Agência Comunicação

30/06


2016

A aliada improvável

Bernardo Mello Franco - Folha de S.Paulo

Na noite de 11 de abril, a comissão especial da Câmara aprovou o parecer favorável ao impeachment. Enquanto os deputados batiam boca em Brasília, milhares de petistas e simpatizantes faziam um ato em defesa de Dilma Rousseff no Rio. A multidão gritou palavras de ordem a favor da presidente e se uniu num coro: "Fora Kátia Abreu."

O alvo era a ministra da Agricultura, prócer da bancada ruralista filiada ao PMDB de Michel Temer. Dois meses e meio depois, os petistas não se aventuram mais a atacá-la. Kátia desafiou o próprio partido e continuou no cargo enquanto a gestão Dilma desmoronava. Nesta terça (28), ela virou membro da comissão do impeachment do Senado para defender a presidente afastada.

Na estreia, a peemedebista disse que Dilma é vítima de "intolerância" e "incompreensão". Acrescentou que os decretos de crédito suplementar citados no pedido de impeachment também foram editados durante os governos Lula e FHC.

"Estou estudando muito, chamei até um professor de economia para tirar dúvidas", conta Kátia. "A opinião pública está dividida. Temos que lutar para virar o jogo", diz.

A senadora reconhece que não imaginava travar uma guerra política na mesma trincheira dos petistas. Dona de fazendas no Tocantins, ela chegou ao Congresso pelo velho PFL, fez oposição ferrenha a Lula e pediu votos para os tucanos José Serra e Geraldo Alckmin. Quando Dilma decidiu nomeá-la, o MST ocupou terras para protestar.

Agora, segundo aliados, a presidente passou a chamá-la de "queridinha do PT". "É surpreendente, né? Mas a vida é assim", diz Kátia. "O preconceito emburrece. Eu também tinha preconceito contra o PT."

A senadora promete continuar a defender Dilma, embora seu partido tenha chegado ao poder. "Não tenho nada contra o Michel, mas não concordo com isso que está acontecendo", afirma. "Acredito na defesa dela e vou falar até a garganta secar." 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Sopranor 1

30/06


2016

Passaporte diplomático para pastor

O ministro das Relações Exteriores, José Serra, concedeu ontem dois passaportes diplomáticos ao pastor R. R. Soares e à sua mulher, Maria Magdalena Ribeiro Soares, da Igreja Internacional da Graça de Deus. De acordo com a portaria publicada ontem no Diário Oficial da União, a solicitação foi feita em nome da igreja no dia 16 de junho deste ano. Cada passaporte diplomático tem validade de três anos. O documento é “concedido a diplomatas ou a cidadãos brasileiros que, de alguma forma, desempenhem funções de representação do país”, afirma o governo.

Em janeiro de 2013, o Ministério das Relações Exteriores, sob o comando de Antonio Patriota, já havia concedido os passaportes especiais para o casal “em caráter de excepcionalidade”. Questionado  sobre o motivo da nova concessão, o ministério disse que “responderá com a maior brevidade possível”.

Com menos de uma semana no cargo em maio deste ano, Serra concedeu o mesmo benefício para o pastor Samuel Ferreira e a mulher Keila, também pastora, da Assembleia de Deus. Ferreira é investigado na Lava-Jato suspeito de lavar dinheiro de propina para Eduardo Cunha (PMDB/RJ) por meio da igreja em Campinas. (Do Diario de Pernambuco)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

TCE

30/06


2016

Vaquinha virtual para Dilma: R$ 100 mil em 6 horas

Uma "vaquinha virtual" organizada por duas amigas de Dilma Rousseff arrecadou mais de R$ 100 mil em seis horas para custear as viagens pelo Brasil da presidente afastada. Pouco mais de 1,2 mil pessoas já doaram para ajudar na campanha.

O programa de financiamento coletivo (crowdfunding, em inglês), em uma plataforma digital, foi lançada nesta quarta-feira (29). Até a noite desta quarta, 20% da meta inicial de R$ 500 mil foi alcançado.

As criadoras da campanha - Guiomar Lopes e Celeste Martins - afirmam que lutaram contra o regime militar ao lado de Dilma, nos anos 70, e que acreditam que a ferramenta de arrecadação é a continuidade da luta pela democracia.

"Achamos importante abrir uma conta onde as pessoas pudessem fazer doações e haver disponibilidade de recursos que a presidenta pudesse usar para as suas viagens," diz Guiomar.

A decisão de criar um crowdfunding, uma espécie de "vaquinha virtual", foi tomada nesta terça-feira (28), em reunião de Dilma com a executiva do PT e aliados no Palácio da Alvorada. "Ela precisa de recursos e duas amigas dela estão lançando um crowdfunding que vai ser arrecadação através do site Catarse", explicou o presidente do PT, Rui Falcão.  (Leandro Mazzini - Coluna Esplanada)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banner - Hapvida

30/06


2016

Salvação de Cunha é mercadoria difícil de entregar

Blog do Kennedy

A mais nova tentativa de salvar o presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), lembra as articulações para tentar barrar a Lava Jato ou delimitar a investigação. É uma mercadoria que ninguém consegue entregar.

Deputados que defendem a cassação do mandato de Cunha criticaram a indicação de Ronaldo Fonseca (PROS-DF) para relatar um recurso do peemedebista apresentado à CCJ (Comissão de Constituição e Justiça). Aliado de Cunha, Fonseca tentaria invalidar a recomendação do Conselho de Ética de perda do mandato de Cunha.

No entanto, não há clima na Câmara para salvar um deputado federal que negou ter conta no exterior e que é processado no Supremo Tribunal Federal justamente por essa acusação. Quase todo dia aparece uma nova acusação contra Eduardo Cunha.

A mais recente vem do ex-vice-presidente da Caixa Fábio Cleto, que disse que ele e Cunha receberam propina do empresário Eike Batista no auge do “Império X”. Cunha e Eike negam.

Ronaldo Fonseca já deu declarações em defesa de Cunha. Salvar Cunha equivaleria a um suicídio político para deputados e para o governo Temer, que seria acusado de socorrer o presidente afastado da Câmara.

Eduardo Cunha faz os últimos movimentos para tentar se salvar. Ele ainda influencia alguns deputados, mas já não tem mais o poder que detinha. No cenário de hoje, Cunha dificilmente escapará da cassação do mandato de deputado federal.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


30/06


2016

STJ segura processo ameaçado de prescrição

A suspeita de corporativismo está pesando no malhete do Superior Tribunal de Justiça.

Está parado na Corte, com vistas do Ministério Público Federal, o processo nº 623, de julgamento dos acusados na Operação Naufrágio da Polícia Federal, desencadeada em 2010.

A operação acusa desembargadores, empresários e juízes de fraudarem distribuição de processos e venderem sentenças.

Se o processo não for julgado ainda neste ano, os crimes correm o risco de prescrição.

Enquanto isso, um grupo de deputados lançou o bolão de apostas sobre a votação da cassação de Eduardo Cunha.

O líder do PPS, Rubens Bueno (PR) arrisca alto: “Serão mais de 400 votos, pode anotar''.  Leandro Mazzini – Coluna Esplanada


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Odonto Personalité

30/06


2016

Ciro manda indiretas para Serra e Temer

Leandro Mazzini – Coluna Esplanada

O presidenciável Ciro Gomes (PDT-CE), potencial nome da centro-esquerda para disputar o Planalto em 2018, investe em indiretas para o eventual adversário José Serra, ministro das Relações Exteriores, e para o presidente Michel Temer.

Ciro tem dito que a política externa de Michel Temer é “obra de um canalha''. E há dias, numa entrevista, disse ter documentos de eventual roubalheira no porto de Santos que envolve Temer.

O ex-presidente Lula volta a Brasília nos próximos dias. Espera reunir 30 senadores para tentar insuflar a proposta de antecipação das eleições, já que a possibilidade de reverter o impeachment no Senado inexiste para os petistas – e muitos não querem também.

O anfitrião do encontro deverá ser o senador Roberto Requião (PMDB-PR).


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Naipes

30/06


2016

Prisão foi para constranger, diz Bernardo ao ser solto

O ex-ministro Paulo Bernardo ao deixar a sede da PF em São Paulo após seis dias de prisão

Folha de S.Paulo - Bela Megale

O ex-ministro Paulo Bernardo foi solto na noite desta quarta-feira (29) depois de passar seis dias preso na carceragem da Polícia Federal em São Paulo.

Ex-ministro dos governos Lula e Dilma, Paulo Bernardo foi preso quinta (23) na Operação Custo Brasil um desdobramento da Lava Jato, que investiga desvios do Ministério do Planejamento. O petista é acusado de ter se beneficiado de propina de contratos da pasta que perduraram de 2010, quando ele estava à frente do ministério, a 2015.

Ao deixar a prisão, por volta das 23h, o ex-ministro disse que se sentia "constrangido". "Acho que foi para isso que eu vim aqui. Sou inocente, isso vai ficar demonstrado. Essa prisão não era necessária. Eu estava em local encontrável, me coloquei à disposição da Justiça várias vezes para depor e durante dez meses. Felizmente, o ministro Dias Toffoli, do Supremo, teve o mesmo entendimento", disse Paulo Bernardo.

Em decisão nesta quarta, Toffoli afirmou que não há elementos no processo que justifiquem a manutenção da prisão preventiva, como uma possível fuga de Paulo Bernardo para o exterior ou o risco de interferência nas investigações e cometimento de novos crimes se colocado em liberdade.

O juiz federal Paulo Bueno de Azevedo, responsável pela condução do caso e que havia determinado a prisão preventiva do petista na semana passada, disse que a detenção deveria ocorrer "para garantia da ordem pública, da instrução criminal e para aplicação da lei penal".

Questionado sobre a suspeita de ter recebido propina por meio do seu advogado Guilherme Gonçalves, que, segundo as investigações, pagou despesas do petista, ele afirmou que "isso não tem o menor cabimento, minhas despesas são pagas com meu salário".

Paulo Bernardo disse ainda que sua prisão foi embasada nas delações premiadas do ex-vereador Alexandre Romano, o Chambinho, e do ex-senador Delcidio do Amaral, em que "houve muita manipulação".

O ex-ministro afirmou também que o Ministério do Planejamento não tem nenhum contrato com a Consist, empresa suspeita de fazer parte do esquema de desvio.

"Ela foi contratada pela Associação de Bancos e pelo Sindicato da Entidades de Previdência Privada. Quem quiser esclarecer isso deve falar com os bancos e essas entidades. Como foram esses contratos não temos a menor ideia", disse.

"Não tenho nenhuma relação com a Consit. O delegado esteve me visitando e perguntei para ele: 'O senhor teve o cuidado de perguntar para a Consist se ela tem alguma relação comigo?'. Acho que ele vai fazer isso", completou.

Sobre o fato de Gonçalves prestar serviços para a Consist, Paulo Bernardo disse que ele "advoga para 300 pessoas", e que era necessário fazer as perguntas a ele.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Sesi 4.0

30/06


2016

Coluna da quinta-feira

   Mendonça cria agenda positiva

Dos quatro ministros pernambucanos, Mendonça Filho, da Educação, é o que tem posto na agenda do presidente Michel Temer (PMDB) mais fatos positivos. Ontem, por exemplo, em cerimônia no Palácio do Planalto, Temer anunciou a liberação de R$ 742 milhões aos Estados e municípios para a Educação básica. "Esse gesto consagra a política pública responsável da gestão Temer de honrar compromissos com prefeitos", disse Mendonça, em discurso para uma plateia formada por senadores, deputados e prefeitos.

Temer também anunciou, atendendo indicação de Mendonça, a criação de um cartão para o Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE). Com a cooperação do Governo, as escolas, segundo ele, terão, a partir de agora, mais facilidade para "honrar despesas de manutenção". Na sua fala, Mendonça Filho anunciou também que serão liberados mais R$ 10 milhões para uma parceria feita com a Universidade de Brasília.

De acordo com o ministro da Educação, a liberação d R$ 742 milhões para o setor só foi possível porque Temer restaurou parte do orçamento que estava contingenciado e bloqueado pelo Governo anterior. Dos cerca de R$ 6,4 bilhões contingenciados, o Governo interino já liberou cerca de R$ 4,7 bilhões.

“O presidente Temer decidiu que o Planejamento repusesse R$ 4,7 bilhões para que o orçamento de 2016 tivesse seu custo normal. A partir dessa decisão, tivemos a oportunidade de anunciar a liberação de recursos para a continuidade de inscrições do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), 75 mil vagas novas liberadas para um panorama de perspectivas de inexistência de vagas, se permanecêssemos com o quadro orçamentário entregue”, disse.

Dos R$ 740 milhões descontingenciados para a Educação por meio do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), R$ 338 milhões terão como destino o Programa Dinheiro Direto da Escola, que será anunciado nos próximos dias. Pelo programa, as escolas receberão um cartão que poderão usar para despesas como reformas, manutenção e qualificação. “Essa modalidade atenderá 1,2 mil municípios”, disse.

Outros R$ 80 milhões ajudarão, por meio de programas de parcerias com estados e municípios, na construção de escolas e creches; e R$ 16,6 milhões para o Programa Nacional do Livro Didático (PNDL). Dez milhões e trezentos mil reais serão usados para o financiamento, em parceria com a UnB, da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), que será o fórum de discussão e debates com todas as unidades da federação.

DESPESAS PESSOAIS– As investigações da Operação Custo Brasil, da PF, apontam que o escritório contratado pelo ex-ministro Paulo Bernardo pagava despesas jurídicas e pessoais dele e da sua mulher, a senadora Gleisi Hoffmann, dinheiro para o PT e políticos. A TV Globo teve acesso a um relatório da Polícia Federal apreendido no escritório do advogado Guilherme Gonçalves, em Curitiba, que serviu de base para prender dez pessoas. Ao todo, 11 mandados de prisão foram expedidos. O ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, também teve mandado de prisão, mas já estava preso. Era ele quem decidia as porcentagens que cada um deveria receber.

Tentativa de unidade– Em entrevista ao programa Frente a Frente de ontem, o senador Fernando Bezerra Coelho (PSB) disse que a presença do governador Paulo Câmara no ato pela candidatura do deputado Miguel Coelho (PSB), na foto ao lado, a prefeito de Petrolina, amanhã, num hotel da cidade, sinaliza pela unidade socialista no município. Foi um recado aos deputados Gonzaga Patriota e Lucas Ramos, de correntes distintas do partido, que ficarão de fora do evento. “Vamos trabalhar até o fim pela unidade fortalecimento do palanque de Miguel”, enfatizou o senador.

Perdas na saúde– Uma PEC enviada pelo presidente interino Michel Temer (PMDB) ao Congresso pode congelar os gastos públicos por 20 anos, colocando em risco investimentos da ordem de R$ 12,7 bilhões no Sistema Único de Saúde (SUS) nos próximos dois anos, segundo interpretação do senador Humberto Costa (PT). "Essa PEC vem destruir com várias das nossas conquistas sociais e também fazer o desmonte do SUS, que é um patrimônio público. Se ela tivesse em vigor nos últimos dez anos, teríamos perdido 32% de recursos para a área da saúde, sem contar com uma redução de 70% na área da educação", explicou o senador.

Mudanças na lei Maria da Penha- Depois de muita polêmica, o bom senso prevaleceu e a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado aprovou, ontem, projeto de lei, de autoria do deputado Sergio Vidigal (PDT-ES) que altera a Lei Maria da Penha, permitindo ao delegado de polícia conceder medidas protetivas de urgência a mulheres vítimas de violência doméstica e a seus dependentes. O parecer foi do relator Aloysio Nunes (PSDB-SP), já no Senado. Segundo a proposta de Vidigal, a atuação do delegado só será admitida em caso de risco real ou iminente à vida ou à integridade física e psicológica da mulher e de seus dependentes.

Sebastião contesta pesquisa- O presidente estadual do PR, secretário de Transportes, Sebastião Oliveira, não levou a sério a pesquisa do Instituto Múltipla em Serra Talhada, na qual o prefeito Luciano Duque (PT) aparece numa situação bastante confortável, com 50% das intenções de voto, enquanto o pré-candidato republicano, Victor Oliveira, tem apenas 7%. “O levantamento foi feito dez dias antes de anunciarmos o nome de Victor”, alertou. Para ele, mesmo que a população, quando consultada, tenha dado 7% a Victor, sem saber ainda se ele seria candidato, é um indicativo de que tem grande potencial de crescimento.

CURTAS

CAMPUS– A região do Litoral Norte, que não possui nenhuma instituição pública superior, pode ganhar um campus da Universidade Federal (UFPE). A solicitação foi feita pelo Severino Ninho (PSB) ao ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM/PE). Para Ninho, a implantação de uma unidade da UFPE na região é importante para que ela continue se desenvolvendo economicamente e também do ponto de vista social.

SUSPENSÃO – o deputado Edilson Silva entrou com uma ação judicial solicitando a suspensão da seleção simplificada para o distrito de Fernando de Noronha, cujo prazo de inscrição termina amanhã. O parlamentar questionou o Governo pelo fato de o candidato só poder se inscrever na própria ilha, limitando o  acesso à disputa das 301 vagas à disposição, e a falta de critérios objetivos que serão aplicados na seleção.

Perguntar não ofende: Depois da revogação da prisão do ex-ministro Paulo Bernardo, que desviou R$ 100 milhões, dá para confiar na justiça brasileira? 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Mariana

Os golpistas de Petrolina terão uma decepção tão grande nas próximas eleições. Quem viver verá.


Senai 4.0

29/06


2016

STF: soltos seis presos da Operação Custo Brasil

A Justiça de São Paulo decidiu na noite desta quarta-feira (29) soltar mais seis presos da Operação Custo Brasil. A decisão é do juiz federal Paulo Azevedo e ocorre após o ministro do Supremo Tribunal Federal Dias Toffoli tirar da prisão o ex-ministro Paulo Bernardo e Dércio Guedes de Souza. Serão soltos: Guilherme Gonçalves, Daisson Portanova, Valter da Silva, Emanuel do Nascimento, Joaquim da Câmara e Washington Viana.

Dos dez presos na quinta (23),o juiz decidiu manter a prisão de Paulo Adalberto Alves Ferreira e Nelson Luiz Oliveira Freitas, por considerar que eles podem interferir nas investigações.

O juiz determinou que os oito presos que vão ser soltos terão que cumprir medidas alternativas, como comparecimento quinzenal à Justiça, proibição de contatos com demais investigados, suspensão de exercício ou cargo público, proibição de se ausentar do país e entrega de passaporte. Azevedo argumentou que São Paulo não pode utilizar tornozeleira eletrônica.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Odonto Personalité

29/06


2016

Juiz discorda da soltura de Paulo Bernardo

Folha de S.Paulo

Na decisão em que determinou a soltura da maior parte dos presos da Operação Custo Brasil, o juiz federal Paulo Bueno de Azevedo criticou a determinação do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Dias Toffoli de tirar da prisão o ex-ministro Paulo Bernardo.

Azevedo afirmou que discorda da posição de Toffoli e que há elementos que justificam a manutenção da prisão.

"Quanto à questão da fundamentação da prisão preventiva, obviamente irei acatar, porém respeitosamente discordo, continuando a achar que a expressiva quantia do dinheiro não localizado pode sofrer novos esquemas de lavagem, ao menos por ora. O risco concreto se deveria aos indícios dos pagamentos feitos por intermédio do advogado Guilherme Gonçalves [um dos presos]", escreveu Azevedo.

Ex-ministro dos governos Lula e Dilma, Paulo Bernardo foi preso na Operação Custo Brasil, um desdobramento da Lava Jato. O petista é acusado de ter se beneficiado de propina de contratos do Ministério do Planejamento que perduraram de 2010 a 2015. As investigações apontam que R$ 100 milhões foram desviados.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


29/06


2016

Ministro será ouvido amanhã como réu por improbidade

O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, será ouvido nesta quinta-feira (30/6) pela Justiça Federal, em ação civil pública de improbidade em que figura como réu. A ação de autoria do Ministério Público Federal de Canoas (RS) questiona a atuação de duas empresas ligadas a Padilha em contratos firmados com a Comunidade Evangélica Luterana São Paulo, mantenedora da Universidade Luterana do Brasil (Ulbra).

A 8ª Câmara Cível do Rio de Janeiro condenou o Estado do Rio a pagar R$ 600 mil de danos morais, além de pensão mensal de R$ 4,6 mil, para o advogado Cláudio Lobo. Ele levou um tiro (bala perdida) na Avenida Brasil em 2008 e perdeu a visão e o olfato. Causa ganha pelo escritório Peixinho, Cacau e Pires. 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Arcoverde 4

29/06


2016

Aprovado reajuste salarial do Judiciário e do MPU

Textos dão aumento de até 41,47% a Judiciário e 12% a servidores do MPU.
Impacto neste ano será de R$ 2 bi; governo diz que há previsão no orçamento.

Do G1, em Brasília

Senado aprovou nesta quarta-feira (29) um reajuste salarial de até 41,47% para os servidores do Judiciário e de 12% para analistas e técnicos do Ministério Público da União. Os textos já haviam sido aprovados pela Câmara e seguem para sanção presidencial. A votação dos aumentos se dá em um momento em que o governo prevê um rombo de cerca R$ 170 bilhões nas contas públicas para este ano. O impacto dos dois projetos nas contas do governo somente neste ano é de quase R$ 2 bilhões. Apesar disso, o governo diz que há previsão orçamentária para o pagamento das parcelas.

O reajuste aos servidores do Judiciário, conforme proposto, varia de 16,5% a 41,47%. O valor será dividido em oito parcelas, a serem pagas em quatro anos. Neste ano, o impacto da proposta será de R$ 1,69 bilhão, de acordo com o ministro interino do Planejamento, Orçamento e Gestão, Dyogo de Oliveira.

De acordo com o Ministério do Planejamento, o reajuste para os servidores do Judiciário vai custar R$ 22,26 bilhões a mais para os cofres públicos entre 2016 e 2019. Em 2017, o impacto seria de R$ 4,77 bilhões, avançando para R$ 6,53 bilhões em 2018 e para R$ 9,25 bilhões em 2019.

Além do reajuste nos salários, a gratificação judiciária, hoje correspondente a 90% do vencimento básico, chegará gradualmente a 140%, em janeiro de 2019.

O projeto também concede reajuste de até 25% para os cargos em comissão, mesmo percentual usado para assemelhados no Executivo. Pela proposta, técnicos judiciários com curso superior receberão adicional de qualificação.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Bm4 Marketing (Polítíco)

29/06


2016

Itaíba ganha Escola Técnica e Abatedouro

O Governo do Estado assegurou dois importantes equipamentos públicos para a população de Itaíba, município do Agreste pernambucano. Durante agenda administrativa, na tarde de hoje, o governador Paulo Câmara autorizou a construção de uma Escola Técnica Estadual (ETE) e um Abatedouro Municipal. Obras que, quando concluídas, garantirão educação, desenvolvimento econômico e segurança alimentar para a região.

Para erguer a ETE no município, o Governo do Estado vai investir cerca de R$ 13,5 milhões. A unidade de ensino contará com 12 salas de aula, seis laboratórios (línguas, informática, física, biologia, química e matemática), além de dois laboratórios especiais, quadra coberta com vestiários.  A estrutura terá, ainda, diretoria, secretaria, arquivo, almoxarifado, reprografia, coordenação pedagógica, sala de professores, sede de grêmio estudantil, auditório, biblioteca, recreio coberto, refeitório, cozinha e cantina.

Diante da comunidade escolar da região, o chefe do Executivo estadual destacou o compromisso do Governo do Estado com o fortalecimento do Ensino Técnico. “Pernambuco, há nove anos, tinha apenas seis escolas técnicas funcionando. Hoje temos 35 e estamos dando a ordem para abertura do edital da 42ª unidade, que vai ficar pronta até o final de 2017. A educação técnica já faz parte da realidade de todas as regiões do Estado. Realidade essa que vai ajudar muito na qualificação profissional e na qualidade de ensino para esses jovens chegarem preparados à universidade”, cravou Câmara.

CRONOGRAMA – Com a publicação do edital, autorizada pelo chefe do Executivo estadual, a próxima etapa para construção da ETE é a realização do processo licitatório, que deverá durar cerca de 90 dias. Em seguida, será dada ordem de serviço para construção da unidade de ensino. 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Petrolina 3

29/06


2016

PF aponta teia de empresas ligadas a avião de Campos

Em busca dos verdadeiros proprietários do jatinho Cessna Citation, prefixo PR-AFA, que em agosto de 2014 caiu e matou o então candidato à Presidência, Eduardo Campos (PSB), em Santos (SP), os investigadores da Operação Turbulência mapearam uma teia de empresas de fachada utilizadas para lavar e supostamente escoar dinheiro oriundo de obras públicas para campanhas políticas.

Responsável pelo inquérito, a delegada federal Andréa Pinho Albuquerque, da Polícia Federal em Pernambuco, compartilhou informações com a Justiça Federal do Paraná e com o Supremo Tribunal Federal para comprovar a relação dos empresários por trás da compra da aeronave com empreiteiras e políticos investigados na Lava Jato.

Ao solicitar informações ao juiz federal Sergio Moro, responsável pelas ações da Lava Jato na primeira instância, a delegada salienta que o relatório de inteligência elaborado pelo Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) revela que "parte dos recursos utilizados na aquisição da referida aeronave tenham sido originados da Construtora OAS, a qual, além de investigada na Operação Lava Jato, participou da execução de alguns lotes das obras de transposição do Rio São Francisco em Pernambuco, Estado cujo governador à época era, justamente, Eduardo Campos".

Ainda segundo Andréa Albuquerque, informes de inteligência revelam que um dos líderes do grupo investigado pela Turbulência, João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho, "teria sido mencionado em acordo de colaboração premiada firmado no bojo da Lava Jato como um dos responsáveis pela entrega de valores em espécie a políticos e funcionários públicos domiciliados em Recife/PE, identificando-o como um dos principais operadores financeiros em atuação na capital pernambucana".

Em 23 de março de 2016, em despacho encaminhado ao ministro Teori Zavascki, relator das ações da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, a delegada solicitou que as informações contidas no inquérito cujos alvos são o senador Benedito Lira e o deputado federal Arthur Lira, ambos do PP, fossem compartilhadas.

Segundo Andrea, a Câmara & Vasconcelos Locação e Terraplanagem Ltda, envolvida na compra do avião, seria beneficiária de recursos provenientes de empresas controladas pelo doleiro Alberto Youssef - emblemático personagem da Lava Jato -, a Empreiteira Rigidez Ltda. e a MO Consultoria Ltda.

"Tais repasses supostamente teriam sido efetuados como pagamentos de vantagens indevidas ao senador Benedito Lira e ao deputado federal Arthur Lira, conforme acordos de colaboração premiada do doleiro Alberto Youssef e do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto da Costa", aponta o pedido.

Em resposta, os investigadores da Operação Turbulência receberam as informações das duas investigações e prosseguiram no detalhamento das transações financeiras entre os empresários e companhias citadas. Em um dos relatórios enviados pelo STF, a Polícia Federal descobriu que parte do dinheiro que abasteceu as contas da Câmara & Vasconcelos saiu da empreiteira OAS e do Consórcio OAS/Galvão/Barbosa. Este último, foi alvo da operação Vidas Secas que apurou desvios e pagamentos de propina envolvendo a obra de Transposição do Rio São Francisco.

Defesa

Questionado, o senador Benedito Lira (PP) informou "nunca ter conhecido, nem visto as pessoas mencionadas na Operação Turbulência". Sobre a doação de R$ 400 mil recebida, em 2010, da Constran, investigada na Lava Jato, Lira diz que ela foi declarada à Justiça pelo diretório estadual do PP.

Já o deputado Arthur Lira esclarece que não tem envolvimento com as empresas citadas na Operação Turbulência. Ele informa que prestou os devidos esclarecimentos no âmbito do inquérito que tramita no Supremo Tribunal Federal.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

gilson

Nao vamos desistir do Brasil, rsrs. Fico lembrando daquela cena patética do Deputado 342, daqui de PE, hoje Ministro do governo golpista, que circo aquele 17 de abril de 2016.

Ramilson Correia de Carvalho

Puxa! e Paulo Câmara que justamente comandou a tropa de Deputados Federais para votarem na cassação do mandato de Dilma. Será que ele também fez acordos com Michel Temer Golpista para parar a operação Lava-Jato? E Danilo Cabral que se licenciou do cargo para votar contra Dilma e tantos outros que na hora de votar diziam tantas palavras emocionantes e agora? Não fiquem só envergonhados e acanhados se escondendo. Expliquem tudo ao povo Pernambucano enquanto é tempo, a eleição está muito próxima e é melhor não perder tempo.

Rosimere lima

De quem era o DUDUVIAO? Ninguém sabe? Essa explicação nao cabe! Quem pagou? Ou será que alugou? Ou comprou? Muito confuso! Enrolou! E agora José, digo Paulo?? Vai ficar tergiversando, conversando besteira, asneira? Ou vai explicar para a sociedade brasileira??



29/06


2016

Dilma encontra Renan e recomenda ponderação

Da Folha de São Paulo

Antigo aliado da presidente afastada Dilma Rousseff, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), visitou a petista na tarde desta quarta-feira (29) no Palácio da Alvorada, em Brasília. De acordo com o peemedebista, os dois trataram da conjuntura política e econômica do país e do andamento do processo de impeachment no Senado. Dilma recomendou a Renan "ponderação e equilíbrio" porque isso "está em falta no Brasil".

Este foi o terceiro encontro divulgado do peemedebista com Dilma desde que ela foi afastada do comando do país, em 12 de maio, devido ao seu julgamento no Senado, mas foi o primeiro a ser registrado na agenda oficial de Renan.

De acordo com ele, o convite partiu da própria presidente. "Mas poderia ter partido de mim também. Estava há alguns dias sem falar com ela e estava sentindo falta", disse.

Para Renan, a presidente "continua muito bem". "Está triste, porém aguerrida", contou. "Ela aproveitou a oportunidade da conversa para recomendar ponderação e equilíbrio. Ela acha que essas coisas estão em falta no Brasil e comemorou o fato de ter na presidência do Senado alguém que conversa com todo mundo", disse Renan ao retornar para o Senado.

Apesar de confirmar a aliados que aceita realizar um plebiscito para a convocação de novas eleições se conseguir voltar à Presidência, Dilma não falou sobre o assunto com Renan. O peemedebista, no entanto, não acredita que a questão possa prosperar no Congresso porque é necessário que haja amplo apoio dos parlamentares.

"Essa possibilidade não está posta e é difícil caminhar porque precisaria de uma correlação bastante favorável. Eu não acredito na possibilidade dessa perspectiva preponderar. A única solução posta que temos no Brasil, constitucional, é a continuidade do presidente da República em exercício", disse, em referência a Michel Temer, de quem tem se aproximado.

De acordo com ele, Dilma perguntou sobre o calendário do processo de impeachment mas não deu indicações sobre se pretende ir ao Senado se defender pessoalmente. O julgamento final deve ocorrer no plenário da Casa depois do dia 20 de agosto.

"Ela disse que colaborará para que esse calendário seja cumprido. No que depender dela, ela favorecerá o calendário. Fizemos uma avaliação da situação econômica, política e fiscal. Ela mais uma vez, citando números de memória, está realmente bem", avaliou Renan.

Segundo o peemedebista, Dilma também não quis fazer comentários sobre a gestão do presidente interino mas considerou que a crise pela qual o país passa é grave. "Ela entende que é preciso que haja mudanças", disse.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Coluna do Blog
TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores