ArcoVerde

11/01


2019

Avanço da educação pública marca posse do reitor da UPE

Os avanços significativos da educação pública em Pernambuco ao longo dos últimos anos foram ressaltados pelo governador Paulo Câmara na manhã de hoje, ao empossar o reitor reeleito da Universidade de Pernambuco (UPE), Pedro Falcão, em solenidade na Faculdade de Ciências da Administração de Pernambuco (FCAP), no Recife. O chefe do Executivo destacou que o trabalho realizado até o momento elevou o Estado a um honroso primeiro lugar no Brasil. “A educação hoje, no ensino médio, por exemplo, é referência no País. Temos a menor taxa de abandono e a menor diferença entre ensino público e o privado”, comemorou.

Nesse contexto, o governador lembrou em seu discurso as últimas conquistas da UPE, que em 2007 oferecia apenas um único curso de doutorado, e em oito anos ampliou essa oferta para três cursos, dobrando esse número entre 2015 e 2018. “Hoje temos seis cursos de doutorado com ótimas avaliações, o que se estende para todos os cursos, que tiveram ampliações e melhorias, como o de Medicina e o de Direito, o que mais aprova no exame da OAB”, explicou.

Paulo Câmara reiterou que a avaliação positiva do curso de Medicina fez com que ele também se tornasse referência em todo País. Ainda segundo o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), a Escola de Aplicação do Recife, integrante da rede pública estadual e vinculada à UPE, está em primeiro lugar no ranking das escolas públicas de Ensino Médio do Brasil.

O governador apontou algumas ações da sua gestão no mandato anterior que, mesmo em meio à crise vivida pelo país, foi marcada pela expansão e interiorização da universidade, e enumerou novas iniciativas a serem realizadas. “Inauguramos o campus de Arcoverde, no Sertão. Também naquela Região, o de Serra Talhada está praticamente pronto. Fizemos intervenções em Garanhuns e vamos fazer aqui também na Região Metropolitana”, afirmou.

Reempossado, o reitor Pedro Falcão disse considerar uma honra seguir no comando da UPE, e prometeu uma nova gestão no quadriênio que se inicia. A chapa foi reeleita por servidores, docentes e alunos da instituição, em eleições realizadas no último mês de setembro. “Cumprimos 80% das nossas propostas de trabalho. Agora, temos novas metas, e me sinto honrado em assumir mais esse compromisso”, reforçou, agradecendo o apoio do Governo do Estado destacando a nomeação de 455 servidores para as unidades do Complexo Hospitalar da UPE como um grande feito da gestão para a universidade.

Na ocasião, a vice-reitora da UPE, professora Socorro Cavalcanti, também foi reempossada no cargo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Asfaltos

11/01


2019

A guerra pelo Sesi

Robson Andrade, presidente da CNI, está articulando como pode para melar a nomeação de Eduardo Eugênio Gouveia Vieira, da Firjan, para o comando do Sesi.

Segundo o Radar Online, embora Eduardo Eugênio já tenha aceitado a empreitada, Andrade ainda tem esperança de virar o jogo e assumir o posto. Paulo Guedes, porém, não dá sinal algum de poderia rever sua escolha, sobretudo para agradar à cúpula da CNI.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


11/01


2019

Gleisi: “Deixar de ir à posse de Maduro seria covardia”

Criticada por ter comparecido à posse de Nicolás Maduro, na Venezuela, a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, afirmou que não participar do evento “seria covardia” e uma “concessão à direita”. Gleisi, que é senadora, participou do boicote feito por PT, Psol e PCdoB à posse de Jair Bolsonaro no Congresso.

“Nenhuma surpresa as críticas dos que ignoram as razões por eu ter aceitado o convite para a posse na Venezuela. Deixar de ir seria covardia, concessão à direita. A esquerda pode ter críticas ao governo Maduro, mas o destino da Venezuela está nas mãos do seu povo e de mais ninguém”, argumentou a petista.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


11/01


2019

Golpes e Arranjos

Por Márcio Accioly

Numa entrevista ao jornal El País, em setembro do ano passado (pleno auge da campanha presidencial), o ex-ministro e condenado a mais de 30 anos de cadeia, Zé Dirceu, afirmou que o PT tomaria o poder “o que é diferente de ganhar uma eleição”, no caso de o partido ser bem sucedido nas urnas daquele ano, mas não levar.

Ele respondia a questão formulada pelo jornal, fato que causou enorme repercussão. As pessoas queriam saber de que maneira o poder seria tomado pelo PT, de que exército ele dispõe, se iria empregar táticas de guerrilha, etc. Agora, com as ações de criminosos no Ceará, circula pela internet aquela entrevista de Zé Dirceu com ilações a respeito de seu possível envolvimento numa “tomada de poder”.

Muitos alegam que a bandalheira poderá se espalhar por outros estados, exigindo ações do governo que iriam gerar tumulto permanente. 

Isso, numa fase confusa da vida nacional, em que quadrilhas se encontram instaladas em várias instâncias de nossas instituições e a gritante falta de impunidade estimula bandidos comuns e assaltantes dos cofres públicos a agirem livremente.

Uma das coisas que menos se entende é o fato de um condenado pela Justiça como Zé Dirceu circular livremente país afora, fazendo pregações que bem entende. Ele foi solto pelo STF, tendo o presidente do órgão, Dias Toffoli, determinado a retirada de tornozeleira eletrônica. Toffoli foi militante e advogado do PT durante anos e anos, tendo sido funcionário de Zé Dirceu quando este era ministro-chefe da Casa Civil.

Contra o presidente do STF existe a gravíssima acusação de que recebe mesada de R$ 100 mil do escritório de advocacia eleitoral que está no nome de sua mulher. O ministro nunca respondeu a acusação formulada pela revista eletrônica Crusoé, fartamente documentada e apontando, ainda, ex-gerente de banco que trabalha exclusivamente para ele, cuidando de suas aplicações financeiras.

O Brasil é “administrado” por quadrilhas que o mergulham num clima de devastadora tensão, a explodir quando menos se esperar por conta de infindáveis carências. É corda que não irá se partir apenas do lado mais fraco, mas no seio de toda a sociedade, criando cenário de improvável reparação. Ninguém aguenta mais pagar essa conta.

As pessoas percebem claramente que a corrupção se estabelece e prospera nos mais variados escalões, com os envolvidos apostando na ausência de punição e conscientes de exercerem poder absoluto. Foi esse clima que levou Jair Bolsonaro à Presidência da República, já que não emergiu do caos estabelecido nenhum outro nome que merecesse confiança.

O ex-ministro Zé Dirceu pode não ter nada a ver com a desordem que tem dominado o Ceará, mas sua declaração a respeito de tomada de poder colocou pulga na orelha de muita gente. E, agora, em fevereiro, quando o Judiciário retorna, é provável que ele seja preso e comece a cumprir, finalmente, a longa sentença a que foi condenado. De qualquer forma, sua entrevista só fez piorar a própria situação.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


11/01


2019

Jaboatão divulga calendário de pagamento de servidores

A Prefeitura do Jaboatão dos Guararapes anunciou, hoje, o calendário de pagamento dos servidores ativos e inativos. Os proventos serão pagos até o último dia útil de cada mês, enquanto o décimo terceiro, previsto para ser liberado nos dias 12 (aposentados) e 13 (ativos) de dezembro. Este é o terceiro ano consecutivo que o funcionalismo municipal conta a garantia de que receberá os salários dentro do mês trabalhado, podendo, dessa forma, se planejar adequadamente ao longo de 2019.

O prefeito Anderson Ferreira ressaltou que o equilíbrio financeiro da gestão possibilita a garantia não apenas do pagamento salarial em dia, mas, também, que esse pagamento seja feito dentro do mês trabalhado. “Nestes dois anos de administração, estamos pondo em prática um modelo de equilíbrio financeiro, aplicando os recursos onde é prioritário. E com isso, damos tranquilidade aos nossos servidores para poderem se planejar, sabendo o dia exato que receberão seus salários”, explicou.

O gestor lembrou ainda os reconhecimentos à prefeitura, no final de 2018, tanto pelo Tesouro Nacional quanto da Sudene e Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe). “Recebemos nota A do Tesouro Nacional pelo equilíbrio financeiro do município e três prêmios concedidos pela Sudene e Amupe, pelo mesmo motivo. Jaboatão, inclusive, foi destaque em Pernambuco”, assinalou o prefeito Anderson Ferreira.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


11/01


2019

Bolsonaro participa da troca de comando do Exército

O presidente Jair Bolsonaro participou, hoje, da cerimônia de troca no comando do Exército. No lugar do general Eduardo Villas Bôas, assumiu o comando o general Edson Leal Pujol.

Neste início de mandato, Bolsonaro já havia comparecido às trocas dos comandos da Aeronáutica e da Marinha.

A troca de comando das Forças Armadas (Exército, Marinha e Aeronáutica) costuma ocorrer a cada quatro anos, no início dos mandatos presidenciais. O presidente da República é o comandante supremo das Forças Armadas.

Bolsonaro tem dito que vai manter uma relação próxima com as Forças Armadas durante seu mandato. O presidente é capitão reformado do Exército. Ontem, ele foi a um jantar com militares no Clube do Exército.

Na cerimônia desta sexta, também realizada no CLube do Exército, estavam presentes, além de Bolsonaro, autoridades como os ministros Sérgio Moro (Justiça) e Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, e a procuradora-geral da República, Raquel Dodge.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

marcos

Segundo reportagem da IstoÉ, Rosemary Noronha Rapariga de Lula, tinha 40 advogados. Será que Queiroz pagava os Doutores?



11/01


2019

Governo avalia renda mínima para capitalização

O sistema de capitalização que o governo Bolsonaro pretende criar para a Previdência dos futuros trabalhadores deve valer apenas para quem ganha a partir de determinada renda, segundo informou o Estadão/Broadcast.

O ponto de corte ainda não está fechado pela equipe econômica, mas a vantagem desse modelo é que diminui o custo da transição, pois evita grandes perdas de arrecadação que ocorreriam se todos os novos trabalhadores migrassem e passassem a contribuir apenas pelo novo modelo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


11/01


2019

Coluna da sexta-feira

O equilibrista

Por Arthur Cunha – especial para o blog

Imaginem uma corda bamba de circo onde um artista circense tenta atravessar de um lado para o outro, passando por vários percalços; ora mais tranquilo, ora ameaçando cair. Mas sempre com a certeza de que vai chegar triunfante no final da linha. Transpondo para a política nacional, podemos definir essa metáfora como a trajetória recente do presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia, que, depois de muita especulação, está próximo de ser reeleito, ganhando a corrida por um dos cargos mais importantes da República.

Com a iminência de receber em breve o apoio do bloco de 69 deputados, formado pelo PSB, PDT e PCdoB; Maia vai ultrapassar com folga a maioria necessária de 257 votos, vencendo o pleito contra Fábio Ramalho sem precisar de segundo turno. Uma vez reconduzido à cadeira, o deputado carioca terá um imenso poder em suas mãos, digno de fazer frente à caneta de Jair Bolsonaro, controlando todo o ritmo em que as pautas definidoras do futuro da nação serão votadas.

Rodrigo Maia é uma espécie de equilibrista. Jeitoso, sabe o timing certo de fazer suas movimentações. Em um momento, acena para o novo presidente e seu PSL seco por cargos e relevância política; no outro, conversa com lideranças de centro esquerda como se fossem velhos aliados. Nessa pisada, já tem o apoio de 12 partidos: PSL, PSD, PR, PRB, PSDB, DEM, SD, Podemos, PPS, PROS, PSC e Avante. Juntas, essas siglas já lhe garantiram, em tese, 262 votos.

Contra o atual presidente da Câmara, argumentam parlamentares de mandato, pesaria o fato de que os futuros deputados, muitos eleitos na onda das redes sociais, não assegurariam o apoio à reeleição de Maia com receio da opinião pública. O fato é que, costurando com gregos e troianos, negociando cargos na Mesa e em comissões, Rodrigo Maia segue na dianteira e já enxerga a linha de chegada bem clara à sua frente.

Articulação – Se confirmada a vitória de Maia, Pernambuco terá tido um papel importante na articulação. É daqui um dos melhores amigos do presidente da Câmara, o deputado Fernando Monteiro, seu cabo eleitoral. Também pernambucano, o líder do PSB, Tadeu Alencar, está à frente das conversas do partido com o candidato. O governador, inclusive, já avalizou o nome de Maia.

Pelo Nordeste – A Frente Parlamentar em Defesa do Nordeste não vai tolerar declarações como essas que alguns exemplares de uma suposta raça ariana fizeram contra a região, em um vídeo que circula no WhatsApp. De acordo com o deputado federal Danilo Cabral, a frente “lutará para manter o diálogo com o novo governo e na defesa dos interesses da região”.

Pacto Pela Vida – Paulo Câmara reuniu seu secretariado, ontem, para mostrar o modelo de gestão do Pacto Pela Vida. Divulgados pelo governo, dados preliminares da área apontam que, no ano passado, o número de homicídios no estado caiu a patamares inferiores a 2017 e 2016. As estatísticas oficiais serão apresentadas no próximo dia 15 de janeiro.

Cadeia nele! – Um prefeito pernambucano de uma cidade importante está prestes a ser preso pela Polícia Federal. A acusação – muito grave! – é de improbidade administrava por desmandos constantes na administração do município em questão. Se a detenção realmente ocorrer, será a segunda prisão do tipo em pouquíssimo tempo. Esse gestor pode juntar-se no Cotel ao prefeito do Cabo de Santo Agostinho, Lula Cabral.

CURTAS

AÇÃO CIVIL – Já o ex-prefeito de Carnaíba, José Mário Cassiano Bezerra, e o vereador Irenildo Pereira dos Santos, o Neudo da Itã, foram alvo de uma ação civil de responsabilidade, impetrada pelo MP por atos improbidade administrativa – eles já haviam sido denunciados por ilegalidade na dispensa de licitação na aquisição de um terreno.

CONTAS REJEITADAS – Outro ex-prefeito encrencado é Carlos Cavalcanti Fernandes, de Afrânio, cujas contas do exercício financeiro de 2012 foram rejeitadas pelo TCE. Entre as irregularidades, o não repasse de recursos para a previdência municipal e a ausência de transparência nas informações.

DESENROLADO – Esse filho do General Mourão é um desenrolado mesmo. O povo reclamando porque ele já entrou ganhando R$ 36 mil no governo onde o pai é vice-presidente. Aí é fácil. Quero ver ser promovido oito vezes – eu disse oito vezes! – nas gestões petistas como Antônio Mourão, que é concursado do BB, conseguiu ser.

Perguntar não ofende: Flávio Bolsonaro seria o novo Lula? “Não sei, nunca nem vi...”


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Coração Vermelho

Burronaro desce do palanque e começa a governar. É lamentável que um Presidente fake da república faça ilações irresponsáveis entre facções e movimentos sociais que lutam por direitos. Mas se for pra falar de crime, o MP aguarda explicações do seu filho e do Queiroz....

marcos

Vejam a que ponto chegou o Brasil, no governo Petista até Rapariga nomeava Ministro

Coração Vermelho

Vejam a que ponto chegou o Brasil. Colocaram o bobo da corte pra reinar, estava na cara que não daria certo.

marcos

Teve até Rapariga Brasileira na posse

marcos

Fake Mortadela Fascista. kkk


Bm4 Marketing 7

11/01


2019

Surpreendido pelo PSB, Maia e traições no MDB e esquerda

Tenta levar eleição da Câmara dos Deputados

Folha de S.Paulo – Painel - Daniela Lima

Surpreendidos pelo PSB, que por ampla maioria decidiu não integrar o bloco que vai apoiar a reeleição de Rodrigo Maia (DEM-RJ) à presidência da Câmara, dirigentes de siglas que estão com o democrata dizem que ele já costura acordos de bastidor para estimular traições na esquerda e no MDB. Como a votação será secreta, Maia espera ter ao menos um terço dos votos do PT e do PDT, independentemente dos acordos de cúpula. Para rachar o MDB, conta com a ajuda de senadores da legenda.

No PSB, a expectativa é a de que o PDT ingresse no bloco anti-Maia, encabeçado por PP e MDB. O PC do B está dividido, mas, se todas as siglas de esquerda se unirem à ala do centrão que tenta rivalizar com o democrata, o grupo pode chegar a 216 deputados.

PT discutiria o rumo a tomar na disputa na segunda (14), mas deve antecipar a conversa para o fim de semana. Dono da maior bancada da Casa, com 56 deputados, o partido pode dar fôlego ao bloco anti-Maia.

Dos 22 deputados que foram à reunião do PSB, 16 pregaram um acordo com o bloco de oposição ao democrata. Cinco ficaram calados e um foi contra


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


11/01


2019

Renan a Bolsonaro: Na hora em que ele me chamar, eu vou

Cacique do MDB evita se colocar como candidato à presidência do Senado e defende reforma da Previdência

Amanda Almeida – O Globo

Um dos poucos caciques a sobreviver à onda renovadora das urnas, o senador Renan Calheiros (MDB-AL) já se adaptou aos tempos atuais. Articulando para tentar presidir o Senado pela 5º vez, ele diz que um “novo Renan” tomará posse em fevereiro. Essa nova versão, simpática a Bolsonaro, defende a aprovação da reforma da Previdência e até benefícios para os militares.

Bate no fisiologismo na mesma velocidade que se dispõe a ir ao Planalto falar com o presidente: “Não estou dando entrevista porque as pessoas querem perguntar ao velho Renan o que o novo senador Renan vai fazer. E o velho está se sentindo sem legitimidade para responder”.

O senhor é candidato à Presidência do Senado? Não posso falar como candidato, porque o MDB só vai se decidir no dia 31.

Está aguardando a bancada? Claro. Tem de aguardar, porque, no MDB, vários companheiros podem ser candidatos. É uma bancada de iguais. E tem de aguardar os novatos, que só chegarão para posse no dia 1º, inclusive eu. Não estou dando entrevista porque as pessoas querem perguntar ao velho Renan o que o novo senador Renan, que será empossado no dia 1º, vai fazer. E o velho está se sentindo sem legitimidade para responder.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


11/01


2019

Raquel Dodge quer Temer, Padilha e Franco presos juntos

Em manifestação encaminhada ao Supremo Tribunal Federal (STF) ontem, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, se posicionou a favor de que o ex-presidente Michel Temer e os ex-ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Minas e Energia) sejam investigados conjuntamente no caso que trata de supostas propinas de R$ 14 milhões da Odebrecht para a cúpula do MDB.

A apuração está relacionada com o jantar no Palácio do Jaburu, realizado em 2014, e que foi detalhado nos acordos de colaboração premiada de executivos da Odebrecht. Então vice-presidente, Temer teria participado do encontro em que os valores foram solicitados.

O inquérito tramitava no STF, mas foi desmembrado - apenas a investigação contra Temer estava suspensa pelo fato de a investigação dizer respeito a atos ocorridos antes do período em que ele comandou o Palácio do Planalto. A Polícia Federal já concluiu pela existência de indícios de que Temer, Padilha e Moreira Franco cometeram os crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.  (Estadão Conteúdo)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


11/01


2019

Mal-estar com a China ocupa cabeça do governo Bolsonaro

Coluna do Estadão – Andreza Matais

O estranhamento inicial entre o presidente Jair Bolsonaro e a China começa a ser contornado. O ministro-chefe do GSI, general Augusto Heleno, conversou ontem com o embaixador no Brasil, Li Jinzhang, sobre “como estreitar as relações” entre os dois países.

Quando ainda era candidato, Bolsonaro acusou a China de estar “comprando o Brasil”. Em resposta às críticas, a China alertou que, se a opção do Brasil em 2019 for por seguir a linha de Donald Trump e romper acordos com Pequim, quem sofrerá será a economia brasileira.

O chanceler Ernesto Araújo não participou da conversa com o embaixador da China. Antes de tomar posse, ele já escreveu em seu blog que a China está até hoje sob um sistema de dominação “disfarçado de pragmatismo e abertura econômica”.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

marcos

Bom era o Governo Petista de Lula que até Rapariga (Rosemary) nomeava Ministro!

Fernandes

A Justiça do trabalho não existe em nenhum outro país disse Bolsonaro. E assim ficamos sabendo que o presidente da república ainda não conhece Alemanha, Reino Unido, Bélgica, Suécia, Dinamarca, Espanha, Argentina, Chile, Paraguai, México…O cara é um jumento. KKKK

Fernandes

NUNCA VI UM GOVERNO TÃO MEDÍOCRE E ATABALHOADO COMO ESTE DO JUMENTO JAIR MESSIAS. O POVO BRASILEIRO TÁ FODIDO MESMO !



11/01


2019

Ex-ministro de Temer, secretário em SP já sofre pressões

Rossieli Soares da Silva é um integrantes do alto escalão da gestão do ex-presidente nomeado por Doria

Em sua segunda semana no governo João Doria (PSDB), o titular da Educação, Rossieli Soares da Silva, já enfrenta as pressões do cargo. Nesta quinta (10), uma imensa faixa foi colada no chão na entrada do prédio da pasta, no centro da capital, com um recado para o secretário: “Nenhum professor(a) desempregado! Nenhum estudante sem aula!”.

A autoria do protesto foi de uma das representações da Apeoesp (sindicato dos professores). No cartaz afixado também há reivindicações em defesa da escola pública e contra a violência nas salas de aula.

Rossieli foi ministro da Educação de Michel Temer (MDB). Ele é um dos dez integrantes do alto escalão da gestão do ex-presidente que Doria colocou em seu governo.  (Mônica Bergamo - Folha de S.Paulo)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


11/01


2019

Janot fustiga Sergio Moro

“O que eu faria se tivesse sido convidado para eventualmente ser ministro da Justiça e eventualmente para ser ministro do STF? Para que não haja contaminação dessa que é a maior investigação da história brasileira (…), eu nem titubearia em cogitar. A minha resposta seria imediata: não e não”. A frase é de Rodrigo Janot.

O ex-procurador-geral é uma das autoridades entrevistadas pelo jornalista Kennedy Alencar no documentário “What Happened to Brazil”¦”, da BBC World News, que lança nova luz sobre os fatos mais notáveis da política desde o levante de 2013 até a eleição de 2018.

Janot deu a declaração a Alencar no fim do ano passado, antes de Sergio Moro decidir ser o ministro da Justiça de Bolsonaro. O documentário, que ouve também ministros do Supremo e ex-presidentes, será exibido em três episódios e estreia neste sábado (12), à 0h30.  (Painel – FSP)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Quem diria Sérgio Moro ajudando a esconder os crimes da família Bolsonaro.



11/01


2019

Idas e vindas de Bolsonaro confunde a oposição

As idas e vindas do governo Jair Bolsonaro confundiram a atuação da oposição. O PSOL jogou fora dois requerimentos em que questionava a paralisação da reforma agrária e as mudanças no edital de livros didáticos. Contra o desperdício, a sigla decidiu que vai esperar 48 horas para reagir a anúncios.

A Apex informa que não desligou nenhum servidor de carreira de seus quadros. Só comissionados.

Salário Mínimo - No dia 1º de janeiro, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, garantiu que as primeiras medidas de Bolsonaro só viriam no dia seguinte. Horas depois, o presidente assinou o decreto que reajustava o salário mínimo de R$ 954 para R$ 998. (FSP – Painel)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

A Justiça do trabalho não existe em nenhum outro país disse Bolsonaro. E assim ficamos sabendo que o presidente da república ainda não conhece Alemanha, Reino Unido, Bélgica, Suécia, Dinamarca, Espanha, Argentina, Chile, Paraguai, México…O cara é um jumento. KKKK

Fernandes

NUNCA VI UM GOVERNO TÃO MEDÍOCRE E ATABALHOADO COMO ESTE DO JUMENTO JAIR MESSIAS. O POVO BRASILEIRO TÁ FODIDO MESMO !



11/01


2019

Ida de Gleisi à posse de Maduro dividiu o PT

A ida da presidente do PT, Gleisi Hoffmann, à posse do ditador Nicolás Maduro dividiu o partido.

Uma ala de dirigentes e militantes avaliou a viagem como desnecessária e pregou que o gesto se limitasse a uma carta ou nota de congratulação ao venezuelano.

Uma minoria, porém, defendeu o deslocamento. Disse que o PT não poderia se afastar de parceiros estratégicos e que, especialmente no início da gestão de Jair Bolsonaro, a ida à Venezuela teria função política

 O desgaste, avaliou, já estaria precificado.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha