FMO janeiro 2020

02/12


2013

Marina ainda pode empurrar Dilma para o 2º turno

DO BLOG DO KENNEDY

 Apesar de Marina ter perdido um pouco de força, ela ainda é capaz de levar Dilma a enfrentar um segundo turno. Filiada ao PSB, Marina deverá apoiar a candidatura presidencial do governador de Pernambuco. No contexto atual, dificilmente ela será candidata a presidente.

Por isso, Eduardo Campos prioriza a indicação de Marina para vice em sua chapa. O governador de Pernambuco recebeu pesquisa que mostra que ele cresce para cerca de 20% quando a ex-senadora aparece ao seu lado na cédula eleitoral.

O fator Marina, portanto, traz risco à possibilidade de reeleição de Dilma. De todos os nomes da oposição, a ex-senadora foi a única que conseguiu algum benefício político com a crise das manifestações. Mesmo sem ser candidata, pode desempenhar um papel crucial para ajudar Campos a crescer e forçar a realização de um segundo turno. Marina tem força nos grandes centros urbanos. Não deve ser subestimada na posição de vice.

Em resumo: Dilma é favorita, mas sua reeleição não são favas contadas. Há obstáculos econômicos no meio do caminho. Aécio e Campos vão se tornar mais conhecidos, o que dará a eles a oportunidade de crescer. Falta tempo para julgar o cenário atual como consolidado.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Wellington Antunes

Oriunda das fieiras do PT Marina ainda é o nome mais forte.....Tinha que ser oriunda do PT. Também pudera, temos uma oposição que envelheceu nos quadros, nas propostas e nos discursos. Como ficam os rola bostas que odeiam o PT e ex-petistas?


Prefeitura de Serra Talhada

02/12


2013

Festejo discreto na Granja do Torto após pesquisa

O BLOG DE GERSON CAMAROTTI
 
 Houve discreta comemoração na Granja do Torto quando o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, comunicou os números da pesquisa Datafolha na tarde de sábado (30). O levantamento mostrou crescimento de Dilma com sinalização de vitória no primeiro turno nas eleições do ano que vem.

No momento em que Mercadante informou o resultado, a presidente Dilma Rousseff, o ex-presidente Lula e o presidente do PT, Rui Falcão, estavam reunidos com integrantes da cúpula do PP.

Ao blog, um interlocutor da presidente Dilma atribuiu à intensa agenda da presidente pelo país a recuperação gradativa da popularidade desde que Dilma despencou nas pesquisas em razão da onda de protestos que tomou conta do país em junho.

Mesmo assim, um ponto da pesquisa causou um alerta na cúpula do governo. O fato de 66% dos entrevistados terem afirmado que esperam que as ações do próximo presidente sejam diferentes.

Outro ponto que tem preocupado o governo é como a economia vai reagir em 2014. Há reconhecimento interno de que a oposição não conseguiu explorar episódios negativos neste ano de 2013, o que ajudou a recuperação de Dilma.

A pesquisa, na avaliação do interlocutor de Dilma, traz um alívio porque conseguiu frear o movimento do “volta, Lula” entre os petistas. O Datafolha mostrou que, entre os entrevistados que têm o PT como partido de preferência, 46% preferem Dilma contra 7% dos que querem Lula.

Além disso, há um reconhecimento de que o crescimento de Dilma nas pesquisas deve acelerar a oficialização de apoio de partidos aliados à reeleição de Dilma, como aconteceu recentemente com o PSD.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Abreu e Lima - Prefeitura - Abreunozap

01/12


2013

PMDB-PE defende Jarbas para o Senado

 Parlamentares e lideranças do PMDB de Pernambuco aproveitaram o último encontro regional do partido este ano, realizado neste domingo (1º de dezembro), em Vitória de Santo Antão, para defender a renovação do mandato do senador Jarbas Vasconcelos. “Jarbas não é apenas o senador de Pernambuco. É o senador do Brasil”, afirmou o deputado estadual Tony Gel. “Me acostumei a ver a luta de Jarbas pela redemocratização do Brasil”, completou Ricardo Costa. Tony e Ricardo – que se filiaram em outubro ao PMDB – fizeram suas estreias nas reuniões oficiais da legenda.

Em entrevista à Imprensa, Jarbas Vasconcelos foi mais comedido, afirmando que o comando do processo de escolha da chapa majoritária da Frente Popular está com o governador Eduardo Campos (PSB).

“Eu coloco o meu nome. Tenho a minha atuação no Senado ressaltada como positiva por muitos. Mas acho que esse ainda não é o momento, a gente ainda está no final de 2013.” E ressaltou: “Eu vou lutar para permanecer onde estou”.

CHAPAS COMPETITIVAS

O deputado federal Raul Henry destacou a montagem das chapas proporcionais do PMDB pernambucano, relacionando nomes de todas as regiões do Estado, que vão disputar cadeiras na Assembleia Legislativa e na Câmara dos Deputados. “Teremos chapas competitivas para deputado estadual e para deputado federal. E vamos trabalhar para reeleger o melhor senador do Brasil, um nome respeitado no País inteiro”, argumentou Raul.

A mesma defesa da renovação do mandato de Jarbas foi feita pelo prefeito de Verdejante, Péricles Tavares, pelo vice-prefeito de Santa Maria da Boa Vista, José Gualberto, pelo deputado estadual Gustavo Negromonte e pelo presidente do PMDB-PE, Dorany Sampaio, e pela vice-presidente, Jacilda Urquiza. O encontro do PMDB em Vitória de Santo Antão foi marcado também pela filiação do empresário José Manoel Alves, o “Zé Catinga”, que vai disputar mandato de deputado estadual, com o apoio do presidente municipal da legenda, Alexandre Férrer.

PESQUISA   DATAFOLHA

O senador Jarbas Vasconcelos e o deputado federal Raul Henry também falaram da mais recente pesquisa Datafolha, que colocou a presidente Dilma Rousseff à frente dos seus principais adversários, o governador Eduardo Campos e o senador Aécio Neves (PSDB-MG). “Não me inquieto com pesquisas, agora, a quase um ano da eleição. Essa posição de Dilma é fruto das suas aparições públicas, como presidente da República, nas rádios, nos jornais, nas televisões”, disse Jarbas.

“Sessenta e seis por cento dos entrevistados também disseram que querem mudanças no Brasil. Esse ciclo de poder do PT dá sinais de esgotamento. O Governo não fez nada para mudar as estruturas do País. Não é por acaso que as pessoas foram para as ruas”,argumentou Raul. O deputado peemedebista disse que o PT não fez o dever de casa, apesar da arrecadação de impostos ter passado, em 10 anos, de R$ 500 bilhões para mais de R$ 1 trilhão. Só se corrige desigualdade social com Educação pública de qualidade”, afirmou Raul Henry, que é o relator na Câmara dos Deputados da Lei de Responsabilidade Educacional.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

arnaldo luciano da luz alencar ferreira

TINHA TUDO PARA SER O SENADOR NA CHAPA DE ARMANDO,MAIS POR SER MUITO FRACO,SE VENDEU A EDUARDO E AGORA NÃO SE ELEGE NEM DEPUTADO PELO PMDB.

Wellington Antunes

“Sessenta e seis por cento dos entrevistados também disseram que querem mudanças no Brasil." Continuam enganando a si mesmo. 66% querem mudanças é verdade, mas não disseram que queirem mudança de gestor (Vide Dilma com 47%)

andre regidwitz

Depois de dizer "o diabo" do neto durante anos à fio, resolveu se aproximar dele para eleger o filho . O resultado todo mundo sabe. Agora duvido até que ele se eleja síndico do prédio onde mora.

adriano da mota silveira

Melhor é deixar Jarbas ser candidato ao senado para ser derrotado. Lula será capaz de eleger um candidato do PT e Eduardo se apoiar Jarbas vai se queimar

Cícero Ramos de Souza

Já votei muito no Senhor Jarbas Vasconcelos. Não votarei nunca mais. Caiu na vala dos políticos sem-vergonha. Essa adesão ao Eduardo Campos é vergonhosa e manchou definitivamente o nome do senador. Não é e jamais será merecedor de meu voto novamente.


Banco de Alimentos

01/12


2013

Vitória: Gel e Miriam participaram de encontro do PMDB

 Recém-filiados ao PMDB, o deputado Tony Gel e a ex-deputada Miriam Lacerda participaram neste domingo (1º), do último encontro regional de 2013, na cidade de Vitória de Santo Antão. O casal de políticos foi apresentado formalmente aos membros do partido. Na ocasião, Tony Gel explicou os motivos de sua desfiliação do Democratas, ao qual estava filiado há mais de duas décadas.

 

“Sempre fui meio contrário a essa ideia de mudar de partido. Mas para mim não mudei de casa, apenas de cômodo. Eu sempre considerei o PMDB a minha casa e talvez por isso, fui tão bem recebido nesse partido”, explicou o deputado.

 

O evento também serviu para fazer um balanço do ano e contou com a presença dos principais nomes do partido no Estado, a exemplo do presidente Dorany Sampaio, o secretário-geral da sigla, deputado federal Raul Henry, e o senador Jarbas Vasconcelos, além de prefeitos, vice-prefeitos, vereadores e lideranças da região.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Cícero Ramos de Souza

O cordão dos políticos sem-vergonhas cada vez aumenta mais. Viva a Cara-de-pau.



01/12


2013

PSOL escolheu candidato à Presidência da República

Senador Randolfe Rodrigues concorrerá nas eleições presidenciais. Partido também elegeu seu novo presidente, Luiz Araújo

 O 4º Congresso Nacional do PSOL elegeu, neste domingo, o senador do Amapá Randolfe Rodrigues como candidato do partido para as eleições presidenciais de 2014. Como presidente da legenda, foi eleito Luiz Araújo, professor substituto da Faculdade de Educação da Universidade de Brasília (UnB) e assessor da liderança do partido no Senado.

Concorreu também a ex-deputada federal pelo Rio Grande do Sul Luciana Genro, filha do atual governador do estado, Tarso Genro. De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), as legendas têm entre 10 e 30 de junho de 2014 para realizar as convenções partidárias que oficializarão os candidatos e coligações para as eleições de outubro do ano que vem.

Segundo a assessoria do PSOL, cerca de 600 militantes participaram do encontro, entre delegados e observadores eleitos nos congressos estaduais de todas as regiões do país. O evento, realizado este ano no Centro de Treinamento Educacional da Confederação Nacional dos Trabalhadores da Indústria (CNTI), ocorre a cada dois anos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Raimundo Eleno dos Santos

Claro que deve haver outros candidatos. O Brasil é plural, mas quem governa é a vontade da maioria. Quem diz isso é o voto. Randolfe é bem vindo


O Jornal do Poder

01/12


2013

Alô, Nação Tricolor! É campeão!

Santa Cruz, Santa Cruz, junta mais esta vitória... Chegamos lá, levantando o troféu da Série C. Um jogaço e, mais uma vez, Caça Rato sai como um dos heróis do jogo. Se subir para a série B já foi uma grande conquista, emplacar um campeonato nacional é a gloria, glória tricolor.

Valeu, Nação Cobra Coral!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

macarrao

Ganhamos para o Sampaio e para Dudu, que proibiu que vendessem ingressos pelo Todos com a nota pra prejudicar o santinha por se recusar a jogar na Arena Pernambuco.

Cleto Cordeiro

Em 2013, o Santa Cruz foi tri-campeão pernambucano e campeão brasileiro pela série C. Em 2014 será o ano do centenário com muito mais vitórias, rumo ao Tetra no pernambucano e a série A do brasileiro.

Conceição

É Tri, É Tri, É Tricolor...

milton tenorio

Salve ! Salve! O mais Querido!



01/12


2013

Boa notícia. Mas ver para crer

 Dentro de dois meses, entra em vigor no Brasil uma lei de combate à corrupção, a 12.846, semelhante à que vigora nos Estados Unidos. A partir de sua vigência, as empresas serão responsabilizadas por relacionamento indevido entre seus colaboradores e órgãos estatais. Não importa quem pague a propina, a empresa terá também a responsabilidade objetiva no caso. A lei deve funcionar como a que pune o trabalho escravo: a empresa será responsável por irregularidades de coligadas, controladas, consorciadas e parceiros comerciais, o que a obriga a fiscalizar o comportamento de seus fornecedores. As multas chegam eventualmente a 20% do faturamento bruto e pode haver proibição de receber incentivos ou financiamentos públicos. Conforme o caso, a empresa pode ser fechada.

Boa notícia - se funcionar. De boas leis o arquivo está cheio. Se funcionar, se for aplicada sem levar em conta o peso político do infrator, pode mudar o país.  (Carlos Brickmann)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Adilson

Eita! Vai furar o Caixa do PSDB.



01/12


2013

PSDB perde espaço com divisão entre Serra e Aécio

 O PSDB está dando mostras do quanto pode custar a um partido político a divisão interna entre seus principais quadros. Por mais que o presidente da legenda e senador Aécio Neves procure, em seus constantes giros nacionais, costurar a unidade partidária, uma peça se recusa a se encaixar. É a que está na mão do ex-governador José Serra, que aposta no recall que seu nome desperta no público, em razão de suas duas campanhas presidenciais anteriores, para insistir, persistir e resistir numa posição personalista e exclusivista.

Aécio, é claro, atua a favor de seu próprio nome para candidato a presidente em 2014, mas, registre-se, tem tomado o cuidado de recusar todo e qualquer lançamento de sua própria candidatura até agora.

O problema é que Serra não sabe praticar esse jogo. Conciliação, como se observa no histórico político dele, é uma palavra que não faz parte de seu dicionário. Imposição, sim.Em outras palavras, a falta de sintonia entre Aécio e Serra, provocada muito mais pelo paulista do que pelo mineiro, pode, ainda, rachar de uma vez o partido e espatifar as chances de uma vitória em 2014.

Os reflexos negativos dessa divisão já aparecem nitidamente nas pesquisas. No Datafolha de novembro, divulgado ontem, Serra surgiu à frente de Aécio tanto no cenário que inclui Marina Silva como candidata do PSB como no que foi feito com o governador Eduardo Campos. Com 19% no primeiro caso e 22% no segundo, ele superou Aécio, que marcou 15% na hipótese de Marina concorrer e 19% na simulação com Campos. (Portal BR247)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


01/12


2013

Na Papuda: baratas e banho frio das mensaleiras

 

 

 

 

 

 

VEJA

As duas mulheres presas até agora no julgamento do mensalão serão removidas nos próximos dias para o presídio feminino da Colmeia, a 40 quilômetros do centro de Brasília. Para Kátia Rabello, ex-presidente do Banco Rural, e Simone Vasconcellos, ex-secretária de Marcos Valério, será o início definitivo da vida como detentas e de uma mudança radical: há três semanas, elas viviam em confortáveis apartamentos nos melhores bairros de Belo Horizonte (MG).

Até agora, a dupla estava alocada no 19º Batalhão da Polícia Militar do Distrito Federal. A unidade fica na entrada do Complexo Penitenciário da Papuda, mas não parece um presídio: as cercas que ladeiam a área são simples, civis e militares transitam pelo pátio, não há muros e, durante o banho de sol diário, as mensaleiras conseguiam avistar a rua. Mas o privilégio vai acabar por ordem da Vara de Execuções Penais do Distrito Federal, que ordenou a transferência das duas para a Colmeia, longe do centro de Brasília. E não há o que fazer para evitar a cadeia porque o caso de Kátia e Simone é mais grave do que o de José Dirceu e José Genoino: independentemente do julgamento dos embargos infringentes pelo Supremo Tribunal Federal (STF), as duas já estão condenadas a iniciar o cumprimento de pena em regime fechado.

A ex-banqueira tem uma pena de 16 anos e 8 meses de prisão a cumprir. Simone foi sentenciada a 12 anos e 7 meses. Ambas terão pela frente uma habitação muito diversa à que estavam habituadas: Kátia vivia em um amplo apartamento no bairro do Sion, um dos mais valorizados de Belo Horizonte. Simone declarou morar em um prédio de luxo no bairro de Lourdes, também de elite. O imóvel de Simone tem cerca de 190 metros quadrados e vale 1,5 milhão de reais.

Na Colmeia, a dupla de mensaleiros terá de se habituar a situações-limite. Além da água fria para o banho e da umidade das celas, o presídio tem uma particularidade nada agradável: é indispensável a tolerância com as baratas que infestam o prédio e incomodam especialmente as detentas que dormem com colchão sobre o piso, por falta de espaço nas camas. Sabonete, xampu e absorvente íntimo precisam ser providenciados pelas próprias detentas – apenas o papel higiênico é fornecido regularmente pela direção do presídio. A comida é frequentemente alvo de críticas.

O prédio onde funciona a penitenciária feminina foi não foi construído para funcionar como uma cadeia, o que dificulta a organização das detentas. O local era uma unidade de internação de menores infratores antes do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Além disso, presos homens em situação psiquiátrica instável também ficam abrigados em uma ala da Colmeia. Leia mais aqui .


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


01/12


2013

FHC sobre a oposição: ''''Estamos berrando pouco''''

JOSIAS DE SOUZA

 Fernando Henrique Cardoso enxerga na conjuntura “sinais alarmantes”. É esse o título do artigo que o grão-mestre do PSDB levou às páginas neste domingo. Num texto em que chama Lula de “mago do ilusionismo” e trata os punhos erguidos dos presidiários José Dirceu e José Genoino como uma coreografia de “Lenines que receberam dinheiro sujo”, FHC lança um olhar pessimista sobre 2014.

“Estamos a ver as manobras preparatórias para mais uma campanha eleitoral sob o signo do embuste”, ele anotou, antes de alvejar Dilma Rousseff: “A candidata oficial, pela posição que ocupa, tem cada ato multiplicado pelos meios de comunicação. Como o exercício do poder se confundiu, na prática, com a campanha eleitoral, entramos já em período de disputa.”

A disputa é “desigual”, avalia FHC. “Só um lado fala”, lamenta. “As oposições, mesmo que berrem, não encontram eco”, constata. “E, sejamos francos: estamos berrando pouco”, critica. Ele não deu nome aos bons cabritos. Mas como falou em “oposições”, assim, no plural, supõe-se que sente falta tanto dos berros de Aécio Neves quanto dos de Eduardo Campos (PSB).

Paradoxalmente, FHC exercitou seu pessimismo ao tratar de um fato que considerou alvissareiro: “Finalmente fez-se justiça no caso do mensalão.” Num gesto de autocontenção, ele reteve o júbilo: “É triste ver na cadeia gente que em outras épocas lutou com desprendimento.”

PUNHO ERGUIDO

Lamenta ver os membros do núcleo político do PT presos ao lado dos Valérios do núcleo publicitário e dos banqueiros do núcleo Rural, “que se dedicaram a encher os bolsos ou a pagar suas campanhas à custa do dinheiro público”. Mas não foi a promiscuidade das (más) companhias o que mais assustou FHC.

“Mais melancólico ainda é ver pessoas que outrora se jogavam por ideais – mesmo que controversos – erguerem os punhos como se vivessem uma situação revolucionária”, escreveu, numa alusão ao gesto encenado por Dirceu e Genoino no instante da rendição à Polícia Federal.

“Onde está a Revolução? Gesticulam como se fossem Lenines que receberam dinheiro sujo, mas usaram-no para construir a ‘nova sociedade’. Nada disso: apenas ajudaram a cimentar um bloco de forças que vive da mercantilização da política e do uso do Estado para perpetuar-se no poder.”

ENCENAÇÃO FARSECA

FHC enxerga na “encenação farsesca”, um “significado claro: eleições à vista. É preciso mentir, autoenganar-se e repetir o mantra. Não por acaso a direção do PT amplifica a encenação e Lula diz que a melhor resposta à condenação dos mensaleiros é reeleger Dilma Rousseff…”

Nas pegadas da expedição dos primeiros mandados de prisão de mensaleitos, a repórter Vera Rosa noticiou que Lula telefonou para Dirceu e Genoino. “Estamos juntos”, teria dito o morubixaba do PT. FHC evocou a frase em seu artigo.

Deu a entender que Lula, “o mago do ilusionismo”, traiu-se ao tentar tirar cartolas de dentro dos coelhos. “Neste caso, quem sabe, um lapso verbal expressou sinceridade: estamos juntos, disse Lula. Assumiu meio de raspão sua fatia de responsabilidade, ao menos em relação a companheiros a quem deve muito. E ao país, o que dizer?”

NÃO SABIA NADINHA

O que FHC afirmou nesse trecho, com outras palavras, foi que não merece crédito aquele Lula ‘não sabia nadinha’ da Silva do alvorecer da crise. Em seu artigo, o xamã do tucanato insinuou que, hoje, frequenta a cena um Lula condenado pelo domínio do fato à solidariedade perpétua.

FHC cobra dos antagonistas do petismo um comportamento, por assim dizer, joaquiniano. “É preciso dizer com coragem, simplicidade e de modo direto, como fizeram alguns ministros do Supremo, que a democracia não se compagina com a corrupção nem com as distorções que levam ao favorecimento dos amigos.”

Fez bem a FHC a mistura da experiência acumulada na Presidência com o descompromisso da ex-presidência. Munido do salvo-conduto que se autoconcedeu, FHC virou um trombone solitário. No fundo, ele sabe que desperdiça o latim. Quem vive de esperanças de ver o PSDB e o PSB tratando o mensalão com desassombro vai morrer muito magro.

O MENSALÃO EMPLUMADO DE MINAS

Nessa matéria, a coragem do tucanato diminui na proporção direta da aproximação do dia do julgamento do mensalão emplumado de Minas Gerais. Ex-presidente do PSDB federal, Eduardo Azeredo é uma condenação esperando para acontecer. Quanto ao PSB, a covardia da legenda é proporcional à cumplicidade que exibiu enquanto esteve no governo, até anteontem.

Em setembro de 2012, quando os ministros do STF começaram a condenar os mensaleiros, Eduardo Campos subscreveu um manifesto em que o PT acusava a oposição e a mídia de transformar o mensalão num “julgamento político, golpear a democracia e reverter as conquistas que marcaram a gestão do presidente Lula”. Se levar a boca ao trombone agora, vai faltar sopro.

O que mais parece incomodar FHC é o fato de o silêncio se propagar em ondas. “É enorme o arco de alianças políticas no Congresso cujos membros se beneficiam por pertencer à ‘base aliada’ de apoio ao governo. Calam-se diante do mensalão e demais transgressões, como se o ‘hegemonismo petista’ que os mantém seja compatível com a democracia.” Shuááá!

SHUÁÁÁ!

“Que dizer então da parte da elite empresarial que se serve dos empréstimos públicos e emudece diante dos malfeitos do petismo e de seus acólitos?” Shuááá, shuááá!! “Ou da outrora combativa liderança sindical, hoje acomodada nas benesses do poder?” Shuááá, shuááá, shuááá!!! “Muitos sabem que o rei está nu e poucos bradam.”

Em timbre de desalento, FHC escreve: “Não estamos diante de um quadro eleitoral normal. A hegemonia de um partido que não consegue se deslindar de crenças salvacionistas e autoritárias, o acovardamento de outros e a impotência das oposições estão permitindo a montagem de um sistema de poder que, se duradouro, acarretará riscos de regressão irreversível.”

Que fazer? “Só tem um caminho: as urnas”, lenciona FHC aos correligionários. “É preciso desfazer na consciência popular, com sinceridade e clareza, o manto de ilusões com que o lulo-petismo vendeu seu peixe. Com a palavra as oposições e quem mais tenha consciência dos perigos que corremos.”

O ex-ministro Sérgio Motta, velho amigo de FHC, morreu sonhando com a permanência do PSDB no poder federal por 20 anos. A julgar pela recuperação de Dilma nas pesquisas — lenta, mas continua — não são negligenciáveis as chances de o petismo obter em 2014 a prorrogação do pesadelo do tucanato até 2018. Serão 16 anos corridos.

Lula estará autorizado a dizer: nunca antes na história desse país um partido conseguiu semelhante façanha. Os militares tiveram 21 anos, mas com um AI-5 de permeio. Getúlio Vargas teve 15, mas foi ditador num pedaço do filme e se matou no final.

- Serviço: Aqui, a íntegra do artigo de Fernando Henrique Cardoso.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Wellington Antunes

Enquanto eles berram a caravana passa.

Raimundo Eleno dos Santos

" FICARÁ COMO TRAIDOR DO BRASIL". MAIS, DE SEU PARENTE, SEU TIO GENERAL FELICÍSSIMO CARDOSO: " ESTE MEU SOBRINHO NÃO É DE CONFIANÇA." Durma-se com um barulho desse.

Raimundo Eleno dos Santos

FOI DESTRUIR A ALMA NACIONAL, O SONHO COLETIVO".; OU O SENADOR PEDRO SIMON DO RIO GRANDE DO SUL: " " FHC COMPROU O MANDATO: 150 DEPUTADOS, UMA MONTANHA DE DINHEIRO PRA FAZER A REELEIÇÃO." OU AINDA DE JOSÉ APARECIDO, POLÍTICO MINEIRO: " FICARÁ COMO TRAIDOR DO BRASIL". MAIS, DE SEU PARENTE, SEU TIO G

Raimundo Eleno dos Santos

OU O QUE DISSE ALOÍSIO BIONDI, JORNALISTA: " SEU CRIME ( DE FHC) MAIS HEDIONDO FOI DESTRUIR A ALMA NACIONAL, O SONHO COLETIVO".; OU O SENADOR PEDRO SIMON DO RIO GRANDE DO SUL: " " FHC COMPROU O MANDATO: 150 DEPUTADOS, UMA MONTANHA DE DINHEIRO PRA FAZER A REELEIÇÃO." OU AINDA DE JOSÉ APARECIDO, POLÍT

Raimundo Eleno dos Santos

O CINISMO É PRÓPRIO DOS CÍNICOS. É REDUNDANTE, NÃO É? POIS É ASSIM. O FHC TAMBÉM É ASSIM. E MAIS, COMO DISSE RUBENS REQUIÃO, SENADOR DO PARANÁ: " A GENTE NÃO PRECISA NEM DE UM ROUBÔMETRO: COM A PRIVATARIA ROUBOU 10 MIL VEZES MAIS QUE QUALQUER POSSIBILIDADE DE DESVIO DO GOVERNO LULA"; OU O QUE DISSE


Coluna do Blog
TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores