03/08


2015

Desafio da Lava Jato é avançar além de Dirceu

Do Blog do Josias

A exemplo do que sucedera no mensalão, o escândalo do petrolão é marcado por uma excentricidade: a acefalia. Na Era petista, a corrupção é acéfala. A máfia não tem capo. Lula, como se sabe, reivindica o papel de cego atoleimado. Nunca sabe de nada. Preso por ordem do juiz Sérgio Moro, José Dirceu emerge novamente como candidato a chefe da perversão. No escândalo anterior, isso pareceu pouco. No atual, parece pouquíssimo. Dirceu tem cara de subchefe. Consideradas as dimensões da pilhagem, não passa de um pixuleco mandado.

Por sorte, os investigadores da Lava Jato ainda não entregaram os pontos. Escalado para falar sobre a nova fase da operação, batizada de Pixuleco, o procurador Carlos Fernando dos Santos Lima disse: “Chegamos a um dos líderes principais, que instituiu o esquema.'' O uso do plural reclama a apresentação de pelo menos mais um rosto.

“Isso passou pelo mensalão, passou pela investigação do caso, passou pela prisão [de Dirceu] e perdurou apesar da movimentação da máquina do STF e do Judiciário'', prosseguiu o doutor. De novo, a petulância da reincidência e o desprezo às instituições são indícios eloquentes da existência de ordens superiores ao comando de Dirceu.

“Durante o período em que foi ministro da Casa Civil, ele permitiu que esse esquema existisse e se beneficiou dele'', disse o procurador. “Ele é uma das pessoas que decidiram pela criação desse esquema. O DNA, como afirmou o ministro Gilmar Mendes, é o mesmo do mensalão.'' Quem permitiu que Dirceu permitisse a existência da roubalheira? Eis a pergunta que os brasileiros fazem aos seus botões desde o mensalão.

Perguntou-se claramente ao procurador se Lula pode ser preso. E ele: “Não existe possibilidade real.'' Deixou claro, porém, que a força-tarefa da Lava Jato não se exime de perscrutar todas as possibilidades. Os investigadores olham para o alto: “Temos uma ideia boa e clara de onde podemos chegar, mas isso é fato sigiloso'', disse. Torça-se para que a Lava Jato chegue longe. O Brasil merece conhecer em detalhes o que se passou acima de José Dirceu.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

TCE

03/08


2015

Paulo debate parcerias para Garanhuns

O governador Paulo Câmara recebeu, em seu gabinete, hoje, o prefeito de Garanhuns, Izaías Régis. Foi a primeira visita institucional do gestor ao Palácio do Campo das Princesas depois de Paulo ter assumido o Governo. O secretário da Casa Civil, Antônio Figueira, também participou do encontro, que teve como objetivo estreitar as relações entre o Estado e a prefeitura.

Izaías Régis aproveitou a audiência com o governador para agradecer a realização do 25º Festival de Inverno de Garanhuns. Classificado pelo prefeito como um sucesso de público e de retorno econômico para a região, o FIG aconteceu em julho.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Arcoverde

03/08


2015

Site Brasil 247 recebia verba do petrolão

Em um despacho proferido nesta segunda-feira, o juiz Sérgio Moro afirma que o dinheiro do petrolão foi usado para bancar o site Brasil 247 a pedido do Partido dos Trabalhadores. Os repasses foram feitos pela Jamp, uma empresa de consultoria controlada pelo lobista Milton Pascowitch.

”Considerando que a Jamp era, como afirma seu próprio titular, empresa dedicada à lavagem de dinheiro e repasse de propinas, parece improvável que o conteúdo do documento em questão seja ideologicamente verdadeiro, pois difícil vislumbrar qual seria o interesse de empresa da espécie em anunciar publicidade ou patrocinar matérias em jornal digital”, afirma o juiz. A conclusão é reforçada por um depoimento do próprio Pascowitch. 

Ele disse aos investigadores da Lava Jato ter repassado dinheiro do petrolão para financiar o site Brasil 247 e, assim, assegurar o apoio da página ao PT. O autor do pedido foi João Vaccari Neto, ex-tesoureiro da sigla. Pascowitch firmou um contrato de consultoria com o Brasil 247 utilizando a Jamp, uma empresa de fachada. 

Pascowitch admitiu que não havia serviço a ser prestado e que o contrato serviria apenas para dar uma aparência de legalidade às transferências financeiras, que somaram 120 000 reais entre setembro e outubro do ano passado – no auge do período eleitoral. 

O Brasil 247 é comandado por Leonardo Attuch. A transcrição do depoimento de Pascowitch não deixa margem para ambiguidades: Vaccari o encaminhou para uma reunião com Attuch e pediu que o valor pago ao site fosse descontado da empresa Consist, outro braço do esquema de lavagem de dinheiro do petrolão. 

Diz um trecho da transcrição: “Que João Vaccari não estava presente na reunião, mas foi indicado a procurar o declarante por João Vaccari; que na reunião entre o declarante e Leonardo ficou claro que não haveria qualquer prestação de serviço mas que era uma operação para dar legalidade ao ‘apoio’ que o Partido dos Trabalhadores dava ao blog mantido por Leonardo; Que o valor pago foi ‘abatido’ no valor que estava à disposição de João Vaccari referente ao contrato da Consist”. Antes da confissão, os investigadores já haviam apreendido anotações em que o lobista detalhava transferências financeiras para o site de Attuch.

Por Gabriel Castro, na VEJA.com


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Comentários

sonia

A casa caiu. Chegou nossa vez de deitar e rolar !!! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk



03/08


2015

Patriota no Frente a Frente

O presidente da Amupe, José Patriota, prefeito de Afogados da Ingazeira, é o principal entrevistado do Frente a Frente de hoje, programa que vai ar pela Rede Nordeste de Rádio, das 18 às 19 horas, tendo como cabeça de rede a Rádio Folha 96,7 FM. Ele fala da mini marcha dos prefeitos quarta-feira em Brasília. Veja abaixo as demais emissoras que integram a rede: 

Pernambuco

Arcoverde - Itapuama FM 99,3
Afogados da Ingazeira – Rádio Pajeú AM (1.500)
Belém de São Francisco – Educadora AM (1.470)
Bom Conselho – Papacaça AM (1.470)
Caruaru - Cultura AM (1.130)
Custódia – Custódia FM (88,5)
Granito – Rádio Beto Som (104,9)
Itacuruba – Itacuruba FM (87,9)
Mirandiba – Nova FM (87,9)
Orocó – Brígida FM (104,9)
Parnamirim – Rádio Beto Som (104,9)
Petrolina – Petrolina FM 98,3
Recife - Rádio Folha (96,7)
Salgueiro – Salgueiro FM (102,9)
Santa Maria da Boa Vista – Santa Maria FM (87,9)
São Bento – São Bento FM (104,9)
São Caetano – Cruzeiro FM (104,9)
São José do Egito – Nova Rádio Cultura AM (1.320)
Serra Talhada – Líder do Vale FM (99,7)
Sertânia – Sertânia FM (100,1)
Surubim - Integração FM (88,5)
Tabira – Cidade FM (88,7)
Terra Nova – Terra Nova FM (104,9)
Verdejante - Verdejante FM (104,9)
Nova Timbaúba FM 96,9
Petrolândia - Aliança FM 104,9
Vale do Acaí-FM 104,9 – Poção
Tuparetama - Tupã FM 104,9

Gravatá FM 92,3 – Gravatá

Serrinha FM – 104,9 – Serrita

Nova Betânia – FM – 87,9 – Betânia

Poço Verde FM- 99,5 – Ipubi  

Tupanatinga FM -104,9

Alagoas

Maragogi FM 97.3

Sergipe

Transamérica FM 95,5


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Stampa Midia

03/08


2015

Aneel atesta que Celpe presta mau serviço

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou ao líder do PT no Senado, Humberto Costa, que encontrou “indícios de falhas e transgressões” nos serviços prestados pela Companhia Energética de Pernambuco (Celpe). O órgão federal responsável por inspecionar as atividades das concessionárias na operação e na manutenção das redes elétricas, incluindo a segurança das instalações, atestou que a Celpe não tem prestado serviço “adequado” aos cidadãos pernambucanos.

No começo de julho, após mais um caso de morte ocorrida em decorrência de descarga elétrica por meio de um fio solto em via pública do Estado, Humberto cobrou ações da Aneel para investigar a Celpe e tomar medidas efetivas a fim de reduzir o número assustador de mortes em Pernambuco. Somente entre 2008 e 2013, 125 pessoas faleceram eletrocutadas no Estado.

A Aneel comunicou a Humberto, por meio de ofício, que analisou indicadores de segurança e quantidade de óbitos envolvendo a rede elétrica em Pernambuco e constatou que Pernambuco registrou um número de mortes superior à média do Brasil no ano de 2011.

"Considerando a possibilidade de agravamento das condições da prestação do serviço à população”, a agência solicitou a elaboração de diagnósticos à Celpe para “reverter esse quadro”. Para isso, pactuou com a companhia energética, em abril, a apresentação de um Plano de Resultados para corrigir falhas e transgressões identificadas na prestação do serviço.

Medidas de curto e médio prazos terão de ser tomadas para o restabelecimento da qualidade do serviço, com monitoramento permanente das ações propostas. Por considerar de alta relevância os resultados da iniciativa, a diretoria da Aneel coordenará diretamente o acompanhamento da execução do plano.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Naipes

03/08


2015

Ninguém ajuda o capitão Levy

Por Leandro Mazzini – Blog Coluna Esplanada

A arrogância de Luiz Inácio Lula da Silva em não reconhecer anos atrás uma crise mundial que afetaria diretamente o Brasil – “é marolinha'' – e a petulância de igual tamanho da atual presidente da República, Dilma Rousseff, em recorrer a atos precipitados sem saber ouvir o mercado – tampouco os conselheiros próximos – deu no que deu: O Brasil mergulhou numa crise com recessão e economia estagnada que, no melhor dos cenários poderá dela sair em dois anos, especulam empresários.

Foi chamado então um homem de mercado e ligado aos bancos que seguram o País, Joaquim Levy, como salvador da Pátria. Mas desde que assumiu, o que Levy encontra é uma série de obstáculos dentro do próprio Governo que o convocou.

Exímio navegador das (sujas) águas da Baía da Guanabara, sua terra natal, Levy usou da metáfora para explicar o seu cenário: é preciso evitar que o barco vá para os rochedos. O que não quis dizer, para não causar tumultos na praça, é que o barco está à deriva e já costeia as rochas. O Brasil pode quebrar se não seguir à risca o pacote esboçado por ele para recolocar a nau no rumo. Mas ninguém, ninguém ajuda o capitão.

A presidente Dilma, que contratou o especialista e lhe deu carta branca, não manda mais no próprio Governo. Este possui três ministros da Fazenda – Levy, o oficial, e outros dois que se metem a dar palpite demasiado na sua pasta: os economistas Aloizio Mercadante (Casa Civil) e Nelson Barbosa (Planejamento). Barbosa, aliás, fechado com Mercadante, meteu os dedos no rascunho feito pelo inquilino da Fazenda no corte do Orçamento de 2015 e desagradou a Levy. Foi Barbosa quem foi aos holofotes anunciar com pompas o plano do colega de Esplanada. Um episódio lamentável.

E quando o problema não vem do Palácio do Planalto ou colegas de escalão, aparece do Congresso Nacional. Levy tem pacote sério de ajuste fiscal que recoloca o Brasil no eixo do desenvolvimento em dois anos.

Mas não esperava entraves surpreendentes nas duas Casas dos nobres parlamentares. Por mero capricho e interesses não muito claros, os deputados e senadores desfiguram suas propostas – essenciais para reforçar o caixa do Tesouro. Impõem ‘condições’, ora ao Planalto (cobrando liberação de emendas num Governo sem caixa), ora beneficiando setores que bancam suas campanhas, como no caso da manutenção da desoneração da folha de pagamento – o projeto original onera para todos os 56 setores outrora beneficiados, mas alguns, por benesses dos deputados e interesses obscuros, escaparam do aumento da alíquota sobre faturamento.

Presidente do Senado, Renan Calheiros piorou o cenário. Primeiro, informou a Levy que vai derrubar todos os acordos dos deputados nesta questão da folha. Beleza. Volta tudo ao projeto original. Mas o que parecia sensatez tornou-se, aos olhos do Governo, outra jogada: o senador vai esticar para o fim do segundo semestre legislativo a votação do projeto, que renderia este ano R$ 12 bilhões para a União. Conota que, ao derrubar o projeto da Câmara, Renan quer iniciar renegociação com os lobistas dos setores que pedem manutenção das bondades. Um acordo agora pelo Senado.

Com aliados assim, o ministro da Fazenda não precisa de inimigos.

Um Congresso assaltante, uma presidente sem poder, e colegas puxando o seu tapete.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


03/08


2015

Defesa de Dirceu pede que ele fique em Brasília

A defesa do ex-ministro José Dirceu encaminhou, no início da tarde de hoje, um pedido ao Supremo Tribunal Federal (STF) para que o ex-ministro não seja transferido para Curitiba. Dirceu foi preso hoje em Brasília, em nova fase da Operação Lava Jato, por decisão do juiz Sérgio Moro, que cuida das investigações na primeira instância.

Moro pediu ao Supremo que o ex-ministro seja transferido para Curitiba, para onde foram levados os demais presos na Operação. Como Dirceu cumpre pena em regime aberto por determinação do STF, devido à condenação no caso do mensalão, o deslocamento precisa ser autorizado pelo ministro Luis Roberto Barroso, que é relator do mensalão na Suprema Corte.

No pedido, o criminalista Roberto Podval escreve que considera "totalmente desnecessária" a transferência de Dirceu para Curitiba, como foi pedido por Moro ao Supremo. Para defender a permanência do ex-ministro em Brasília, o advogado argumenta que Dirceu mora na capital federal e que quando ele se dispôs a prestar esclarecimentos ao juiz Sério Moro sobre seu suposto envolvimento na Lava Jato, um delegado de polícia disse a ele que não era necessário o deslocamento a Curitiba.

Ainda no pedido, a defesa diz que o caso de Dirceu é diferente do ex-deputado Pedro Corrêa (PP-PE), que foi preso na Lava Jato enquanto cumpria pena do mensalão. Nesse caso, o Supremo autorizou o deslocamento de Corrêa de Pernambuco ao Paraná. Contudo, Podval argumenta que o Estado de Pernambuco é muito mais distante de Curitiba do que Brasília e que na capital federal já existem autoridades que estão cuidando do caso Lava Jato. Fato que, segundo ele, não havia em Pernambuco, o que justificaria a transferência de Corrêa.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Comentários

sonia

O nome dessa operação é muito apropriada, PIXULECO ! É o termo que melhor define a estrutura dos que roubaram ESCANDALOSAMENTE a NAÇÃO BRASILEIRA.

Nehemias Fernandes Jaques

DESESPERO PARA INVIABILIZAR VOLTA DE LULA - a oposição tenta inviabilizar a candidatura de Lula à presidência da República em 2018; \"Há quase um desespero em se inviabilizar essa volta, que chega a criar um ambiente de ódio, que leva à bomba jogada no Instituto Lula — uma violência inaceitável\", disse; \"As oposições precisam entender que o país não suporta quatro anos de disputa eleitoral\"

o povo da de olho

SERIA MAIS JUSTO QUANDO SE REFERISSEM A ESSE \"ELEMENTO\" O CHAMASSE DE DETENTO OU CORRUPTOR E NÃO DE EX-MINISTRO.



03/08


2015

Compesa elege diretora de Gestão Corporativa

O Conselho de Administração da Compesa, reunido na tarde da última sexta-feira, elegeu o novo diretor de Gestão Corporativa da empresa. A DGC será comandada pela funcionária de carreira da companhia, a Analista de Saneamento, Simone Albuquerque, formada em Engenharia Química e Química Industrial com MBA em Gestão Empresarial de Negócios.

Em 18 anos de atuação na Compesa, Simone Albuquerque ocupou diversos cargos na empresa, sendo o último a Chefia de Gabinete da Presidência. Ela iniciou sua carreira como coordenadora Técnica do Agreste Meridional, depois seguiu para o Agreste Central. Assumiu as gerências de Manutenção e Operação do Agreste e a Unidade de Negócios Regionais do Agreste Central.

Ao longo da sua trajetória também foi a responsável por três superintendências: Manutenção e Operação, Negócios do Sertão e Negócios do Agreste. Com a escolha de Simone, a Diretoria Colegiada da Empresa contará com quatro diretores da casa: Simone Albuquerque, Rômulo Aurélio, Fernando Lôbo e Ricardo Barretto. A solenidade de posse do novo DGC será hoje, às 17h, na sala da Presidência, na Compesa Cabugá.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Onodera Estética

03/08


2015

Prisão de Dirceu complica ainda mais o PT

Representantes de partidos de oposição avaliam que a prisão do ex-ministro José Dirceu, na manhã de hoje, deixa ainda mais complicada a situação do PT e do governo. Dirceu integrava a cúpula do partido até sua prisão por envolvimento no mensalão. No governo Luiz Inácio Lula da Silva, ele comandou a Casa Civil.

"É um quadro cada vez mais complicado para o PT e para o governo, um quadro que gera ainda mais dificuldade política para eles", disse o líder do DEM na Câmara, Mendonça Filho. "O PT, como um todo, está cada vez mais em uma situação difícil. Os seus nomes mais importantes totalmente envolvidos, presos. José Dirceu é um quadro que mostra que o PT, no governo, desmantelou toda a estrutura do Estado brasileiro. Temos um quadro caótico de governança", afirmou o parlamentar.

No PSDB, a avaliação é que a prisão de Dirceu liga Lula diretamente ao esquema de corrupção na Petrobras investigado pela Operação Lava Jato. "Com certeza, piora o clima para o governo e o PT, e aproxima de Lula", disse o vice-líder tucano na Câmara, deputado Nilson Leitão (MT).

O presidente nacional do PPS, deputado Roberto Freire (SP), disse em nota que "demonstra que é preciso criar no País um novo governo para que ele possa, junto com a Justiça, corrigir os rumos do Brasil". O deputado afirmou que "há o encaminhamento de que o impeachment pode se tornar necessário" e que este é o momento "para fazer a intervenção constitucional, legítima para dar um paradeiro nisso tudo", já que, para o parlamentar, "a ingovernabilidade está instalada no País".

"Essa prisão significa um passo importante para a elucidação de quem é o chefe dessa organização criminosa", disse o líder do PPS na Câmara, deputado Rubens Bueno (PR).


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Comentários

Rafael C.Soares Quintas

Será que é difícil entender quem era o chefe dessa quadrilha? Dirceu era Ministro da Casa Civil, portanto subordinado ao Presidente da República, será que ele agiu sozinho? Vamos raciocinar povo brasileiro.

Nehemias Fernandes Jaques

DESESPERO PARA INVIABILIZAR VOLTA DE LULA - a oposição tenta inviabilizar a candidatura de Lula à presidência da República em 2018; \"Há quase um desespero em se inviabilizar essa volta, que chega a criar um ambiente de ódio, que leva à bomba jogada no Instituto Lula — uma violência inaceitável\", disse; \"As oposições precisam entender que o país não suporta quatro anos de disputa eleitoral\"

sonia

Com um acontecimento terrível desse, além da conta para Lula, há essas horas ele deve está possuído do demônio e com uma ressaca da bexiga lixa.

marcos

Será que Zé Dirceu aguentará mais cadeia? Traíra com fome, come até os parentes, quanto mais Moluscos. Acho que Lula não gostou muito dessa manhã de segunda feira.

LUIZ MAIA

Esquerdistas funcionam com micróbios no organismo de um País. Basta ver os exemplos em países como Cuba e Venezuela. Dois lixos. Do outro lado do mundo temos a Coréia do Norte e Albânia. O Brasil conhece o PT e seus comparsas. Nos países evoluídos, onde impera o sistema capitalista e a lei de mercado, o progresso é evidente baseado na meritocracia. Só um idiota apoiaria governos de esquerda...


Vila Fest

03/08


2015

Moro: reclamação de Cunha é manifesto erro

O juiz federal Sérgio Moro, que conduz todas as ações penais da Operação Lava Jato, afirmou ao Supremo Tribunal Federal que "é manifesto erro" a reclamação do deputado Eduardo Cunha (PMDB/RJ), presidente da Câmara. Em ofício ao presidente do STF, ministro Ricardo Lewandowski, o juiz da Lava Jato esclareceu que o nome do deputado foi mencionado nos autos de uma das ações penais sob sua guarda, desmembrada com autorização da própria Corte máxima. As informações foram enviadas por Moro em atendimento à solicitação de Lewandowski, a partir da reclamação do deputado.

Moro é taxativo. "O foro por prerrogativa de função não outorga ao titular o direito de não ter sequer o seu nome pronunciado por quem quer que seja, máxime por testemunhas ou acusados colaboradores em investigações ou processos previamente desmembrados pelo Supremo Tribunal Federal."

Eduardo Cunha foi citado em um processo que corre na primeira instância da Justiça Federal no Paraná, base da Lava Jato. Em depoimento em uma das ações criminais, o lobista Júlio Camargo – um dos delatores da Lava Jato – afirmou ter sido pressionado, em 2011, por Eduardo Cunha por uma suposta propina de US$ 5 milhões no âmbito de dois contratos de navios sondas da Petrobras.

A propina total teria sido de US$ 40 milhões, segundo Júlio Camargo. Irritado com a menção a seu nome em processo de primeiro grau, Eduardo Cunha recorreu ao Supremo alegando que parlamentar só pode ser processado perante o Supremo, pelo princípio do foro privilegiado.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Coluna do Blog
TV - Blog do Magno
Publicidade
Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Programa Frente a Frente
Apoiadores