Versão Agreste Setentrional

18/10


2017

Cúpula pede para Aécio deixar presidência do PSDB

Blog do Camarotti

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) recebeu um ultimato do comando do PSDB para deixar em definitivo a presidência da legenda. Hoje ele é presidente licenciado.  

O senador Antonio Anastasia (PSDB-MG), amigo pessoal de Aécio, foi encarregado de avisá-lo que a situação é insustentável.

Anastasia esteve com Aécio no final da manhã de hoje. O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), presidente em exercício do partido, convocou uma reunião com os caciques tucanos para o início da noite desta quarta. O encontro é para tratar da situação de Aécio.

Integrantes da executiva do PSDB relataram que Aécio ainda resiste em deixar o cargo em definitivo, mesmo depois das advertências recebidas nos últimos dias.

"Aécio está em modo de negação. Ainda não entendeu a gravidade do que aconteceu com ele. Se ele pensa que o placar de 44 votos favoráveis no plenário foi uma demonstração de apoio, está enganado. Pesou muito mais a sobrevivência dos próprios senadores [na mira das investigações]", disse ao Blog um integrante da executiva do partido.

A percepção no PSDB é que o partido já se expôs muito nesses últimos meses desde que Aécio apareceu na delação da JBS. Integrantes da sigla também avaliam que, se o senador tivesse ouvido antes o apelo dos colegas para deixar o comando do partido, ele estaria agora em outra situação.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Versão Sertão Central

18/10


2017

Miguel viabiliza R$ 4,3 milhões para ações em Petrolina

O prefeito Miguel Coelho viajou, ontem, à capital federal para uma série de encontros com parlamentares. A agenda em Brasília resultou na garantia de R$ 4,3 milhões para investimentos nas áreas de saúde, educação e pavimentação de ruas do município sertanejo.

Miguel reuniu-se com quatro deputados federais na passagem pelo Congresso Nacional. No encontro com os correligionários do PSB, João Fernando Coutinho, Gonzaga Patriota e Marinaldo Rosendo, foi dada a garantia de liberação de emendas parlamentares no total de R$ 1,6 milhão para reforçar a saúde municipal, educação e asfaltamento de ruas e avenidas petrolinenses.

O prefeito de Petrolina ainda se reuniu com o deputado Adalberto Cavalcanti (AVANTE), que informou sobre destinação de R$ 2,7 milhões para a construção de uma nova Unidade Básica de Saúde para a capital do São Francisco e pavimentação de vias.

“Nesse tempo de dificuldade para arrecadação nos municípios, a parceria com os deputados é fundamental para a Prefeitura. O apoio de Adalberto, Gonzaga, Marinaldo e João Fernando será fundamental para permitir que nossa cidade continue se desenvolvendo com saúde pública de qualidade e infraestrutura”, comemorou o prefeito após os encontros na Câmara Federal.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Versão Agreste Central

18/10


2017

Tornar Lula inelegível custa cada vez mais, diz cientista

O Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas promove a terceira edição do “Seminários IPESPE” no dia 31 de outubro, das 14h30 às 16h, no auditório do Empresarial Cervantes (Praça Dr. Fernando Figueira, 30, Ilha do Leite – Recife/PE). O tema do debate, que será aberto ao público, é “Eleições 2018: um ano à frente”. Com palestras do doutor em Ciência Política (IUPERJ) Antonio Lavareda, o debate ficará a cargo de Juliano Domingues, também doutor em Ciência Política (UFPE) e jornalista, com quem trazemos uma entrevista exclusiva:

- A saída da crise vai estar no resultado das Eleições 2018?

A saída de uma crise de proporções como a que o País tem enfrentado costuma depender de vários fatores. As eleições podem ser uma variável importante, pois possuem o potencial de garantir legitimidade ao processo de escolha de governantes por meio do voto direto. Isso não é algo desprezível, sobretudo no contexto atual. O País vive uma espécie de ressaca política, provocada, em grande medida, pelo atribulado processo de queda da ex-presidente Dilma e pelos sucessivos escândalos envolvendo o governo Temer. Os baixos índices de aprovação sugerem esse aspecto. O processo eleitoral pode contribuir para, ao menos, reforçar a percepção, por parte do eleitorado, de um governo com maior legitimidade, embora não haja garantia quanto a isso.

- Qual a sua expectativa para 2018? Quem pode despontar no cenário presidencial?

Costuma-se afirmar que as eleições se dão, predominantemente, ou em torno de agenda ou em torno de nomes. Dois nomes surgem como potencialmente relevantes: Lula e Bolsonaro. Entretanto, a candidatura de ambos apresenta ressalvas importantes. O primeiro corre grande risco de se tornar inelegível ou de ver sua candidatura judicializada ad infinitum. Já o segundo, sobretudo por conta de seus posicionamentos radicais, possui um teto limitado em termos de competitividade eleitoral. Nesse sentido, parece ser possível afirmar que, a princípio, as eleições 2018 devem girar em torno, principalmente, de uma agenda dominada por três pontos: a necessidade de retomada do crescimento econômico, o combate ao desemprego e o ajuste fiscal.

- Como vai se comportar o presidente Lula até lá? Ele consegue ser candidato?

Até lá, Lula deve se comportar como já vem se comportando: como candidatíssimo. Afinal, ele não tem outra escolha. Trata-se de uma questão de sobrevivência política. No âmbito do judiciário, há evidências suficientes para perceber o quanto ele leva desvantagem. Sua saída será recorrer à dimensão política da disputa. Quanto mais consolidado o seu papel de candidato, maior será o custo da sua inelegibilidade do ponto de vista político. A divulgação de pesquisas de intenção de voto em que ele aparece como favorito em todos os cenários e sua caravana pelo País contribuem para o aumento desse custo. O preço de tornar Lula inelegível tem se tornado cada vez mais alto.

- O senhor acha que se fosse o Parlamentarismo no Brasil o sistema vigente teria sido mais fácil enfrentar essa crise política?

Se fôssemos britânicos, sim. Mas como não é esse o caso, é difícil especular. Isso porque o parlamentarismo está associado a outras características institucionais que não estão presentes na nossa cultura política. O grau de incerteza quanto ao que poderia acontecer é enorme. Talvez, ao contrário, trouxesse mais instabilidade ao sistema político. Não há como saber. 

- Como avalia as medidas sancionadas pelo presidente em criar o fundo eleitoral e o estabelecimento de teto para os gastos de campanhas?

A criação do fundo pode ser interpretada como uma solução estratégica e necessária em um cenário de escassez de recursos. Algo, portanto, esperado se levarmos em conta a racionalidade que move nossos parlamentares, sobretudo em relação ao instinto de auto-preservação presente no Congresso Nacional. Quanto ao teto para gastos de campanha, trata-se, em tese, de uma medida saudável para se evitar que o abuso do poder econômico provoque disfunções em termos de representação política. Entretanto, tem tudo para se tornar mais uma peça de ficção. Isso porque o estabelecimento de normas, por si só, não é algo suficiente para mudar comportamentos.

- O que o senhor vai trazer no seminário dia 31, no IPESPE?

Enquanto debatedor, minha função será, fundamentalmente, sugerir questões a partir da fala do professor Antonio Lavareda. Como cientista político, em meio a um público tão qualificado como costuma ser o do IPESPE, participar do seminário será um privilégio, um momento de diálogo muito rico em termos de análise de conjuntura.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Versão Sertão do Pajeú

18/10


2017

Em Brasília, Meira busca recursos para Camaragibe

O prefeito de Camaragibe, Demóstenes Meira (PTB), o seu o chefe de gabinete, Miguel Campello, e o secretário de governo, Gustavo Matos, participaram, em Brasília, de uma série de reuniões para buscar recursos para o município.

Hoje pela manhã, o grupo participou de reunião com o ministro da educação, Mendonça Filho, para apresentação de projetos voltados para reforma das escolas, construção de creches e transporte escolar.

Além do encontro com o ministro, houve visita à Confederação Nacional de Municípios (CNM), e aos deputados Cadoca, Betinho Gomes, Wolney Queiroz e Marinaldo Rosendo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


18/10


2017

Dilma reitera pedido ao STF para anular impeachment

Do G1

A ex-presidente Dilma Rousseff reiterou um pedido apresentado no ano passado ao Supremo Tribunal Federal (STF) para anular o processo de impeachment e devolver a ela o mandato.

Na nova manifestação, a defesa cita depoimento no qual o doleiro Lúcio Funaro disse que repassou R$ 1 milhão ao ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) para que ele comprasse votos favoráveis à destituição da petista.

O depoimento, prestado em delação premiada, veio à tona na semana passada e nele, Funaro, operador de propinas de Cunha, disse que o ex-deputado lhe pediu dinheiro em 2016 para repassar a deputados, sendo um deles Aníbal Gomes (PMDB-CE), ligado ao então presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).

"Ele me pergunta se eu tinha disponibilidade de dinheiro, que ele pudesse ter algum recurso disponível pra comprar algum voto ali favorável ao impeachment da Dilma. E eu falei que ele podia contar com até R$ 1 milhão e que eu liquidaria isso pra ele em até duas semanas, no máximo", disse Funaro no depoimento.

"Um dos deputados que ele [Cunha] comprou e pagou antecipado, pelo que ele me disse, foi o Aníbal Gomes. E disse que tinha pago R$ 200 mil pro Aníbal Gomes votar favorável ao impeachment da Dilma", complementou.

O novo pedido alega que o depoimento de Funaro confirma que o processo de impeachment foi iniciado por Cunha com “desvio de poder”.

O ex-deputado teria acolhido a denúncia contra a ex-presidente por “vingança” por não ter obtido votos do PT para se livrar de um processo de cassação do mandato no Conselho de Ética da Câmara.

“Pela narrativa do colaborador houve pagamento de votos para que a sra. presidenta da República viesse a perder o seu mandato. O resultado do impeachment foi, portanto, obtido, com o pagamento ilício e imoral de parlamentares. É o que basta para a confirmação, também por esta via, da ocorrência do desvio de poder que invalida inteiramente este processo imoral de destituição presidencial”, afirma a defesa de Dilma.

A ação está sob análise do ministro Alexandre de Moraes, que tomou posse no STF no início deste ano, indicado pelo presidente Michel Temer, sucessor de Dilma. A defesa da ex-presidente quer que a ação seja levada para julgamento no plenário da Corte “em caráter de urgência”.

Em setembro, a Procuradoria Geral da República (PGR) se manifestou no processo contra a anulação do impeachment. “O impeachment é processo político e foi autorizado e conduzido com base em motivação idônea e suficiente, não havendo falar em ausência de justa causa”, diz o parecer, assinado pelo então procurador-geral da República, Rodrigo Janot.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura do Ipojuca

18/10


2017

Lei amplia oferta de vagas do Proupe

A partir do próximo ano, 60% das bolsas concedidas pelo Programa Universidade para Todos em Pernambuco (Proupe) serão destinadas às áreas de Ciências, Tecnologia, Engenharias, Matemática e Computação (STEM+C). A medida foi oficializada hoje, com a alteração da Lei Estadual nº 14.430, de 30 de setembro de 2011, sancionada pelo governador Paulo Câmara, em solenidade no Palácio do Campo das Princesas. A mudança prevê ainda que, a partir de 2020, a oferta dessas vagas aumente para 70%. Além disso, um novo edital será lançado no próximo mês de novembro com expectativa de oferta de 1.200 novas bolsas. Criado há seis anos, o Proupe concede bolsas de estudo para alunos do Ensino Superior em autarquias municipais sem fins lucrativos.

“Com esse ato, a gente avança com relação à formação dos nossos alunos. Nós vamos priorizar mais a área de Exatas e dar a oportunidade também de ter uma reserva de vagas para os alunos com deficiência. E isso é uma inovação da Lei. Estamos reajustando o valor das bolsas, ou seja, entre 11% e 20% de reajuste, dependendo da faixa. Então, esse programa busca isso:  juntar a necessidade de fortalecer as autarquias municipais com a nossa necessidade de formar cada vez melhores alunos para os desafios de ter um curso superior de qualidade e poder contribuir com o seu aprendizado, na formação de estudantes cada vez mais preparados em Pernambuco”, ressaltou Paulo Câmara.

O chefe do Executivo estadual anunciou, ainda, o lançamento de um novo edital em novembro. “Infelizmente, em 2016 e 2017, nós não conseguimos abrir vagas novas diante desse cenário econômico difícil, mas agora vamos abrir um novo edital. Estamos reformulando o programa, e eu acredito que isso fortalece muito as autarquias. Nós já estamos com 40% do quadro dessas autarquias com mestres e doutores. E isso mostra também o avanço que o programa tem possibilitado. Ao mesmo tempo, estamos conectados com os anseios do Estado”, salientou. Neste ano, estão sendo investidos R$ 9,7 milhões no programa pelo Governo de Pernambuco.

Visando estimular o desenvolvimento de novos talentos em áreas de importância estratégica para as economias criativa e digital, a nova Lei irá promover o aperfeiçoamento das competências técnicas e profissionais, de nível superior, nas áreas prioritárias (STEM+C). A reformulação do programa baseia-se na necessidade de preparar os pernambucanos para as transformações globais, assegurando condições para uma economia e sociedade digitais aptas a elevar a qualidade de vida e garantir o desenvolvimento econômico das gerações. A revisão do Proupe está prevista por lei, a cada cinco anos, contando com a participação de todos os atores envolvidos.

Além de priorizar os cursos das áreas STEM+C, a nova Lei do Proupe propõe estabelecer critérios acadêmicos efetivos para a seleção de alunos, com a nota mínima de 450 pontos no ENEM, e determinar critérios acadêmicos para vinculação e permanência das Autarquias Municipais de Ensino Superior no programa (mínimo de 33% de mestres e doutores), como explica a secretária estadual de Ciência, Tecnologia e Informação, Lúcia Melo. “Nós vamos introduzir um elemento importante, que é o Enem, e que hoje já é algo consolidado, é o cartão principal, um passo importante para qualquer um entrar em uma instituição de Ensino Superior”, disse.

Ao criar limites para a dependência das Autarquias dos recursos estaduais (máximo de 40% do corpo discente), o programa irá estabelecer melhores mecanismos de governança, com uma maior abrangência e presteza na entrega de dados, e responsabilizar as Instituições de Ensino Superior (IES) pelas oportunidades de retorno social para os bolsistas – com oferta de atividades -, buscando excelência na educação em Pernambuco.

“Possuímos uma estrutura já consolidada, mas precisávamos de um fortalecimento como esse para retomar o Proupe com força total. Esse programa é, para nós, uma política pública exitosa. Nós não conhecemos nenhum estudante que tenha cursado um curso superior em qualquer uma das autarquias que não tenha tido a sua vida transformada”, declarou o presidente da Associação das Instituições de Ensino Superior do Estado de Pernambuco (Assiespe), Antonio Habib.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Flamac - 2

18/10


2017

Jaboatão conclui obras de pavimentação em Piedade

A Prefeitura do Jaboatão dos Guararapes concluiu, ontem, as obras de recapeamento asfáltico de trecho da Avenida Ulisses Montarroyos e da Rua Nossa Senhora de Fátima, em Piedade. O local de interseção entre as duas vias foi completamente requalificado com serviços de drenagem, meio-fio, linha d’água e terraplanagem, além de pavimentação.

O objetivo da obra, de acordo com a Secretaria Executiva de Serviços Urbanos e Manutenção (Sesurb), é desafogar o trânsito, dividindo o fluxo com a Avenida Aniceto Varejão, na divisa com o bairro de Candeias. Além disso, o trabalho de drenagem realizado no local acabará com pontos de alagamento na Avenida Ayrton Senna.

O prefeito Anderson Ferreira acompanhou a execução dos serviços e lembrou que, apesar do momento de dificuldade econômica enfrentado pelo País, a atual gestão municipal conseguiu implementar uma política eficiente de redução de gastos. Com isso, possibilitou, entre outras coisas, que mais de 500 vias da cidade fossem contempladas com ações estruturais.

"Com a conclusão das obras na Nossa Senhora de Fátima e Ulisses Montarroyos, iremos beneficiar não apenas a população de Piedade e Candeias, mas todos que trafegam por essas duas vias e pela Ayrton Senna, que agora vai fluir com muito mais facilidade. Isso sem falar nos pontos de alagamento históricos, que serão eliminados. Estamos trabalhando exaustivamente, e com muita seriedade, para mudarmos a cidade para melhor”, disse o prefeito.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banner - Hapvida

18/10


2017

Prefeito de Igarassu articula melhorias para os municípios

O prefeito de Igarassu e segundo secretário da Associação Municipalista de Pernambuco, Mario Ricardo, está em Brasília junto com comitiva da Amupe para encontros, hoje, com a bancada federal e senadores do estado. O objetivo é articular, ao lado do presidente José Patriota e de alguns prefeitos pernambucanos, melhorias para a situação financeira dos municípios, visto que a queda do FPM vem se acentuando a cada mês e as gestões municipais não estão conseguindo fechar as contas, acarretadas pela crise do país.

A principal reivindicação dos gestores é uma solução emergencial financeira a curtíssimo prazo, para que os municípios possam arcar com os compromissos principalmente do final do ano, quando precisam pagar, entre outras contas, o 13°salário aos servidores.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

ArcoVerde

18/10


2017

A violência é da conta de todo mundo

Por Machado Freire*

As organizações sociais – que de fato têm compromisso e responsabilidade com as comunidades mais sofridas –, a classe política, principalmente os detentores de mandatos, em todos os níveis, e os entes envolvidos com as igrejas, de todos os credos (particular e principalmente as que cobram dízimos), devem se debruçar sobre os números apresentados pela Secretaria de Defesa Social – SDS, que refletem uma situação de muita gravidade diante do que vivemos hoje no Estado e no País.

Mais de 24 mil prisões em um ano, sendo 1.772 pessoas que tiraram a vida de seres humanos, e das 411 pessoas que morreram em setembro, 57% tinham relação com as drogas e outros tipos de crime.

Significa que todos os entes e entidades que nos referimos acima convivem, de certa forma, bem próximo de pessoas que vivem à margem da lei e que oferecem perigo de vida à sociedade como um todo.

O que fazer, então?

Todos devem assumir um compromisso público com a sociedade, se “envolver” (no bom sentido) e ter compromisso com toda a população.

Que todos participem de uma verdadeira “catequese” social e política com o compromisso de mudar a cabeça de muitos que se encontram à margem da sociedade, para evitar que a desgraça se generalize e que se torne insuportável.

Todos podemos contribuir para melhorar, amenizar, pelo menos, se a maioria se conscientizar que o estado somos nós, que a dor que dói no vizinho também dói em nossa família e o que é ruim para fulano também é ruim para mim.

Vamos deixar a frieza, a covardia, o desinteresse e o egoísmo de um lado e cair na real.

Vamos abrir as portas e a boa vontade solidária para todos, antes que seja tarde e todos estejamos – mais cedo que que se espera – enjaulados como presos de nós mesmos.

O Estado, claro, deve cumprir o seu compromisso constitucional!

Sejamos bem realistas!

*Jornalista


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Garanhuns Natal Luz

18/10


2017

Ministros são exonerados para voltar à Câmara

Foram publicadas no "Diário Oficial da União" de hoje as exonerações dos ministros Raul Jungmann (Defesa) e Fernando Coelho Filho (Minas e Energia). Os dois retornam temporariamente a seus mandatos na Câmara dos Deputados. A mudança pode frustrar os planos de uma ala do PSB que planejava uma manobra para conseguir indicar opositores do presidente Michel Temer à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

A CCJ pode votar nesta quarta o parecer sobre a denúncia contra o peemedebista. Jungmann e Bezerra voltarão para o ministério após a votação.

Com a ida temporária dos ministros para a Câmara, perderão os mandatos os suplentes Severino Ninho (PSB-PE) e Creuza Pereira (PSB-PE). Os dois assinaram um pedido de destituição de Tereza Cristina (PSB-MS), aliada de Temer, da liderança do partido na Casa.

A ideia era retirar a deputada e, com um novo líder no comando, fazer indicações à CCJ de deputados que votariam contra Temer. Porém, com a saída dos dois suplentes, não haverá assinaturas suficientes para que a destituição seja efetivada.

O deputado Júlio Delgado (PSB-MG), que coordena a tentativa de destituição, disse que a exoneração dos ministros é uma “manobra clara” do Palácio do Planalto, que “interferiu dentro da bancada” para impedir as mudanças na CCJ.

“Se a gente conseguisse fazer essa destituição, nós iríamos alterar dois membros que, na primeira denúncia, votaram a favor do Temer”, afirmou.

“Nós vamos tentar reverter essa atitude do governo de intromissão clara dentro do partido, no desejo de blindar o senhor Michel Temer. É uma interferência, tirando ministros para que possa alterar a votação de um parecer aqui na CCJ”, enfatizou Delgado.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


18/10


2017

A charge do dia


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Supranor 1

18/10


2017

CCJ retoma debate da denúncia contra Temer

Do G1

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara retomou, na manhã de hoje, a discussão sobre a denúncia contra o presidente Michel Temer e os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral). O parecer sobre as acusações pode ser votado ainda nesta quarta.

O debate começou ontem e, em sessão que durou mais de 12 horas, 47 deputados se pronunciaram, dos quais 35 contra o presidente e 12, a favor.

Para esta quarta estão previstos os discursos de mais nove deputados. Esse número pode mudar, já que a lista de inscrições ficará aberta até o final da discussão.

Nesta fase, a CCJ discute o parecer do relator, deputado Bonifácio Andrada (PSDB-MG), que recomenda a rejeição da denúncia da Procuradoria Geral da República por obstrução de Justiça e organização criminosa.

Passada a etapa da discussão, Bonifácio terá até 20 minutos para se pronunciar sobre o relatório. Em seguida, poderão falar os advogados de Temer, de Padilha e de Moreira.

Concluída essa etapa, os deputados da CCJ vão votar o relatório de Bonifácio de Andrada. O parecer será aprovado se receber a maioria dos votos, desde que estejam presentes à sessão, pelo menos, 34 parlamentares.

Independentemente do resultado, a palavra final sobre o prosseguimento da denúncia caberá ao plenário da Câmara. Lá, serão necessários que ao menos 342 dos 513 deputados votem a favor da denúncia para que ela tenha continuidade no poder Judiciário.

O STF só terá o direito de analisar a acusação contra o presidente se a Câmara autorizar. Caso a denúncia seja rejeitada, Temer só poderá ser processado após o término do mandato presidencial.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Mobi Brasil 4

18/10


2017

Bancada nordestina foi decisiva para salvar Aécio

Política Real

A Bancada do Nordeste foi decisiva, mais uma vez, nas grandes discussões do Congresso Nacional. O grupo no Senado foi fundamental para que o senador Aécio Neves (PSDB-MG), presidente licenciado do PSDB, voltasse a exercer seu mandato sem restrições. Dos 27 senadores nordestinos, um total de 17 senadores votaram “não” derrotando a decisão da 1ª turma do Supremo Tribunal Federal. Na prática, dos 44 votos que “salvaram” Aécio Neves, 38,63% da votação veio da bancada nordestina.

Só a bancada do estado da Bahia votou completa “sim”, a favor da aplicação das medidas cautelares contra o senador mineiro.  As bancadas do Maranhão e Paraíba votaram fechadas a favor de Aécio Neves. Três bancadas – Sergipe, Piauí e Rio Grande do Norte – votaram com a maioria dos senadores – 2 de 3 – pelo “não” contra as medidas cautelares.

Votaram a favor de Aécio Neves e por conseguinte “não” as medidas cautelares os seguintes senadores:

Alagoas

Benedito de Lira - PP

Fernando Collor - PTC              

Renan Calheiros - PMDB

Ceará

Tasso Jereissati - PSDB

Rio Grande do Norte

Garibaldi Alves Filho - PMDB

José Agripino - DEM

Paraíba

Cássio Cunha Lima - PSDB

José Maranhão - PMDB

Raimundo Lira - PMDB

Pernambuco

Fernando Bezerra Coelho - PMDB

Maranhão

Edison Lobão - PMDB

João Alberto – PMDB

Roberto Rocha - PSDB

Sergipe

Eduardo Amorim - PSDB

Maria do Carmo Alves - DEM

Piauí

Ciro Nogueira - PP

Elmano Férrer - PMDB

Votaram contra Aécio Neves, “sim” as medidas cautelares aplicadas pela 1 turma do STF:

Ceará

José Pimentel - PT

Rio Grande do Norte

Fátima Bezerra - PT

Pernambuco

Humberto Costa - PT

Sergipe

Antonio Carlos Valadares

Bahia

Lídice da Mata - PSB

Walter Pinheiro - sem partido

Otto Alencar - PSD

Piauí

Regina Sousa

O senador Armando Monteiro Neto (PTB-PE) não compareceu para votar. O senador Eunício Oliveira (PMDB-CE) presidente do Senado não vota, a não ser em caso de minerva.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

lino perrelli

Expor, por absoluta ausência de liderança, a autoridade sempre havida no STF diz que quando televisionado reverberam empáfias de conhecimentos desnecessários aos objetivos do processo... perde a pátria!


Asfaltos

18/10


2017

Crime em Inajá pode ter motivação política

As polícias de Alagoas e Pernambuco não descartam a possibilidade de crime político no caso do assassinato do jovem Clécio Ricardo, morador da cidade de Inajá, no Sertão pernambucano. Os três suspeitos, presos ontem numa ação conjunta entre policiais dos dois estados, pertencem a famílias com tradição política.

Paulo Ricardo de Jesus Junior é filho de um ex-vereador e atual secretário municipal de Inajá, Hudson de Serafim é neto da atual vice-prefeita, Maria de Serafim e Juliano de Diniz é filho do ex-vereador Diniz. Um quarto suspeito, conhecido como Evandrinho, conseguiu escapar e é considerado foragido da Justiça.

Inajá está situada no sertão do Moxotó e é conhecida pela polarização na política. Os três suspeitos estão em prisão preventiva. O corpo de Clécio foi encontrado dia 21 de setembro na cidade alagoana de Mata Grande. O crime chocou os moradores da região pela brutalidade com que foi cometido. A vítima foi espancada até a morte, com socos, pontapés, golpes de marreta e pedras.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

bm4 Marketing 4

18/10


2017

Curso de Padronização da Guarda Municipal forma turma

Na manhã de hoje, o Forte das Cinco Pontas vai sediar a formatura da primeira turma do Curso de Padronização Operacional da Guarda Municipal do Recife. O prefeito Geraldo Julio prestigia o evento que formaliza a formação dos 50 guardas do Grupamento Tático Operacional (GTO) e das Rondas de Apoio ao Cidadão (Rondac). Eles passaram por um treinamento de 190 horas aulas durante um mês. O curso capacitou os agentes para agir dentro dos parâmetros legais, melhorar a utilização de equipamentos, otimizando a capacidade operacional da Guarda.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


18/10


2017

Paulo sanciona lei que requalifica o Proupe

O governador Paulo Câmara sancionará, hoje, no Palácio do Campo das Princesas, a Lei que requalifica o Programa Universidade para Todos em Pernambuco (Proupe). O intuito é aperfeiçoar as competências técnicas e profissionais, de nível superior, nas áreas de Ciências, Tecnologia, Engenharias, Matemática e Computação (STEM+C).

O Proupe concede bolsas de estudo para alunos do Ensino Superior em autarquias municipais sem fins lucrativos. A medida busca iniciar uma nova etapa do programa, com foco no reforço da formação qualificada de recursos humanos e no desenvolvimento de novos talentos em áreas de importância estratégica para as economias criativa e digital.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


18/10


2017

Coluna da quarta-feira

 Corporativismo ou zelo à Constituição?

Após a decisão do Senado de derrubar o afastamento de Aécio Neves (PSDB-MG) do mandato, parlamentares que fazem oposição ao senador tucano falaram em "corporativismo" e criticaram a votação. Aliados de Aécio, por outro lado, falaram em respeito à Constituição e negaram que a decisão signifique impunidade. Por 44 votos a 26, o plenário do Senado derrubou a decisão da Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) e, com isso, Aécio poderá retomar as atividades parlamentares.

O tucano foi afastado por pedido da Procuradoria Geral da República (PGR), que denunciou o senador com base nas delações de executivos do grupo J&F, que controla a JBS. O senador Álvaro Dias (PR-Pode) foi um dos que classificaram como corporativista a decisão do plenário. "O corporativismo instalado estabelece como regra a defesa de seus integrantes e não a defesa de sua instituição. Estamos na contramão do desejo da sociedade brasileira", defendeu.

Humberto Costa (PT-PE) disse que a decisão só retirou o afastamento porque se tratava de Aécio. "Caso fosse alguém do PT estaria cassado”, declarou. "O senado abriu mão de fazer justiça e cada um vai ter que pagar pelo seu voto", acrescentou. Os senadores tucanos, no entanto, disseram que o Senado apenas respeitou a Constituição e que o processo contra Aécio deverá continuar no Supremo Tribunal Federal, por isso, não há impunidade.

Para o senador Ataídes Oliveira (PSDB-TO), a derrubada da decisão do Supremo “de forma alguma” representa impunidade. “O senador Aécio Neves agora terá o direito ao contraditório e à ampla defesa. O processo contra ele continua. O que o Senado fez foi obedecer ao que determina a Constituição”, afirmou.

Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) defendeu que é preciso ter "prudência" no andamento da Constituição e da democracia brasileira e que isso não pode ser "confundido" com impunidade. "O Senado apenas entendeu que não caberia as medidas cautelares", disse. Logo após a decisão, a nome de Aécio voltou a constar na lista de senadores em exercício. Segundo o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE) a decisão agora será encaminhada ao STF. "O plenário é soberano, é uma decisão às claras, e não tenho o que fazer além de respeitar e encaminhar", declarou.

TEMER CORDENOU– A operação que salvou Aécio Neves no Senado, ontem, foi coordenada pessoalmente pelo presidente Michel Temer (PMDB). Desde a semana passada, Temer havia entrado em campo para garantir que Aécio não fosse afastado do mandato. A interlocução de Temer foi com os comandos dos PMDB e do PSDB, além de pedir ajuda ao presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE). Segundo o blog apurou, Temer pediu por Aécio Neves a Eunício durante conversa na noite da última segunda-feira. Temer procurou o presidente do Senado na véspera da votação. Eunício, oficialmente, negou que Aécio tenha sido assunto da conversa. Mas fontes relataram que o caso do senador tucano foi um dos temas da conversa.

Fernando a favor, Humberto contra– Dos três senadores de Pernambuco, um votou a favor de Aécio Neves – o peemedebista Fernando Bezerra Coelho – outro, Humberto Costa (PT), votou e trabalhou contra o tucano e o terceiro, Armando Monteiro Neto (PTB), não participou da votação por se encontrar em viagem oficial aos Emirados Árabes representando o Senado juntamente com o senador Cristovam Buarque (PPS-DF). Dos 81 senadores que integram a Casa, nove não compareceram à sessão e dois não votaram – Eunício Oliveira (PMDB-CE), na condição de presidente, e Aécio Neves (PSDB-MG), afastado.

Paparico aos socialistas– Em meio à crise com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o presidente Michel Temer fez, ontem, uma nova ofensiva em relação a deputados do PSB. Pela manhã, recebeu a líder do PSB na Câmara, Tereza Cristina (MS), e o deputado Fabio Garcia (MT), cujos processos de expulsão do partido estão sob análise do diretório nacional. Temer também almoçou na casa do deputado Heráclito Fortes (PI), outro nome que deseja deixar o PSB. No mês passado, Maia fez duras críticas a Temer depois que o senador pernambucano Fernando Bezerra se filiou ao PMDB. Na época, cobrou lealdade do peemedebista e disse que não poderia "ficar levando facada nas costas". O presidente da Câmara tenta há meses atrair os descontentes do PSB para fortalecer o seu partido, o DEM.

Obra suspensa – Medida cautelar imposta pelo TCE, a Prefeitura de Paulista, suspendeu a construção de uma marina no Terminal Hidroviário localizado às margens do rio Timbó, em Maria Farinha. Foram constatadas irregularidades como favorecimento de uma empresa no processo de concessão para obras e exploração por 20 anos da marina. Segundo o TCE, desde fevereiro de 2016, o Ministério Público vem acompanhando o caso. Foram constatadas irregularidades como a não apresentação de estudos de viabilidade econômica, requisitos ambientais colocados como “pontuação técnica” para a escolha do melhor projeto, indícios de emprego de recursos federais em obras pré-existentes no local e suspeita de que antes da realização do processo licitatório a empresa responsável pelo processo já realizava obras no local.

Adutora de Serro Azul O governador Paulo Câmara assinou, ontem, o edital de licitação para a construção da adutora de Serro Azul. Com um investimento de R$ 213 milhões, a obra tem o objetivo de levar água da barragem Governador Eduardo Campos/Serro Azul, na Mata Sul do estado, a 1,5 milhão de pessoas em dez cidades do interior. O evento aconteceu no Palácio do Campo das Princesas, e teve a participação de prefeitos de cidades a serem beneficiadas pela obra e de secretários estaduais. A partir da assinatura da ordem de serviço, a Compesa tem 15 meses para concluir a obra.

CURTAS

TRANSPORTE E MERENDA–  A falta de coleta de lixo não é o único problema que atinge os moradores de São Lourenço da Mata, no Grande Recife. O transporte escolar está em situação precária e não há merenda para os estudantes, de acordo com a prefeitura. O prefeito em exercício, José Gabriel Neto, admitiu, ontem, os problemas e garantiu que vai fazer novas licitações para contratar empresas para normalizar os serviços.

OCUPAÇÃO– Integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) ocuparam, ontem, a sede do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), na Zona Norte do Recife. Os sem-terra disseram que a ação assinala o Dia Internacional de Luta pela Alimentação Saudável, celebrado na segunda-feira passada. A sede do Incra fica na Avenida Conselheiro Rosa e Silva, nos Aflitos, área nobre da Zona Norte da cidade.

Perguntar não ofende: Se Aécio fosse petista teria sido cassado, conforme disse o senador Humberto Costa? 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Nehemias

E o Senado mantém Aécio Neves, gravado recebendo dinheiro de um bandido, em seu cargo. O silêncio das panelas é ensurdecedor.

Nehemias

O Brasil que o povo quer. Mais do que nunca, o Brasil precisa de uma esquerda forte, atuante, que represente de fato as lutas e os anseios da sua gente, e precisa também da persistência dos movimentos sociais e das organizações populares em resistir ao desmonte completo do estado de bem-estar social. As caravanas do Presidente Lula pelo País têm dado esse tom. Quando vemos Lula no meio de uma multidão acolhedora, carinhosa e grata, bebemos da fonte a energia que nos impulsiona a lutar e perseguir com garra as transformações na vida das pessoas, a ampliação de oportunidades e a igualdade de direitos. Ainda em outubro, Lula retoma a caravana por Minas Gerais e também participa de encontros pontuais em municípios da Grande São Paulo.

Nehemias

OS PANELEIROS SÃO CONIVENTES COM A CORRUPÇÃO!!!

Nehemias

Lula, preferência Nacional !!!



18/10


2017

Parecer: Lula pode disputar em 2018 mesmo condenado

Mônica Bergamo – Folha de S.Paulo

Lula recebeu na segunda (16), do senador Lindbergh Farias (PT-RJ), um parecer jurídico assinado pelo professor Luiz Fernando Casagrande Pereira, do Paraná, afirmando que ele poderá disputar as eleições presidenciais em 2018 ainda que condenado em segunda instância -- e ainda que o STJ (Superior Tribunal de Justiça) e o STF (Supremo Tribunal Federal) não concedam liminar para suspender a inelegibilidade que viria com essa sentença.

Segundo Pereira, mesmo nessa situação limite, o PT poderá registrar a candidatura de Lula no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) em agosto. Só então ela seria objeto de impugnação. "Ocorre que entre a impugnação e o afastamento de Lula da campanha há uma enorme distância", diz ele. Se todos os prazos para o julgamento forem cumpridos no TSE, o eventual afastamento só ocorreria em 12 de setembro. Neste intervalo de um mês, Lula já estaria em plena campanha.

SUPRAPARTIDÁRIO
Casagrande Pereira, que elaborou dois pareceres para Michel Temer quando o presidente foi julgado no TSE (Tribunal Superior Eleitoral), estudou o caso de Lula a pedido do PT. 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Nehemias

Lula, preferência Nacional !!!

Nehemias

OS PANELEIROS SÃO CONIVENTES COM A CORRUPÇÃO!!!



18/10


2017

Reinações de Narizinho

Alexandre Schwartsmann - Folha de S.Paulo

A senadora Gleisi Hoffman nos brindou com a seguinte pérola: "A atividade econômica está no chão; como é que vai ter inflação?". Fosse eu médico (para alegria de dona Gilda, que, como boa mãe judia, ainda não se conformou com minha escolha de carreira) certamente receitaria as pílulas do dr. Caramujo para a memória da senadora.

Basta lembra que em 2015 a inflação chegou a 10,7%, enquanto o PIB encolheu 3,8%. Mesmo se desconsiderarmos os efeitos dos preços de alimentos e dos preços administrados (que subiram muito naquele ano para compensar o desastrado congelamento de anos anteriores), a inflação teria atingido quase 8%.

Já nos 12 meses terminados no segundo trimestre do ano passado, ainda no governo Dilma Rousseff, o PIB caiu 4,8%, o pior resultado da história, com a inflação perto de 9% (ou 7%, se expurgados alimentos e preços administrados).

É verdade que o desemprego hoje é 1,5 ponto percentual mais alto do que em meados do ano passado, mas já alcançara 11% naquele momento, ante 6,5% no começo de 2014, ou seja, o mercado de trabalho já havia sucumbido à recessão iniciada dois anos antes.

Posto de outra forma, a experiência da senadora, então ministra, deveria tê-la ensinado que "atividade econômica no chão" não basta para domar o processo inflacionário. Se inflação dependesse apenas da atividade, o governo Dilma poderia se gabar de ter produzido a menor inflação da história.

Como sabemos, não foi o caso.

Quem acompanha o comportamento dos preços nota que a inflexão se deu no último trimestre de 2016, quando o IPCA, medido em 12 meses, cedeu mais de dois pontos percentuais, bem mais do que vinha caindo em trimestres anteriores (em torno de meio ponto percentual por trimestre), fenômeno similar ao observado no caso da inflação sem alimentos e preços administrados, e que persiste ao longo de 2017.

À parte o choque favorável dos preços agrícolas, que trouxe a inflação de alimentos para terreno negativo (mas que, por definição, não teve impacto direto na inflação ex-alimentos e administrados), dois fatores desempenharam papel central na quebra da espinha dorsal da inflação.

Por um lado a atitude do BC. É bom lembrar que, à época, não faltou quem afirmasse que a meta de 4,5% para 2017 era inexequível, sugerindo que a nova diretoria adotasse uma "meta ajustada". A rejeição desta proposta indicou que a instituição se comportaria de maneira oposta à sua conduta sob Alexandre Pombini, cuja sujeição ao Executivo, mais do que evidente, era escandalosa. A firmeza do BC ajudou a consolidar a queda das expectativas de inflação.

Por outro lado, medidas como a criação do teto constitucional para os gastos federais sinalizaram uma trajetória de ajuste das contas públicas, ainda que gradual e sujeita a vários acidentes de percurso.

Para ser sincero, permaneço cético quanto à manutenção do teto sem medidas adicionais, mas o consenso que se formou indica que a maioria do mercado dá à atual administração o benefício da dúvida, mesmo se boa parte da tarefa for legada ao próximo governo.

O desemprego elevado só trouxe a inflação para baixo porque medidas corretas de política econômica foram adotadas. Quem acha que recessão resolve sozinha o problema deveria aprender com a Venezuela, mas não aplaudi-la, como fazem a senadora e seu partido. 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


18/10


2017

Temer sonda deputados do PSB visados pelo DEM de Maia

Presidente se reuniu com líder pessebista e almoçou com deputado que deseja deixar o partido. Presidente da Câmara já reclamou de 'facada nas costas'

VEJA – Da redação

Em meio à crise com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o presidente Michel Temer fez nesta terça-feira uma nova ofensiva em relação a deputados do PSB. Pela manhã, ele recebeu no Palácio do Planalto a líder do PSB na Câmara, Tereza Cristina (MS), e o deputado Fabio Garcia (MT), cujos processos de expulsão do partido estão sob análise do diretório nacional. Temer também almoçou na casa do deputado Heráclito Fortes (PI), outro nome que deseja deixar o PSB.

No mês passado, Maia fez duras críticas ao presidente depois que o senador Fernando Bezerra (PE) se filiou ao PMDB. Na época, o presidente da Câmara cobrou lealdade do peemedebista e disse que não poderia “ficar levando facada nas costas”. Rodrigo Maia tenta há meses atrair os descontentes do PSB para fortalecer o seu partido, o DEM.

Nesta terça, Tereza Cristina admitiu que mantém diálogo com o PMDB, principalmente por ser muito próxima no seu Estado ao ex-governador André Puccinelli, que é do mesmo partido de Temer. Ela, no entanto, afirmou que ainda não decidiu a qual partido vai se filiar depois que deixar o PSB. “Não quero errar de novo”, disse.

Sobre o processo de expulsão das fileiras pessebistas, a deputada cobrou “diálogo” com a direção nacional. Segundo Tereza, o grupo de descontentes propôs que a sigla liberasse os parlamentares que desejam sair do partido.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Coluna do Blog
TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores