Baile Municipal de Arcoverde

27/01


2015

Nomeado novo ouvidor-geral da União

O novo ouvidor-geral da União, Luís Henrique Fanan, foi nomeado nesta terça-feira em portaria publicada no Diário Oficial da União. Fanan substituirá José Elias Romão, que teve a exoneração publicada nesta terça-feira. A nomeação é assinada pelo ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante.

Ligada à Controladoria-Geral da União (CGU), a Ouvidoria-Geral é responsável por receber, examinar e encaminhar denúncias, reclamações, elogios, sugestões e pedidos de informação referentes a procedimentos e ações de agentes, órgãos e entidades do Executivo federal.

O órgão também é responsável pela coordenação das ouvidorias do governo federal e pela elaboração de estatísticas sobre a avaliação dos serviços públicos prestados pelo governo.

Com experiência no serviço público, Fanan foi diretor do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), diretor do Ministério do Turismo, secretário de Fazenda do Distrito Federal e assessor especial da Casa Civil.


Faça Login para comentar


@
Cadastre-se

Processo Eletrônico

27/01


2015

Reunião de Dilma com ministros tem alto sigilo

A primeira reunião ministerial do segundo governo da presidente Dilma Rousseff (PT) vai ocorrer em clima de vigilância total na tarde desta terça-feira. O clima policialesco adotado pelo Palácio do Planalto já começa a gerar ruídos nos ministérios, depois que os titulares da pastas foram proibidos de levar seus assessores de imprensa para o encontro.

Dilma quer evitar vazamentos do conteúdo da reunião e, para isso proibiu os assessores. Geralmente, nas reuniões ministeriais realizadas na Granja do Torto, a casa de campo oficial da Presidência da República, os assessores ficam em uma sala anexa ao do encontro dos ministros com a presidente. Desta vez isto não ocorrerá.

Toda a parte de imprensa da reunião está sendo coordenada pelo ministro da Secretaria de Comunicação Social da Presidência, o jornalista Thomas Traumann. Em alguns ministérios já há queixas à condução dos preparativos da reunião por ele, com assessores reclamando veladamente da falta de participação na organização do evento.


Faça Login para comentar


@
Cadastre-se


27/01


2015

Valadares diz que Calheiros é "candidato em off"

Agindo como candidato à reeleição, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), telefonou, na manhã de hoje, para o senador Antonio Carlos Valadares (PSB-SE), seu provável adversário na disputa marcada para o domingo, 1º de fevereiro. Na conversa, de acordo com o socialista, Calheiros disse que não poderia se lançar candidato sem uma reunião da bancada do PMDB, mas fez questão de dizer que, se reeleito, irá fazer uma gestão da Casa "austera" nos próximos dois anos.

"Renan parece um candidato em off", afirmou Valadares ao Broadcast Político, serviço em tempo real da Agência Estado, ao ressalvar que só será candidato com apoio da bancada. Ele admitiu ser mais difícil vencer Calheiros com uma candidatura avulsa na votação secreta do domingo. Isso porque, pelos seus cálculos, teria no máximo 30 votos contando apoios de partidos de oposição e de senadores independentes. Valadares defende como a melhor opção encontrar um candidato dentro do PMDB que não seja Calheiros. Mas senadores do partido cotados, como Ricardo Ferraço (ES) e Luiz Henrique (SC), ainda não decidiram se vão enfrentar Renan na própria bancada.

A estratégia de Calheiros é adiar, ao máximo possível, o lançamento da sua candidatura para não virar "vitrine". O Palácio do Planalto apoia a permanência do peemedebista no posto desde que, até a eleição, não seja investigado ou denunciado pela Procuradoria-Geral da República por envolvimento na Operação Lava Jato. Ele foi um dos 28 citados, conforme revelou o jornal O Estado de S. Paulo, pelo ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa em sua delação premiada.

No contato telefônico com Valadares, Calheiros disse que, assim que o PMDB tomar uma decisão - indicando-o para disputar a presidência novamente -, ele pretende conversar com os demais partidos para apresentar seus planos de gestão do Senado até o início de 2017.


Faça Login para comentar


@
Cadastre-se

Onodera Estética

27/01


2015

Artigo especial

Porque a Assembleia Legislativa é a casa do povo!

por Edilson Silva*

Definimos nossa candidatura à presidência da ALEPE. As razões que nos impulsionam nesta caminhada tem a ver com a defesa da República, sobretudo no quesito da independência dos Poderes e da nossa Constituição Estadual; com a defesa da transparência na gestão da Casa de Joaquim Nabuco e a defesa da máxima horizontalidade na relação da Mesa Diretora com o conjunto dos parlamentares; com a defesa de uma Assembleia Legislativa forte, dotada de quadros de carreira, concursados, capazes de agir como servidores públicos do Estado, subordinados aos interesses maiores da sociedade; e tem também a ver com a defesa de uma Assembleia Legislativa permeável à verdadeira participação popular, que convide e convoque a população a se pronunciar diante de temas que lhe são caros.

