UMA NOVA CAMARAGIBE

02/03


2015

Cunha diz que foi educado: conversou com Dilma

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), disse nesta segunda-feira, por meio do Twitter, que “conversou normamente” com a presidente Dilma Rousseff no último domingo, durante solenidade que marcou o aniversário de 450 anos do Rio de Janeiro. Referindo-se à reportagem do jornal “Folha de S. Paulo” sobre a comemoração, Cunha disse que é “educado o suficiente para tratar a presidenta com o respeito que merece”. Segundo reportagem do jornal, eles se trataram com "frieza". A reportagem foi publicada pelo site do GLOBO ontem.

No evento, Dilma elogiou o prefeito do Rio Eduardo Paes (PMDB) e o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB).

— Queria cumprimentar um outro carioca, que é o Eduardo Cunha, presidente da Câmara dos Deputados, e a senhora Cláudia Cruz — foram as únicas referências ao presidente da Câmara.  (De O Globo)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


02/03


2015

Cirurgia: alemão compara Maradona a uma senhora

Diego Maradona foi alvo de brincadeiras do jornal alemão "Bild", nesta segunda-feira. O lendário ex-jogador argentino, de 54 anos, foi apelidado de "Mamadona" pelos alemães, em referência à palavra italiana madonna, que significa "nossa senhora". As fotos foram feitas durante a gravação do programa "De Zurda", onde o ídolo argentino é comentarista na Venezuela.

A nova aparência de Maradona é fruto de um lifting feito no início do ano. Na oportunidade, o ex-jogador negou que tivesse feito cirurgia plástica. Segundo reportagem do site argentino de notícias de celebridades "Primicias Ya", o ex-jogador teria retirado bolsas de gordura abaixo dos olhos e aplicado gordura em algumas partes do rosto.  (De O Globo)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


02/03


2015

Revelar nomes de políticos depende de ministro

Do Portal G1 – Renan Ramalho e Nathalia Passarinho

A revelação dos nomes de políticos e autoridades supostamente envolvidos no esquema de corrupção da Petrobras só deverá ocorrer após uma decisão do ministro Teori Zavascki, relator do caso no Supremo Tribunal Federal.

A expectativa é que os pedidos de investigação contra os suspeitos chegue ao STF até a noite desta terça. Todos estarão inicialmente em segredo de Justiça, o que impede acesso a qualquer de suas informações.

Segundo o G1 apurou, o procurador-geral da República pedirá o fim do segredo em todos os pedidos de investigação, e Teori Zavascki analisará, caso a caso, se vai atender a essa recomendação.

A análise deve começar após a apresentação, mas dificilmente será concluída ainda nesta terça. Só depois de decidir sobre todos os pedidos, haverá divulgação, em bloco, dos nomes dos políticos.

Durante todo o fim de semana e nesta segunda, o procurador-geral da República,Rodrigo Janot, responsável pela acusação, revisou as peças a serem apresentadas.

A partir de uma divisão de delações premiadas já realizada pela PGR, supõe-se que cheguem a cerca de 40 os pedidos de abertura de inquérito ao STF, a mais alta instância do Judiciário e a única que pode julgar deputados, senadores e ministros do governo federal.

Além de pedidos no STF, a PGR pode também apresentar petições no Superior Tribunal de Justiça (STJ), caso se confirmem indícios de crimes cometidos por governadores. Nesses casos, os pedidos serão analisados pelo ministro Luís Felipe Salomão.

Após receberem os documentos da PGR, os dois ministros decidirão se atendem o que foi requisitado por Janot. É praxe, porém, os magistrados aceitarem a abertura de inquérito ou ação penal mediante o pedido do Ministério Público Federal.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Onodera Estética

02/03


2015

Para Wagner, crítica de Dilma foi “alinhamento”

O ministro da Defesa, Jaques Wagner, interlocutor frequente de Dilma Rousseff, disse nesta segunda-feira que a crítica feita pela presidente a uma declaração do ministro da Fazenda, Joaquim Levy, foi um “alinhamento”. “Talvez a forma não estivesse alinhada. Ele (Levy) falou, ela (Dilma) trouxe a questão para o ponto de vista que é dela, mas não acho que tenha nenhuma desconfiança”, afirmou o ministro, que esteve no Rio para a aula magna do Curso Superior de Defesa da Escola de Guerra Naval.

“A presidenta é quem designa seus ministros, o que demonstra confiança na capacidade de conduzir. A forma como foi abordado o tema e consertado do ponto de vista dela (Dilma) é um direito dela, na medida que é presidenta da República. Não quer dizer necessariamente que seja uma descrença na capacidade do Levy. Eu pessoalmente acredito que ele tem capacidade de fazer. Esses balizamentos quem faz é a presidenta, em última análise, depois do debate”, disse Levy em entrevista.

No sábado, em viagem ao Uruguai, Dilma disse que Levy foi “infeliz” ao chamar de “grosseira” a desoneração da folha de pagamentos, medida adotada pela presidente em seu primeiro mandato. O ministro fez a declaração na sexta-feira durante anúncio do pacote de aumento de impostos e redução de benefícios a empresas. No dia seguinte, a presidente fez a primeira crítica pública a Levy, que assumiu há dois meses.

Jaques Wagner lembrou o período em que foi ministro do Trabalho, no governo de Luiz Inácio Lula da Silva. “Vivi muito com o presidente Lula. Sentavam os ministros da Casa Civil, da Fazenda do Planejamento, eu, que era ministro do Trabalho, para discutir, por exemplo, salário mínimo. Ouvidas todas as partes, o presidente tomava decisão e havia um alinhamento”, afirmou.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Naipes Consultoria

02/03


2015

Cunha propõe recuo em passagens

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), anunciou na tarde desta segunda-feira que convocou uma reunião para esta terça-feira da Mesa Diretora para rever a cota de passagens aéreas para cônjuges de parlamentares. “Reconheço que a repercussão foi muito negativa”, afirmou o peemedebista.

O benefício foi aprovado na reunião da Mesa Diretora na última quarta-feira. No ato da Mesa, o presidente da Câmara alegava que a Constituição “dispensou especial proteção à família, privilegiando a unidade familiar”. Hoje, Cunha disse que não houve entendimento correto da situação e que se passou à sociedade a impressão de que o benefício era uma “regalia”.

O presidente afirmou que está subordinado à vontade da opinião pública e disse que cabe aos componentes da Mesa fazerem um mea-culpa. “Haverá um recuo, sim, com relação a essa situação”, declarou. Apesar de defender agora uma revisão do benefício, Cunha lembrou que cabe à Mesa a decisão de revogar a cota. “Não pode a decisão da Mesa ter causado o desgaste e eu ser o salvador da pátria e revogá-la”, justificou.

Cunha vai sugerir que a Mesa crie condições excepcionais para o uso de passagens de cônjuges com autorização da Casa, como já acontece com assessores dos parlamentares. “Se a repercussão não foi positiva, por que manter?”, questionou.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Stampa Midia

02/03


2015

Parlamentar vai às ruas protestar no dia 15

O deputado federal Raul Jungmann (PPS), vice-líder da bancada da oposição na Câmara dos Deputados, avisou que irá às ruas no próximo dia 15 de março, data em que mobilizações populares estão sendo organizadas nas redes sociais, para protestar contra a política adotada pela presidente Dilma Rousseff. A afirmação foi feita durante debate realizado em uma rádio local hoje pela manhã, que contou com a participação do também deputado federal Tadeu Alencar.

O pós-comunista, no entanto, ressaltou que não irá pedir o impeachment da petista. “Eu vou às ruas no dia 15, mas para protestar pelo estelionato eleitoral da presidente Dilma, que prometeu uma coisa e fez outra. Vou protestar contra esses ajustes fiscais e contra a retirada dos direitos trabalhistas que recaem sobre os trabalhadores brasileiros. Vou às ruas também protestar contra esse aumento abusivo que estamos sofrendo na energia elétrica”, declarou.

