executiva nacional do PSOL em 10 de fevereiro deste ano. Luciana Genro, antes do encontro, terá uma agenda reservada com militantes do partido no Recife. Durante o dia, a socialista almoça com dirigentes do partido, como deputado estadual Edilson Silva, estreante no Legislativo.

No ano passado, quando foi candidata à Presidência da República, Luciana defendeu o casamento entre pessoas do mesmo sexo e o direito ao aborto. A pauta, considerada polêmica por alguns partidos conservadores, reforçou a ligação da candidata com o eleitorado jovem do país. A candidata, no plano econômico, chegou a defender o controle dos preços dos produtos pelo estado. Luciana é filha do ex-governador do Rio Grande do Sul Tardo Genro, filiado ao PT.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Comentários

marcos

Luciana vai ajudar o (a) amiga de Nehemias O soldado Marcelo Viana dos Santos,


Biologicus

04/03


2015

Armando tenta convencer PIB para o ajuste

Numa conversa, há pouco, com este blogueiro, em Brasília, o ministro Armando Monteiro Neto, de Desenvolvimento Econômico, disse que tem conversado muito com as diversas instituições representativas do empresariado nacional para convencer que, apesar de amargas, as medidas de ajuste fiscal representam um meio para recuperar a economia do País.

Sobre as declarações do presidente da Fiesp, Paulo Skaf, de que iria se unir aos trabalhadores em protesto contra as medidas, o ministro afirmou que não acredita nesta hipótese porque, nas conversas que tem tido com Skaf, há uma consciência da parte dele de que um ajuste tem que ser feito.

A propósito, o ministro informou que na próxima sexta-feira reunirá, em São Paulo, 46 instituições representativas do PIB nacional em um fórum que contará, inclusive, com apoio e efetiva participação da Fiesp. "Neste encontro, vou explicar melhor as medidas do ajuste fiscal que provocaram um impacto na vida das empresas, mas têm que ser necessariamente feitas para o País buscar o reequilíbrio da sua economia”.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Santana e Plácido

04/03


2015

Cunha chama ex-PGR para defendê-lo

Com o nome apontado como um dos 54 alvos de inquéritos da Operação Lava Jato, cuja abertura foi pedida nesta terça-feira pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), vai contratar o ex-procurador-geral da República Antônio Fernando Souza para defendê-lo no caso. De acordo com a Folha de S. Paulo, o advogado já teria aceitado o pedido do peemedebista, mas ainda faltaria acertar detalhes do contrato.

Antônio Fernando instaurou 141 inquéritos na sua gestão, o triplo da média dos antecessores. Na época do mensalão, tornou réus 40 acusados de integrar um esquema de compra de apoio ao governo do ex-presidente Lula (PT).

Nesta terça-feira, foram enviados ao Supremo Tribunal Federal (STF) 28 pedidos de inquérito envolvendo os desdobramentos da Operação Lava Jato. Entre os 54 investigados estão políticos e pessoas sem o chamado foro privilegiado. No entanto, nenhuma denúncia direta foi feita por Janot.

Também devem ser investigados o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), os senadores Fernando Collor (PTB-AL) e Edison Lobão (PMDB-MA), a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) e o deputado federal Nelson Meurer (PP-PR). Também é esperado que o senador Valdir Raupp (PMDB RO) e presidente do PP, o senador Ciro Nogueira (PI), tenham seus nomes na lista. Todos negam envolvimento no caso.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


04/03


2015

PMDB quer a cabeça do ministro Pepe Vargas

Por Leandro Mazzini, do Blog Coluna Esplanada

O PMDB quer a cabeça do ministro das Relações Institucionais da Presidência, Pepe Vargas (PT-RS). E começou a enviar mensagens diretas.

Não bastasse o hoje todo-poderoso presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), não conversar com o ministro palaciano e o criticar publicamente, ontem o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) deixou a dica ao devolver para o Planalto a Medida Provisória 669, a que aumentava alíquotas de contribuição previdenciária sobre receita bruta das empresas.

Um recado não apenas à presidente Dilma pela insatisfação da bancada com o governo, mas em especial com os ministros palacianos.

A cúpula do PMDB no Congresso Nacional ainda não imagina com quem poderia ter boa interlocução com o Planalto além de Pepe. Mas reservadamente deputados acreditam que um ministro de um partido neutro – sem um do PT – seria o ideal, como alguém do PP, do PSD ou do próprio PMDB.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


04/03


2015

Oposição quer senha do e-Fisco

Do Diário de Pernambuco

A bancada de oposição na Assembleia Legislativa encaminhou, nesta terça-feira, um ofício ao governador Paulo Câmara (PSB) solicitando a disponibilização da senha de acesso ao Sistema e-Fisco. O sistema reúne as informações administrativas e financeiras da gestão. Com o discurso da “maior transparência”, a oposição quer ter o perfil de consulta total e irrestrita para cada um dos 49 deputados da Casa, incluindo os governistas.

Atualmente, apenas o presidente da Comissão de Finanças tem acesso à senha do e-Fisco, diferentemente do que já acontece na Câmara dos Deputados e no Senado, onde os parlamentares têm acesso às informações completas do exercício financeiro do governo federal. Outros estados também já autorizaram o acesso à senha pelos deputados estaduais, a exemplo do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais, além do Distrito Federal.

O líder da bancada de oposição, o deputado Silvio Costa Filho (PTB), garante que, com a posse da senha todos os parlamentares terão informações mais detalhadas sobre questões como restos a pagar, dívidas do estado e investimentos. O parlamentar alerta ainda que o Portal da Transparência do Governo de Pernambuco, mesmo representando um avanço, como em outros estados do Brasil, não disponibiliza informações completas ou devidamente atualizadas.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Comentários

adilson jose da silva

Parece, até, piada de mau gosto, um parlamentar que tem os bens bloqueados pela justiça, falar em transparência no trato com o erário.