Essas razões, portanto, definem quatro eixos ordenadores de nossa candidatura: mudança na relação do Legislativo com o Executivo; mudança na relação dos deputados com a Mesa Diretora; mudança da relação dos servidores do legislativo com a instituição ALEPE; e mudança da relação ALEPE com a sociedade.

Elencamos estes eixos e razões porque fazemos uma avaliação critica do funcionamento da ALEPE exatamente nesses pontos. A Casa de Joaquim Nabuco tem se transformado numa extensão submissa dos interesses do Palácio do Campo das Princesas, com a presidência da Mesa Diretora se colocando publicamente como leal a tais interesses.

A Constituição Estadual vem sendo violada ao sabor de casuísmos e interesses privados. A Assembleia Legislativa está em flagrante ilegalidade quando não possui um portal de transparência que permita à sociedade acompanhá-la e fiscalizá-la.

Existe uma assimetria injustificável entre os deputados no interior da ALEPE, quando determinadas funções e cargos geram abismos entre as estruturas de trabalho disponibilizadas para uns e para outros no trabalho parlamentar. Acreditamos que é necessário que cada parlamentar tenha, sim, uma cota de funcionários comissionados para servir ao seu mandato, mas cremos mais ainda que o excesso de comissionados em relação aos servidores efetivos e concursados da Casa não atende a princípios republicanos, o que é o caso concreto hoje na Assembleia.

Vemos a ALEPE hoje distante da sociedade, com a população afastando-se cada vez mais desta Casa, o que só faz aumentar a ojeriza desta sociedade em relação aos políticos, à política e, perigosamente, à democracia. O processo eleitoral e seu ritual democrático não conferem, por si sós, garantias de legitimidade para uma democracia. Em tempos de rebeldias populares por mais direitos, é de bom alvitre que se perceba que a participação popular no fazer político do dia a dia é também um direito de todos os cidadãos e cidadãs.

Mas será comum encontrar nesta nossa caminhada aqueles que se apresentarão incrédulos diante do que colocamos. A estes, sobretudo, lhes convidamos para mirarem-se nos exemplos do Papa Francisco. Francisco nos inspira e nos ensina – segue ensinando, e que siga por longa data a fazê-lo – sobre a força que têm os atos de coragem e a transformação que se concretiza nas pessoas que nos rodeiam quando a sinergia do que dissemos de bom e do bem se encaixa naquilo que praticamos.

O Papa Jesuíta, franciscanamente, tão rico nas palavras e nas ideias, foi dormir nos aposentos dos mais humildes. Dispensou sua copa rica e foi comer com estes mesmos humildes. Abriu mão de carros de luxo e se desloca em carros populares. Abriu sua igreja para temas difíceis, como o casamento entre pessoas do mesmo sexo e o aborto. Combateu o assédio moral no Vaticano. Enfrentou e enfrenta na claridade do dia a questão da pedofilia na sua Igreja. Foi rígido com as sabidas ingerências no Banco do Vaticano. Pregou e praticou o ecumenismo, aproximando religiões. Sim, o Papa Francisco nos serve de inspiração e para nos mostrar que mesmo instituições milenares são permeáveis às necessárias mudanças. Vejo nele um exemplo concreto a ser seguido na política. Um exemplo que transformou a face de sua igreja frente à sociedade mundial quase que como da água para o vinho, quase que do dia para a noite.

Estamos muito convictos que com estas inspirações e motivados por estas razões e objetivos, nossa candidatura já nasce vitoriosa. É com este arcabouço que vamos dialogar com a sociedade e com os nossos colegas parlamentares, pedindo não só o seus votos para a nossa postulação, mas antes de tudo para que reflitam sobre o que estamos levantando, pois independente do resultado da eleição para a Mesa Diretora, devemos continuar, sempre, perseguindo ideais que fortaleçam a democracia, a liberdade, os princípios republicanos e o papel insubstituível que cumpre a nossa Assembleia Legislativa de Pernambuco.

*Deputado estadual pelo PSOL-PE


Faça Login para comentar


@
Cadastre-se

Comentários

Jozildo Neto

O cara ainda nem tomou posse e já mudou o visual.....imagina quando "pegar gosto" pelo parlamento.


Naipes Consultoria

27/01


2015

Rede realiza mutirões de coleta de assinaturas

Do Diário de Pernambuco

Passadas as eleições 2014, a Rede Sustentabilidade retoma sua saga para validar a legenda na Justiça Eleitoral. Neste fim de semana, mais de 100 mutirões foram realizados em todo o país para coletar assinaturas de apoio à certificação do partido da ex-presidenciável Marina Silva, hoje abrigada no PSB.

No Recife, foram cerca de 500 assinaturas na Praça do Arsenal, Recife Antigo, no último domingo à tarde, e 300 no Parque Dona Lindu, em Boa Viagem, no sábado, de acordo com Roberto Leandro, membro da Executiva Nacional e porta-voz da Rede em Pernambuco.

“Está havendo coleta também no interior. Em Salgueiro, Quipapá, Garanhuns, Petrolina, entre outros municípios”, informa. Leandro conta que a meta de coleta para o estado é de quatro mil assinaturas até o final de fevereiro. Nacionalmente, a Rede pretende angariar 100 mil apoios nesse prazo. No final dessa semana, a Executiva Nacional se reúne em Brasília (DF) para fazer um balanço do andamento das ações e encaminhamentos em relação ao registro da legenda.

O porta-voz pernambucano destaca que são necessárias apenas 32 mil assinaturas certificadas, mas a coleta de mais 100 mil garante uma “margem de segurança”. Em 2013, a Rede teve apenas 442.525 assinaturas reconhecidas pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral), das 668 mil enviadas aos cartórios e 904 mil coletadas, o que impediu o partido de ser registrado em tempo hábil para disputar as eleições de 2014. A conta para chegar ao número de apoios necessários para garantir o registro é feita a partir de 1% do número de votantes para o cargo de deputado federal na última eleição, algo em torno de 480 mil.


Faça Login para comentar


@
Cadastre-se

Stampa Midia

27/01


2015

Serra Talhada investe em obras de mobilidade

O secretário de transportes, Sebastião Oliveira (PR), recebeu, ontem, no seu gabinete, o prefeito de Serra Talhada, Luciano Duque (PT), adversário político das ultimas eleições municipais em Serra Talhada. O objetivo do encontro foi firmar parcerias para o investimento em obras de mobilidade no município.

A primeira pauta do encontro tratou da reestruturação do aeródromo do município que vai passar por reformas na estação de passageiros e de reforço na pista, alem de receber nova estrutura para sinalização e operacionalização dos bombeiros no local. O aeródromo de Serra já foi homologado pelo Ministério da Aeronáutica para receber voos domésticos nacionais.

Em seguida, o assunto foi a Perimetral Sul, obra que o prefeito Duque está planejando fazer com apoio da Secretaria de Transportes e que vai possibilitar uma melhor mobilidade no entorno de Serra Talhada, começando no viaduto da BR 232, passando pelo novo shopping, pelo Alto Bom Jesus e pelo distrito industrial.  Após os assuntos institucionais, trataram de política numa conversa reservada.


Faça Login para comentar


@
Cadastre-se

Biologicus

27/01


2015

Artigo especial

O diretor sumiu

* Marta Suplicy

Tenho pensado muito sobre a delicadeza e a importância da transparência nos dias de hoje. Temos vivido crises de todos os tipos: crise econômica, política, moral, ética, hídrica, energética e institucional. Todas elas foram gestadas pela ausência de transparência, de confiança e de credibilidade.

Se tivesse havido transparência na condução da economia no governo Dilma, dificilmente a presidente teria aprofundado os erros que nos trouxeram a esta situação de descalabro. Não estaríamos agora tendo de viver o aumento desmedido das tarifas, a volta do desemprego, a diminuição de direitos trabalhistas, a inflação, o aumento consecutivo dos juros, a falta de investimentos e o aumento de impostos, fazendo a vaca engasgar de tanto tossir.

Assim que a presidenta foi eleita, seu discurso de posse acompanhou o otimismo e reiterou os compromissos da campanha eleitoral: "Nem que a vaca tussa!".

Havia uma grande expectativa a respeito do perfil da equipe econômica que a presidenta Dilma Rousseff escolheria. Sem nenhuma explicação, nomeia-se um ministro da Fazenda que agradaria ao mercado e à oposição. O simpatizante do PT não entende o porquê. Se tudo ia bem, era necessário alguém para implementar ajustes e medidas tão duras e negadas na campanha? Nenhuma explicação.

Imagina-se que a presidenta apoie o ministro da Fazenda e os demais integrantes da equipe econômica. É óbvio que ela sabe o tamanho das maldades que estão sendo implementadas para consertar a situação que, na realidade, não é nada rósea como foi apresentada na eleição. Mas não se tem certeza. Ela logo desautoriza a primeira fala de um membro da equipe. Depois silencia. A situação persiste sem clareza sobre o que pensa a presidenta.

Iniciam-se medidas de um processo doloroso de recuperação de um Brasil em crise. Até onde ela se propõe a ir? Até onde vai o apoio à equipe econômica?

Para desestabilizar mais um pouco a situação, a Fundação Perseu Abramo, do PT, critica as medidas anunciadas, o partido não apoia as decisões do governo e alguns deputados petistas vociferam contra elas. Parte da oposição, por receio de se identificar com a dureza das medidas, perde o rumo criticando o que antes preconizou.

O PT vive situação complexa, pois embarcou no circo de malabarismos econômicos, prometeu, durante a campanha, um futuro sem agruras, omitiu-se na apresentação de um projeto de nação para o país, mas agora está atarantado sob sérias denúncias de corrupção.

Nada foi explicado ao povo brasileiro, que já sente e sofre as consequências e acompanha atônito um estado de total ausência de transparência, absoluta incoerência entre a fala e o fazer, o que leva à falta de credibilidade e confiança.

É o que o mercado tem vivido e, por isso, não investe. O empresariado percebe a situação e começa a desempregar. O povo, que não é bobo, desconfia e gasta menos para ver se entende para onde vai o Brasil e seu futuro.

Acrescentem-se a esse quadro a falta de energia e de água, o trânsito congestionado, os ônibus e metrôs entupidos, as ameaças de desemprego na família, a queda do poder aquisitivo, a violência crescente, o acesso à saúde longe de vista e as obrigações financeiras de começo de ano e o palco está pronto.

A peça se desenrola com enredo atrapalhado e incompreensível. O diretor sumiu.

* Postado originalmente na Folha de São Paulo


Faça Login para comentar


@
Cadastre-se

Comentários

Francisco Eugênio Marinho de Barros

O diretor não sumiu, ele é o protagonista da peça. Lula entregou o Brasil a Dilma numa condição de desequilíbrio que só ela sabe. Agora exige que ela o devolva o mais equilibrado possível, pois viu a insatisfação do brasileiros no resultado da última eleição, assim, ele é outros membros do PT para agradar estes eleitora dizem que Dilma não os escuta. A eleição de 2016 e 2018 já começaram. Quem sumiu foi a plateia que assiste todos estes desmandos caladinha.


Santana e Plácido

27/01


2015

Minha cidade é linda

Glória do Goitá, na Zona da Mata pernambucana, a 65 km do Recife, é destacada neste quadro de hoje em foto de arquivo deste blog. Por volta de 1760, o lugar onde hoje fica o município era ocupado por lavradores, que mandaram construir uma capela dedicada à Nossa Senhora da Glória. Em volta dessa capela, surgiu um pequeno povoado. Posteriormente, monges do Mosteiro de São Bento de Olinda vieram para a região, em 1775.

A vila foi criada a 6 de maio de 1837. Glória do Goitá tornou-se município autônomo, emancipado de Paudalho em 9 de julho de 1877. A desmembração ocorreu pela Lei Provincial n. 1.297, sendo formado pelos distritos Sede e Apoti, e pelo povoado do Tapera. A denominação do município tem origem na junção do nome da padroeira, Nossa Senhora da Glória, com o rio Goitá, topônimo que tem origem no termo tupi “gua-ita”, que significa “pedra da baixa”.

A principal atividade econômica do município é a agricultura. Glória do Goitá tem uma extensa área de cana-de-açúcar plantada, mas o município não tem nenhuma usina. O que é plantado na região é vendido para uma usina de Lagoa de Itaenga. Em todos os lugares, seja às margens da BR ou na área rural encontram-se pequenas lavouras. Algumas são de subsistência. Outros moradores vendem o que produzem na feira do município. Planta-se de tudo - limão, maracujá, acerola, macaxeira, pimentão, cebola, cebolinha e coentro.

Outra importante fonte de renda do município é a produção de farinha de mandioca, que são fabricadas em diversas "casas de farinha" encontradas na zona rural do município. O maracatu é uma das tradições do município, os moradores passam o ano inteiro confeccionando suas fantasias de maracatu para desfilarem no carnaval do município.

É o berço do mamulengo. O Museu do Mamulengo destaca-se como o principal ponto de cultura, situado no antigo mercado público no centro da cidade, apresenta diferentes peças do teatro de bonecos, como também oficina de mamulengos levando o nome do município para diversos locais, inclusive para o exterior. Faça uma foto bonita da sua cidade e nos envie para postagem neste quatro pelo e-mail magno@blogdomagno.com.br


Faça Login para comentar


@
Cadastre-se


27/01


2015

Câmara sai otimista de encontro com ministro

O governador Paulo Câmara (PSB) foi recebido, ontem, em Brasília, pelo ministro da Saúde, Arthur Chioro, e a secretária executiva da pasta, Ana Paula Soter. Acompanharam o chefe do Executivo estadual no encontro, realizado no gabinete do ministro, os secretários Iran Costa Júnior (Saúde), Antônio Figueira (Casa Civil) e José Neto (chefe da Assessoria Especial).

Paulo recebeu sinalizações positivas sobre o principal ponto da pauta: recursos para o custeio e a ampliação da rede materno-infantil, com a construção do Hospital da Mulher do Agreste, em Caruaru; e da UTI neonatal do Hospital Agamenon Magalhães (Hospam), em Serra Talhada. Câmara reafirmou seu compromisso com o segmento, mesmo neste ano difícil para a economia. "Vamos manter o investimento de 15% na Saúde, bem acima do que é definido pela Constituição, que é de 12% do orçamento do Estado", garantiu. 

O ministro reconheceu o esforço que Pernambuco tem feito na Saúde e elogiou o Estado na área de Especialidades. "Pernambuco e o Ceará estão investindo forte nisso", enalteceu Chioro. O titular da pasta pediu a colaboração do governo estadual na elaboração do programa federal Mais Especialidades. "Vamos ficar sintonizados com vocês. Vai ser uma via de não dupla", completou o ministro.


Faça Login para comentar


@
Cadastre-se


27/01


2015

Um Continente Perdido

Os dias da presidente Dilma Roussef (PT) estão contados. Não dá mais para esconder a roubalheira na Petrobras (da qual ela é partícipe) e sua excelência sabe disso. A informação de que a Petrobras (Graça Foster) vendeu para o Banco BTG Pactual, os direitos de dois lucrativos poços de petróleo na Nigéria, vai completando as medidas. Essa camarilha deveria estar toda na prisão e não brincando de "governar" o país.

A venda dos poços nigerianos, estimados pelo TCU - Tribunal de Contas da União -, em US$ 3,5 bilhões de dólares, foi efetuada por US$ 1,5 bilhão de dólares. E o governo ainda providenciou o financiamento desse dinheiro. Que mamata boa! O PT arruinou o que restava deste nosso país de fancaria e continua no poder. O Continente Sul-Americano não é uma piada porque sempre termina em tragédia. Dilma está calada!

Foi à posse do terceiro mandato do índio fajuto da Bolívia, Evo Morales, que nunca perde a oportunidade de condenar o capitalismo e o imperialismo norte-americano, mas sempre a bordo de algum jato ultramoderno que cruze rapidamente os céus do planeta, usando moderníssimos notebooks, internet e tudo que comece com "i": iPod, iPad, etc.

Igualzinho aos nossos comunistas de fachada, flagrados comprando até mesmo tapioca com cartão corporativo (criado na gestão FHC, 1995-2003). A íntegra deste artigo, de autoria do jornalista Márcio Aciolly, que colabora para este blog, você confere no menu Opinião. Vale a pena!


Faça Login para comentar


@
Cadastre-se

Comentários

Nehemias Fernandes Jaques

Moura Belfie Mestre, dias melhores virão!!!

Nehemias Fernandes Jaques

Moura Belfie Mestre.melhores Dias melhores virão!!!

Nehemias Fernandes Jaques

Esse Márcio Aciolly, é do psdb, é do time. Quanto pior, melhor, essa turma do psdb é contra o Brasil.

Nehemias Fernandes Jaques

A compra de um imóvel em Brasília pela ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal, se tornou alvo de denúncia. De acordo com o blog do jornalista Mino Pedrosa, o imóvel está ligado ao doleiro Fayed Traboulsi, envolvido no esquema de corrupção investigado pela Operação Lava Jato, da Polícia Federal.

Nehemias Fernandes Jaques

Denúncia aponta que mansão em Brasília comprada pela ministra do STF por R$ 1,7 milhão está ligada ao doleiro Fayed Traboulsi, envolvido no esquema investigado pela Operação Lava Jato; gabinete da magistrada afirma que notícia "não tem pé nem cabeça" e que negócio foi legitimado pela Caixa Econômica, que financiou o imóvel