FMO janeiro 2020

29/03


2020

TCU cobra comissão da Presidência sobre Wajngarten

Época - Coluna do Guilherme Amado

O ministro do TCU Vital do Rêgo deu 15 dias para a Comissão de Ética da Presidência mandar informações sobre contratos fechados pela firma do secretário de comunicação, Fábio Wajngarten, com empresas que receberam recursos do governo.

A decisão atende a um pedido do subprocurador-geral do Ministério Público junto ao TCU, Lucas Furtado.

Na representação, Furtado solicitou que a comissão encaminhe "informações sobre a avaliação da situação de possível conflito de interesses envolvendo o Sr. Fábio Wajngarten".

Wajngarten é sócio da FW Comunicação, empresa que recebeu recursos de emissoras como Record e Band e agências contratadas por ministérios e estatais do governo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Abreu e Lima

29/03


2020

Luizinho de Serra tem live de 18 h

Lives de artistas viraram uma febre pela internet depois do aprisionamento das pessoas em casa. Gustavo Lima, celebridade de hits sertanejos, reuniu 600 mil pessoas ontem com uma apresentação especial de sua mansão, em Goiânia, capital de Goiás. Hoje, o sanfoneiro Luizinho de Serra está convocando seus fãs para uma live diretamente de sua casa, no Recife. Acompanhe! Eu sou fã dele e recomendo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


29/03


2020

Vozes por trás do discurso da gripezinha de Bolsonaro

O Globo - Por Lauro Jardim

Apesar de alguns conselhos em contrário da ala militar que o rodeia, Jair Bolsonaro radicalizou o seu "discurso da gripezinha" por forte influência de um grupo muito seleto, além dos filhos, claro: taxistas, militares da reserva, policiais militares, médicos, caminhoneiros e empresários que o abastecem de opiniões e sugestões por meio de vários grupos de WhatsApp de que o presidente participa.

A cabeça de Bolsonaro é feita nestes grupos.

Entre as discussões, a que mais apavorou o capitão era a previsão de que saques e quebra-quebras poderiam pipocar no Brasil a partir de abril, resultado do desespero causado pelos efeitos econômicos do coronavírus.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Serra Talhada

29/03


2020

Mandetta só sai se for demitido

A jornalista Andréia Sadi, da Globo News, que ajudou, ontem, na entrevista que Luiz Henrique Mandetta concedeu à Globo News, a botar o ministro da Saúde contra o presidente, acabou de postar no seu Instagram que o ministro só deixa o Governo se for demitido e que vai continuar a contrariar Bolsonaro. Veja!

 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


29/03


2020

Deputados criticam passeio de Bolsonaro

Por Estadão Conteúdo

O passeio do presidente Jair Bolsonaro por Brasília, na manhã deste domingo, 29, foi alvo de críticas por parlamentares das mais diversas bancadas do Congresso Nacional. Para os deputados, a situação foi compreendida como "irresponsabilidade", "provocação a Mandetta" e até mesmo "crime de responsabilidade". A saída de Bolsonaro pelo comércio, falando com populares, aconteceu um dia depois do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, reforçar medidas de isolamento e pedir que o presidente não menosprezasse a gravidade da pandemia do novo coronavírus em suas manifestações públicas.

O deputado federal Marcelo Ramos (PL-AM) foi um dos parlamentares a classificar a atitude do presidente como "irresponsabilidade". Ramos também entendeu o "rolezinho" do presidente como uma "clara provocação" ao ministro da Saúde. "O "rolezinho" do presidente além de uma irresponsabilidade é um péssimo exemplo é uma clara provocação ao ministro Mandetta que tem sido uma voz de lucidez no governo no combate ao coronavírus. Lamentável", escreveu.

Oposição ao presidente, a bancada do PT no Congresso também se manifestou. O deputado Paulo Pimenta (PT-RS), chamou Bolsonaro de "Capitão Corona" e disse que o presidente afrontava todos os procedimentos orientados pelos organismos de saúde. Outro rque se manifestou foi o deputado federal José Guimarães (CE), que afirmou que o ato de Bolsonaro configura "crime de responsabilidade ao ameaçar a saúde pública".

Marcelo Freixo (PSOL-RJ) também se dirigiu a Bolsonaro chamando-o de "Capitão Corona". Freixo foi mais um a considerar a aparição pública do presidente como uma irresponsabilidade e lamentou o que classificou como falta de "bom senso" e "caráter".

Presidente nacional do Cidadania, o deputado federal Roberto Freire (SP) também criticou Bolsonaro. Freire compartilhou uma série de postagens que censuravam o passeio do presidente. Em uma delas, um seguidor o perguntava: "Gente, sou só eu que está vendo essa loucura? Num lado bolsonaro estimula saída as ruas - único caso no mundo - . No outro, todos pregando o isolamento social, inclusive do gov que Jair preside. Onde isso vai parar?". Em resposta, o deputado comentou: "Surreal, mas, infelizmente no Brasil, por malefício de Bolsonaro, é real".

O deputado Alexandre Frota (PSDB) disse que Bolsonaro estaria "espalhando mais o vírus" por Brasília. Marcando a conta oficial do presidente na mensagem, o deputado parabenizou-o ironicamente pela "falta de responsabilidade com o povo brasileiro."


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

O Jornal do Poder

29/03


2020

Por diferença editorial, CNN sofre primeira baixa

Por Conexão Política

A advogada Gabriela Prioli, que participava do programa ‘Grande Debate’, da CNN Brasil, anunciou neste domingo (29), pelas redes sociais, seu desligamento da emissora.

Mestre em Direito Penal, professora de pós-graduação na Universidade Presbiteriana Mackenzie e especialista em política de drogas, Prioli estreou na CNN Brasil há menos de um mês.

No primeiro dia de exibição, ela virou um dos assuntos mais comentados do Twitter ao debater com o analista político Caio Coppolla, que posteriomente foi substituído por Tomé Abduch, em razão de problemas de saúde.

Gabriela Prioli citou constrangimento como motivo para essa tomada de decisão. O clima interno na emissora mudou na última sexta-feira (27), quando ela travou uma discussão ao vivo com Reinaldo Gottino, ex-Record, apresentador do programa e umas das maiores estrelas da CNN Brasil.
 
Através da sua conta no Twitter, a advogada deu mais detalhes sobre o ocorrido e afirmou  que continuará debatendo, mas agora em suas redes sociais.

“Eu digo a vocês, de forma reiterada, para se posicionarem, serem firmes e não cederem diante de comportamentos que vocês considerem inadequados. Se agora, quando a vida demanda isso de mim, eu agisse de outra forma estaria sendo hipócrita. Em mais de uma oportunidade tive que me posicionar cobrando respeito ao meu espaço de fala. É preciso ser mais contundente. O meu compromissão é com um debate racional, prospectivo, informativo e respeitoso. Não consigo atingir o meu objetivo se for constrangida e não posso seguir participando do debate sem que a convicção sobre a gravidade do constrangimento não seja só minha, mas de todo os envolvidos, na frente e atrás das câmeras”, declarou.

E completou: “Não posso legitimar que o achismo seja equiparado ao conhecimento cientifico nem contribuir para acirrar a polarização. Seguirei, por enquanto, dividindo com vocês as minhas análises nas minhas redes e pensando em outras formas para podermos interagir e evoluir com qualidade. Nessas últimas semanas o nosso grupo cresceu e isso me traz profunda satisfação. O meu maior prazer é essa troca que tenho com vocês. Fica aqui então o meu muito obrigada”.

Até o fechamento desta matéria, a CNN Brasil ainda não havia se pronunciado sobre o pedido de demissão de Gabriela Prioli.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banner de Arcoverde

29/03


2020

Covid-19 prejudica os produtores de coco de PE

Por G1 - Petrolina

Produtores de coco estão preocupados com os prejuízos causados pela queda na procura pelo fruto em Petrolina, no Sertão de Pernambuco. Em dezembro, o coco estava sendo vendido por R$ 1 a unidade. Desde os registros dos primeiros casos de infecção pelo novo coronavírus no Brasil, o preço caiu até chegar a R$ 0,30. Com as medidas de prevenção e distanciamento social, a compra ficou ainda mais difícil.

No verão, uma microempresa de Petrolina engarrafaria cerca de 800 litros de água de coco por dia. Desde o dia 18 de março, as máquinas estão sem funcionar. Com a Covid-19, as vendas tiveram uma queda drástica. Quatro funcionários já foram afastados e estoque está cheio, são 2 mil e 500 litros do produto.

“Com relação ao estoque que a gente tem hoje, só temos uma alternativa. Primeiro, fazer uma doação, se for possível até pela questão da logística, de como transportar e chegar até as pessoas que precisam ou descartar, porque a validade nossa é de 20 dias e a gente não vê alternativa a não ser essa”, diz o microempresário, Francisco Nunes.

O produtor rural Pedro Cavalcante é um dos fornecedores da envasadora de Francisco Nunes. Ele tem 70 hectares plantados com coqueiros, mais de 19 mil plantas. Em um mês comum, colheria cerca de 250 mil cocos. Mas, os dez compradores com quem sempre fechou negócio não querem mais receber os frutos. “A venda caiu e eles não conseguiram vender os últimos cocos que pegaram para vender há oito dias. Nem pegaram, nem pagaram o que já pegou. Está tudo travado as vendas", lamenta Pedro.

Com o cancelamento de pedidos e a queda na procura, o preço do coco acabou despencando. O fim de verão é uma das épocas em que o fruto é mais consumido e mais pessoas pagam caro por ele. Mas, a pandemia de Covid-19 interrompeu os planos.

O agrônomo Pedro Ximenes tem uma área de oito hectares e meio plantados e produz cerca de 35 mil cocos por mês. A colheita precisou ser interrompida, porque os dois compradores que ele tinha suspenderam os negócios. “A expectativa do produtor de coco é esperar. Não nos resta muito. Não tem o que fazer nesse momento. É esperar que essa pandemia passe rapidamente para que consigamos vender nossas produções”, diz.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Limoeiro

29/03


2020

Raquel só decide São João em 15 dias

Na última sexta-feira, a prefeita de Caruaru, Raquel Lyra (PSDB), fez uma live pelas redes sociais para tratar especificamente sobre as cobranças da população quanto aos festejos juninos deste ano com ameaça de cancelamento por causa da expansão da praga do coronavirus. Ela disse que vai aguardar os próximos dias para tomar uma decisão mais segura.

Campina Grande já cancelou e Petrolina também. "Ela vai dar um tempo, acompanhar os desdobramentos do corona no País, especialmente em Pernambuco", revela Rubens Júnior, o secretário-forte da prefeita, que responde pela pasta de Governo acumulando com a Secretaria de Cultura. 

Campina Grande já cancelou, segundo ele, porque começa mais cedo os preparativos da festa. "Aqui, começamos um pouco mais tarde", explica Rubens. Quanto à Petrolina, o prefeito Miguel Coelho não marcou data, mas é provável  que faça o evento no início do segundo semestre.

Até o momento, Caruaru não registrou nenhuma morte pelo coronavirus. Segundo o boletim oficial da Secretaria Municipal de Saúde, só tem dois casos confirmados da Covid-19 e 19 suspeitos, além de 20 descartados.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Shopping Aragão
Coluna do Blog
TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores