Busca


Coluna do Blog
Borges já está em campanha


Destaques
Coluna da sexta-feira
PT quer irmã de Daniel no Desenvolvimento Agrário
Luciana na disputa com Juca pelo Ministério da Cultura
Reação contra ida de deputado não reeleito para o Ipem
Delator pode ser delatado
juiz obriga Twitter a revelar quem ligou Aécio a droga
Exagero e insanidade
Explique-se Bolsonaro!
Tensão máxima: hoje pode ser o dia da Odebrecht
'Somos os únicos que se auto-assalariam' diz deputado


Opinião


O futuro de Dilma - Adriano Oliveira
























TwitterTwitterRádio do MagnoRSS

19
12/14
Coluna da sexta-feira

   Enfim, Cuba e EUA juntos

O mundo inteiro comemorou a reaproximação dos Estados Unidos e Cuba, anunciada durante encontro do Mercosul. O mais importante disso tudo é o fim do embargo econômico a Cuba. Barack Obama já anunciou que irá encaminhar ao Congresso norte-americano um pedido foram do fim da medida. Obama também garantiu que tentará derrubar a medida que considera a ilha um País que apoia o terrorismo.

“Vamos aumentar o comércio, vamos autorizar transações. Também o mercado financeiro será reaberto. Será mais fácil para os exportadores americanos venderem para Cuba. Infelizmente, as nossas sanções negaram a Cuba o direito de ter a nossa tecnologia. Agora vai ser mais fácil a integração entre os dois países. O Congresso vai começar um grande debate para derrubar o embargo à Cuba”, disse Obama.

Obama também destacou que espera mudanças por parte de Cuba. Entre elas, que o povo cubano possa ter uma participação mais democrática nas decisões do País. “Para os cubanos, os EUA oferecem uma mão de ajuda e esperança. A gente não quer ser mais um colonizador”, afirmou, para acrescentar:

“Liberdade é um direito para todos, estou sendo honesto com vocês. Não vai dar para apagar a história desses dois países, mas acredito em um futuro de liberdade. Os EUA querem ser parceiros de Cuba. Isso não vai ser fácil, mas tenho confiança”.

O presidente de Cuba, Raul Castro, agradeceu ao Papa Francisco e ao governo do Canadá no processo de aproximação dos dois países. Ele disse reconhecer que existem profundas diferenças entre EUA e Cuba, mas reafirmou “vontade de dialogar sobre todos esses temas”. Raul ainda ressaltou que isso não irá refletir na ideologia do governo cubano. “Sempre seremos fieis aos nossos ideais”, reiterou.

O embargo dos Estados Unidos a Cuba teve início em 1962, por meio de decreto assinado pelo presidente norte-americano John Kennedy, logo após Fidel Castro estreitar as relações com a União Soviética. As primeiras medidas, no entanto, começaram em 1960, um ano depois da revolução socialista que levou Fidel ao poder com a queda do ditador Fulgêncio Batista.

As primeiras medidas do embargo assinado em fevereiro de 1962 consistiram na restrição do fornecimento de combustível pelas empresas norte-americanas e a proibição de exportações a Cuba. Além disso, o decreto de Kennedy instituiu que produtos cubanos seriam ilegais nos Estados Unidos.

Os danos do embargo na economia cubana se tornaram maiores com o fim da União Soviética. Depois, duas leis aprovadas pelos EUA nos anos 90, a Lei Torricelli e a Lei Helms-Burton, aumentaram os efeitos do bloqueio estabelecendo, entre outras coisas, sanções para os atuais e potenciais investidores em Cuba.

Em outubro deste ano, a Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) aprovou pela 23ª vez consecutiva uma resolução pelo fim do embargo. A medida foi aprovada por 188 países. Apenas EUA e Israel votaram contra e três nações se abstiveram. O resultado foi o mesmo registrado em 2013. Desde 1982, a ONU pede o fim da restrição por meio de resoluções apresentadas por Cuba.

BATALHA– O governo perdeu para a oposição a batalha da comunicação na CPI da Petrobras. O relatório do petista Marco Maia foi tratado de forma secundária. Quem ganhou o papel principal foi o relatório alternativo do tucano Carlos Sampaio. Este foi redigido dentro do espírito adotado pela direção do PSDB de não dar trégua para Dilma e manter em alta temperatura o embate com o governo.

Tem que sair do muro Em Caruaru, o governador eleito Paulo Câmara, que teve o apoio de todas as correntes partidárias, será obrigado a se posicionar em relação a 2016, porque os três principais grupos – Lyra, Tony Gel e do prefeito José Queiroz – são como água e óleo: não se misturam.

Cadê as sementes? – Na Paraíba, choveu bem menos do que em Pernambuco, mas o governador Ricardo Coutinho (PSB) já distribuiu 412 toneladas de sementes selecionadas de milho, sorgo forrageira e feijão para o plantio da próxima safra. Nem nas áreas mais chuvosas, como o Pajeú, os agricultores foram lembrados pelo Governo.

Ano bicudo– A crise ronda as redações dos principais jornais do País. Notícias que chegam de Brasília dão conta de uma vassourada no Correio Braziliense, dos Diários Associados, o principal da capital. O ano de 2015, que dizem que será terrível, ainda nem começou e o jornal demitiu servidores de todos os setores, inclusive cinco da redação.

Dever de casa O prefeito de Belo Jardim, João Mendonça (PSD), herdou uma terrível herança, mas já saneou as finanças, regularizou o município no CAUC (Cadastro Único de Convênios), está investindo R$ 25 milhões em obras e ontem anunciou o início do pagamento do 13º salário dos servidores.

CURTAS

EMENDA– Os deputados federais Raul Henry (PMDB), Augusto Coutinho (SD) e Mendonça Filho (DEM) se uniram e apresentaram uma emenda conjunta no valor de R$ 80 milhões, para o hospital Barão de Lucena, no Recife. O valor está alocado no Orçamento Geral da União para 2015.

BALANÇO– Pernambuco fechou 2014 com um balanço bastante positivo na economia. Segundo levantamento do Condic, o Estado atraiu R$ 1,39 bilhão em projetos industriais, que geraram 10,945 empregos. Em oito anos, 92 projetos receberam incentivos fiscais.

Perguntar não ofende: Afinal, quantos governadores, senadores e deputados federais estão envolvidos na operação lava-jato?

'Como ribeiros de águas assim é o coração do rei na mão do SENHOR, que o inclina a todo o seu querer'. (Provérbios 21-1)

 

Escrito por Magno Martins, às 06h00

 
Comentários Comentários (0) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

19
12/14
PT quer irmã de Daniel no Desenvolvimento Agrário
 Nos últimos dias, o nome da ex-presidente da Caixa Econômica Federal Maria Fernanda Coelho foi levado à presidente Dilma Rousseff e ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como uma possibilidade que agradaria os movimentos rurais e setores à esquerda do PT, na condução do Ministério do Desenvolvimento Agrário.

A pasta já tem uma lista de cotados que inclui o ex-ministro Patrus Ananias e o presidente do Incra, Carlos Guedes de Guedes. Maria Fernanda tem no currículo o fato de ter conduzido, entre 2006 e 2011, o programa Minha Casa Minha Vida, além de projetos relacionados ao Programa de Aceleração do Crescimento.

Os grupos que trabalham pela indicação da ex-presidente do banco público avaliam que a escolha também poderia servir como uma espécie de prêmio consolação da escolha da senadora Kátia Abreu (PMDB-TO) para a Agricultura. (Blog Poder Online - Mel Bleil Gallo)

  Escrito por Magno Martins, às 05h54
 
Comentários Comentários (0) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

19
12/14
Luciana na disputa com Juca pelo Ministério da Cultura

 Juca Ferreira continuava até ontem candidato forte ao Ministério da Cultura graças ao apoio do ex-presidente Lula. Ele "competia" pela vaga com Luciana Santos, que é ex-prefeita de Olinda e entraria na cota do PC do B, caso o partido perca o Ministério do Esporte, segundo informa Mônica Mergamo, em sua coluna de hoje na Folha de S.Paulo.

Ainda sobre a trabalhosa formatação do novo ministério de Dilma, a colunista dia que o PT, e em especial o ministro Aloizio Mercadante, defendiam o nome de Edinho Silva para comandar a pasta do Esporte. E Cid Gomes estava quase se "convencendo", ontem, a aceitar a Educação, ministério para o qual era cotado. Já o PMDB dizia preferir até a Ciência e Tecnologia, de orçamento modesto, a manter a pasta da Previdência, considerada um abacaxi.

  Escrito por Magno Martins, às 05h52
 
Comentários Comentários (0) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

19
12/14
Reação contra ida de deputado não reeleito para o Ipem

Do Diario de Pernambuco - Rosália Rangel

 

As especulações sobre prováveis nomes para compor o segundo escalão do governador eleito Paulo Câmara (PSB) estão provocando reações contrárias entre os servidores das empresas. Uma exemplo é o Instituto de Pesos e Medidas de Pernambuco (Ipem). O fato de ter circulado nos bastidores a informação de que o deputado federal Vilalba (PP), que não conseguiu se reeleger, seria indicado para o cargo, na cota do deputado federal Eduardo da Fonte, presidente estadual do partido, causou preocupação.

 

Os servidores temem que o órgão sofra descontinuidade do trabalho. Nos últimos dois anos, segundo uma fonte, algumas ações foram implementadas, a exemplo do concurso público que há 45 anos não havia no Ipem. Os 50 aprovados no concurso, inclusive, finalizam nesta sexta-feira (19) um curso de capacitação e a partir daí começam a atuar nas ruas. 

  Escrito por Magno Martins, às 05h50
 
Comentários Comentários (0) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

19
12/14
Delator pode ser delatado
O acordo de delação premiada de Alberto Youssef, que deve ser homologado hoje no Supremo pelo ministro Teori Zavascki, prevê que os termos serão invalidados caso sejam descobertas contas no exterior ligadas a ele que tenham sido omitidas em seus depoimentos. Youssef também perderá os benefícios caso surjam nas investigações sobre a Petrobras nomes de políticos que o doleiro não tenha revelado nas mais de 100 horas de declarações à força-tarefa da Operação Lava Jato. A informação é de Vera Magalhães, no Folha de S.Paulo desta sexta-feira.

Segundo a colunista, o Ministério Público Federal decidiu aplicar mais rigor às regras da delação premiada porque o doleiro descumpriu, em 2004, um acordo semelhante firmado durante o caso do Banestado.

O acordo atual prevê a redução do tempo que Youssef pode ficar preso pelos crimes que cometeu e a aplicação de um regime de pena mais brando ao doleiro.

  Escrito por Magno Martins, às 05h30
 
Comentários Comentários (0) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

19
12/14
juiz obriga Twitter a revelar quem ligou Aécio a droga

 A Justiça de São Paulo determinou a quebra dos sigilos cadastrais e eletrônicos de 20 usuários do Twitter que vincularam o senador Aécio Neves (PSDB-MG) a práticas criminosas e consumo de drogas. Os advogados do tucano agora terão acesso aos dados desses usuários, o que possibilitaria a identificação e pedido de punição individual.

A decisão, do último dia 12, atende a pedido feito pelo tucano durante a eleição. Na ação, Aécio requisitava acesso a dados de 66 usuários da rede social. O próprio tucano retirou, depois, 11 nomes do processo. Dos mencionados como "caluniadores" e "detratores", 35 foram isentados de culpa pelo juiz Helmer Augusto Toqueton Amaral.

"Inegável que nossa Carta Magna garante expressamente o direito à liberdade de expressão e a livre manifestação do pensamento", diz o juiz no início da sentença.  "Ocorre que, ao passo que nossa Constituição prestigia os direitos supramencionados, ela também reconhece a importância da inviolabilidade da intimidade, da vida privada, da honra e da imagem das pessoas, assegurando o direito à indenização caso ocorra alguma violação a tais garantias", conclui Amaral.

Os advogados de Aécio, por sua vez, argumentaram que os usuários formam uma "rede" paga por adversários para disseminar conteúdo difamatório nas redes sociais.(Daniela Lima e Alexandre Aragão)

  Escrito por Magno Martins, às 05h20
 
Comentários Comentários (0) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

19
12/14
Exagero e insanidade

O PSDB deu entrada, ontem, junto ao Tribunal Superior Eleitoral, de pedido para que a presidente Dilma não seja diplomada na cerimônia marcada para hoje, resultado de sua reeleição em outubro. Trata-se, além de um exagero, de um ato de insanidade.

Por mais que a presidente tenha decepcionado o país nos últimos quatro anos, a verdade é que acaba de receber o apoio da maioria do eleitorado.

Qualquer restrição ao seu comportamento durante a campanha precisaria ser objeto de um processo judiciário, jamais do impedimento de sua diplomação. (Carlos Chagas)

  Escrito por Magno Martins, às 04h40
 
Comentários Comentários (0) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

19
12/14
Explique-se Bolsonaro!

A ação movida pelo Ministério Público no STF contra Jair Bolsonaro por causa de suas considerações a respeito de sua colega Maria do Rosário merecer ou não ser estuprada por ele, teve o primeiro andamento.

O ministro Luiz Fux determinou que Bolsonaro se explique em quinze dias. Até lá o deputado terá tempo para contorcer as palavras e ensaiar uma saída. Ou melhor, ele terá mais tempo: com o recesso do Judiciário, que começa a partir de segunda-feira, só em fevereiro este assunto volta à pauta.(Lauro Jardim - Veja Online)

  Escrito por Magno Martins, às 04h00
 
Comentários Comentários (0) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

Tensão máxima: hoje pode ser o dia da Odebrecht

É grande, e bota grande nisso, o clima de tensão nas cúpulas das empreiteiras que ainda não foram alvejadas pela Operação Lava-Jato – incluindo as duas maiores, Odebrecht e Andrade Gutierrez, revela Lauro Jardim, na sua coluna da Veja Online:

Pelo seguinte: hoje é o último dia de funcionamento do Judiciário antes do recesso. Se não acontecer uma nova operação da PF amanhã, a turma respira com mais tranquilidade até o dia 7 de janeiro, volta do recesso da Justiça Federal.


19
12/14
'Somos os únicos que se auto-assalariam' diz deputado

Contrário ao reajuste salarial aprovado pela Câmara dos Deputados na noite de anteontem para parlamentares, ministros do Supremo Tribunal Federal e para o Procurador-Geral da República, o deputado federal Ronaldo Fonseca (PROS-DF) defendeu o estabelecimento de um indexador. O aumento ainda tem de ser votado no Senado Federal.

‘A crítica da sociedade é muito justa. Nós somos a única instituição que seus membros se auto-assalariam. Nós não temos que nos auto-assalariar”, diz Fonseca. Uma das possibilidades ventiladas pelo deputado é a indexação dos salários parlamentares ao valor dos salários mínimos. “A população seria bem beneficiada, vão aumentar o salário mínimo como nunca”, ironiza Fonseca.

  Escrito por Magno Martins, às 02h40
 
Comentários Comentários (0) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

19
12/14
Logo virá a explosão

Carlos Chagas

O salário mínimo passará para 790 reais. Conforme a Constituição, deverá atender as despesas do trabalhador e sua família com alimentação, moradia, vestuário, transportes, educação, saúde e até lazer.

O Congresso acaba de aprovar o aumento para 33,7 mil de deputados e senadores, tendo o Supremo Tribunal Federal, antes, adotado reajuste semelhante para seus ministros, extensivo proporcionalmente aos demais tribunais superiores e, em ritmo de cascata, aos demais membros do Judiciário. Sem esquecer, nos dois poderes, o funcionalismo. Também a presidente Dilma, por analogia, teve seus vencimentos ampliados aos mesmos níveis. Assim como seus ministros. Fora as mordomias postas à disposição de todos.

Seria maldade sugerir que Suas Excelências fossem obrigadas a viver um mês que fosse com o salário mínimo. Mas escandaliza o país verificar a insensibilidade de suas elites institucionais diante da imensa maioria condenada ao salário mínimo. São dois Brasís que convivem numa simbiose impossível. Já estão em choque e breve virá a explosão.

Quando a população toma conhecimento das dificuldades na economia nacional e da corrupção que se avoluma nos setores público e privado, como justificar os reajustes referidos?

  Escrito por Magno Martins, às 02h00
 
Comentários Comentários (0) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

18
12/14
Petrobras: 30 deputados e senadores investigados

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pedirá em fevereiro de 2015 investigação contra cerca de 30 deputados e senadores por envolvimento nas irregularidades na Petrobras que são alvo da operação “lava jato”. Os pedidos ocorrerão só em fevereiro porque, antes, é necessário homologar a delação premiada do doleiro Alberto Youssef, um dos operadores do esquema criminoso.

Janot enviou ao Supremo Tribunal Federal os documentos relacionados à delação e, agora, espera que o ministro Teori Zavascki, relator do caso, decida sobre a homologação.

  Escrito por Magno Martins, às 23h30
 
Comentários Comentários (0) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

18
12/14
Juiz obriga jornalista a revelar fonte de notícia

O juiz Dasser Lattiere Júnior, da 4ª Vara Federal em São José do Rio Preto (SP) determinou a quebra dos sigilos telefônicos de um jornalista para descobrir a fonte de uma reportagem com base em informações de escutas telefônicas legais feitas pela Polícia Federal. Logo após a publicação das reportagens, o procurador da República Álvaro Stipp contatou o jornalista para que ele revelasse sua fonte. Diante da negativa, pediu a abertura de inquérito por coautoria em quebra de sigilo das investigações.

Como não conseguiu identificar as fontes do repórter, a PF solicitou o arquivamento do processo. O pedido foi negado neste ano pelo procurador Svamer Cordeiro, que solicitou a realização de novas diligências, entre elas o pedido de quebra dos sigilos telefônicos do jornalista e do jornal. As informações são do jornal O Globo.

  Escrito por Magno Martins, às 23h00
 
Comentários Comentários (0) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

18
12/14
'Não terá 3º turno', diz Toffoli na diplomação de Dilma

Renan Ramalho e Filipe MatosoDo G1, em Brasília

'Que os especuladores se calem'

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Dias Toffoli, afirmou nesta quinta-feira (18) que 'não haverá terceiro turno' nas eleições de 2014. A declaração foi dada durante discurso na cerimônia de diplomação da presidente Dilma Rousseff e do vice Michel Temer.

Mais cedo, o PSDB protocolou na Corte Eleitoral
pedido para cassar o registro de candidatura de Dilma e Temer e para que o senador Aécio Neves (PSDB-MG), derrotado no segundo turno da eleição, seja diplomado presidente da Presidência da República.

 
'As eleições de 2014, para o Poder Judiciário, são uma página virada. Não haverá terceiro turno na Justiça Eleitoral. Que especuladores se calem. Já conversei com a Corte, e esta é a posição inclusive do nosso corregedor-geral eleitoral, com quem conversei, e de toda a composição. Não há espaço para, repito, terceiro turno que possa cassar o voto destes 54.501.118 eleitores', afirmou Toffoli.
'ELEIÇÃO NÃO É GUERRA'
Em seu pronunciamento após ser diplomada, Dilma fez referência ao período da campanha eleitoral e disse que 'eleição não é uma guerra' e, por isso, 'não produz vencidos'. Segundo ela, 'cumprir a vontade popular é uma missão generosa que, em vez de oprimir, liberta e, em vez de enfraquecer, fortalece'.


Dilma também afirmou em sua fala que a Petrobras vai superar a atual crise e que sua “renovação” será convertida em “energia transformadora” para o país. Durante seu discurso, ela voltou a se comprometer com o combate à corrupção, antes de falar sobre a estatal.

“A Petrobras vai continuar sendo nosso ícone de eficiência […] Estamos enfrentando essa situação com destemor e vamos converter a renovação da Petrobras em energia transformadora do nosso país”, afirmou a petista após ser diplomada para novo mandato no Tribunal Superior Eleitoral.
 
PETROBRAS

Ela disse que a estatal já vinha passando por “vigoroso processo de aprimoramento”, especialmente em seus mecanismos de controle e governança para coibir irregularidades. Em seguida, defendeu a continuidade das investigações, que já revelaram pagamento de propina a políticos na assinatura de contratos com empreiteiras.

“Temos que apurar tudo de errado que foi feito, temos que criar mecanismos para que fatos como esse não possam se repetir. O saudável empenho de justiça deve também nos permitir reconhecer que a Petrobras é a empresa mais estratégica para o Brasil e que a que mais contrata e investe”.

Dilma na diplo acrescentou que a estatal “é a mais brasileira de nossas empresas”. “A Petrobras e o Brasil são maiores que qualquer problema, qualquer crise e por isso temos a capacidade de superá-las”, completou. “Temos que punir as pessoas, não destruir as empesas. Punir o crime, não prejudicar o país ou sua economia”, disse em seguida.

  Escrito por Magno Martins, às 22h00
 
Comentários Comentários (1) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

18
12/14
PSDB pede cassação de Dilma e posse de Aécio

Nathalia PassarinhoDo G1, em Brasília

O PSDB protocolou nesta quinta-feira (18) no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pedido para cassar o registro de candidatura da presidente Dilma Rousseff e de seu vice, Michel Temer, e determinar que o senador Aécio Neves (PSDB-MG), que ficou em segundo lugar nas eleições, assuma a Presidência da República.

A ação foi protocolada no dia em que Dilma foi diplomada pela Justiça Eleitoral, requisito para assumir o mandato em 1º de janeiro de 2015.

'ELEITA COM DINHEIRO DA CORRUPÇÃO'

O principal argumento utilizado pelo PSDB para pedir a declaração de inelegibilidade de Dilma é o de que campanhas do PT teriam sido financiadas com dinheiro de corrupção, o que tornaria a eleição de Dilma “ilegítima”.

Em 54 páginas, o advogado da sigla, José Eduardo Alckmin, cita casos de utilização da máquina administrativa e abuso do poder econômico que teriam sido cometidos pela petista na disputa.

Ele destacou que envolvidos no esquema de corrupção da Petrobras investigado pela Operação Lava Jato, da PF, revelaram que as campanhas do PT utilizaram recursos desviados da empresa.

“A obtenção de recursos nessas circunstâncias caracteriza o abuso do poder político, porquanto as aludidas doações foram feitas em decorrência de promessas de benesses ou de abstenção de criar entraves por parte dos agentes da empresa estatal”, afirmou o advogado, na ação.

Como exemplo, o PSDB cita a convocação pela presidente de redes de rádio e televisão para pronunciamentos, a suposta manipulação de indicadores sócio-econômicos, e o uso de prédios públicos durante a campanha, sobretudo o Palácio da Alvorada.

ABUSO DO PODER

'A eleição presidencial de 2014, das mais acirradas de todos os tempos, revelou-se manchada de forma indelével pelo abuso de poder, tanto político quanto econômico, praticado em proveito de Dilma e de Michel”, afirma a representação.

O partido de oposição menciona como prova uma fala da presidente em março do ano passado, quando entregava um conjunto residencial inserido no programa 'Minha Casa Minha Vida’, em João Pessoa (PB).

Na ocasião, ela afirmou que “podemos fazer o diabo quando é hora de eleição, mas quando se está no exercício do mandato, temos de nos respeitar, pois fomos eleitos pelo voto direto”.

  Escrito por Magno Martins, às 21h00
 
Comentários Comentários (3) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

18
12/14
Tavares vai continiuar na presidência da Compesa

Do Diário de Pernambuco

O presidente da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), Roberto Tavares, vai permanecer no comando da empresa na gestão do governador eleito Paulo Câmara (PSB). Formado em Administração de Empresas, Tavares é auditor da Secretaria estadual da Fazenda. Ele chegou na Compesa em 2008, início do primeiro mandato de Eduardo Campos. Antes de assumir a presidência da companhia, em 2001, passou pelas diretorias de Operações e de Gestão Corporativa. Roberto Tavares também preside a Associação das Empresas Estaduais de Saneamento (Aesbe).

A exemplo do Complexo Industrial Portuário de Suape, a Compesa é um dos órgãos estratégicos do governo. Sob o comando de Roberto Taveres estão projetos como a Adutora do Agreste, um investimento de R$ 2 bilhões, a PP do Saneamento, que tem recursos de R$ 4,5 bilhões (públicos e privados), cujos serviços vão beneficiar 14 municípios da Região Metropolitana, além do município de Goiana, na Mata Norte. A Barragem de Pirapama (R$ 600 milhões) também faz parte do conjunto de obras implementado no governo de Eduardo Campo.

Entre os nomes confirmados está o do engenheiro civil Olavo de Andrade Lima para o Porto do Recife, uma indicação do PSDB. A deputada estadual Terezinha Nunes (PSDB) deve aceitar o convite para ocupar a direção da Junta Comercial do Estado (Jucepe). Especula-se também a indicação Francisco Papaléo, nome ligado ao futuro secretário das Cidades, André de Paula (PSD), para o Grande Consórcio Recife.

Sobre a composição do segundo escalão, Paulo Câmara afirmou que ainda não tinha definição de quem vai ocupar os cargos, pois aguarda as indicações dos partidos. “Pedi que fossem técnicos. Vou avaliar todos e tomar minha decisão”, destacou o socialista.

  Escrito por Magno Martins, às 19h40
 
Comentários Comentários (0) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

18
12/14
Prefeito de Arame (MA) batiza a Av. José Sarney

Por Leandro Mazzini, do Blog Coluna Esplanada

Aliados 'mataram' o senador José Sarney (PMDB-AP) , que nem se aposentou ainda do Congresso Nacional.

A prefeitura de Arame, no interior do Maranhão, fez carreata e festa para lançar a pedra fundamental da Av. José Sarney, de 2 km de extensão, que vai cortar um bairro.

Ocorre que desde 1977 é proibido por lei esse tipo de homenagem para pessoas vivas. Embora exemplos do tipo de infração se repitam Brasil adentro por praças, ruas, edifícios públicos. Mas a autoridade, segundo a lei, está sujeita até a perda de mandato, caso denunciada.

Em 2008 houve um caso singular de tentativa de drible à lei. Uma resolução do Conselho Nacional de Justiça abriu uma brecha para que o auditório do TJ do DF fosse batizado em homenagem ao ex-ministro do STF Sepúlveda Pertence. Durou pouco. Em 2011 o plenário do próprio CNJ revogou a resolução.

  Escrito por Magno Martins, às 19h00
 
Comentários Comentários (1) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

18
12/14
Sarney se despede do Senado

O senador José Sarney (PMDB-AP) fez hoje seu último discurso na tribuna do Senado. Embora seu mandato encerre apenas no dia 1º de fevereiro, Sarney aproveitou o último dia com maior presença de senadores para sua despedida após 60 anos ocupando cargos públicos.

“Levo o fato de ser o senador, o parlamentar mais longevo da história política do País. São 60 anos”, disse ao iniciar o discurso. Na fala, Sarney aproveitou para lembrar fatos históricos e defender temas atuais, como a reforma política, mudanças no controle das empresas estatais e na legislação penal para diminuir a violência no país.

Ex-presidente da República e ex-governador do Maranhão, Sarney disse que se arrepende de ter voltado ao Congresso depois que deixou o Palácio do Planalto e defendeu que o Brasil se torne um país parlamentarista. “Eu também tenho um arrependimento – até fazendo um mea culpa: penso que é preciso proibir que os ex-presidentes ocupem qualquer cargo público, mesmo que seja cargo eletivo”, disse.

“Já expressei minha convicção de que precisamos caminhar a passos mais largos para o parlamentarismo. O parlamentarismo é uma forma mais alta, nas crises que a democracia sempre tem, cai o governo mas não se cria a crise institucional de cair o presidente, de termos o trauma de se fazer aquilo que o povo já fez, que é a Presidência da República”, complementou.

Ainda sobre crises institucionais, o senador fez referência ao delicado momento vivido pelo governo em meio à crise da Petrobras e lembrou que já apresentou há anos um projeto de lei para criar um Estatuto das Estatais. Segundo ele, seu último legado ao Senado será reapresentar a proposta.

  Escrito por Magno Martins, às 18h30
 
Comentários Comentários (3) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

18
12/14
André de Paula e Nilton Mota no Frente a Frente

O futuro secretário estadual de Agricultura, Nilton Mota, e o também futuro secretário de Cidades, André de Paula, sãos os principais entrevistados do Frente a Frente de hoje, programa que apresento pela Rede Nordeste de Rádio, das 18 às 19 horas, tendo como cabeça de rede a Rádio Folha 96,7 FM. Veja abaixo as demais emissoras que integram a rede:

Arcoverde - Itapuama FM 99,3
Afogados da Ingazeira – Rádio Pajeú AM (1.500)
Belém de São Francisco – Educadora AM (1.470)
Bom Conselho – Papacaça AM (1.470)
Caruaru - Cultura AM (1.130)
Custódia – Custódia FM (88,5)
Granito – Rádio Beto Som (104,9)
Itacuruba – Itacuruba FM (87,9)
Mirandiba – Nova FM (87,9)
Orocó – Brígida FM (104,9)
Parnamirim – Rádio Beto Som (104,9)
Petrolina – Petrolina FM 98,3
Recife - Rádio Folha (96,7)
Salgueiro – Salgueiro FM (102,9)
Santa Maria da Boa Vista – Santa Maria FM (87,9)
São Bento – São Bento FM (104,9)
São Caetano – Cruzeiro FM (104,9)
São José do Egito – Nova Rádio Cultura AM (1.320)
Serra Talhada – Líder do Vale FM (99,7)
Sertânia – Sertânia FM (100,1)
Surubim - Integração FM (88,5)
Tabira – Cidade FM (88,7)
Terra Nova – Terra Nova FM (104,9)
Verdejante - Verdejante FM (104,9)
Nova Timbaúba FM 96,9
Alagoas - Maragogi FM (97.3
Petrolândia - Aliança FM 104,9
Vale do Acaí-FM 104,9 – Poção
Tuparetama - Tupã FM 104,9

Nova FM 106,7 – Gravatá

Serrinha FM – 104,9 – Serrita

Nova Betânia – FM – 87,9 – Betânia

  Escrito por Magno Martins, às 18h06
 
Comentários Comentários (0) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

18
12/14
Gilberto Carvalho será presidente do conselho do Sesi

O ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República Gilberto Carvalho, anunciou nesta quinta-feira, que vai assumir a presidência do conselho do Serviço Social da Indústria (Sesi).

Carvalho informou que tomará posse no cargo em fevereiro de 2015. A instituição é mantida com contribuições compulsórias da indústria e agroindústria e mantém projetos de educação e especialização em todo o País. A vaga desocupada por Carvalho na Presidência da República será ocupada por Miguel Rossetto, ex-ministro do Desenvolvimento Agrário.

Ressaltando que terá “um décimo de preocupações” após assumir a nova função, Carvalho afirmou que vai conseguir se dedicar mais ao PT, principalmente aos fins de semana.

  Escrito por Magno Martins, às 18h00
 
Comentários Comentários (0) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  


Copyright Magno Martins. 2011. Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do autor.