Paixão de Cristo

31/03


2015

É hoje: Estados e municípios.Bom para todos?

Renan Calheiros (PMDB-AL) ficou de consultar os líderes, mas o Senado deve aceitar nesta terça-feira o acordo proposto por Joaquim Levy (Fazenda) para o impasse na renegociação das dívidas de Estados e municípios. Levy acenou com a eventual devolução de valor pago a mais ainda no fim deste ano, mas os senadores presentes à reunião sabem que a prioridade do ministro será cumprir o superávit primário de 1,2% do PIB --para, só em 2016, encontrar uma solução definitiva. A informação é de Vera Magalhães, na Folha de S.Paulo desta terça-feira.

Primeiramente, -- lembra a colunista --, Levy acenou com um acordo que atendesse só a Prefeitura do Rio, mas foi alertado pelos senadores de que isso não resolveria a crise com os demais Estados e municípios.

A saída-tampão será apresentada pelo próprio ministro nesta terça em sessão da CAE (Comissão de Assuntos Econômicos).


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


31/03


2015

Bom senso leva Dilma a não enfraquecer Levy

Kenneddy  Alencar (Blog)

Depois de administrar mal no fim de semana uma declaração de Joaquim Levy e de criar uma crise de papel, a presidente Dilma Rousseff teve o bom senso nesta segunda-feira em visita ao Pará de afastar qualquer tipo de irritação com o ministro da Fazenda.

A presidente disse ter “clareza de que ele [Levy] foi mal interpretado”, ao se referir à afirmação do ministro sobre o “desejo genuíno” dela de acertar, mas nem sempre por meio da maneira mais “fácil” ou “efetiva”.

Os ares do Pará fizeram bem à presidente. Dilma agiu com sensatez e pragmatismo. Em vez de insistir em uma demonstração de autoridade desnecessária, ela decidiu reforçar o cacife do ministro da Fazenda, que terá missão dura amanhã (terça) ao lidar com questões econômicas urgentes e importantes no Senado. Tomara que a atitude de hoje dê início a uma nova fase presidencial.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


31/03


2015

Deputado e vereador: voto próprio, não do partido

Nas próximas eleições, deputados e vereadores poderão ser eleitos pelos votos reais que tiveram, por captação pessoal, e não pelo chamado voto proporcional, que é apurado com a soma de todos os votos dados a um partido.

O presidente da Comissão Especial da Reforma Política, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), quer esta mudança, Ele defendeu hoje a eleição de deputados federais pelo sistema majoritário, o chamado “distritão”, em que cada estado é transformado em um distrito e os candidatos mais votados estão automaticamente eleitos.

“Apesar de ser do DEM, concordo com a ideia defendida pelo PMDB, de que o ‘distritão’ é um passo a frente”, disse Maia, durante seminário promovido pela comissão especial, na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre, para debater com parlamentares, especialistas, autoridades e a população temas relacionados à reforma política.

Presente ao seminário, o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, reforçou o compromisso de votar a reforma política até o fim de maio.(Do blog de Renato Riella)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


31/03


2015

AntiDilma: FHC na articulação tucana na Câmara

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso marcou para o próximo dia 10 de abril uma reunião com deputados do PSDB, revela Clarissa Oliveira, no blog Poder Online..

FHC vai discutir com a bancada uma estratégia de atuação diante da crise que atinge a presidente Dilma Rousseff

A propósito, segundo Lauro Jardim, na sua coluna da Veja Online, Fernando Henrique Cardoso e Felipe González, ex-primeiro-ministro espanhol, vão montar um grupo de líderes mundiais para pedir a libertação dos presos políticos venezuelanos.

Ainda como parte do esforço para pressionar a Venezuela, Aécio Neves e Aloysio Nunes Ferreira comprometeram-se a fazer uma viagem à Venezuela, pelo Senado, para acompanhar a situação política do país. 

 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


31/03


2015

Apesar de PT na Secom, regulação é tabu

O fato de o PT ter assumido o controle da Secretaria de Comunicação Social do governo, com a nomeação de Edinho Silva, em nada deve interferir no andamento da proposta alardeada durante a campanha de regulação da mídia, observa Clarissa Oliveira, no blog Poder Online.

A indicação de Edinho Silva para a Secretaria de Comunicação Social do governo voltou a alimentar a gritaria em setores do partido contra a “paulistização” da cota do PT no ministério da presidente Dilma Rousseff.

Além de Edinho, são ligados ao PT de São Paulo vários ministros de Dilma, entre eles Aloizio Mercadante (Casa Civil), Ricardo Berzoini (Comunicações), Arthur Chioro (Saúde) e Luís Inácio Adams (AGU).


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Naipes Consultoria

31/03


2015

Mundo não crucifica Alemanha. Fosse no Brasil!!!

Renato Riella – (Blog)

Se fosse no Brasil, o país já estaria condenado pelo mundo, por ter deixado um Airbus, com 150 pessoas, nas mãos de um maluco. Mas na Alemanha, não…

É assustador saber-se que o copiloto da Germanwings, suspeito de ter feito o avião despencar nas montanhas na França, recebeu tratamento por tendências suicidas no passado.

Andreas Lubitz esteve em tratamento psicoterapêutico por tendências suicidas há vários anos, antes de ter obtido a licença de piloto”, informou o procurador de Düsseldorf, Ralf Herrenruck.

Além disso, no dia do desastre, ele estava com atestado médico que o afastava do trabalho, mas conseguiu voar para a morte, levando junto pessoas de diversas nacionalidades.

Estranhamente, o mundo está sendo muito condescendente com a Alemanha nesse episódio. Se fosse no Brasil…


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


31/03


2015

O shopping dos deputados

Bernardo Mello Franco – Folha de S.Paulo

Cafés, lojas, agências bancárias, praça de alimentação, estacionamento subterrâneo com mais de 4.000 vagas. Parece o projeto de um novo shopping center, mas não é. Tudo isso está prestes a ser construído pela Câmara, em Brasília, ao custo estimado de R$ 1 bilhão.

O chamado shopping dos deputados foi promessa de campanha do presidente Eduardo Cunha. Faz parte de um plano que inclui a reforma de um anexo e a construção de três novos edifícios. O mais alto terá dez andares na superfície e três no subsolo.

A justificativa oficial é de que os deputados, que têm dois meses de férias e passam a maior parte da semana longe da capital, andam sem espaço para trabalhar. Por isso, todos terão direito a trocar os gabinetes atuais, com área média de 40 m², por salas mais confortáveis, com 60 m².

Cunha também parece insatisfeito com o plenário da Câmara, onde os presidentes da República tomam posse e Ulysses Guimarães promulgou a Constituição. Seu projeto inclui a construção de um "plenário alternativo" com 700 lugares. Como a Casa só dispõe de 513 deputados, é possível que o passo seguinte seja uma emenda para ampliar o número de Excelências na próxima eleição.

O presidente da Câmara já declarou que "ninguém vai fazer shopping com dinheiro público". No entanto, o jornal oficial da Casa reconheceu ontem que o modelo de parceria público-privada só deve cobrir "parte do custo do investimento".

O edital para as obras foi lançado na última sexta, um mês depois de Cunha autorizar os colegas a usar verba pública para emitir passagens aéreas para suas mulheres. Nesse caso, a repercussão negativa forçou o peemedebista a voltar atrás.

Há opções mais baratas para aumentar o conforto dos gabinetes. Se quiser economizar o dinheiro alheio, Cunha pode começar despejando a presidência e a fundação de seu partido, o PMDB. A sigla paga aluguéis irrisórios para manter suas sedes em área pública, nos prédios da Câmara.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Stampa Midia

31/03


2015

Anos depois é que Lula nega seja aposentado

Renato Riella (Blog)

Lula nunca foi aposentado por invalidez. Esta surpreendente notícia saiu hoje. Prova como os petistas são incompetentes para lidar com a mídia e agora com as redes sociais. Há anos o boato é associado ao ex-presidente, de forma dura, desgastando sua imagem, e ninguém nunca chiou.

O não-aposentado negou, neste domingo, através da assessoria de imprensa de seu instituto, receber aposentadoria por invalidez por conta do acidente de trabalho em que perdeu o dedo da mão esquerda.

Segundo o comunicado, o esclarecimento foi motivado por “muitos boatos e mentiras espalhados na internet contra o ex-presidente”. Só que esses boatos são velhos e repetitivos. Pelo visto nunca chegaram ao conhecimento dos petistas, que devem viver numa torre cercada de bilhões de reais da Petrobras.

De acordo com o Instituto Lula, o acidente do ex-presidente aconteceu em 1964, quando o petista tinha 18 anos e trabalhava na Metalúrgica Independência, na cidade de São Paulo. “Lula recebeu, à época, uma indenização de 350 mil cruzeiros.”

“Lula não deixou de trabalhar. Se a história fosse verdadeira, ele não poderia ter continuado sua atividade como metalúrgico, depois dirigente sindical e muito menos cumprir seus mandatos de deputado e de presidente da República”, diz o comunicado.

Será que podemos acreditar nesta tardia explicação?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Biologicus

31/03


2015

Lembranças necessárias

Carlos Chagas

Durante os 21 anos do regime militar, todo dia 31 de março comportava comemorações públicas. Depois, as referências limitaram-se aos quartéis e às ordens-do-dia dos ministros castrenses. Os governos da Nova República ignoraram a data, hoje lembrada por número cada vez menor de quantos participaram da deflagração do golpe e, depois, de suas administrações.

Aqui e ali certos patetas empenham-se em pedir o retorno das forças armadas ao poder, esquecidos de que a História só se repete como farsa.

É preciso registrar, no entanto, que apesar dos excessos e da truculência com que os donos do poder enfrentavam os problemas nacionais, foi aos poucos que a opinião pública posicionou-se contra eles. A sucessão de atos institucionais e de pacotes arbitrários acabou levando multidões às ruas, exigindo a volta ao regime democrático. A natureza seguiu seu curso até que o último dos presidentes militares, general João Figueiredo, percebeu estar esgotado o modelo imposto em 1964. Pediu até que o esquecessem, tendo antes adotado as medidas necessárias, como o levantamento da censura, a anistia e a proibição da tortura. Não deve ser esquecido, pois dele também vieram iniciativas como o fim da lei de Segurança Nacional e a possibilidade de criação de novos partidos políticos.

Hoje virou moda todo mundo dizer que “lutou contra a ditadura”, mas não foi bem assim. A maioria acomodou-se, mesmo sem gostar dos que, sem mandato popular, impunham sua vontade.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Santana e Plácido

31/03


2015

Coluna da terça-feira

    Uma pindaíba geral

Estados e municípios andam numa pindaíba terrível, dependendo da rolagem de suas dívidas junto à União e de novos empréstimos. No encontro com a presidente Dilma, na semana passada, o tom foi nessa direção, endurecendo o diálogo, porque a chefona mandou logo avisar que era proibido tratar do assunto.

Ontem, foi a vez do prefeito do Recife, Geraldo Júlio (PSB), defender que a presidente autorize Estados e Municípios a contraírem empréstimos com financiamentos internacionais. "Uma coisa importante que os governadores colocaram foi a necessidade de liberar financiamentos, sobretudo financiamentos externos, para os governos estaduais e as prefeituras poderem investir e manter o emprego”, disse.

Para Geraldo, este é o momento em que todas as lideranças que se preocupam com os Estados e Municípios precisam lutar pelo emprego do povo brasileiro. “E os governos estaduais e municipais precisam fazer investimentos", afirmou. Os financiamentos externos, segundo ele, podem fazer com que estados e municípios mantenham o nível de investimentos sem pressionar o caixa do governo federal.

"Esse assunto foi colocado na reunião. Infelizmente, muita gente não viu, ou não foi publicado, uma decisão sobre isso", disse. Geraldo lembrou que a Prefeitura do Recife está negociando empréstimos de maneira manter o padrão de investimento dos últimos anos.

Para 2015, a meta é investir mais de R$ 400 milhões em ações e obras na capital pernambucana. "A Prefeitura está preparada para 2015. Vamos fazer todos os investimentos que estão previstos. Mas eu acho que é importante que o Brasil inteiro possa fazer isso", destacou.

NOVAS REGRAS– O senador Fernando Collor (PTB/AL) apresentou uma PEC que uniformiza as regras para a escolha de Procurador-Geral da República e dos Estados. Pelo texto, o procurador-geral da República poderá ser reconduzido ao cargo apenas uma vez e terá de desincompatibilizar antes de concorrer à reeleição. A PEC diz respeito também à democratização dentro do MP permitindo que membros de todo o Brasil concorram ao cargo de procurador-geral.

Violência no trânsito – Em apenas um ano, de 2013 a 2014, o número de vítimas em acidentes de trânsito em Pernambuco cresceu 8,5% de forma geral e 13% envolvendo motos. Dos dez leitos de UTI no Estado, seis estão ocupados por vítima de motos. Os dados já justificam a Frente Parlamentar de Trânsito criada na Alepe por iniciativa do deputado Eduino Brito (PHS).

 

 

MST chapa branca– Para o deputado Raul Jungmann (PPS), os números apresentados pela nova presidente do Incra sobre reforma agrária na era petista não batem com a realidade. “Assentamos mais do que o dobro em relação aos 12 anos do PT”, diz. Jungmann foi ministro da reforma agrária e atesta que o MST, considerado inimigo do Governo FHC, virou um movimento chapa branca com cargos e mais cargos no Governo.

Giro pelo Interior– Embora tenha interrompido o programa “Todos por Pernambuco” por duas semanas, o governador Paulo Câmara (PSB) continua com o pé na estrada. Hoje, em Bonito, ao lado do secretário de Transportes, Sebastião Oliveira, assina a ordem de serviço para recuperação de um trecho de 29,5 km da PE-103, entre Bezerros e Bonito.

Olho no Senado pelo PTB– Pelas negociações que se processam em Brasília, o DEM se incorpora ao PTB, estando descartado o surgimento de novo partido. Com a notícia de que o ministro Armando Monteiro está arrumando as malas para o PDT, o presidente do DEM em Pernambuco, Mendonça Filho, vira trabalhista, filiando-se ao PTB, para disputar uma das vagas ao Senado em 2018.

 

 

CURTAS

NAS PERIFERIAS– Diversos sindicatos e de movimentos de bairros de São Paulo decidiram levar para as periferias das cidades as manifestações contra o governo Dilma Rousseff. O primeiro ato foi marcado para 18 de abril no Jardim La Pena, em São Miguel Paulista, zona leste da capital paulista.

CURSO– Três vereadores de Iguaracy, no Sertão do Pajeú, participam de curso de capacitação em gestão pública em Brasília. A presidente da Câmara, Odete Soares, encara como uma oportunidade de qualificação dos parlamentares e de seus mandatos.

Perguntar não ofende: Renan banca ou não a indicação de Henrique Eduardo para o Turismo?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


30/03


2015

CPI para dar em nada?

A CPI da Petrobras instalada na Câmara caminha para repetir o mesmo expediente de outra, mista, encerrada em dezembro de 2014 no Senado. A prática adotada pelos deputados tem sido semelhante: apresentação de diversos requerimentos para convocar pessoas para depor que, no final, não são ouvidas. Ou, quando são chamadas, pouco acrescentam às investigações, porque nem sempre são os personagens principais da cadeia de pagamento de propina. Essa questão já chamou a atenção de outros colegas que, nos bastidores, temem que as investigações deem em nada.

A proposta do juiz federal Sérgio Moro de criar dispositivos na lei brasileira que permitam a prisão de acusados de crimes de corrupção antes do julgamento, além da sua defesa de mudanças no Código de Processo Penal, para tornar mais ágeis as punições aos acusados desses delitos, dividiu opiniões. Advogados ouvidos pelo jornal O Globo alegam que, ao manter presos os acusados da “lava jato”, antes de uma condenação, o magistrado vai contra a Constituição, que não permite a prisão antes de uma condenação definitiva.  As informações são do jornal O Globo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Onodera Estética

30/03


2015

Lava Jato: compra suspeita de petroquímicas

A operação “lava jato” começou a investigar transações de empresas petroquímicas feitas nos anos 2000 pela Petrobras, segundo fontes ligadas às investigações.

O foco são ativos negociados nos últimos 12 anos que acabaram incorporados pela Braskem em operações consideradas "estranhas" pelas autoridades — há suspeita, por exemplo, de preço excessivo pago pela estatal.

Controlada pelo grupo Odebrecht, a Braskem é hoje "um dos alvos mais importantes" para os investigadores. Atualmente, todas as transações de petroquímicas entre Braskem e Petrobras estão sob investigação.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se