23/05


2015

Histórias de repórter (12)

Na época em que assumi a função de secretário de Imprensa do governador Joaquim Francisco o estresse era parte da nossa rotina.Logo nos três primeiros meses de Governo, Joaquim fechou mais de 70 agências do Bandepe e 50 postos pelo Interior, demitindo mais de três mil servidores. Em seguida, surgiu o cólera. O pandemônio foi tamanho que até a praia de Boa Viagem foi interditada para banho.

De crise em crise, as tensões foram nos deixando com os nervos à flor da pele. Certa vez, passamos quase uma semana viajando, entre Brasilia, Rio e São Paulo.Joaquim, que é hipocondríaco e tem mania de ler bula de remédio, andava com um aparelhinho de medir a pressão. E danava-se a conferir a pressão dos seus auxiliares a 10 mil pés de altitude.

 No trecho entre São Paulo e Rio, ele, enfim, me pegou de cobaia. Mediu a primeira vez e achou alta: 13 por 10. Olhou para mim dentro do avião, com aquele jeito de fazer medo as pessoas, e cravou:

 "Olha, Magno, você está na zona de risco! Sua pressão está alta, é melhor se cuidar!

Fiquei com aquilo na cabeça, descemos no Rio, cumprimos uma parte da agenda e fomos almoçar em Copacabana. E a frase do governador, que adorava fazer medo as pessoas, não me saía da cabeça. De repente, fui ficando tonto, mas não contei a ninguém do grupo.

No restaurante, Joaquim olhou para mim e disse: "Magno, você não está bem, está pálido! Foi o estopim para na primeira garfada ter um chilique e ser levado às pressas para um hospital.  Na emergência, depois dos exames, o diagnóstico: você está estressado e ficou sugestionado com alguma coisa, disse o médico.

Olhei para o governador, que me acompanhava, e desabafei:

"Foi o teu tensiômetro, Joaquim. Nunca mais o governador quis saber de conferir a pressão de mais ninguém em voo, nem mesmo a dele, que é hipertenso.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Prefeitura de Petrolina

23/05


2015

Coluna do sabadão

Marcha fora do Congresso

Diferentemente das marchas passadas, concentradas na Praça dos Três Poderes, entre o Congresso e o Palácio do Planalto, a 18ª dos prefeitos em Brasília, a partir da próxima terça-feira, não terá nenhuma atividade com foco concentrado nem no Salão verde da Câmara dos Deputados, nem no Salão Negro do Senado.

Toda a programação será materializada no Centro de Convenções, com painéis sobre as temáticas que mais angustiam os municípios num momento em que a crise nacional se agrava, em razão do escândalo da operação Lava Jato. Prefeitos estão apreensivos sobretudo com os estragos na economia e as demissões de trabalhadores. Só Pernambuco perdeu 40 mil postos de trabalho em um ano.

O ponto central da discussão será o Pacto Federativo, pauta do encontro dos governadores com o Congresso, quarta-feira passada. O presidente do Senado, Renan Calheiros, e o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, já confirmaram presença no debate sobre o tema, marcado para a manhã de quarta-feira.

A programação inclui, ainda, propostas de apoio ao desenvolvimento municipal, financiamento da Educação e um Plano Municipal de Educação, reinserção social do usuário de drogas, a crise hídrica e seus impactos na gestão municipal, além da questão dos resíduos sólidos, mobilidade e planejamento urbano.

Ainda não é certa a presença da presidente Dilma na sessão de abertura, que acontece às nove horas da manhã, no Centro de Convenções. Na última marcha, prefeitos ensaiaram uma vaia, criando um clima de constrangimento. Temendo manifestações e hostilidades, principalmente por prefeitos de oposição, é bem provável que Dilma prefira receber uma comissão em Palácio.

“Nosso evento principal versa sobre o pacto federativo”, diz Paulo Ziulkoski, presidente da Confederação Nacional dos Municípios, adiantando que o fato do presidente do Senado ter reunido os governadores em reunião sobre a temática favorece bastante o aprofundamento da discussão, desta feita com os prefeitos.

SEM ILUSÃO– Falando, ontem, num evento promovido pela revista Carta Capital, em São Paulo, o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, disse que o Governo tem uma estratégia para que o País volte gradativamente a crescer. Ele destacou que por causa da complexidade da economia brasileira não é possível retomar o crescimento de imediato. "Não vamos ter ilusões sobre isso", assinalou. Barbosa está com os pés no chão.

Burilando as memórias – Com 40 anos de vida pública, com 10 mandatos no Congresso, num deles presidente da Câmara e presidente interino da República, o ex-deputado Inocêncio Oliveira já está debruçado num livro de memórias. Viveu os momentos mais importantes do País, do regime de exceção ao processo de abertura e redemocratização. Tem muito o que contar!

No vermelho– Uma semana após a presidente Dilma pôr os pés por lá para entregar um navio e batizar outro, o Estaleiro Atlântico Sul (EAS), localizado no Complexo Industrial e Portuário de Suape, registrou prejuízos da ordem de R$ 329,6 milhões em 2014. O resultado é o dobro do prejuízo registrado no exercício anterior que foi de R$ 149,6 milhões.

Jogo sujo– Mendonça Filho acha que a decisão da presidente Dilma em manter sob sigilo as operações de crédito do BNDES tem como objetivo "esconder as operações envolvendo governos amigos e autoritários, como Cuba". A crítica do democrata se deve ao veto presidencial de parte da Medida provisória 661, que previa a quebra dos sigilos nas operações do banco, além de assegurar crédito de R$ 30 bilhões à instituição.

Quebra de acordo – O secretário de Administração, Milton Coelho, diz que o Governo consumiu oito reuniões para fechar uma proposta conjunta com o Sindicato dos Professores e implantar três promoções até dezembro. Na assembleia, entretanto, o Sintepe quebrou o acordo e por isso que o Governo decidiu suspender tudo que havia acertado, adotando a política de implantação dos descontos dos dias parados em abril ao longo da greve.

CURTAS

COICES 1– Sob a justificativa de que recebeu convite e uma convocação do prefeito José Queiroz, o vice-governador João Lyra Neto foi, ontem, prestigiar o parque Drayton Nejaim entregue pelo prefeito, que dois dias antes o acusou de o tratar dando coices políticos.

COICES 2- – Na verdade, nem mesmo os próprios aliados de Queiroz entenderam a razão dele homenagear Drayton Nejaim, que o odiava. Ex-prefeito, Drayton chegou a mandar dar um tiro em Queiroz nos anos 80. A bala acabou alojada na perna de Rui Lira, um bancário e eleitor fiel do atual prefeito.

Perguntar não ofende: O que passa na reforma política que será votada segunda na Comissão Especial?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Comentários

Nehemias Fernandes Jaques

Aécio 2010: Lula é um fenômeno! Veja o vídeo, você vai se emocionar: https://www.youtube.com/watch?t=14&v=g2vMSBBzbRY

Nehemias Fernandes Jaques

Justiça condena Richa a devolver R$ 2 milhões por contrato ilegal. O número 2 parece perseguir o governador Beto Richa (PSDB). Primeiro veio a denúncia de R$ 2 milhões de propina, via Receita Estadual, para a sua reeleição. Depois contra a primeira-dama, Fernanda Richa, que também teria pedido R$ 2 milhões para promover auditores fiscais. Agora, cabalisticamente, surge novamente o número. O juiz Guilherme de Paula Rezende, da 4.ª Vara da Fazenda Pública de Curitiba, condenou dia (21) o governador a devolver R$ 2.082.150 ( dois milhões, oitenta e dois mil e cento e cinquenta reais) aos cofres públicos. Além do tucano, foram condenados solidariamente a empresa Helisul Táxi Aéreo Ltda e o chefe da Casa Militar, Adilson Castilho Casitas. A bronca tem a ver com o contrato de aeronaves em regime de emergência, sem licitação no ano de 2011.

Nehemias Fernandes Jaques

AÉCIO LANÇA O “IMPEACHMENT LIGHT” PARA TENTAR NÃO PERDER APOIO DOS PANELEIROS. José Roberto de Toledo – colunista do Estadão e (bom) analista de pesquisas do jornal - escreve hoje ótimo artigo em que, ao avalisar o programa de TV do PSDB, onde, segundo ele “o PSDB foi à TV se afirmar como oposição ao PT. Como contraponto ao PT. Como o anti­PT. É a prioridade de seu presidente, Aécio Neves, que imagina um novo embate das duas siglas na sucessão de Dilma Rousseff em 2018, com ele à frente do time tucano”. E diz que há a razão ” é que, após as eleições do ano passado, o PSDB perdeu a primazia da oposição, seja na opinião pública, seja no Congresso. Nas ruas, movimentos há poucos meses desconhecidos assumiram a frente dos protestos contra Dilma, enquanto líderes tucanos assistiam da janela. Correm atrás do tempo perdido.

Nehemias Fernandes Jaques

MP apura se mulher de Richa exigiu dinheiro para promover auditores. Conforme denúncia, Fernanda Richa pediu R$ 2 mi em troca de promoções. Decreto de elevação de cargo dos auditores foi publicado no Diário Oficial. Veja o vídeo, você vai se emocionar: http://g1.globo.com/pr/parana/noticia/2015/05/mulher-de-richa-teria-exigido-dinheiro-para-promover-auditores-afirma-mp.html

Nehemias Fernandes Jaques

PREFEITO TUCANO DO INTERIOR DE SP TEM SALÁRIO MAIOR QUE O DA PRESIDENTA DILMA. O prefeito José Alberto Gimenez (PSDB) passará a receber mais do que a presidente Dilma Rousseff (PT). A partir de 1º de junho, Gimenez terá salário de R$ 30.988, enquanto Dilma recebe R$ 30.934. O reajuste salarial de 7,6% foi concedido aos servidores municipais de Sertãozinho, no interior de São Paulo. José Alberto recebia R$ 28,8 mil, mais do que o governador Geraldo Alckmin (PSDB).



23/05


2015

Fusão PTB e DEM trava, e dificilmente sairá

Depois de longas reuniões ao longo da semana, mesmo os maiores entusiastas da fusão do DEM e do PTB passaram a avaliar que são remotas as chances de ela se concretizar.

O PTB não aceita cláusula pedida pelo DEM de que as decisões do novo partido sejam aprovadas por 3/5 dos diretórios.

Já os petistas relatam divergências entre os diretórios paulista e nacional sobre a decisão de pedir na Justiça o mandato de Marta Suplicy, que deixou a sigla.

Apesar do anúncio da ação, feito pelo diretório estadual, o presidente nacional petista Rui Falcão não tem demonstrado estar 100% convicto de que essa é a melhor decisão.

O argumento usado por Falcão é o de que há risco de a estratégia não ser vitoriosa e ainda gerar novo desgaste de imagem para o partido no Estado em que amarga sua pior situação.  (Vera Magalhães - Folha de S.Paulo)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


23/05


2015

Centrais desconfiam do Cavalo de Troia chinês

Sindicalistas vão pedir ao Ministério do Trabalho detalhes sobre as condições negociadas para a vinda de mão de obra chinesa ao Brasil. “Esse negócio da China não pode virar um cavalo de Troia”, diz Miguel Torres, da Força Sindical,revela Vera Magalhães, hoje na Folha de S.Paulo.

Para o colunista Leandro Mazzini, o tempo revelará que os bilionários chineses vieram investir com a certeza de que a lei de regulamentação da Terceirização vai ser aprovada no País. As empresas chinesas são os que mais empregam assim no Brasil.

Os chineses da State Grid, -- diz o colunista -- consórcio que controla a obra, querem trazer para o País 5 mil compatriotas para a construção das linhas de transmissão da usina de Belo Monte – que está atrasada em mais de 12 meses. A State é sócia majoritária de Furnas e Eletronorte na obra.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Onodera Estética

23/05


2015

Lula a Dilma: empresários inseguros com ajuste

Lula relatou nesta sexta-feira a Dilma Rousseff e ministros do núcleo político que tem recebido em seu instituto empresários inseguros quanto aos efeitos do ajuste fiscal e à estratégia para retomar o crescimento. Representantes do PIB disseram ao ex-presidente que, além disso, a instabilidade política gera dúvida sobre a aprovação no Congresso de medidas com impacto na economia e que há incerteza até sobre a disposição da presidente de sancionar ou vetar pontos desses projetos.  A informação é de Vera Magalhães, na Folha de S.Paulo deste sábado.

Segundo ainda a colunista, passado o anúncio do bloqueio no Orçamento, Lula e Dilma definiram que é preciso afinar o discurso do ajuste e divulgar a versão de que, mesmo com os cortes, o governo tem investimentos mais robustos que os dos governos pré-PT.

Na reunião, Lula voltou a alertar que o governo corre grande risco de dinamitar sua relação com as centrais sindicais ao se posicionar contra a emenda que flexibiliza as aposentadorias, aprovada na Câmara.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Vila Festa

23/05


2015

Toma lá, dá cá: shopping de R$ 1 bilhão de Cunha

Os deputados investigados na Lava-Jato por suspeita de ter relações espúrias com as empreiteiras votaram unidos anteontem ao dar o aval ao projeto de construção de um shopping center na Câmara – promessa de campanha de Eduardo Cunha que ele agora tenta tirar do papel. Ainformação é de Lauro Jardim, na Veja Online.

A PPP para a construção do shopping é a galinha dos ovos de ouro dentre as obras à espera das construtoras em Brasília.

Votaram com Cunha os notórios Aguinaldo Ribeiro, Aníbal Gomes, Arthur Lira, Dilceu Sperafico, Eduardo da Fonte, Jerônimo Goergen, José Mentor, José Otávio Germano, Lázaro Botelho, Luiz Fernando Faria, Missionário José Olímpio, Nelson Meurer, Renato Molling, Roberto Balestra, Roberto Britto, Sandes Júnior, Simão Sessim, Vander Loubet e Waldir Maranhão


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


23/05


2015

Migração haitiana tão grave quanto a europeia

Renato Riella (Blog)

A entrada clandestina de haitianos no Brasil é tão intensa e tão grave quanto a migração ilegal de africanos e asiáticos para a Europa. A diferença é que no nosso continente a migração não tem aquelas travessias marítimas onde morrem milhares de pessoas.

Agora, o governo brasileiro anuncia que pretende combater com mais rigor este fenômeno social.

Além de tomar medidas internas no que diz respeito à segurança e à fronteira, o intuito é negociar com países vizinhos para que haja um enfrentamento mais drástico às organizações criminosas que atuam no transporte dos haitianos para o Brasil.

Nos próximos dias, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, vai visitar o Peru, Equador e a Bolívia, com o objetivo de construir soluções conjuntas para evitar que a migração ocorra de forma ilegal.

Segundo ele, os chamados “coiotes” – pessoas que prestam serviço de atravessar fronteiras ilegalmente – “colocam os haitianos no Brasil de forma ilegal, trazendo sofrimentos e riscos” a eles.

Depois de se reunir com o ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, e com o governador do Acre, Tião Viana, no Palácio do Planalto, Cardozo falou em um “enfrentamento duro” aos criminosos, mas o governo não tem ainda “a medida certa para enfrentar” o problema.

Há a necessidade de melhorar a coordenação para que os demais estados, além do Acre, passem a acolher os haitianos de “forma harmoniosa”.

De acordo com Tião Viana, a imigração ilegal já gerou um gasto de R$ 25 milhões, soma dos últimos quatro anos, dos quais R$ 11 milhões foram gastos pelo governo do Acre e R$ 10 milhões pelo governo federal.

Para Cardozo, os haitianos são as vítimas e não os vilões desse processo, que envolve inclusive a cobrança de altos custos para a travessia.

“Eles poderiam pagar passagem aérea com o que pagam com os coiotes”, disse o ministro.

O governador do Acre concorda que a “grande solução está no Haiti”, com campanhas que estimulem a migração legal dos haitianos para o Brasil.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Naipes Consultoria

23/05


2015

Ciro diz que Brasília é dominada por bandidos

SOBRE O CONGRESSO: "LADRÕES CONVOCANDO CPIS E BANDIDOS ACUSANDO GENTE SÉRIA DE SER BANDIDO"

Atual presidente da Transnordestina, o ex-ministro da Integração Nacional Ciro Gomes fez duras críticas à política brasileira durante uma participação em evento da revista Carta Capital, em São Paulo. "Brasília está dominada por uma coalizão de gatunos e incompetentes", disse ele ao comentar seu afastamento das disputas eleitorais.

Gomes poupou a presidente Dilma Rousseff de críticas e afirmou que a petista é "uma exceção, porque é honrada e tem espírito público". Já sobre o Congresso, afirmou que há nele "ladrões convocando CPIs e bandidos acusando gente séria de ser bandido", declaração que arrancou aplausos da plateia.

O ex-ministro ainda comentou seu novo momento, de atuação como executivo na Transamazônica, subsidiária da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN). "Agora pertenço ao mundo empresarial, mas eu nunca me supus um porco capitalista", satirizou. Ele definiu este momento em sua carreira como um "detox". "Vou dar uma folga aos eleitores, fazer um detox da política e quem sabe não volte mais", disse.

Durante um painel sobre as exportações no Brasil, Gomes criticou a falta de planejamento. "O Brasil não tem agenda", disse. "No Ceará, qualquer bodega tem um projeto, mas o Brasil não tem projeto", declarou. Ele ainda criticou os atuais níveis da taxa de juros básica do Brasil. "A rentabilidade dos papeis do governo é mais alta que a rentabilidade média dos negócios e é por isso que os investimentos no Brasil estão parados", disse. "Alguém fure meu olho com uma razão técnica para a taxa de juros ser dessa altura, não há razão", contestou.(AE)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Biologicus

23/05


2015

Não haverá reforma

Carlos Chagas

Como previsto há meses, dará em nada essa nova tentativa de realização da reforma política. Tanto faz se o presidente da Câmara transferiu da Comissão Especial para o plenário a votação a respeito das propostas. Nenhuma delas de importância fundamental obterá, nesta semana, a maioria necessária para tornar-se lei.

Os interesses são tão conflitantes, nas bancadas e isoladamente, que sempre se registrarão mais recusas do que aceitações. Discordâncias em número superior a consensos. O impasse demonstra a multiplicidade de opiniões e torna impossível qualquer aprimoramento institucional adotado pelos métodos ortodoxos, em condições normais de temperatura e pressão.

Chegamos a uma situação oposta à que aconteceu na França antes do retorno do general De Gaulle. Como não temos nenhuma colônia do tipo da Argélia para impulsionar a roda do tempo, não há sinal de inusitados e explosões capazes de gerar drásticas soluções.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Santana e Plácido

23/05


2015

Abusando do eleitor

Hélio Schwartsman – Folha de S.Paulo

Está divertida a briga do PT com o PSDB em torno do programa de TV que os tucanos veicularam nesta semana. Rui Falcão, o presidente do PT, diz que vai à Justiça contra a peça. Se entendi bem, é porque os tucanos não mencionaram que havia corrupção também quando eles estavam no poder.

Objetivamente, Falcão tem razão. Houve corrupção durante a gestão FHC. A rigor, existe corrupção até nos países nórdicos, tidos como os mais virtuosos do planeta, mas é ridículo exigir que peças publicitárias digam só verdades e não deixem de dar nenhuma informação relevante. Obviamente, o PT não seguiu as diretrizes da ética de comunicação que agora defende na campanha que reelegeu Dilma, como, aliás, mostrou com competência o programa tucano.

Deixemos, porém, as incongruências do petismo momentaneamente de lado e escarafunchemos um pouco os pecados do PSDB. Os tucanos afirmaram no programa que ser oposição não é dizer não a tudo, mas apenas ao que está errado. À luz desse brocardo, fica difícil entender por que a bancada do partido na Câmara votou em massa pelo fim do fator previdenciário. Quando ele foi introduzido, em 1999, sob o governo FHC, os tucanos insistiam que a fórmula era fundamental para assegurar a viabilidade do sistema de pensões. O que mudou? A Previdência deixou de ser deficitária? Houve um cavalo de pau demográfico que agora permite pagar mais a quem está para se aposentar? Esses esclarecimentos os tucanos ficaram devendo.

Assim como lobos e cordeiros dificilmente viverão em paz e harmonia, políticos e publicitários dificilmente dirão apenas verdades e prestarão todas as informações relevantes. É pena, mas é a vida. Só me pergunto por que seus shows de mentiras e meias verdades devem ser custeados com dinheiro público. Obrigar cidadãos a pagar por produtos que não desejam adquirir é considerado cláusula abusiva pelo Código do Consumidor.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Coluna do Blog
TV do Blog do Magno
Publicidade
Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Programa Frente a Frente
Apoiadores