Raul Jungmann explicou que irá apenas protestar, porque ainda não existem motivos legais para pedir o impedimento de Dilma. “A Constituição é claríssima. Se há um crime de responsabilidade, devidamente explicitado, se houver dolo e culpa, vale o impeachment. É inevitável. Mas, por enquanto, não há nada. Mesmo sendo da oposição, não me cabe essa alegação, pois faço parte da governabilidade do País”, justificou.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Biologicus

02/03


2015

PL: Servidor pode ser preso por enriquecimento ilícito

O líder do PT no Senado, Humberto Costa, apresentou, na última quarta-feira, um projeto de lei que prevê o crime de enriquecimento ilícito no Código Penal a servidores públicos. Pela legislação atual, agentes do Estado que auferem vantagem indevida em razão do mandato, cargo, emprego ou função respondem pelos seus atos apenas nas esferas civil e administrativa.

A proposta prevê pena de dois a cinco anos de reclusão, além do confisco dos bens, ao funcionário que enriquecer ilicitamente. De acordo com o texto, as penas serão aumentadas de metade a dois terços se o agente público, embora não figurando como proprietário ou possuidor dos bens ou valores, deles faça uso de forma injustificada.

O crime será caracterizado se o funcionário “possuir, manter ou adquirir bens ou valores de qualquer natureza incompatíveis com a sua evolução patrimonial ou com a renda que auferir em razão de seu cargo, emprego, função pública ou mandato eletivo”.

Para Humberto, não é possível que ocupantes de cargos do Estado envolvidos em casos de enriquecimento ilícito continuem a causar danos ao erário sem receber punição criminal. Apenas em 2014, o Governo Federal expulsou 550 servidores por práticas ilícitas.

O principal motivo das expulsões foi a comprovação da prática de atos relacionados à corrupção, com 365 das penalidades aplicadas ou 66% do total. “O enriquecimento ilícito é um comportamento gravíssimo, que impede o bom funcionamento da administração pública e causa danos incalculáveis a toda a população, pois é um reflexo da prática reiterada de atos de corrupção”, avalia o senador.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Comentários

Paulo Robkstikeare

Eita, então vão ter que saber para onde foi o milhão \'doado\' ao ilustre senador...Calado tava, calado ficou e agora posando de caçador de marajá. Não nega ter na base de apoio Collor, Renan, Lula, Maluf e Sarney.

SEBASTIAO CAVALCANTI

A ideia é boa. O problema é que não funcionaria para os políticos, que também são servidores públicos, que usam laranjas para burlar a lei até mesmo na declaração de bens à Receita Federal.

Nehemias Fernandes Jaques

maequito que horror! O governo FHC foi beneficiado pelo olhar condescendente dos órgãos públicos investigadores.

Nehemias Fernandes Jaques

marquito, olha isso: Em 8 anos de governo PSDB, mais de 4000 processos engavetados pelo procurador

marcos

Pode isso? O Diário Oficial da União de 15 de fevereiro publicou portaria do Ministério da Cultura na qual aprova destinação de 134 milhões de reais para o filme \"O guerreiro do povo brasileiro\", que conta a vida do presidiário José Dirceu. É uma vergonha o que estão fazendo com o meu, com o seu dinheiro. No Brasil do PT, bandido é herói. Guerrilheiro, safado, comunista e FDP. Repassando Ministério da Cultura aprova patrocínio de filme que conta a vida de Dirceu | Joselito Muller - https://icl.googleusercontent.com/?lite_url=https://joselitomuller.wordpress.com/2014/04/17/ministerio-da-cultura-aprova-patrocinio-de-filme-que-conta-a-vida-de-dirceu/&ei=0KjTJY4S&lc=pt-BR


Santana e Plácido

02/03


2015

Audiências iniciam debates sobre reforma política

Duas audiências públicas iniciam os debates da comissão especial da Câmara sobre a reforma política. As audiências serão feitas durante o período da manhã e da tarde desta terça-feira e reunirão especialistas e entidades dos movimentos sociais e sindicais a respeito da temática dos sistemas eleitorais.

A primeira audiência, marcada para as 9h30, terá como convidado o professor da Faculdade de Direito da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro Renato Beneduzi, que falará sobre sistemas eleitorais de outros países.

No início da tarde, foram convidados representantes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e do Movimento Contra a Corrupção Eleitoral, com mais 103 entidades sociais que integram a Coalizão pela Reforma Política e Eleições Limpas. Elas vão abordar, entre outros temas, o projeto de iniciativa popular (Projeto de Lei 6316/13) sobre a reforma política.

No último dia 25, a CNBB e a OAB lançaram um Manifesto em Defesa da Democracia, com o objetivo de contribuir para o debate da reforma política. No manifesto, as entidades pedem o fim do financiamento empresarial às campanhas eleitorais, considerado por elas “causa dos principais e reincidentes escândalos que têm abalado a Nação". Com o fim desse sistema de financiamento, as instituições acreditam que será possível afastar "a censurável influência do poder econômico" no resultado das eleições, segundo o documento.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


02/03


2015

CPI abre com 180 pedidos de requerimento

A oposição na Câmara dos Deputados dominou o período de abertura para protocolo de pedidos de requerimento à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras. Até o fim da manhã desta segunda-feira foram mais de 180 pedidos. Os partidos recordistas são o PSDB, que protocolou, logo no início da manhã, 57 requerimentos. Em seguida, o DEM apresentou 51 pedidos.

Além do PSDB e DEM, o PPS e o Psol protocolaram, respectivamente, 23 e 16 requerimentos. No período, o PT protocolou 17 pedidos. O início da abertura dos pedidos foi anunciado pelo presidente da comissão, deputado Hugo Motta (PB), na última quinta-feira, quando a CPI foi instalada.

Os tucanos e os parlamentares do PPS pedem a criação de sub-relatorias na Comissão. Caso sejam aprovadas, essas sub-relatorias podem reduzir a atuação do relator, deputado Luiz Sérgio (PT-RJ). PSDB e PPS também pediram a convocação do ex-gerente da Petrobras, Pedro Barusco.

Em depoimento à Polícia Federal, Barusco afirmou que começou a receber dinheiro do esquema de pagamento de propina entre 1997 e 1998, ainda durante o governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. O pedido se antecipa à intenção do PT de também pedir a convocação do ex-gerente e de aumentar o período investigado pela CPI para o mandato de FHC.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


02/03


2015

Prefeito empossa novos secretários

O prefeito Geraldo Júlio (PSB), empossou, na manhã desta segunda-feira, os novos secretários de Enfrentamento ao Crack e outras Drogas, Aline Mariano (PSDB), e Finanças, Ricardo Dantas. Na ocasião, o chefe do executivo municipal destacou o pioneirismo da secretaria de enfretamento às drogas na Prefeitura do Recife e afirmou que está animado com a chegada dos gestores. A solenidade, que contou com a presença de deputados e vereadores, foi realizada no gabinete do prefeito.

Sobre a criação da Secretaria de Enfrentamento ao Crack, o prefeito explicou que a pasta deverá ampliar e gerir programas de sucesso já implantados pela PCR, a exemplo das reformas e ampliações dos Centros de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (Caps AD) e do projeto Trampolim, que capacita jovens egressos da Funase. "Esse é um compromisso da minha gestão, de fazer ações nessa área. Eu tenho certeza que faremos um belo trabalho. Se trabalharmos com empenho e conseguirmos salvar uma só vida, já valerá todo o esforço", endossou.

Responsável pela nova pasta da PCR, a secretária Aline Mariano se mostrou entusiasmada com a missão e já divulgou os três pilares que nortearão a secretaria. “Vamos trabalhar a partir da prevenção, tratamento e ressocialização. Tudo isso com a parceria das secretarias de Saúde, Educação, Cultura, Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, Esporte e Lazer e Segurança Urbana. Esse será um dos maiores desafios da minha vida, mas que será vivido em conjunto", reforçou.

Na Secretaria de Finanças, o desafio do Recife, e de todos os municípios, é o ajuste fiscal. Ricardo Dantas, que foi empossado hoje no lugar de Roberto Pandolfi, explicou que a capacidade técnica, a metodologia e a liderança são fundamentais para o sucesso do trabalho. "Temos uma grande missão, não só pela responsabilidade de quem estou sucedendo, mas pelo cenário adverso da economia. Nossa meta é continuar crescendo as receitas municipais acima das transferências constitucionais e fazer isso sem aumentar a carga tributária", reiterou. 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se