FMO

24/08


2016

Exército concede ao juiz Moro a Medalha do Pacificador

O Exército do Brasil vai conceder ao juiz federal Sérgio Moro, que comanda a operação Lava Jato contra a corrupção, a Medalha do Pacificador, sua maior honraria. A decisão foi publicada na Portaria nº 946, de 4 de agosto, por decisão do Comandante da Força.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Agência Comunicação

24/08


2016

Temer prepara programa semanal de TV

Leandro Mazzini – Blog Coluna Esplanada

Na certeza de que será efetivado na Presidência da República semana que vem, o presidente Michel Temer vai investir na divulgação da própria imagem e do seu novo Governo.

Antes de viajar para a China, deve gravar o 'piloto' do programa batizado 'Conversa com o Brasil', que será exibido semanalmente pela TV Brasil e na rede NBR.

Segue assim os passos de Lula da Silva, que tinha programa diário 'Café com o Presidente' distribuído diariamente para rádios do País. Dilma Rousseff não quis essa interface com o cidadão – e pelo visto, nem com o Congresso Nacional.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Sopranor 1

24/08


2016

Confira a agenda dos candidatos à Prefeitura do Recife

Geraldo Júlio (PSB)

20h30 – Concede entrevista à TV Universitária

Local: Avenida Norte Miguel Arraes de Alencar, 68, Santo Amaro.

 

João Paulo (PT)

19h00 – Evento de assinatura de cartas compromisso do Observatório Recife e Plataforma Cidades Sustentáveis (em conjunto com o Instituto Ethos e Atletas do Brasil)

Local: Auditório do Prédio do Círculo Católico de Pernambuco | Rua do Riachuelo, 105 (10º andar) – Boa Vista.

 

Daniel Coelho (PSDB)

10h00 – Debate – Arquitetura e Clube de Engenharia – Câmara de Vereadores

19h00 – Debate – Observatório do Recife

19h30 – Debate – SindiCombustíveis

 

Priscila Krause (DEM)

10h00 – Debate promovido pelo Sindicato dos Arquitetos de Pernambuco (Endereço: Plenarinho da Câmara Municipal do Recife. R. Princesa Isabel, 410, Boa Vista).

13h – Gravação do guia eleitoral

18h – Sessão solene na Assembleia Legislativa do Estado. Entrega do título de cidadão pernambucano ao escritor Joselito Nunes.

 

Carlos Augusto (PV)

10h – Participa de Debate promovido pelo Sindicato dos Arquitetos do Estado de Pernambuco e Clube de Engenharia de Pernambuco.

Local: Câmara Municipal do Recife (Plenarinho)

14h – Debate na Associação de Docentes da Universidade Federal de Pernambuco (Adufepe)

Av. dos Economistas, S/N, Campus da UFPE

19h30 -  Cerimônia de assinatura da Carta Compromisso do Instituto Ethos e Atletas pelo Brasil.

Local: Edifício Círculo Católico, Rua do Riachuelo, 105, décimo andar.

 

Os demais candidatos não enviaram as suas agendas até o fechamento desta matéria


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banner - Hapvida

24/08


2016

Coluna da quarta-feira

    PT só com chances em duas capitais 

Em 17 capitais que o Ibope realizou a primeira pesquisa de intenção de voto, o PT só aparece com chances de ganhar ou disputar um segundo turno no Recife, com o ex-prefeito João Paulo, e em Porto Alegre, com Raul Pont. Em São Paulo, principal colégio eleitoral do País, o prefeito petista Fernando Haddad está longe de sonhar com a reeleição. Ali, quem lidera é o deputado Celso Russomano (PRB), seguido por Marta Suplicy (PMDB). No Rio, segundo maior colégio eleitoral, quem está na dianteira é o Pastor Crivella, também do PRB.

Em Belo Horizonte, o PT não tem nem candidato. O preferido é o tucano João Leite. No Nordeste, com exceção do Recife, o PT sumiu. Em Salvador, lembrado por 68% dos eleitores ouvidos pelo Ibope, o prefeito ACM Neto, do DEM, só perde se houver uma hecatombe. Em Fortaleza, capital do Estado do Ceará, governador pelo petista Camilo Santana, quem aparece na frente é o pedetista Alberto Cláudio, o Capitão, do PR, vem em segundo e a petista Luizianne Lins é a última colocada.

Em Maceió, o candidato do PT, Paulão, aparece com apenas 3%. A briga está polarizada entre o prefeito Rui Palmeira (PSDB) e o peemedebista Cícero Almeida, enquanto em Natal o prefeito Carlos Eduardo (PDT) se apresenta na liderança com 36%, estando o candidato do PT, Fernando Mineiro, com apenas 4%. Já em Teresina, capital de um Estado também governado por um petista, Wellington Dias, quem está à frente das pesquisas é o prefeito Firmino Filho, do PSDB, candidato à reeleição.

Em João Pessoa, o prefeito Luciano Cartaxo, que lidera com folga, poderia ser outra exceção do PT, mas deixou o partido no meio mandato desapontado com os escândalos federais. No Sul, em Florianópolis a prefeita Ângela Amin, do PP, tem amplas chances de garantir mais um mandato, sem que o PT tenha apresentado sequer um nome para entrar na disputa. No Norte, o PT também está em frangalhos em Manaus, cujo favorito é o prefeito Arthur Virgílio, e em Porto Velho quem lidera é o trabalhista Léo Moraes.

Surpreendentemente, na cidade onde Lula vive em uma luxuosa cobertura, o caminho para o candidato do PT chegar ao Paço Municipal se mostra um dos mais difíceis até o momento. Maior cidade da região, São Bernardo é administrada pelo ex-ministro de Lula, Luiz Marinho, que encerra em 2016 o segundo mandato na cidade e tenta agora eleger seu sucessor, o secretário de Serviços Urbanos, Tarcísio Secoli.

O fraco desempenho dos candidatos do PT nas capitais está relacionado aos escândalos no Governo Dilma, herdados da era Lula, sendo o maior a operação Lava Jato. Diante disso, conforme o Ibope já identificou, 2016 tem tudo para ser o ano mais difícil da história da sigla em embates eleitorais. Tanto porque sua imagem foi profundamente desgastada pelas investigações, como pela crise econômica que levou o governo Dilma a uma aprovação nanica, perto de 10%.

TETO DE GASTOS – Em conversa com o presidente da comissão especial da PEC do Teto de Gastos na Câmara, Danilo Forte (PSB-CE), o presidente em exercício Michel Temer pediu prioridade na tramitação do texto. Segundo o deputado, essa é uma medida considerada fundamental pelo Governo, que quer a conclusão da tramitação até o fim do ano. Temer pediu para que fosse mantido o formato original da proposta. A expectativa, segundo o deputado, é que depois das eleições municipais, a proposta seja aprovada na Câmara e até o fim do ano pelo Senado.

Briga com PSDB radicalizouA volta do deputado André de Paula, presidente estadual do PSD, à Câmara dos Deputados, tem a ver com a decisão do PSDB de bater fofo no acordo para apoiar a reeleição do prefeito do Recife, Geraldo Júlio (PSB). O sétimo suplente, atualmente no exercício do mandato, é o ex-prefeito de Petrolina, Guilherme Coelho, de DNA tucano. O Governo avaliou que o PSDB fez uma opção de candidatura própria no Recife para atrapalhar a reeleição de Geraldo e tem que ser tratado como adversário.

 

Só líderes na tribuna– Os senadores tucanos defenderam que apenas os líderes partidários discursem na sessão do impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff. A decisão foi tomada, ontem, após reunião com ministros da articulação política do Governo Michel Temer. A ideia é encurtar a conclusão do julgamento, que começará  amanhã. Aliados de Dilma Rousseff, no entanto, buscam estender ao máximo a sessão, na esperança de reverter alguns votos. O Palácio do Planalto prevê, pelo menos, 60 votos favoráveis ao impeachment.

Acompanhamento de pesquisas–Assim como nas eleições de 2014 e 2012, neste ano será possível acompanhar a divulgação de pesquisas eleitorais do Ibope Inteligência pelo smartphone e tablet. Isso porque a empresa lançou, ontem, uma nova versão do aplicativo que apresenta os resultados das pesquisas de intenção de voto. Com um visual totalmente remodelado e novas ferramentas em relação à eleição passada, o Ibope Eleições torna mais simples e prático o acesso às pesquisas eleitorais da empresa. A novidade, desta vez, é que as informações serão disponibilizadas no momento em que forem divulgadas pelos clientes.

À caça dos indecisosNa semana em que o plenário do Senado iniciará o julgamento final da presidente afastada Dilma Rousseff no processo de impeachment, o presidente em exercício, Michel Temer, tem dedicado sua agenda à intensificação do corpo a corpo com os senadores. Em dois dias, a agenda oficial de Temer incluiu reuniões com nove parlamentares que votarão no julgamento de Dilma. Na manhã de ontem, por exemplo, o presidente em exercício recebeu, no Palácio do Planalto, os senadores Edison Lobão (PMDB-MA), João Alberto Sousa (PMDB-MA) e Roberto Rocha (PSB-MA).

CURTAS

NEGATIVA– O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, diz que não houve vazamento de informações do Ministério Público Federal sobre termos da negociação para um acordo de delação premiada entre o ex-presidente da OAS José Aldemário Pinheiro, conhecido como Léo Pinheiro, e o MP. Reportagem da revista "Veja" aponta uma suposta citação ao ministro Dias Toffoli, que teria sido mencionado pelo presidente da OAS, Léo Pinheiro, nas negociações com procuradores do Ministério Público de uma eventual delação premiada do empreiteiro.

OBRIGADO, GENTE! – De coração, agradeço todas as mensagens carinhosas e emocionantes que recebi ao longo do dia de ontem pela passagem do meu aniversário. Partiram de leitores do blog, ouvintes do programa Frente a Frente e de uma legião de anônimos que acompanha o meu trabalho. Confesso que isso é extremamente gratificante. É o combustível que necessitamos para continuar na luta incessante por notícias.

Perguntar não ofende: Qual vai ser o placar da cassação do impeachment: 59, 60 ou 61 votos?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

lino perrelli

Fazer política (PSDB-PE) não é coisa para (assessores/secretários) neófitos; os próprios, vaidosos, vão bem até chegar uma eleição... após o quê, choram os correligionários perdidos e/ou subtraídos... quando então nada resta fazer!

Luiz

\"O governo avaliou que o PSDB lançou candidatura própria pra atrapalhar reeleição de Geraldo..\" Sério??? Achei que tinha sido pra ajudar!! gênio turbulêncianoPSB

marcos

Quem roubou mais, Aécio, Lula ou Dilma Jumenta? Quem acertar ganha 13 pixulecos !!!

marcos

Amanhã começa a última etapa do TCHAU QUERIDA !

marcos

Todo mundo sabe que o problema não é só da Dilma ou do PT, o Problema do Brasil está em Lula, Dilma Jumenta, PT, PMDB e PP. Logo não somos idiotas \"midiotizados\".



24/08


2016

Gilmar, o ministro do Supremo que coleciona polêmicas

Nas últimas semanas, magistrado atacou a Lei da Ficha Limpa e agora se volta à Lava Jato

El País - Gil Alessi

“Sem querer ofender ninguém, mas já ofendendo, parece que (a Lei da Ficha Limpa) foi feita por bêbados. É lei mal feita. Ninguém sabe se é contas de gestão, de Governo”, criticou Mendes durante sessão do Supremo. Houve reação da OAB e de órgão promotores da lei de iniciativa popular que pretende evitar que políticos condenados possam se candidatar.

Nesta semana, a metralhadora de Mendes se voltou contra os procuradores da Lava Jato, em quem ele viu "delírios autoritários" após a revista Veja citar uma suposta informação de uma delação premiada que implicava seu colega de Corte, Antonio Dias Tofolli. O Ministério Público negou que a informação da Veja exista e retrucou o magistrado.

Indicado para o Supremo Tribunal Federal em 2002, durante o Governo do então presidente tucano Fernando Henrique Cardoso – no qual exercia o cargo de Advogado Geral da União -, Gilmar Mendes é considerado um controverso integrante da Corte. Seus 14 anos como membro do mais alto tribunal foram marcados por polêmicas, discussões com colegas e críticas ao PT, a Dilma Rousseff e principalmente ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Nas últimas semanas, no entanto, o magistrado conseguiu se indispor com grupos ainda mais amplos ao criticar a Lei da Ficha Limpa durante um julgamento e ao desferir duro ataque contra os procuradores da Operação Lava Jato, aos quais até pouco tempo ele se mostrava simpático.

Leia mais:Gilmar Mendes, o ministro do Supremo que coleciona polêmicas


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

N. Power

Não é a primeira vez que o dias tofoli entra numa fria. Já teve vários borogodos , inclusive com Noblat

N. Power

De que ele (o ministro) tem medo para se revoltar a esse ponto? desconfio...

azevedo

Se a Veja mentiu, tem que ser processada.



24/08


2016

Janot diz ser estelionato acusações contra Toffoli

Janot disse que decidiu encerrar as negociações com a OAS por quebra de confiança

O Globo - Jailton de Carvalho e Carolina Brígido

Num contundente discurso na reunião do Conselho Nacional do Ministério Público Federal nesta terça-feira, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, classificou de "estelionato delacional" a divulgação de suposta acusação do ex-presidente da OAS Leo Pinheiro contra o ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF). Segundo Janot, não há qualquer referência a Toffoli ou a qualquer outro ministro do STF nos anexos do pré-acordo de delação que Pinheiro estava negociando com os procuradores da Operação Lava-Jato. Janot fez as declarações ao explicar porque decidiu encerrar as negociações para um acordo de colaboração com Pinheiro. 

- Reafirmo que não houve, nas negociações de colaboração dessa empreiteira nenhuma referência, nenhum anexo, nenhum fato enviado ao Ministério Público que envolvesse essa alta autoridade do Judiciário. A gente vaza aquilo que tem. Se você não tem a informação, não tem o acesso, você vaza o quê ? Você vaza o nada, aquilo que você não tem. Não vaza. Não sei a quem interessa essa cortina de fumaça - disse, complementando.

Leia mais: Procurador-geral classifica de estelionato acusações contra Toffoli


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

lino perrelli

Janot; VERGONHA NACIONAL!

N. Power

Perguntar não ofende : Por que essa gente têm tanto medo desse tal leo pinheiro? Parece que a latrina está entupida de gente graúda


Senai 4.0

24/08


2016

Impeachment: corpo-a-corpo de Temer para ferrar Dilma

Interino recebe senadores que não declararam voto, enquanto aliados de petista esperam reação

El País - Afonso Benites

Enquanto propaga aos quatro ventos que a batalha pelo impeachment de Dilma Rousseff (PT) já está ganha, o presidente da República em exercício, Michel Temer (PMDB), intensificou conversas com um grupo de senadores que se declaram indecisos ou que não revelaram seus votos no julgamento da presidenta afastada.

Às vésperas da votação do impedimento da petista pelo Senado – prevista para iniciar no dia 25, a próxima quinta-feira –, Temer se encontrou com oito senadores entre segunda e terça-feira, sendo que em quatro deles o Planalto identificou algum risco de votar a favor de Rousseff. Todos esses encontros foram marcados de última hora e trazem à tona uma estratégia política do Governo para superar os 54 votos necessários para condenar a presidenta. A expectativa de ministros e de senadores da base é que 61 dos 81 parlamentares votem pelo impeachment. Enquetes feitas pela imprensa brasileira, no entanto, mostram que menos de 50 parlamentares declaram seu voto contra a presidenta afastada.

Oficialmente, as reuniões no Palácio do Planalto ocorreram para discutir assuntos locais de interesses dos parlamentares, como a conclusão de obras paradas ou a liberação de recursos para municípios de suas bases eleitorais. O presidente interino não mencionou uma palavra sobre o julgamento, conforme participantes dos encontros. Cabia a auxiliares deles tratarem do tema ao término de cada audiência. 

Continue lendo:O corpo-a-corpo de Temer para garantir o impeachment de Dilma


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Sesi 4.0

24/08


2016

Lava Jato leva para briga Gilmar Mendes e Janot

Em guerra: o ministro do Supremo Gilmar Mendes e Rodrigo Janot, procurador-geral da República

Folha de S.Paulo

A condução da Lava Jato e a formulação de sua principal bandeira legislativa, um pacote de medidas enviado ao Congresso, abriram um embate entre Gilmar Mendes, ministro do Supremo Tribunal Federal, e o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, chefe do Ministério Público Federal.

Mendes chamou de "cretino" o autor de uma proposta defendida pelo Ministério Público e pelo juiz federal Sergio Moral de que provas ilícitas obtidas de boa fé sejam utilizadas em ações.

Janot reagiu dizendo que vê uma ação orquestrada contra a Lava Jato.

Em ataque a procuradores e ao juiz federal Sergio Moro, Mendes afirmou nesta terça-feira (23) que os integrantes da força-tarefa que apura o esquema de corrupção da Petrobras deveriam "calçar as sandálias da humildade".

A declaração foi dada um dia depois de o mesmo ministro afirmar, à Folha, que investigadores eram suspeitos de vazar informação de suposto envolvimento do seu colega de STF Dias Toffoli com a empreiteira OAS.

Instado nos bastidores por outros procuradores a reagir, Janot declarou que não há qualquer documento do Ministério Público da negociação com a OAS mencionando Toffoli. Chamou de "quase estelionato delacional", "factoide" e "invencionice" o episódio.
Pouco antes, Mendes, muito próximo de Toffoli dentro da corte, havia subido o tom contra o Ministério Público.

"É aquela coisa de delírio. Veja as dez propostas que apresentaram. Uma delas diz que prova ilícita feita de boa fé deve ser validada. Quem faz uma proposta dessa não conhece nada de sistema, é um cretino absoluto. Cretino absoluto. Imagina que amanhã eu posso justificar a tortura porque eu fiz de boa fé?".

Segundo ele, "esses falsos heróis vão encher os cemitérios, a vida continua". Nem o ministro nem o procurador citaram nomes em suas críticas. Moro não quis comentar as declarações de Mendes.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Odonto Personalité

24/08


2016

PMDB quer aprovar aumento salarial a ministros do STF

Temer ouve André Moura, líder do governo na Câmara, após reunião com ministros - André Coelho / Agência O Globo

 Partido de Temer atua na contramão do discurso de austeridade com as contas públicas

O Globo - Júnia Gama, Isabel Braga e Letícia Fernandes

Na contramão do discurso de austeridade com as contas públicas, o PMDB, partido do presidente interino, Michel Temer, vem tentando acelerar a aprovação dos projetos que concedem aumentos salariais aos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), ao procurador-geral da República e aos defensores públicos.

A proposta do Supremo, que serve como teto do funcionalismo e tem efeito cascata para toda a administração pública do país, vinha sendo apoiada, inclusive, pelo ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira. Diante da resistência do PSDB e do DEM, que vêm se desentendendo com o governo em relação à condução da pauta econômica, o Executivo recuou na segunda-feira. Mas apenas temporariamente.

Agora, o discurso é adiar ao menos para depois da votação do impeachment — daqui a dez dias — a apreciação de projetos que concedem reajustes, incluindo a servidores da Receita Federal e da Polícia Federal, matérias enviadas ao Congresso por Temer há cerca de um mês

Leia mais: PMDB trabalha para aprovar aumento salarial aos ministros do STF


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Naipes

24/08


2016

Não adianta brigar com a notícia

Carlos Chagas

Em dois anos, tudo pode acontecer, até não acontecer nada. Assim, a indagação que se estende para 2018 refere-se a quem será o adversário do Lula no segundo turno das eleições presidenciais. Porque, de início, não se cogita de acabar com o sistema de votação em  dois turnos, um com todos candidatos, outro apenas com os dois primeiros, ficando o vencedor obrigado a apresentar  a metade mais um  dos votos.

Apesar da torcida que fazem os principais partidos, mais boa parte do eleitorado, das elites, das forças conservadoras e da mídia, a verdade é que o ex-presidente será o candidato do PT e forças afins, mais a maioria dos sindicatos e a legião dos  temerosos beneficiados dos programas sociais hoje ameaçados. Dúvidas inexistem de que  a campanha do Lula já começou, e mais se acentuará após as eleições municipais.

Do outro lado, a incógnita prevalece: o segundo colocado será Aécio Neves, Geraldo Alckmin, José Serra, Marina Silva, Ciro Gomes, Henrique Meirelles,   Ronaldo Caiado, Jair Bolsonaro ou, hipótese em aberto, Michel Temer? Um deles será forçosamente convocado a  terçar armas com o primeiro-companheiro, por maiores esforços que façam seus adversários nessa frente ampla temerosa de mais uma derrota.

Torna-se necessário praticar aquela regra tão simples no jornalismo, ainda que combatida ao máximo por parte da população: é impossível brigar com a noticia. E a noticia, hoje, como ontem e talvez amanhã, dá ao Lula lugar garantido no primeiro turno das eleições presidenciais, abrindo-se o leque das especulações sobre quem ocupará o segundo lugar.

O resto  são dúvidas: o ex-presidente encontrará forças para, na hora da decisão,  superar a frente ampla certamente organizada contra ele?  E já entrado nos setenta anos, estará fisicamente preparado? Encontrará meios para retomar as propostas que realizou pela metade, nos seus dois primeiros governos?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


24/08


2016

Corrupção: combate deixa qualquer um de cabelo em pé

Moica Bergamo - Folha de S.Paulo

As propostas de combate à corrupção defendidas pelo Ministério Público Federal e pelo juiz Sergio Moro, duramente atacadas pelo ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal), mobilizam também advogados renomados do país. Reunidos no IDDD (Instituto de Defesa do Direito de Defesa), eles pretendem levar documentos a Brasília para fazer contraponto a teses dos procuradores.

A entidade, fundada pelo ex-ministro Marcio Thomaz Bastos, estaria também preparando um estudo com "a opinião de professores, inclusive estrangeiros, para entender como é a experiência internacional" no tema.

Uma das ideias já merece a repulsa de advogados: a que defende que provas obtidas de forma ilícita sejam consideradas válidas se "o agente público houver obtido a prova de boa-fé ou por erro escusável". Tofic Simantob diz que "esse salvo-conduto para agente estatal cometer ilegalidades é de deixar qualquer um de cabelo em pé". E segue: "Se o primeiro pacote de propostas diz isso, eu fico imaginando o que mais pode vir por aí". A mesma proposta foi definida pelo ministro Gilmar Mendes, do Supremo, como "delírio totalitário" dos procuradores do Ministério Público, que estariam "possuídos de um tipo de teoria absolutista de combate ao crime a qualquer preço".


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


24/08


2016

Eleições: PT rejeita plebiscito proposto por Dilma

Executiva Nacional do partido rejeitou plebiscito sobre novas eleições, proposto pela presidente afastada

Folha de S.Paulo – Catia Seabra

A cúpula do PT rejeitou, por 14 votos a 2, a proposta apresentada pela presidente afastada, Dilma Rousseff, pela convocação de plebiscito sobre antecipação de eleições no Brasil. Reunida nesta terça-feira (23), a Executiva Nacional do partido votou contra a publicação de um documento que endossaria a sugestão de Dilma.

Foi a primeira vez que o comando do PT se manifestou formalmente sobre a proposta. A emenda –apresentada pelo secretário de Formação do PT, Carlos Henrique Árabe– reproduzia um trecho da carta de compromissos divulgada por Dilma na tentativa de reverter a tendência pelo impeachment no Senado.

E sugeria uma declaração do partido em favor do plebiscito.

"O PT apoia a afirmação da presidenta Dilma na sua carta histórica ao povo: 'Estou convencida da necessidade e darei meu apoio irrestrito à convocação de um plebiscito, com o objetivo de consultar a população sobre a realização antecipada de eleições, bem como sobre a reforma política e eleitoral'", dizia o texto que foi rejeitado.

Na reunião, prevaleceu a avaliação do presidente do PT, Rui Falcão, de que a promessa de um plebiscito não teria, neste momento, capacidade de atrair senadores contra o impeachment. Falcão nega, porém, que esse seja um sinal de afastamento.

"A carta foi amplamente reproduzida em nosso site. Por que repô-la aqui?", justificou Falcão.

O debate sobre plebiscito causou acalorada discussão durante a reunião. Falcão questionou declarações de Árabe, que o chamou de "usurpador" por ter se manifestado contra o plebiscito.

Na reunião, reconheceu ter se excedido na expressão "usurpador". Mas reafirmou que Falcão não deveria ter se declarado contra a antecipação das eleições sem prévia consulta ao partido.

Embora não defenda o plebiscito, o documento incentiva a realização de ato contra o impeachment e condena o governo de Michel Temer como "usurpador" e ameaça aos direitos sociais.

"Mas a ação nefasta estende-se à política altiva e ativa do Itamaraty, agora transmutada pelo golpista José Serra em alinhamento automático e submisso aos Estados Unidos", acrescenta.

O documento aponta a realização dos Jogos Olímpicos no Rio como uma vitória de Lula e Dilma. "As Olimpíadas recém encerradas, cuja realização é uma inegável conquista dos governos Lula e Dilma, mostraram ao mundo um país orgulhoso de si, que não aceita retrocessos e que aprendeu a ocupar seu lugar no mundo", diz. 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Bm4 Marketing 7

24/08


2016

Indignação de ocasião

Os ministros do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes e Dias Toffolli conversam entre si

Bernardo Mello Franco - Folha de S.Paulo

A crise entre o Ministério Público e o Supremo alcançou um novo patamar nesta terça (23). A água que esquentava desde o fim de semana atingiu o ponto de ebulição. Coube ao ministro Gilmar Mendes soprar o apito. Ele atacou os procuradores da Lava Jato, a quem acusou de vazar uma pré-delação para constranger o tribunal.

Gilmar abriu o verbo depois de a operação esbarrar na proximidade entre o empreiteiro Léo Pinheiro e o ministro Dias Toffoli. Ele sugeriu à colunista Mônica Bergamo que os procuradores seriam movidos a "delírios totalitários". "Me parece que [eles] estão possuídos de um tipo de teoria absolutista de combate ao crime a qualquer preço", afirmou.

Mais tarde, ao jornal "O Estado de S. Paulo", o ministro disse que "é preciso colocar freios" nos investigadores, que se sentiriam "onipotentes". Sem apresentar provas, ele disse que os procuradores "decidiram vazar a delação" para fazer um "acerto de contas" com seu colega.

O procurador Rodrigo Janot aderiu ao bate-boca. Depois de suspender a delação sem explicar suas razões, ele disse que a menção a Toffoli teria sido inventada. Em seguida, num recado a Gilmar, questionou: "A Lava Jato está incomodando tanto? A quem e por quê?"

O ministro tem certa razão ao pedir que os procuradores calcem as "sandálias da humildade", embora ele nunca tenha encontrado um par do seu número. Desde o início da Lava Jato, é comum ver investigadores exagerando na autopromoção e no ativismo político. No entanto, chama a atenção que Gilmar tenha resolvido protestar quando a operação ameaça atingir um de seus colegas.

Os ministros do Supremo merecem respeito, mas não podem ser tratados como indivíduos acima da lei. Em março, quando a Lava Jato divulgou gravação de Lula e Dilma Rousseff, Gilmar não manifestou a mesma indignação com o vazamento. Na época, o que importava para ele era discutir "o conteúdo" do grampo. 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

lino perrelli

Farinhas de sacos iguais...


Márcio Calheiros

24/08


2016

Janot sinalza limites a procuradores e advogados

Há claramente uma disputa de poder entre procuradores da força-tarefa da Lava Jato e ministros do Supremo Tribunal Federal, como Gilmar Mendes e Dias Toffoli. Reportagem recente da revista “Veja” é inconsistente para sustentar eventual crime de Dias Toffoli.

Pelo que foi publicado, no máximo, há exposição de uma relação de amizade entre o ministro do STF e o presidente da OAS, Leo Pinheiro, que seria, no limite, inadequada para um magistrado. No entanto, não aponta crime ou indício de delito cometido por Dias Toffoli.

Logo, se isso realmente faz parte de pré-acordo de delação, é injusto com Dias Toffoli. Também é preocupante, porque revelaria a aceitação por parte da Procuradoria Geral da República de uma informação com valor apenas para criar constrangimento a um ministro do Supremo.

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, reagiu rompendo a negociação da delação de Leo Pinheiro, o que sugere que o comandante do Ministério Público Federal considera que advogados da OAS tenham vazado essa informação para criar um fato consumado ou que tenha havido algum abuso de sua equipe.

Quando Dias Toffoli libertou o ex-ministro Paulo Bernardo, procuradores o criticaram publicamente. O ministro Teori Zavascki já fez reparos a decisões de Sérgio Moro que considerou indevidas. É natural que haja conflitos, mas é importante separar o joio do trigo. (Kennedy Alencar)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


24/08


2016

Quem ganha com vazamentos?

Carlos Brickmann

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, suspendeu a delação premiada de Leo Pinheiro, o presidente da empreiteira OAS. Motivo: o vazamento de parte da delação, divulgado na capa da última Veja. 

Pergunta 1 - Que será feito com a delação de Marcelo Odebrecht, amplamente vazada, amplamente comentada, até nesta coluna?

Pergunta 2 - O vazamento é ilegal e anula a delação - a teoria do fruto da árvore contaminada, que deve ser descartado. A Operação Castelo de Areia, que atingia uma grande empreiteira, foi anulada assim. Quantos processos foram abertos contra responsáveis por vazamentos?

Pergunta 3 - O caso do apartamento do Guarujá e do sítio de Atibaia se baseiam largamente em delações da OAS. O caso se sustenta sem isso?

Pergunta 4 - Que acontecerá com uns 70 anexos da delação de Pinheiro?

A parte da delação de Leo Pinheiro que atinge o ministro Dias Toffoli é fragilíssima - aliás, não lhe imputa crime. Levantar suspeitas sobre o ministro, ou o STF, por eventuais pressões, é no mínimo prematuro; e é ofensivo ao procurador Rodrigo Janot considerá-lo vulnerável a pressões.

Por que, então, atirar nos advogados de Pinheiro a culpa do vazamento? Não tem lógica: por que vazariam a delação, correndo o risco de anulá-la e de trocar uma confortável prisão domiciliar por décadas de prisão comum?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Coluna do Blog
TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores