FMO

23/01


2020

Quem tem tempo não tem pressa

Caro Magno, 

Tenho muito respeito pelo deputado Raul Henry, que é um quadro qualificado do Estado. Entretanto, o MDB está no Governo e, até onde sei, o deputado nunca se colocou como candidato. Com relação a possibilidade de ser vice em uma possível candidatura da delegada Patrícia Domingos, de fato é uma “historinha de Trancoso”.

Posso ser ou não candidato a prefeito do Recife. Temos tempo para tomar a decisão na hora certa. A pauta da sociedade ainda não é a eleição municipal. A hora é de ajudar Pernambuco e o Brasil. Na hora certa, vamos falar sobre o Recife.

Silvio Costa Filho – deputado federal e presidente estadual do Republicanos


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Governo de PE - Redução nos Homicídios

23/01


2020

Por que Paulo Freire aprisiona a educação brasileira?

Por Tonico Magalhães*

Quero que alguém me explique, mas é difícil entender todos os elogios e homenagens ao educador pernambucano Paulo Freire (1921-1997) por seu método de alfabetização de adultos lançado há 57 anos na cidade Angicos, sertão do Rio Grande do Norte. O método e o pensamento pedagógico de Freire, o patrono petista da educação nacional, continuam sendo um balizador educacional do País.

Informa a propaganda da época que o método alfabetizou em 40 horas 300 cortadores de cana da localidade. A maioria desses pioneiros já deve ter morrido na passagem do tempo. E não se tem conhecimento do desdobramento dos saberes desses homens e mulheres. Não saiu nenhum escritor para descrever as mazelas do rude trabalho que faziam ou um político para mudar a realidade local ou do País.

E a experiência teve o apoio do então presidente da República, João Goulart, e até do programa de Kennedy Aliança para o Progresso. Jornalistas e educadores do Brasil e do Exterior foram até Angicos para ver o “milagre”. O governador do Rio Grande do Norte da época, Aluízio Alves - depois da redemocratização foi ministro de José Sarney -, prometia 100 mil adultos alfabetizados pelo Método Paulo Freire até o final de 1963. Entusiasmo político-eleitoreiro.

Goulart levou Paulo Freire a Brasília para aconselhá-lo sobre educação. O golpe militar de 1964 encerrou as atividades de Freire na área pela influência marxista do seu método de alfabetização de adultos.  Tudo ficou nos papéis que ele levou para o longo exílio. Os resultados da experiência nunca foram avaliados no Brasil. Os “300 de Angicos” continuaram povoando o imaginário dos professores.

Freire peregrinou por universidades de vários países debatendo seu método. A Guiné-Bissau, ex-colônia portuguesa na África, depois da sua independência teve o educador pernambucano como consultor. Também pouco se sabe dos resultados. Aquele país continua como um dos mais pobres do continente africano. Na volta ao Brasil, nos anos 80, foi secretário de educação da prefeitura petista de São Paulo sem grande repercussão.

Paulo Freire foi tido pelo acadêmico da USP, Moacir Galotti, como o “guardião da utopia”, a quimera daqueles que ideologizaram a educação brasileira sintonizando-a com o passado.

Porque hoje a sintonia da educação é com o futuro, preparando nossos jovens para o mundo repleto de transformações sem precedentes  e de incertezas tão radicais, entende o professor e escritor israelense Yuval Noah Harari, autor do livro “As 21 lições para o século 21”.

O escritor não se acha profeta ou futurólogo, apenas observador do desenvolvimento rápido e transformador da Tecnologia da Informação e Comunicação. Ele diz que as escolas atuais abarrotam os estudantes de informações. E isso eles têm demais. “Eles precisam da capacidade para extrair o sentido da informação, perceber a diferença entre o que é importante e o que não é”.

Para ele, além de informação, a maioria das escola também se concentra demasiadamente em prover os alunos de um conjunto de habilidades que podem não servir para o futuro. “Não temos ideia como o mundo e o mercado de trabalho serão em 2050, quais as habilidades eles vão precisar”.

No seu livro, Harari aponta que as escolas devem focar o ensino no pensamento crítico dos alunos, na comunicação, na colaboração entre eles e no estímulo à criatividade. “Deveriam minimizar as habilidades técnicas e enfatizar as habilidades para propósitos genéricos da vida. O mais importante de tudo será a habilidade para lidar com mudanças, aprender coisas novas e preservar o equilíbrio mental em situações que não lhe são familiares”.

No entender do escritor, essa nova visão tem uma dificuldade para ser implantada. Segundo ele, falta aos professores a flexibilidade mental que o século 21 exige, pois eles são produto do antigo sistema educacional. Todos os professores foram formados no século passado. Os mestres brasileiros ainda agregaram ao currículo uma carga ideológica dos idos paulo freireanos que freia o parelhamento com este século.

O professor Mozart Neves Ramos, ex-reitor da UFPE e hoje professor da USP, relata um fato quando era secretário de Educação do governo Jarbas Vasconcelos que revela a dificuldade para a formação dos mestres do século 21.

“Sempre que entrava numa sala de aula, costumava perguntar: quem aqui quer ser professor? Começando pelas turmas dos anos iniciais do Ensino Fundamental, a resposta era quase unânime: muitos estudantes queriam seguir, um dia, a carreira do magistério. Mas, à medida que ia avançando nas salas relativas aos outros anos escolares, essa resposta ia sendo gradualmente reduzida, chegando praticamente a zero. Ou seja, os estudantes iam perdendo o encanto pela carreira do professor. A pergunta que precisamos fazer é: qual é a razão do desencanto dos nossos estudantes à medida que vão crescendo”?

“Ao contrário dos estudantes dos países com melhor desempenho em educação do mundo, como Singapura, Finlândia e Japão, nenhum estudante brasileiro queria seguir a carreira do magistério! Isso é muito triste para um país que deseja ser protagonista no cenário mundial. Precisamos urgentemente tornar a carreira do magistério atrativa para os nossos jovens brasileiros. E como fazer isso”?

Para Mozart Neves Ramos, tem que se reconhecer a importância social do professor. Ele não pode ser visto no Brasil como um “coitadinho”, e sim como alguém que é estratégico para o desenvolvimento do país. Além de estabelecer um plano de carreira nacional. E melhorar a formação nas universidades brasileiras: eles saem com muita teoria e pouca prática escolar.

O passado com Paulo Freire pode ter sido importante para o imaginário da educação nacional, mas o presente e o futuro devem ser tratados com seriedade e não como uma disputa ideológica. Caso contrário nunca chegaremos ao século 21. É isso.

*Integrante da Cooperativa de Jornalistas de Pernambuco


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

acolher

23/01


2020

Investidores sinalizam retorno da confiança no Brasil

As rodadas para apresentação do Brasil, realizadas pela equipe econômica durante o Fórum Econômico Mundial, em Davos, receberam expressiva adesão de investidores estrangeiros neste ano. Mais de 50 executivos de empresas confirmaram presença nas apresentações para um balanço do primeiro ano do governo de Jair Bolsonaro.

O presidente do Bradesco, Octavio Lazari, que já realizou 12 dos mais de 25 encontros agendados pelo banco durante o evento na Suíça, nota uma retomada da confiança no país. "O sentimento que a gente percebe dos investidores é de um pouco mais de confiança no Brasil. O que precisa é que as reformas andem rápido", disse.

O banqueiro André Esteves, sócio do BTG Pactual, que também foi a Davos, diz que após 33 encontros ao longo de três dias, em paralelo ao fórum, identificou uma melhora na imagem do Brasil entre estrangeiros. "A sensação em Davos é que o Brasil voltou a estar na moda", disse Esteves.

Ele destacou, porém, que o país precisa ficar alerta ao meio ambiente, que dá tom às discussões em Davos. "Estamos gerindo a economia tão bem, não podemos derrapar nessa parte", afirmou.

A sala reservada no fórum à apresentação do Brasil, dentro do chamado Country Strategy Dialogue, lotou.

Chamou a atenção que praticamente metade dos 60 participantes eram os presidentes de grandes empresas globais que precisam entender para onde o Brasil está indo antes de definir o tamanho da presença no país nos próximos anos.

Segundo relatos – o evento é fechado para a imprensa –, o ministro Paulo Guedes fez uma apresentação de 40 minutos com um balanço sobre o primeiro ano de governo, destacando, em especial, a conclusão da reforma da Previdência.

As perguntas indicaram que os investidores têm duas preocupações em relação ao Brasil: se governo e Congresso vão mesmo dar continuidade ao programa de reforma, concluindo neste ano especialmente as reformas tributária e administrativa, e se o Palácio do Planalto está atento a questões ambientais que, se não forem devidamente atendidas, podem gerar sanções externas – em especial de países europeus.

O governo tenta passar a mensagem de que sim, está atento à questão ambiental. Guedes aproveitou parte do evento para afirmar aos presentes que o governo está atento à Amazônia, que vem tomando medidas para preservar a floresta e que ninguém quer que a região queime – assim como, nas palavras do ministro relatadas pelos presentes, ninguém quer que a Austrália queime.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Serra Talhada

23/01


2020

Pacote anticrime entra em vigor nesta quinta

O pacote anticrime, aprovado pelo Congresso e sancionado em dezembro pelo presidente Jair Bolsonaro, passa a valer a partir de hoje. A nova legislação altera dispositivos do Código Penal, do Código de Processo Penal e da Lei de Execuções Penais.

Entre as principais mudanças estão as novas regras para acordos de delação premiada, o novo critério para definir a legítima defesa e a previsão de prisão imediata após condenação pelo tribunal do júri.

O pacote é resultado da reunião de propostas elaboradas pelo ministro da Justiça, Sergio Moro, e por uma comissão de juristas coordenada pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Quatro dispositivos que fazem parte do pacote não terão aplicação imediata. Eles foram suspensos por tempo indeterminado pelo vice-presidente do STF, ministro Luiz Fux, relator de quatro ações sobre o tema.

A suspensão vale até que o tema seja analisado no plenário do Supremo – a data desse julgamento ainda não foi marcada.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


23/01


2020

Povo está em sintonia com Governo, diz Terra

Ao desembarcar, há pouco, no Recife, para lançar, na Sudene, um programa voltado para redução da violência nos grandes centros urbanos, o ministro da Cidadania, Osmar Terra, falou com exclusividade ao Frente a Frente e ao blog. Na entrevista, dentre outros assuntos, comemorou o resultado da pesquisa CNT/MDA, na qual a avaliação positiva do Governo Bolsonaro melhorou.

"Pesquisa reflete um momento. Se o presidente dependesse de pesquisa não se elegeria nem vereador", disse Terra. Segundo ele, a nova rodada de pesquisa CNT/MDA, no entanto, aponta para uma outra avaliação, a de que os programas de melhoria de vida da população começam a ser compreendidos pela população.

"O crescimento da popularidade de Bolsonaro está refletido num conjunto de obras e programas do Governo, com destaque para a melhoria dos índices econômicos e distribuição de renda como o 13º salário do Bolsa Família", disse o ministro. A entrevista vai ao ar às 18 horas pela Rede Nordeste de Rádio, agora como cabeça de rede a Nova FM Recife 98,7.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Limoeiro

23/01


2020

Aposta na iniciativa privada

Jornal do Commercio

Prefeito de Salvador e presidente nacional do DEM, ACM Neto defendeu o nome de Mendonça Filho para disputar a prefeitura do Recife, mas deixou a decisão a cargo do ex-ministro. À Rádio Jornal, disse que o partido tem condições de conversar com várias correntes ideológicas. Herdeiro político de uma das mais tradicionais famílias políticas do País, ACM inaugura, em parceria com uma empresa francesa, hoje, o novo Centro de Convenções, com a promessa de alavancar o turismo de negócios na capital baiana. Confira abaixo trechos da sua entrevista ao Jornal do Commercio.

CECON

Vamos inaugurar o Centro de Convenções de Salvador, é um equipamento preparado pela prefeitura para reposicionar a capital baiana como um dos principais destinos do turismo de negócios de todo o Brasil. É um equipamento que poderá comportar eventos de porte nacional e internacional, grandes congressos, feiras, convenções, eventos musicais e, a partir desta quinta-feira, poderemos entregar esse equipamento não só à capital baiana, mas ao Nordeste como um todo, pois de certa forma quando uma capital importante do Nordeste traz investimentos, gera empregos, movimenta a economia, isso acaba impactando em toda a região.

Quero deixar muito claro que não quero roubar nada de Pernambuco, pelo amor de Deus, gosto muito de Pernambuco e dos pernambucanos, mas já começamos com uma pauta bem intensa, bem recheada. Só nesses primeiros 20 dias do ano já foram confirmados 30 grandes eventos para esse ano de 2020 e a pauta ainda está em aberto e outros eventos estão sendo negociados. Trouxemos, por exemplo, a Bienal do Rio, que aconteceu no Rio de Janeiro no ano passado, e que teve a polêmica envolvendo o prefeito do Rio (Marcelo Crivella, Republicanos) com censura a livros, e trouxemos para Salvador. Também está confirmado o AfroTech, que é um evento muito repercutido no setor musical e de entretenimento.

O Centro de Convenções foi construído com 100% de recursos da prefeitura, mas fiz a concessão da gestão do Centro de Convenções à iniciativa privada. Ganhou uma empresa francesa, multinacional, e foi importante pois eles trazem a expertise de saber gerenciar um equipamento como esse e eles têm uma cadeia de relações que vai promover o destino Salvador. Então, estimamos que só no primeiro ano vai ser injetado na economia de Salvador mais de R$ 500 milhões.

PONTE

A ponte Salvador-Itaparica é uma construção que também cabe ao governo do Estado. Eles fizeram recentemente um leilão na Bolsa de Valores de São Paulo, houve a apresentação de uma proposta por parte dos chineses, é um investimento que deve superar a casa dos R$ 4 bilhões e está em fase de discussão técnica, seja com a prefeitura ou com demais órgãos envolvidos. Tem uma regra que vale para qualquer governo, quando se pode oferecer um ambiente de negócios, segurança jurídica, transparência nas relações, você tem espaço para fomentar o investimento privado. E está claro que o poder público sozinho não consegue resolver as coisas. Esse exemplo que eu trouxe do Centro de Convenções eu tenho uma empresa francesa investindo aqui e que vai explorar ele por 20 anos. E o diferencial é que o investidor tem que confiar, saber que o recurso terá retorno e, para isso, é fundamental ter gestão pública.

RUI COSTA

Ele (governador Rui Costa, PT) não vai à inauguração por dois motivos. Primeiro ele está se recuperando de um procedimento cirúrgico em São Paulo, que ele fez no início deste ano. Depois, porque procuramos evitar constrangimentos. Temos uma relação civilizada, há um respeito institucional de lado a lado; aqui nós nunca permitimos que as diferenças políticas prejudicassem a população, exemplo disso foi a parceria que a prefeitura estabeleceu no transporte público viabilizando a entrega do metrô de Salvador, que hoje tem a terceira maior malha metroviária do Brasil.

Quando cheguei à prefeitura, em 2013, essa obra estava parada, era uma novela que se estendia por 12 anos, fiz a parceria necessária com o governo do Estado, governo federal para garantir que a obra saísse do papel. Sobre o Centro de Convenções, o governador não mostrou muita simpatia porque o governo do Estado tinha um Centro de Convenções, que veio a desabar e o governo esperou muito tempo, não conseguiu produzir uma solução, a prefeitura foi lá e resolveu. Acho que isso incomodou um pouco o governo estadual. Mas isso não prejudicou em nenhum momento as relações institucionais que precisam acontecer.

Em 2012, diziam que a prefeitura precisava ser do mesmo partido do governo para as coisas funcionarem e, em Salvador, foram sete anos de prefeitura do Democratas com governo PT e nada deixou de funcionar. Pelo contrário, as coisas levantaram, e muito, na capital baiana, pois a prefeitura chamou para si as responsabilidades que eram suas.

PDT e DEM

O Democratas hoje é um partido que tem condições de conversas com várias correntes ideológicas do País, eu diria que da centro-esquerda até a direita nós temos dialogado com diversos partidos. O PDT é um deles. De fato, tive algumas conversas com o presidente, Carlos Lupi, e com o ex-ministro Ciro Gomes e, talvez, a gente consiga produzir alianças em algumas capitais. Estamos falando em torno da pré-candidatura do meu atual vice-prefeito, Bruno Reis (DEM), em Salvador. O PDT está trabalhando o nome do meu secretário de Saúde, que é deputado estadual, Leonardo Prates, a ideia é que possamos fazer o trabalho conjunto. Estamos dialogando em São Luís do Maranhão e em Fortaleza. E esse diálogo pode acabar se estendendo para outras capitais brasileiras. O que não quer dizer que, automaticamente, haverá um alinhamento entre Democratas e PDT para o futuro. Pode-se ou não acontecer, as alianças municipais de 2020 podem ou não significar algo a mais para o futuro, mas, por enquanto, o que está em discussão é a eleição municipal nestas principais capitais do Brasil.

Em relação ao PDT e DEM em Pernambuco, nós temos absoluta confiança na condução do nosso presidente estadual, o ex-ministro Mendonça Filho, que hoje preside a fundação do nosso partido. É um quadro que tem minha confiança pessoal e política. É uma das pessoas que eu mais ouço para tomar decisão, até mesmo administrativa aqui em Salvador. Converso muito com Mendonça para buscar compartilhar a experiência dele, a sua capacidade como gestor público e ele tem a nossa confiança para conduzir, ao lado do deputado federal Fernando Coelho Filho, que é outro importante parceiro que nós temos, uma grande revelação desses novos quadros da política do Brasil. Eles vão conduzir com toda a autonomia e confiança da Direção Nacional do partido, podendo conversar com as mais diferentes correntes, de acordo, é claro, com o desenho mais adequado para a política do Recife.

RECIFE

Estou conversando bastante com Mendonça sobre o cenário do Recife. Entendo que ele é um dos quadros mais qualificados, reuniria todas as condições para ser um grande prefeito do Recife e percebo que hoje ele tem um senso coletivo e uma noção da responsabilidade na construção desse projeto. O que ele tem compartilhado comigo é que esse é um momento de reflexão, de conversas com outros partidos, de diálogo com outras lideranças. O nome dele é um nome que pela direção nacional do partido – se a decisão dele for a de disputar a prefeitura – ele terá todo o respaldo e o máximo apoio do Democratas Nacional. Mas é uma decisão que eu sei que ele ainda não tomou, ele está refletindo sobre isso e, com certeza, nos próximos meses ele vai apresentar sua posição pública no Recife.

BOLSONARO

Nós sempre deixamos muito claro qual é o posicionamento do Democratas. Nós somos a favor da agenda do Brasil. O Democratas foi decisivo ao longo de 2019 para a aprovar a reforma da Previdência. Sempre que o governo precisou do nosso partido, de maneira responsável, nós colaboramos com o governo, mas isso não significa dizer alinhamento político automático.

O Democratas, inclusive, sequer integra formalmente a base do governo Bolsonaro. A gente quer muito que o Brasil dê certo. Eu, ACM Neto, se o Brasil tiver que dar certo, se as pessoas melhorarem suas vidas e se isso significar pontos positivos para o presidente Bolsonaro, ótimo, não tenho nada contra isso. Agora, o Democratas servir de barriga de aluguel não vai acontecer em nenhum lugar do Brasil.

REGINA DUARTE

A Regina é um nome respeitado, que conhece a cultura do Brasil e transita no meio cultural brasileiro, e espero que da parte do governo federal não haja um tom ideológico. Em Salvador, toda nossa política cultural é feita tecnicamente por pessoas do setor, dei carta branca para essas pessoas conduzirem o setor cultural. Não faço política partidária, ideológica com setor cultural, espero que isso aconteça a nível nacional, pois até agora não aconteceu. Quem sabe, com a chegada da Regina Duarte, uma pessoa com nome nacional, que tem muito o que perder, que ela possa chegar e imprimir esse ritmo no governo federal.

EDUCAÇÃO

Cada cidade tem sua situação, sua peculiaridade e não me cabe, como prefeito de Salvador, estar estabelecendo qualquer tipo de disputa. Sobre a educação, quando cheguei à Prefeitura de Salvador, a nossa capital tinha um dos piores IDEBs do País – que avalia a qualidade do ensino –, e no penúltimo IDEB nós fomos a capital do Brasil que mais avançou em Ensino Fundamental I e em Ensino Fundamental II. Hoje, conseguimos universalizar e chegamos a 94,8% de assistência pré-escola, que é fundamental e somos a terceira capital do Brasil que mais oferece vaga em creche. Quando cheguei a educação era um caos, talvez seja o setor que mais avançamos, então fico confortável sobre os números da educação.

SEGURANÇA

Como sou adversário do governo do Estado e o governo é do PT, eu tenho uma série de críticas à política de segurança pública do governo. Mas se você vier hoje a Salvador, visitando os pontos de maior frequência turística, andando nas áreas mais centrais da cidade, você tem uma sensação de segurança. O que critico muito é que se você vai para as periferias, para as áreas mais pobres, você vai ver uma incidência de criminalidade.

FUTURO

Em 2021 vou cuidar do Democratas Nacional, meu mandato à frente do partido vai até, pelo menos, 2022. Terei a incumbência de organizar o partido para a disputa de 2022 de maneira que o Democratas possa chegar forte, não só influenciando no desenho nacional, mas também organizando os palanques em cada um dos Estados e vou analisar com cautela, ouvindo meus parceiros, qual será o meu destino em 2022. O mais provável, não tem nada decidido, é disputar o governo do Estado da Bahia. Mas até 2021 meu objetivo é deixar um legado na prefeitura e contribuir para que façamos um bom número de prefeitos neste ano. “O diferencial é que o investidor tem que confiar, saber que o recurso terá retorno e, para isso, é fundamental ter gestão pública. Ele (Mendonça Filho) é um dos quadros mais qualificados, reuniria todas as condições para ser um grande prefeito do Recife”.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banner de Arcoverde

23/01


2020

Revista repercute entrevista de Edinho

Editada pela Wscom, do jornalista Walter Santos, com sede em João Pessoa, a revista Nordeste, a mais lida e influente da Região, percebeu o impacto da entrevista do publicitário Edson Barbosa, a este blog, na qual rompe o silêncio sobre o seu afastamento do Governo de Pernambuco. Edinho, como é mais conhecido, foi o homem da comunicação de Eduardo Campos por dez anos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


23/01


2020

MV lança primeiro Command Center de gestão em Saúde

Para otimizar a gestão e o cuidado com a saúde das pessoas, a MV lança mais uma inovação disruptiva: o primeiro Command Center de gestão da América Latina capaz de monitorar todos os processos assistenciais e administrativos de hospitais e demais serviços de Saúde.

Com o conhecimento que adquirimos em mais de 30 anos de atuação no setor e o uso das mais inovadoras tecnologias disponíveis no mundo, a MV coloca à disposição essa nova estrutura de serviço que conta com tecnologia robusta e equipe multidisciplinar formada por médicos, enfermeiros, administradores, farmacêuticos, bioquímicos e especialistas em faturamento, controladoria e processos de gestão capazes de avaliar, interpretar inconsistências e indicar os melhores caminhos a serem adotados por gestores de organizações de Saúde.

Fruto do caráter pioneiro da MV, o Command Center alavanca nossa determinação de tornar a área da Saúde mais eficiente, humanizada, focada no cuidado das pessoas e na garantia da tão sonhada sustentabilidade do setor. Conheça essa novidade que é o futuro da gestão na Saúde.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


23/01


2020

Coluna da quinta-feira

Turismo com dinheiro alheio

A justiça pernambucana, devagar quase parando no andamento dos processos que se acumulam nas mãos dos 52 desembargadores do Tribunal de Justiça, foi célere na promoção de uma caravana turística da alegria, com dinheiro do contribuinte. No apagar das luzes do ano passado, nada menos que R$ 2,5 milhões foram torrados em diárias para bancar nos Estados Unidos a farra de duas comitivas de suas excelências e até, pasmem, servidores graduados, segundo reportagem da Folha de São Paulo.

O pretexto do voo da alegria se amparou numa justificativa injustificável: premiar o desempenho de juízes e servidores do primeiro grau. A corte da justiça pernambucana é a mesma que, também em dezembro do ano passado, ocupou manchetes de jornais no País com a polêmica de ter pago a juízes e desembargadores rendimentos líquidos, em novembro, que chegaram a até R$ 853 mil.

Em um dos casos, a quantia bruta paga pela corte a uma juíza foi de R$ 1,2 milhão. A razão para essas altas cifras, segundo o TJ, foi o pagamento de férias acumuladas. Consultado sobre as viagens, o Tribunal não comentou nem forneceu dados sobre a previsão de gastos e os critérios de seleção. Um primeiro grupo participou do curso "Estudo do direito americano e suas influências no direito brasileiro", de 11 a 15 de novembro, na Fordham University The School of Law, em Nova York.

O evento foi incluído no programa "Muito Além das Metas", criado em 2018 para estimular a produtividade da primeira instância, segmento mais sobrecarregado do Judiciário. Essa prioridade, contudo, não foi mantida. Dos 45 participantes, 19 eram desembargadores, ou seja, magistrados da segunda instância e dirigentes da corte. Também viajaram 19 juízes e sete servidores.

A segunda caravana viajou nas férias do Judiciário para um curso de extensão, realizado de 2 a 13 de dezembro, na Universidade da Geórgia, nos EUA. Dos 40 participantes, 22 eram servidores. Embarcaram 14 juízes e apenas quatro desembargadores. Os magistrados e servidores assumiram os gastos com transporte aéreo e terrestre.

O Tribunal cobriu os gastos com hospedagem e alimentação, pagando oito diárias internacionais de US$ 691 para a viagem a Nova York, e 15 diárias, para a Geórgia. O presidente do Tribunal, desembargador Adalberto de Oliveira Melo, e o 1º vice-presidente, desembargador Cândido José da Fonte Saraiva, viajaram a Nova York, cada um com diárias de R$ 25,2 mil.

O vice de Patrícia – A delegada Patrícia Domingos ainda nem confirmou se será candidata ou mesmo sua filiação partidária, mas a chapa que formaria na disputa pela Prefeitura do Recife já está na rádio corredor do Palácio Capibaribe, sede do Governo municipal, tendo na vice o deputado Silvio Costa Filho, presidente estadual do PRB. Silvinho, como é mais conhecido, ganhou espaço no Congresso Nacional como um dos principais líderes em defesa do Pacto Federativo.

Compromisso – A especulação em torno do nome de Silvinho para vice de Patrícia pode ser historinha de trancoso, até porque o blog apurou que ele já teria admitido retirar sua pré-candidatura a prefeito em favor da construção da unidade das oposições em torno de Raul Henry, do MDB, caso este tomasse gosto pelo desafio. Henry tem falado, nos últimos dias, com mais desenvoltura sobre a possibilidade de sair debaixo do guarda-chuva do PSB.

Vai de Marilia? – Toda a cúpula nacional do PT foi convocada pela presidente Gleisi Hoffman para o encontro com as principais lideranças do partido em Pernambuco na próxima terça-feira, em São Paulo. Em pauta, candidatura própria. O PT está dividido entre apoiar Marília Arraes, no topo das pesquisas, ou manter a aliança com o PSB, fechada na eleição passada para reeleger o governador Paulo Câmara.

O que vale? – O que vai pesar na reunião decisória do PT em São Paulo é a palavra do ex-presidente Lula, que estará presente. Quando esteve no Recife, em novembro do ano passado, almoçou com dirigentes do PSB e jantou com Marília Arraes. A Paulo Câmara e Geraldo Júlio, Lula prometeu o céu e a terra para segurar o PT na aliança. Já a Marília Arraes, depois de molhar o bico, garantiu que ela será candidata.

CURTAS

APEGO A CARGOS – Se depender do senador Humberto Costa, entretanto, o PT fica com o PSB na sucessão de Geraldo Júlio, mantendo, assim, os cargos que ocupa não apenas na Prefeitura do Recife, mas, sobretudo, no Governo do Estado. Entre os puxas de Humberto, o ex-deputado Dílson Peixoto, que virou secretário de Agricultura, mesmo sem saber distinguir um jerimum de uma melancia.

ZÉ CAPACETE – Capital do gesso, Trindade, no Sertão do Araripe, a 649 km do Recife, tem um candidato com nome popular e cheiro de povo: Zé Capacete (PSL), o José Lopes Benício. Vereador de primeiro mandato, Capacete tem origem humilde, saindo de vendedor de picolé nas ruas a um dos mais bem-sucedidos empresários do setor de transporte, com maior demanda em gesso exportando para São Paulo. Nas pesquisas, já aparece como bicho papão para os adversários.

GARANTIA-SAFRA – Saiu a lista dos municípios no Estado contemplados com o primeiro desembolso do Garantia-Safra, beneficiando mais de 13 mil agricultores. Espalhados entre o Agreste e o Sertão, cada produtor receberá R$ 850 em cinco parcelas de R$ 170. Quem ficou de fora deve tomar satisfação ao IBGE, que exige a real verificação de perdas das safras. Dos 185 municípios, apenas 25 foram incluídos na primeira leva.

Perguntar não ofende: Como o Brasil vai conviver com um presidente mudo, sem dar entrevistas, conforme anunciou, ontem, o próprio Jair Bolsonaro?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

joao carlos da silva

Se a delegada cair na besteira de se juntar com o Rei das Festas Fantasmas se acaba antes de começar. Óleo é Água não se misturam.

marcos

Aprovação do nosso Mito sobe para 47,8% segundo pesquisa da CNT/DMA. Ui a esquerda corrupta tem que se mudar para Cuba ou Venezuela, aqui Tchau querido.

marcos

Quem recebeu R$ 327 milhões foi Lulinha e sua gangue.

marcos

Mimimi., o pipoco do PT Lula e Dilma no BNDES foi só de U$D 785 Bilhões. Não adianta mais Fake mortadela, o povo brasileiro acordou.

Fernandes

48 milhões! É o montante gasto para descobrir o que não existiu de irregularidades no BNDES no governo PT. Dinheiro q deveria ter outra utilidade.


Coluna do Blog
TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores