06/07


2015

Mercado espera inflação acima de 9% em 2015

A inflação no país deve ficar em 9,04% em 2015, segundo o centro das estimativas de economistas e instituições financeiras consultadas pelo Banco Central. O valor é maior do que o projetado na semana passada, de 9% -ambos ficam acima do teto da meta, de 6,5%. A informação é do boletim Focus, divulgado semanalmente pelo BC.

Apesar de esperarem uma aceleração da inflação em 2015, os economistas diminuíram suas projeções para 2016. No ano que vem, a inflação deve ficar em 5,45% – há uma semana, esperava-se uma inflação de 5,50%. O valor fica acima do centro da meta do governo, de 4,50%, porém abaixo do teto da meta, de 6,50%.

Os economistas mantiveram a previsão sobre a taxa de juros Selic para o fim de 2015, que ficou em 14,5% ao ano. Para o fim de 2016, a taxa, que é o principal instrumento do governo para controlar a inflação, teve uma leve alta, para 12,06% – na semana passada, esperava-se uma Selic de 12%. A projeção é que o PIB brasileiro tenha uma queda de 1,5% em 2015.

Para 2016, espera-se crescimento de 0,5%, a mesma expectativa da semana passada. A taxa de câmbio deve fechar o ano em R$ 3,22 para o fim de 2015, segundo os economistas. Há uma semana, esperava-se que o valor fosse de R$ 3,20. Para o fim de 2016, espera-se um câmbio de R$ 3,40. Há uma semana, esperava-se uma taxa de R$ 3,37.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Comentários

sonia

Inflação ultrapassa a presidente. 9 % de aprovação X 9, 4% de inflação. Parabéns Dilma Rousseff !!!


TCE

06/07


2015

Minha cidade é linda

Pesqueira, no Agreste pernambucano, a 215 km do Recife, é destacada neste quadro de hoje em foto enviada pelo leitor Thácito Brito, mostrando o castelo erguido pelo comerciante Edvonaldo Torres. Passou 20 anos para ser concluído e foi inaugurado em 2009. A obra, que é residencial, foi erguida ao redor da casa do comerciante e virou um dos principais atrativos turísticos da cidade.

O comerciante afirma que a rua onde está o castelo perdeu um pouco em privacidade depois que começou a erguer a obra. Ele alega que quis esse estilo para chamar a atenção, provocar impacto visual e criar um ponto turístico para a cidade de Pesqueira. A história de Pesqueira começa em fins de 1659 e início de 1660 com a fundação de uma missão da Congregação do Oratório pelo padre João Duarte do Sacramento.

Tal missão fora fundada junto à tribo cariri de nome Xukuru, que habitava a serra do Ororubá (ou Urubá, ou até Ararobá, como aparece nos registros mais antigos). O local foi batizado pelo padre de Monte Alegre, que depois se tornou Cimbres e fora elevada à categoria de vila em 3 de abril de 1762.

A partir de 1800, uma fazenda começou a ser instalada ao pé da serra por Manoel José de Siqueira. A fazenda recebeu o nome de "Poço Pesqueiro" (ou "da Pesqueira", como também se encontra nos registros mais antigos) e começou a progredir com rapidez. Tanto que a 13 de maio de 1836, Poço Pesqueiro já era uma povoação vistosa e fora elevada a vila com o simplório nome de "Pesqueira".

Junto com a elevação a vila, Pesqueira recebeu a sede do Município de Cimbres (que no alto da serra, já não era tão viável para assuntos políticos e o comércio). Depois disso a cidade progrediu devido à instalação de fábricas de doces e beneficiamento de tomate. Em 1880 a vila foi elevada a cidade com o nome de "Santa Águeda de Pesqueira", que não vingou e recebeu o nome de "Pesqueira". A vila de Cimbres foi a ela anexada e, juntas, Cimbres e Pesqueira formaram o Município de Cimbres até 1913, quando "Pesqueira" passou definitivamente a ser o nome do Município, passando a antiga sede a mero distrito.

Pesqueira dispõe de boa infraestrutura, que inclui hotéis, pousadas, bares, restaurantes e movimentado calendário de eventos. A cidade realiza anualmente a "Festa da Renascença", um festival de músicas no meio do ano com artistas locais e consagrados. Além de privilegiada localização, Pesqueira conta com o Santuário de Nossa Senhora das Graças, local de adoração e centro de peregrinação católica. Faça uma foto bonita da sua cidade e nos envie para postagem neste quadro pelo magno@blogdomagno.com.br


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Arcoverde

06/07


2015

Meta do novo PMDB é conquistar Presidência

Do Portal UOL

Com ou sem Dilma Rousseff, o PMDB decidiu que vai trabalhar para manter-se no poder a partir de 2018, mas trocando o Palácio do Jabuti, sede da Vice-Presidência, pelo do Planalto. A despeito da crise que engole a atual gestão da presidente e dos rumores de encurtamento do mandato dela, os líderes peemedebista traçaram um projeto para ter um candidato forte na disputa pela Presidência daqui a três anos e meio.

Se Dilma permanecer até o fim de seu mandato, o caminho do PMDB rumo ao Planalto passará pelas gestões de Renan Calheiros (AL) e de Eduardo Cunha (RJ) nos comandos das duas Casas do Congresso e pela administração do prefeito Eduardo Paes no Rio de Janeiro, sede dos Jogos Olímpicos de 2016.

Antes de falar em nomes, a cúpula peemedebista acha que precisa utilizar essas três frentes para imprimir uma imagem de partido "pragmático", capaz de criar um terceira via entre a polarização tucano-petista das últimas décadas.

A intensa agenda imposta por Cunha e Renan no Legislativo, aliada ao sonhado sucesso dos Jogos, daria ao partido a oportunidade de construir um discurso "realizador" em 2018. Se isso der certo, o mais provável é que Paes e Cunha disputem a indicação para ser o candidato.

Até lá, Cunha e Renan devem trabalhar para manter Dilma fragilizada, pois uma presidente fraca significa um Executivo fraco, o que abre espaço para um Legislativo forte, avaliam. A estratégia dos dois é desgastar Dilma mediante sucessivas derrotas no Congresso.

A pauta de Cunha e de Renan busca o apelo popular, setorial e "federativo". Enquanto isso, Cunha cresce e se consolida como o "anti-PT". Segundo apurou o Estado, ele encomendou uma pesquisa de intenção de voto para presidente na qual aparece com 5%. Esse porcentual aumenta quando o nome do PSDB é Geraldo Alckmin (SP), e não Aécio Neves (MG).

No caso de Cunha, porém, antes de qualquer pretensão eleitoral, ele tem de ser inocentado na investigação dos desvios e da corrupção na Petrobrás, em que é acusado de ter recebido dinheiro do esquema. Quanto a Renan, também implicado nesse caso, o próprio partido avalia que ele tem uma imagem desgastada.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Comentários

Lucidio de Figueiredo Galvão Júnior

SE DEUS FOR BRASILEIRO ELES VÃO PASSAR MUITO TEMPO É NA PAPUDA, ATRÁS DAS GRADES, QUE É LUGAR DE LADRÃO.

Crisóstomo Menezes Lima

O PMDB SÓ ASSUMIRA UM DIA SE FOR PELO GOLPE, POIS MELHOR QUE ESSES 03 BANDIDOS APRESENTADOS FOI O GRANDE ULISSES E SÓ TEVE 4% DE VOTOS.


Banner Salgueiro

06/07


2015

Paulo participa de reabertura de Basílica

O governador Paulo Câmara e a primeira-dama do Estado, Ana Luiza Câmara, se somaram a centenas de fiéis que participaram, ontem, da cerimônia que marcou a reabertura da Basílica Nossa Senhora da Penha, no bairro de São José, Recife. 

Construída no Século 19, a igreja havia sido fechada em setembro de 2007 para realização das obras de infraestrutura. O Governo, por meio da Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe), destinou R$ 845 mil para a primeira etapa da restauração - para a segunda fase, que inclui a recuperação das torres sineiras, o repasse será de R$ 1 milhão, mediante um convênio.   

Após receber uma placa em agradecimento à colaboração do Estado no restauro da basílica, Paulo reafirmou seu compromisso de “governar em favor dos que mais precisam”. “Vamos buscar, permanentemente, a melhoria do serviço público; da saúde, educação e segurança pública. E trazer emprego e renda para o nosso povo”, garantiu Câmara, ao relembrar a última vez em que esteve na igreja, quando candidato ao governo, numa sexta-feira da tradicional benção de São Félix.

O chefe do Executivo estadual também conclamou os fiéis a “rezarem por um Pernambuco cada vez mais igual e mais justo”. “Um Pernambuco onde as ações cheguem a cada um dos pernambucanos. Rezem e peçam a Deus porque eu vou trabalhar muito para que isso possa acontecer”, cravou Paulo Câmara. O recurso assegurado pelo Estado foi empregado em intervenções na estrutura, instalações elétricas e na decoração de quase toda a igreja. Durante o período em que a basílica esteve em obras, as cerimônias e a benção de São Félix foram realizadas no pátio ao lado do templo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Stampa Midia

06/07


2015

A hora de radicalizar

Por Lauro Jardim - Radar Online

Na semana passada, desde que o fantasma do impeachment voltou a rondar o governo, Lula recebeu em seu instituto e conversou com integrantes radicalizados dos movimentos sociais.

A ideia é preparar a tropa de choque para brigar pelo governo e denunciar uma suposta “quebra da institucionalidade” ao se tentar tirar Dilma do poder sem uma razão jurídica sólida. Os encontros foram com líderes do MST ligados a José Rainha, ao movimento dos sem-teto e sindicalistas da CUT.

Nas conversas, planeja-se colocar integrantes desses movimentos nas ruas, caso o PSDB e setores do PMDB flertem com a interrupção do mandato de Dilma.

Diz um petista: - Tem gente que mata ou morre pelo Lula. Se isso acontecer, o Brasil pode virar uma Venezuela.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Comentários

Nehemias Fernandes Jaques

MARCO AURÉLIO: “NÃO POSSO IMAGINAR QUE TODAS ESSAS DELAÇÕES SEJAM ESPONTÂNEAS“ “Qual é a ordem natural? Apurar para, selada a culpa, prender-se em execução da pena” Em uma entrevista concedida ao jornal Correio Braziliense, o Ministro do Supremo Tribunal Federal Marco Aurélio Mello deu alguns pareceres em “off” sobre as prisões que ocorrem no Paraná sob a tutela do juiz Sérgio Moro.

Nehemias Fernandes Jaques

JE SUIS BRAHMA! Por que Lula é perseguido como um cão danado? Por que não o largam? Por que nossas classes dominantes não se esquecem dele? Já saiu da presidência e nada de o deixarem em paz. FHC descansa em paz, no conforto de Higienópolis ou Paris. Uma das razões é o prato de comida. Lula cometeu o desatino de imaginar que os brasileiros deviam fazer três refeições por dia. Quis mudar a história do Brasil, tirar o País do mapa da fome. Impossível, gritavam os adversários. Demagogia, bradavam. Louco, esbravejavam os sepulcros Caiados. E não é que ele conseguiu? Tirou o Brasil do mapa da fome, nossa grande vergonha. Por isso nossas elites não se esquecem dele. Por isso, tanto ódio, baba escorrendo pelos cantos da boca. E ainda por cima, diferente de outros ex-presidentes, continua na rua a fazer política, a falar, opinar. Pelo Brasil e pelos quatro cantos do mundo. Ousadia plebeia que patrícios da elite não aceitam. A Casa-grande não tolera intrusos. Lula foi longe demais. E ainda por cima, quem sabe, pode ser novamente candidato em 2018. Dose pra leão. Não vão deixá-lo em paz. Pensam assustá-lo. Difícil. Lula tem o couro curtido. E compromissos sólidos com o povo brasileiro.

sonia

Inflação ultrapassa a aprovação da presidente pesquisadora sobre mandioca Dilma Rousseff. O Banco Central acaba de informar 9,04%.



06/07


2015

A charge do dia


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


06/07


2015

Histórias de repórter (50)

Na manhã de 5 de novembro de 1993, uma sexta-feira esvaziada de notícias, o então superintendente da Sudene, Cássio Cunha Lima, decola do Recife rumo a Afogados da Ingazeira, minha terra natal, num velho Bandeirantes da autarquia para participar de um seminário regional promovido pelo Diário de Pernambuco.

A bordo, Joezil Barros, então diretor-executivo do jornal e este blogueiro, que já voltara a atuar em Brasília. Durante o voo, que durou uma hora, não senti nem tampouco ninguém da comitiva qualquer mudança no astral de Cássio, que tratou da sua gestão e contou até causos políticos da Paraíba, seu Estado.

Ao final do seminário, ofereci a Cássio e convidados um almoço na casa dos meus pais. Na verdade, um delicioso bode preparado com muito capricho e gosto pela minha mãe, que tinha especialidade num arroz temperado com o molho do próprio bode, o chamado arroz mexido, irrepreensível.

Mal Cássio dá a primeira garfada, o telefone da minha casa toca com um chamado urgente para ele, que, transtornado, nos pede desculpa e comunica que seria obrigado a viajar urgente para João Pessoa. Ainda insistimos para ele almoçar, mas não houve jeito. Cássio também não revelou o motivo, embora sua tensão deixasse no ar tratar-se de algo muito grave.

Naquela época sem as notícias online da internet não poderíamos saber o que estava acontecendo na Paraíba. Mas era algo muitíssimo bombástico. O então governador da Paraíba, Ronaldo Cunha Lima, pai de Cássio, havia disparado três tiros contra o seu antecessor, o ex-governador Tarcísio Burity, no restaurante Gulliver, um dos mais frequentados pela elite política paraibana.

Adversário e ferrenho critico de Ronaldo, Burity almoçava com amigos quando foi alvejado. Ronaldo não teria digerido as duras críticas e acusações que Burity fez ao seu filho Cássio Cunha Lima em um programa de televisão local, no dia anterior. O episódio ficou conhecido como o ‘Caso Gulliver’.

Com o passar do tempo, sempre foi apontado pelos adversários como uma mácula na carreira política da família Cunha Lima. Mesmo assim, o episódio nunca impediu sucessivas vitórias políticas das lideranças políticas familiares e nem dos seus aliados. Tanto que Ronaldo foi eleito para o Senado e contribuiu diretamente para a reeleição do senador Humberto Lucena, torpedeado por denúncias contra sua gestão como presidente do Congresso.

O atentado pegou muita gente de surpresa, até porque Ronaldo Cunha Lima era um poeta refinado, que fazia o diferencial em festas e eventos de Brasília, não apenas recitando poemas de sua autoria como também contando causos. Era, mais do que isso, admirado e reverenciado por segmentos da mídia.

Mas Ronaldo, segundo foi revelado depois, se dizia indignado com as acusações feitas em público contra seu filho, que já vinha sendo preparado para sucedê-lo na política. Depois, confessou a amigos que se arrependeria do seu ato até o último dia de sua vida.

Tarcísio Burity ficou vários dias em coma, mas conseguiu sobreviver. Ele morreu dez anos depois, em julho de 2003, vítima de falência múltipla dos órgãos, ocasionada por uma parada cardiocirculatória. Anos depois do atentado, uma das testemunhas do caso, o jornalista Marconi Góes, dos Diários Associados, fez revelações inéditas e bombásticas a uma revista da Paraíba.

Contou que a verdadeira intenção do ex-governador Ronaldo Cunha Lima, quando disparou três tiros em direção ao também ex-governador Tarcísio Burity, atingindo ainda uma cadeira, o paletó e o balcão do restaurante “Gulliver”, em Tambaú, era vingar-se publicamente e depois cometer suicídio, devido ao angustiado estado de espírito incorporado pelo poeta, no fatídico dia.

Revelou ainda que Ronaldo havia ficado transtornado desde a noite anterior, quando o “bispo” da seita batizada com o insólito nome de Igreja Católica Apostólica Brasileira de Campina Grande, “dom” Júlio Paiva Feliciano, havia desferido pesadas acusações contra Cássio no programa partidário exibido em rede nacional de televisão no horário eleitoral gratuito do PMN.

“Não suportando a pressão psicológica, Ronaldo partiu para o revide, defendendo a honra do filho agredido moralmente, perante todo o Brasil, pela TV. Foi uma pancada dolorosa demais, para ele”, lembrou o jornalista.

No dia 31 de outubro de 2007, Ronaldo Cunha Lima renunciou ao mandato de deputado federal, entregando carta à Mesa Diretora da Câmara dos Deputados em caráter irrevogável. O Supremo Tribunal Federal já havia marcado o julgamento de processo contra ele pelo atentado a vida do ex-governador Tarcísio Burity.

Com a renúncia ao cargo, Ronaldo perde seu foro privilegiado e o processo volta ser enviado à Justiça Comum da Paraíba. Já no início do mês de dezembro de 2011, ele dá entrada no hospital em João Pessoa, sentindo dores no estômago, quando foi diagnosticada um câncer já em estágio avançado.

Ronaldo Cunha Lima morreu no dia 7 de julho de 2012, na sua residência, no bairro de Tambaú, em João Pessoa. Mais de 20 mil pessoas acompanharam seu cortejo, em Campina Grande.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Naipes Consultoria

06/07


2015

Um vulcão chamado recessão

No Brazil existe um vulcão, chamado recessão. Somente o ajuste da economia poderá evitar a erupção, assim falou o cientista político The Gaulle aos seus discípulos. The Gaulle, o filósofo de Macaparana, Joaquim Francisco, e o Doutor Grilo encontraram-se nas pistas da Jaqueira e trocaram figurinhas sobre uma reunião havida nos idos do redescobrimento do Brazil, em 1984, quanto estava em curso a campanha das diretas-já.

“Reuniram-se numa caverna de Brazília, além do finado Pedrálvares, o general-presidente João Figueiredo, Tancredo Neves e o ex-ministro Delfim Neto. Tancredo disse para o general-presidente Figueiredo que as eleições diretas para presidente eram temerárias porque o poder seria entregue às esquerdas radicais. A melhor alternativa seria a eleição indireta via Colégio Eleitoral, segundo ele.

“Figueiredo estranhou -- Oxente, tu tava naquele comício das diretas-já na Cinelândia, ao lado da caterva vermelha. O que tu vai dizer agora pra tua galera? -- É vero, bicho, eu tava lá junto com a caterva, disse Tancredo. Agora eu só quero saber se os militares garantem minha posse quando eu der uma rasteira em Maluf no Colégio Eleitoral. -- Meta os peitos! Disse o general. Tancredo ganhou no Colégio Eleitoral e houve a transição democrática. Aquela foi a “Concertación” verde-amarela à moda da Espanha nos anos 1975.

“A saúde na política depende de um refrigério na economia, e vice-versa. A economia é um transatlântico, um transoceânico e não pode dar cavalo de pau. Não se pode dar cavalo de pau numa jamanta, nem um jumento. O ajuste fiscal vai demorar de três a quatro anos para dar um revestrés na economia. O filósofo de Macaparana, Joaquim Francisco, o cientista político The Gaulle e o Doutor Grilo entendem que deverá haver um pacto nacional para desativar os vulcões da instabilidade econômica e institucional”.

A crônica do bicho-grilo Adalbertovsky está postada na íntegra no Menu Opinião. Metam os peitos!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Onodera Estética

06/07


2015

Coluna da segunda-feira

   Convenção regada a ataques

A convenção que reelegeu, ontem, Aécio Neves presidente do PSDB, em Brasília, se deu num ambiente de confronto aberto com o Governo Dilma, com discursos virulentos, alguns pregando abertamente o seu impeachment. Líder do partido no Senado, o paraibano Cássio Cunha Lima chegou a convocar o povo brasileiro para ir às ruas em 16 de agosto, em defesa de novas eleições.

“Fomos derrotados por uma quadrilha organizada”, disse Cássio. Na mesma linha, o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio, disse que não há saída para o País superar o quadro de dificuldades política e econômica se não for com o povo nas ruas cobrando o afastamento imediato de Dilma, que, segundo ele, persegue Manaus por ser administrada por ele, um prefeito de linhagem tucana e de oposição.

Normalmente mais comedido, o senador José Serra, um dos pré-candidatos do partido para 2018, disse que o povo não aguenta mais tanta roubalheira, traições com medidas antipopulares e demissões em massa de trabalhadores. “Estamos assistindo ao pior Governo do País. Falam muito mal de Jango, mais perto de Dilma ele é um revolucionário”, disse, para acrescentar: “Estamos diante do pior governo da história do Brasil”.

Presidente do PPS, o deputado Roberto Freire falou abertamente em impeachment. “As pedaladas fiscais que estão para serem rejeitadas pelo Tribunal de Contas podem abrir a janela do impeachment. Se este for o caminho para sair desta perversa crise, o País tem que enfrentar”, afirmou.

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, também abandonou o discurso light e educado. Depois de fazer uma avaliação dos erros cometidos por Lula e Dilma, o tucano afirmou: “O PT não gosta de pobre, mas do poder. Gosta do poder a qualquer preço e não do social”. Fernando Henrique, aplaudidíssimo, em sua fala, disse confiar no poder de mobilidade da sociedade para tirar o PT do poder.

Depois de esperar por mais de duas horas, ouvindo discursos repetitivos em cima da crise e do governo Dilma, Aécio usou da palavra e afirmou confiar nas instituições sólidas do País para operar o abreviamento da crise nacional provocada “pela incompetência de Dilma e do seu governo”. “O povo foi enganado por esta quadrilha que se apoderou do País, mas está chegando a hora de o PSDB governar o País”, assinalou.

DISPUTA INTERNA– Ao chegar junto com o governador Geraldo Alckmin, potencial concorrente seu na disputa de 2018, o presidente reeleito Aécio Neves quis passar o sentimento de unidade no partido. De fato, a chapa da executiva uniu todas as tendências tucanas, mas nos bastidores existe uma movimentação em torno de Alckmin, que também já deu indicativos nessa direção. As pesquisas no cenário de hoje são bem mais favoráveis, entretanto, a senador mineiro.

Coalização à vistaPara deletar o PT do poder o PSDB é capaz de aceitar participar de um governo de coalizão com Michel Temer presidente. O que se diz em Brasília é que os ministérios da área econômica e a própria política econômica seriam entregues ao tucanato pela experiência bem-sucedida do Plano Real.

Mentira e desemprego– Escolhido vice-presidente da executiva nacional, o deputado Bruno Araújo não fugiu, em seu discurso, ao estilo agressivo da tucanada. Centrou em cima do desemprego, agravado, segundo ele, “pelas mentiras de Dilma”. Araújo afirmou que no Brasil, da reeleição de Dilma até os dias atuais, mais de um milhão de trabalhadores perderam seus empregos.

Baixas petistas– O senador Paulo Paim (RS) está com os dias contados no PT. Segundo ele, a política de arrocho salarial e de perda dos direitos dos trabalhadores, imposta pelo ajuste fiscal do ministro Joaquim Levy, está motivando sua provável saída do partido. Paim esteve no Recife no último fim de semana e admitiu que já está à procura de um novo partido. Como Marta Suplicy está indo para o PSB, na prática o PT terá duas baixas no Senado.

A reação de Mantega– Agredido num restaurante em São Paulo, o ex-ministro da Fazenda, Guido Mantega, desabou em seu Twitter: “O Brasil parece caminhar em terreno perigoso. Há algo diferente no ar, algo que ameaça a sólida democracia que o País. Trata-se da volta do autoritarismo, o que é inaceitável”.

 

CURTAS 

ATROCIDADE– Líder do PT no Senado, Humberto Costa diz que a Câmara dos Deputados, ao aprovar a redução da maioridade penal, cometeu uma atrocidade institucional. “Foi uma das maiores violações perpetradas contra a Constituição, que o Senado terá obrigação de rever”, afirmou.

JORNAIS- Policiais Rodoviários Federais de Pernambuco que desempenham atividades internas vão entregar, hoje, os cargos e funções de chefia e retornar às atividades externas — nas rodovias. Eles exigem a implementação da reestruturação do Departamento de Polícia Rodoviária Federal (DPRF). O ato será realizado na sede da Superintendência Regional da PRF, no Pina, a partir das 14 horas.

Perguntar não ofende: Teremos uma nova eleição ou um governo de coalizão? 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Comentários

Nehemias Fernandes Jaques

UTC têm o PSDB, segundo revista. O “chefe do clube dos bilionários” teria mostrado as planilhas com nomes de candidatos que receberam doações em campanhas Revista Veja desta semana traz uma reportagem exclusiva que revela os supostos documentos entregues por Ricardo Pessoa, dono da empreiteira UTC, investigada na Operação Lava Jato, que provariam o esquema de corrupção na Petrobras e detalhariam os repasses a políticos e campanhas. O apelidado “chefe do clube dos bilionários” teria mostrado as planilhas com nomes de candidatos que receberam doações na campanha de 2010. O jornal Folha de S. Paulo, citando a revista, aponta que existe uma coluna da tabela, intitulada “pedidos”, onde estão os donativos ilegais feitos naquele ano. Entre os citados estão o senador Aloyzio Nunes (PSDB-SP), que teria sido beneficiado com R$ 200 mil via caixa 2, além de outros R$ 300 mil em doações declaradas

marcos

Respondendo ao Senhor Guido Mantêga, quando Petistas jogavam tortas e hostilizavam Collor não havia ameaça sólida a Democracia !!!

marcos

Aqui prá nós, um presidente com 9% de aprovação em um pais democrata, já foi sentenciado aos LEÕS. Só falta marcar a dada do SEPULTAMENTO!!!

adalberto ribeiro

O governo Dilma depende um um refrigerio na economia, depende do ajuste fiscal, cujosefeitos somente poderão reverter a recessao em três ou quatro anos,no minimo. Até lá, o sufoco será inevitável. A Mulher Sapiens poderá depender de uma coalizão ou entendimento nacional, uma possivel tregua


Vila Fest

06/07


2015

"Me arruinaram", desabafa Dirceu

De Mônica Bergamo, hoje na sua coluna da Folha de S.Paulo:

Em meio às notícias de que poderia ser preso na semana passada, José Dirceu desabafava com interlocutores: "Me arruinaram". Afirmava que, depois da Operação Lava Jato, as empresas que ainda mantinham contratos com sua consultoria decidiram interrompê-los.

Dirceu disse a amigos também que, embora poucos acreditem, sua empresa tem hoje cerca de R$ 3 milhões de dívidas de impostos e bancárias, entre outras. E que está se desfazendo de patrimônio para quitá-las.

Nos tempos áureos, o petista chegou a ter, entre seus clientes, a Ambev, a Hypermarcas, o grupo ABC, do publicitário Nizan Guanaes, os bilionários Carlos Slim e Ricardo Salinas, do México, e Gustavo Cisneros, da Venezuela. E também praticamente todas as grandes empreiteiras do país, hoje envolvidas na Lava Jato.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Comentários

marcos

Isso é charminho, se Pedro Barusco um simples PAU MANDADO de Zé Dirceu devolveu U$ 97.000.000,00 milhões de Dolllares à petrobras quanto vocês acham que Dirceu tem lá fora?

Yramilson Sá de Oliveira

Se vai ter uma nova eleição ou um governo de coalizão? Não Magno, vamos ter o Governo Dilma até 2018. Ela foi eleita pelo povo. Os inconformados com a eleição de 2014 vão ter que esperar três anos. E aí o menino chorão do Aécio vai ter que brigar com Alckmin pra ser o candidato em 2018 dos Tucanos de bico de ouro. E mais uma vez Aécio vai perder quando o candidato vai ser Geral do Alckmin e Aécio. Aécio nunca vai ser presidente do Brasil

sonia

É só olhar bem a fisionomia do Zé e ver como ele está bem. KKKKKKKKKKKKKK Morreu e esqueceu de cair KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK


Coluna do Blog
TV - Blog do Magno
Publicidade
Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Programa Frente a Frente
Apoiadores