Versão Agreste Meridional

21/08


2017

Fundão: bolso do trabalhador pagará campanha eleitoral

Redução no salário mínimo vai pagar "fundão" de R$3,6 bilhões

Redução no salário mínimo é igual ao valor do "Fundão" eleitoral

Blog do Diário do Poder

 

A conta do fundão eleitoral de R$ 3,6 bilhões, costurado por políticos no Congresso para bancar as campanhas do ano que vem, será paga pelos trabalhadores mais pobres. O valor estipulado para o fundo público de campanha é exatamente o mesmo que será “economizado” com o corte no valor do salário mínimo previsto para 2018 na Lei de Diretrizes Orçamentárias e anunciado semana passada pelo governo. A informação é do colunista Cláudio Humberto, do Diário do Poder.
O governo reduziu o valor do salário mínimo de 2018 de R$ 979 para R$ 969. Esses R$10 a menos serão a garantia de campanhas ricas.

Em vez de fundo eleitoral, os R$3,6 bilhões poderiam ser usados pelo governo para construir 65 hospitais bem equipados para a população.

Após a proibição da doação empresarial, o fundão com dinheiro público é o único ponto de consenso no Congresso sobre a reforma política


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Versão Sertão do São Francisco

21/08


2017

PE responde por metade da alta de homicídios no País

Maioria das mortes está ligada a tráfico de drogas e a grupos de extermínio

Gráfico: Estadão

O Estado de S. Paulo
Por Marco Antônio Carvalho, enviado especial a Recife

A Igreja de Nossa Senhora do Carmo, no centro de Goiana, a 60 quilômetros do Recife, estava lotada na quente noite da quarta-feira passada. Grande parte dos presentes usava uma camisa branca com uma foto onde aparecia um jovem com semblante sereno. Acima da imagem, a identificação: tratava-se de Edvaldo José da Silveira Neto, o Netinho, de 21 anos. No sábado anterior, ele havia sido assassinado na cidade com um tiro durante tentativa de assalto em que uma quadrilha tentou roubar seu carro.

A missa de sétimo dia lotou a igreja com clima de consternação. Familiares lembravam da personalidade do jovem enquanto aproveitavam para cobrar por medidas de segurança mais efetivas. Em julho, Pernambuco chegou a 3.323 crimes contra a vida no ano. Isso já é mais do que o que foi registrado em todo 2012 (3.321) e 2013 (3.100) por exemplo. No primeiro semestre, o País teve 1,7 mil homicídios a mais do que no mesmo período do ano passado; 913 deles em Pernambuco.

A mãe de Netinho, a enfermeira Mônica Silveira, de 42 anos, se lembra dele como “intenso” e “com pressa para viver”. “Ficava revoltado com os casos de violência que eram noticiados e acabou, veja só, sendo vítima dela”, disse. “Aqui, ficou seu legado e teus ensinamentos, meu anjo amado. Seremos pessoas melhores graças a ti”, escreveu, em texto lido na cerimônia. 

Para o pai, o tabelião Edvaldo Silveira, de 43 anos, o momento é de falar, não calar, e de reclamar. “Um dos suspeitos presos era menor, você viu? 17 anos. Tem de mudar a legislação deste País.” Três foram presos e um adolescente apreendido por suspeita de ligação com o caso. 

Mas latrocínio não é o tipo de assassinato mais comum na região. A Secretaria de Defesa Social estima que 50% das mortes estejam ligadas a disputas por tráfico de drogas, 20% associadas a grupos de extermínio, também conectados em alguma medida ao tráfico, e o restante divididos entre crimes por desavenças pessoais e latrocínio.

É madrugada em Charnequinha, em Cabo de Santo Agostinho, região metropolitana do Recife, quando o rabecão chega à segunda travessa da Rua Dezenove para recolher o corpo de Andreia Figueiredo, de 38 anos, na madrugada da quarta-feira. Horas antes havia sido encontrada morta, com sinais de esganadura, na sala da sua casa. 

O horário não impede que dezenas se reúnam perto da cena do crime, ainda sem autoria, para acompanhar o trabalho da polícia. Os investigadores logo informam que a vítima tinha três passagens pela polícia por tráfico de drogas. O ex-marido e o irmão, presentes no local, não choram, apresentando ar de aparente conformismo para o que chamam de destino da mulher. 

Um mototaxista com casaco do Sport, time de futebol local, reage com desprezo à pergunta sobre segurança. “Aqui morre um todo dia.” O homem, que preferiu não se identificar, erra por pouco. Com 94 assassinatos no ano, Cabo de Santo Agostinho tem um homicídio a cada dois dias e 30% mais casos do que no ano passado. 

Já no bairro de Peixinhos, em Olinda, a memória persegue a dona de casa Julieta da Silva Ferreira, de 62 anos. Agosto é um mês difícil para a família. No dia 10, completou-se 5 anos do assassinato do jovem Douglas Silva, de 19 anos, o MC Lank. Quem em frente à casa da dona Julieta pode atribuir a essa lembrança o fato de ela ouvir nas alturas o disco gravado pelo filho, que sonhava em ir para o Rio e se profissionalizar no funk. “Acho que mataram foi por inveja, porque a gente é pobre, mas ele sempre tinha as roupas deles como queria. E foi uma pessoa que frequentava aqui em casa e acabou fazendo isso com ele”, lembra. Um acusado pela morte está preso

Pacto. José Luiz Ratton, da Universidade Federal de Pernambuco, é cético quanto à efetividade do programa de segurança do Estado. “O Pacto pela Vida como foi concebido morreu. O que o governo faz agora é gerir uma marca. Há gestão mal feita da marca que já foi bem-sucedida.” Ele esteve no centro da criação do programa – um dos mais elogiados no País na última década – e saiu antes de aparecerem as falhas. 

O secretário de Defesa Social, Antônio de Pádua Cavalcanti, tem avaliação diferente. “Está mais vivo do que nunca. O pacto é política de Estado construída há dez anos, de muito sucesso, e colocou Pernambuco entre os melhores Estados no enfrentamento à violência, mas obviamente há necessidades de ajustes operacionais e os resultados já estão sendo colhidos.” 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Versão Mata Norte

21/08


2017

MPF: R$ 2,5 milhões em diárias para procuradores

Os procuradores da Lava Jato Orlando Martello, Carlos Fernando dos Santos Lima e Deltan Dallagnol

Os procuradores da Lava Jato Orlando Martello, Carlos Fernando dos Santos Lima e Deltan Dallagnol

 

Mônica Bergamo - Folha de S.Paulo    

O Ministério Público Federal gastou, de 2015 até julho deste ano, cerca de R$ 2,2 milhões só em diárias pagas a procuradores que atuaram na Operação Lava Jato no período. Os valores são desembolsados como verba extra para aqueles que se deslocam de suas cidades de origem para reforçar as equipes em Curitiba.

De acordo com a assessoria da força tarefa, os procuradores lotados em Curitiba também fizeram viagens para outras cidades e países para realizar diligências e colher depoimentos, além de acompanhar buscas e apreensões. Para isso, também receberam diárias.

O procurador Carlos Fernando dos Santos Lima recebeu, por exemplo, R$ 286 mil em diárias de 2015 até agora, além de seus salários regulares. Marcelo Miller, que era braço direito do procurador-geral Rodrigo Janot e deixou a carreira para trabalhar num escritório que prestava serviços para a JBS, recebeu R$ 78 mil em 2016.

O valor total das diárias caiu de R$ 895 mil gastos em 2015 para R$ 784 mil em 2016. Neste ano já foram pagos R$ 619 mil.

A assessoria da força-tarefa afirma que, de uns tempos para cá, procuradores concordaram em receber menos da metade dos dias efetivamente trabalhados em razão de dificuldades orçamentárias.

A assessoria ainda afirma que a Lava Jato é "extremamente" superavitária. "O valor recuperado num período de dez dias, recentemente, chegou quase a R$ 1 bilhão", ressalta.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Versão Sertão do Moxotó

21/08


2017

Lula se tornou um Maluf de esquerda

No segundo dia da Caravana Pelo Brasil, o ex Presidente Lula visita a cidade de Cruz das Almas, onde iria receber titulo Honoris Causa na Universidade Federal do Reconcavo Baiano. Um juiz proibiu a entrega do titulo e o ex presidente se encontrou com a militantes e com simpatizantes na porta da UFRB. 18/08/2017

Leão Serva - Folha de S.Paulo

A foto é expressiva: duas cabeças brancas dominam completamente o quadro em cujo fundo se vê o povo disciplinado, a maior parte com uniforme vermelho. De tão perto, a imagem do ex-presidente é uma metáfora da condição petista: Lula perde cabelos, como seus comícios se tornam cada vez mais ruços.

Em seu discurso, Lula ataca um adversário mais novo (o prefeito João Doria): "Ele saiu do nada"; "Eu queria que ele governasse São Paulo, só isso. Primeiro ele vai ter que comprovar que ele pode fazer. Uma coisa é gerir quitanda, outra coisa é gerir uma cidade", disse, conforme o relato da Folha. O discurso do líder trabalhador envelheceu, mais ainda do que a passagem dos anos. O ex-presidente se transformou em um Paulo Maluf do PT, usando os mesmos argumentos que décadas atrás seu então adversário figadal lançava contra ele.

Para esconder a inversão de sinal, Lula cria um simulacro de si mesmo. A caravana pelo Nordeste é uma remontagem daquela que se seguiu à derrota para Fernando Collor, em 1989, quando saiu da depressão em um ônibus pelo interior do país aplainando o longo caminho para o Planalto. Em 1991, assisti sua passagem por Xapuri, no Acre, onde até eleitores de Collor queriam tocar a grande figura que visitava a cidade. O jovem Lula provocava devoção semelhante às imagens de santos.

Hoje a realidade é inversa: visita a Bahia, governada pelo PT, de braços com seu atual oligarca. A seu lado não está o sindicalista Jacques Wagner mas o coronel que ocupa o lugar que antes foi de Antonio Carlos Magalhães, o Toninho Malvadeza, chamado "Cabeça Branca" em jingles apaixonados. Não é só a cor dos cabelos, até a roupa branca o líder petista pegou do antecessor no posto de "dono da Bahia".

O resto da caravana vai ser igual: Lula vai percorrer os Estados do Nordeste brasileiro de braços dados com novas e velhos oligarquias regionais, até chegar ao paroxismo de visitar o Maranhão com apoio do novo governador, do PCdoB, e da família Sarney, fora do governo estadual mas sempre com um pé no poder.

Por essa estranha aliança de interesses senis, o discurso de classe dos anos 1980 já não fica bem: Lula agora fala mal de São Paulo, insuflando uma disputa regional que, se radicalizada, pode vir a fazer muito mal ao Brasil. Se o "nacionalismo é o último reduto dos canalhas", o regionalismo deve ser um reduto dos velhacos.

Há outras semelhanças entre Maluf e o Lula de hoje: perseguidos por acusações de corrupção ambos repetem negativas semelhantes; como Saturnos, dominam seus partidos castrando ou engolindo as lideranças independentes; depois de exibições de grande popularidade, ambos têm agora que fugir dos fantasmas dos "postes" que criaram (Celso Pitta e Dilma Rousseff); depois do fracasso dos epígonos, os dois se tornaram campeões das pesquisas antecipadas mas têm de enfrentar o teto imposto pelas taxas de rejeição (no caso de Maluf, as várias derrotas serviram para mostrar como os resultados de pesquisas antes da hora são ilusórios).

A aliança recente entre os dois, eternizada em fotos de quando abençoaram a candidatura de Fernando Haddad, só torna mais patente a coincidência dos espíritos. Lula mexe com a memória do folclore político brasileiro quando ataca alguém por inexperiente. Só falta repetir o slogan de Maluf: "Foi Lula que fez". Ou como outro político mais antigo: "...Mas o Lula faz!"


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Nehemias

Prefeitos baianos do PMDB, DEM e outras siglas fazem fila de quase uma hora para tirar selfies com Lula, Apesar das críticas de Lula ao atual presidente Michel Temer, os prefeitos formaram uma fila de quase uma hora para tirar fotos com o petista. Um prefeito do PMDB que pediu para não ter o nome divulgado explicou tanta admiração. Segundo ele, Lula é muito admirado no Nordeste e pode ser um grande cabo eleitoral para 2018. É O NOVO CRISTO?

Nehemias

Você já viu algum pastor Evangélico defender os TRABALHADORES? Você já viu algum pastor Evangélico defender a Reforma Agrária? Você já viu algum pastor Evangélico defender a distribuição de Renda? Você já viu algum pastor Evangélico fazer algum discurso contra o trabalho escravo?


Prefeitura do Ipojuca

21/08


2017

Filiação: DEM de olho nos tucanos aliados de Aécio

Para 'ocupar lacuna' do PSDB, DEM quer filiar aliados de Aécio

Folha de S.Paulo

Com o PSDB em crise, membros do partido ligados ao senador Aécio Neves (MG) passaram a ser sondados pelo DEM, principal aliado no plano nacional, que tem tentado se expandir com insatisfeitos de outras legendas.

A iniciativa do Democratas é estratégica e visa preencher o espaço eleitoral dos tucanos, atualmente divididos, entre outras questões, sobre a permanência no governo Temer.

"Estamos tentando ocupar a lacuna deixada pelo PSDB, que está mais preocupado com questões internas", diz o líder da bancada do DEM na Câmara, Efraim Filho (PB).

Uma dessas lacunas é Minas Gerais, reduto de Aécio. Com a segunda maior população do país, o Estado é considerado por dirigentes do DEM como um dos locais onde o partido estava "morto", devido à forte influência do senador sobre os partidos aliados.

A legenda se move em duas frentes sobre os mineiros. De um lado, a executiva nacional corteja deputados próximos ao senador e críticos ao atual presidente interino do partido, Tasso Jereissati (CE), como Paulo Abi-Ackel e Marcus Pestana.

Ambos são amigos dos dirigentes do DEM e ainda não responderam ao pedido. Pestana diz foi "sondado e convidado" pelo DEM e o que o PSDB "vive o momento mais complicado de seus quase 30 anos", mas se sente apegado aos tucanos porque é um dos fundadores do partido.

A outra frente é liderada pelo senador Ronaldo Caiado (GO), que age de forma mais independente da direção. Ele busca filiar o ex-presidente da Assembleia mineira Dinis Pinheiro (PP), pretenso candidato ao governo estadual que também fazia parte da base de Aécio Neves.

INSATISFEITOS

A linha frontal da expansão do DEM é formada por Rodrigo Maia (RJ), presidente da Câmara, Mendonça Filho, ministro da Educação, ACM Neto, prefeito de Salvador, Rodrigo Garcia, secretário estadual da Habitação de São Paulo.

A ordem de "preencher espaços vazios" foca principalmente nos insatisfeitos do PSB em Estados do Nordeste e Centro-Oeste.

Além disso, o DEM tenta pressionar diretórios a ter o máximo de candidaturas majoritárias em 2018.

Em São Paulo, Garcia tem trabalhado para se viabilizar como possível nome ao governo paulista, mas interlocutores afirmam que ele deve ser lançado ao Senado.

Além de 12 deputados do PSB em guerra com a direção da legenda, devem ser filiados o ministro Fernando Bezerra Filho (Minas e Energia) e seu pai, o senador Fernando Bezerra (PE).

Eles estudam alegar justa causa para sair do partido, devido à falta de compatibilidade programática e às punições que receberam da direção pessebista, como destituição das executivas de diretórios estaduais e aberturas de processo na comissão de ética do partido.

"O ideal seria a criação de um novo partido, mas como isso não vai ficar pronto até 2018, vamos usar o CNPJ do Democratas com um novo programa", diz o deputado Danilo Forte (PSB-CE).


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


21/08


2017

Ministro nega redução do salário mínimo

O Globo

O governo entrou em campo para desmentir boatos de que teria reduzido o salário mínimo. Neste domingo, o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, gravou um vídeo esclarecendo que o valor efetivo do piso do soldo só será conhecido em dezembro, e que as projeções de queda de R$ 10 no salário mínimo aconteceram por conta da queda da inflação.

— Não é verdade que o governo reduziu o salário mínimo. O que está valendo hoje, para 2017, é o salário mínimo de R$ 937, e para 2018 vale o que está na lei. Ou seja, o salário mínimo será reajustado pela inflação — disse Dyogo em vídeo de menos de um minuto, em que ataca "falsas notícias".

Na última quarta-feira, o governo divulgou uma nova projeção para o salário mínimo em 2018: R$ 969, R$ 10 a menos dos R$ 979 previstos inicialmente. Segundo Dyogo, isso se deu por conta da queda da projeção da inflação para o ano que vem: em nova análise, a projeção do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) ficou em 4,2%, ante a previsão de 4,5%.

O salário mínimo, que será anunciado em dezembro e entrará em vigor em janeiro, é calculado em função da variação do INPC no ano anterior e também do resultado do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes. O piso do soldo federal é de R$ 937. No Rio, é de R$ 1.136,53.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Flamac - 1

21/08


2017

Tucanos pró Temer exigem Tasso fora do cargo

A ala do PSDB que defende o apoio ao governo Michel Temer vai partir para o tudo ou nada. Ela quer a saída de Tasso Jereissati (CE) da presidência interina da sigla até o fim desta semana. Diz que, se Aécio Neves (MG) não encontrar um substituto, o PSDB vai perder deputados. Entre os que ameaçam deixar a sigla estão quadros históricos e fundadores da legenda. O mineiro está licenciado da direção do partido desde o estouro do escândalo da JBS — e não quer retomar o posto agora.

O impasse no tucanato parece intransponível. A gota d’água foi a publicação de um cronograma das convenções do partido. Tasso tinha dito que só oficializaria o calendário após discussão com os vices-presidentes, mas fez o anúncio na sexta (18).

A ala anti-Tasso fará reunião na noite desta segunda (21), em Brasília, para comunicar Aécio sobre sua posição. Dois governadores foram chamados: Marconi Perillo (GO) e Reinaldo Azambuja (MS). Ao menos dez parlamentares estariam dispostos a sair se o cearense continuar no cargo.

Com a sigla dividida, o grupo que apoia Tasso Jereissati também promete reagir a uma eventual deposição. Qualquer desfecho deixará uma fratura exposta.  (Painel - Folha de S.Paulo)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banner - Hapvida

21/08


2017

Em palestra, Lula aparece como velho ator da política

Folha de S. Paulo
Por Painel

 

Guilherme Boulos fez seminário sobre “conjuntura política e movimentos sociais” para um grupo de militantes de esquerda e sindicalistas, neste domingo (20), em SP. Falou em uma sala lotada de cartazes. Um deles identificava o ex-presidente Lula como um “velho ator” da política.

A peça listava “Novos e velhos atores” nos campos da esquerda e da direita. Além de Lula, o nome de Aécio Neves estava inscrito entre os “velhos”. As novidades progressistas seriam o próprio Boulos e Marcelo Freixo (PSOL-RJ).

Segundo a mesma lista, os novos representantes da direita seriam João Doria, Jair Bolsonaro e os expoentes do MBL: Kim Kataguiri e Fernando Holiday


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Nehemias

Prefeitos baianos do PMDB, DEM e outras siglas fazem fila de quase uma hora para tirar selfies com Lula, Apesar das críticas de Lula ao atual presidente Michel Temer, os prefeitos formaram uma fila de quase uma hora para tirar fotos com o petista. Um prefeito do PMDB que pediu para não ter o nome divulgado explicou tanta admiração. Segundo ele, Lula é muito admirado no Nordeste e pode ser um grande cabo eleitoral para 2018. É O NOVO CRISTO?

Nehemias

O sofrimento da mídia com caravana de Lula. Dá para imaginar a angustia que toma conta dos barões da mídia e de seus sabujos das redações diante da caravana de Lula pelo Nordeste. Depois de liderarem a maior caçada da história a um político brasileiro, são obrigados a amargar a teimosa liderança de Lula em todas as pesquisas. E, agora, o desafio é fazer das tripas coração para diminuir o impacto do corpo a corpo de Lula com o povo nordestino. Antes mesmo de a caravana lulista começar a rasgar o sertão reeditando 1994, a mídia, com o gosto amargo do fel da inveja na boca, já desfiava um rosário de problemas a serem enfrentados por Lula.


ArcoVerde

21/08


2017

Cunhado de Gilmar é sócio de Jacob Barata Filho

Jornal do Brasil

No pedido de suspeição de Gilmar Mendes, o Ministério Público Federal aponta, entre outras questões, que Jacob Barata Filho, empresário solto neste sábado (19) após decisão do ministro do STF, é sócio de Francisco Feitosa de Albuquerque Lima, irmão de Guiomar, mulher do ministro.

Os procuradores anexam no documento uma troca de mensagens entre Barata e o cunhado de Gilmar Mendes antes da prisão do empresário. De acordo com o MPF, eles se tratam como “amigos e compadres”.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Supranor 1

21/08


2017

Acidente com navio dos EUA deixa dez desaparecidos

O navio USS John S. McCain durante operação no mar do sul da China

Agências internacionais

 

Dez marinheiros estão desaparecidos depois que um navio de guerra dos EUA colidiu com um petroleiro a leste de Cingapura neste domingo (20) disse a Marinha dos EUA, o segundo acidente envolvendo os destroyers da Marinha dos EUA nas águas asiáticas em pouco mais de dois meses.

O navio USS John S. McCain colidiu com o navio mercante Alnic MC enquanto se dirigia para Cingapura para uma chamada de rotina, afirmou a Marinha americana.

"Os relatos iniciais indicam que o John S. McCain sofreu danos em uma de suas laterais", disse a Marinha. "Existem atualmente 10 marinheiros desaparecidos e cinco feridos".

Uma missão de busca e salvamento está em andamento envolvendo navios, helicópteros e rebocadores de Singapura, bem como aeronaves da Marinha dos Estados Unidos. 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Projeto Escola no Cinema

21/08


2017

A briga mais indigesta de Cármen Lúcia

Andrei Meireles – Blog O Divergentes

Fez bem a ministra Cármen Lúcia ao mandar os tribunais de todo o país abrirem suas caixas-pretas salariais. Ao dar um prazo de 10 dias, ela mostrou que sua decisão é para valer. Se conseguir, será uma proeza inédita. Feito que, por si só, pode carimbar sua gestão como revolucionária.

Além da farra salarial, com vencimentos engordados com os mais variados e absurdos penduricalhos, essa turma costuma achar que não deve satisfação a ninguém.

Há mais de 10 anos, Nelson Jobim também presidia o STF e o Conselho Nacional de Justiça. Resolveu comprar essa briga. Durante seis meses, cobrou informações dos tribunais estaduais. Insistiu, ameaçou.  Mesmo assim, os magistrados de vários estados se recusaram a responder, outros mandaram respostas incompletas.

Em parceria com o repórter Ronald Freitas, fui atrás dos que, então, se lixaram para as cobranças do Conselho Nacional de Justiça. Alguns nem quiseram conversa. Outros tentaram se justificar. Diziam que estavam amparados em leis estaduais, imunes a bedelhos federais.

Teve até quem acusasse Jobim de armar um circo para se credenciar a concorrer como candidato a vice de Lula na eleição presidencial de 2006.

Ainda assim, foi possível mostrar que, na Justiça, o teto salarial era uma ficção. O plenário do STF resolveu pôr ordem na casa. Decidiu que juiz algum, estadual ou federal, poderia receber vencimentos acima do teto salarial. Aí, o CNJ abriu uma janelinha aqui, o STF outra ali…

Pois bem. Tantos anos depois, continua tudo igual. Em alguns casos, como se viu recentemente em Mato Grosso, até pior.

Onze anos atrás, nossa reportagem na revista Época, começava assim: “Poucos segredos são tão bem guardados na Justiça brasileira quanto os salários dos magistrados, em especial dos desembargadores estaduais”.

A nossa expectativa era de que, enfim, o CNJ abrisse essa caixa-preta. Jobim e nenhum dos seus sucessores conseguiu. Ou quis.

A dificuldade de Cármen Lúcia começa no próprio STF. Alguns penduricalhos são mantidos por causa de liminar de Luiz Fux. Ricardo Lewandowski e Marco Aurélio Mello defendem abertamente a farra de remunerações, o desrespeito ao teto, e até dizem, sem corar, que os juízes sofrem arrocho salarial.

“Se dribla o teto porque os vencimentos não fazem frente para o magistrado manter uma vida condigna”, disse Marco Aurélio, justificando uma ilegalidade em plena sessão do STF.

Faça história, Cármen Lúcia.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Mobi Brasil 1

20/08


2017

Tucanos rebelados exigem que Aécio prove inocência

A descoberta de que Michel Temer se reuniu fora da agenda, na última sexta-feira, com o senador Aécio Neves (PSDB-MG), contra quem há um pedido de prisão pendente, em razão dos R$ 2 milhões em propinas entregues a seu primo Fred Pacheco, revoltou o PSDB de São Paulo.

"A presença de Aécio Neves hoje, em reuniões internas ou públicas, só nos causa desconforto e embaraços. Prove sua inocência, senador, e aí sim retorne ao partido", apontou o diretório do PSDB paulista, em nota.

Ao que tudo indica, Temer e Aécio – os principais responsáveis pelo golpe de 2016, ao lado de Eduardo Cunha – se reuniram para conspirar contra a ala do PSDB que pretende desembarcar do governo federal, hoje rejeitado por mais de 90% dos brasileiros.

A conexão do PSDB com Temer prejudica candidaturas tucanas, como a de Geraldo Alckmin, mas Aécio não tem mais nada a perder.

Diante da revolta tucana, Temer teve que se explicar no Twitter.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Asfaltos

20/08


2017

Nota sobre Temer e Aécio abre nova crise no PSDB

VEJA

Comunicado assinado por Mario Covas Neto, do diretório paulistano da sigla, diz que encontros do senador com o presidente causam 'desconforto e embaraços'

Uma nota na qual o diretório do PSDB paulistano critica o encontro entre o senador Aécio Neves (MG) e o presidente Michel Temer, que aconteceu na sexta-feira, abriu uma nova crise no partido.

A nota emitida neste domingo pelo vereador Mario Covas Neto, presidente do diretório municipal da sigla, afirmou que a presença de Aécio em reuniões com Temer causava “desconforto e embaraços”.

“Prove sua inocência, senador, e aí sim retorne ao partido”, escreveu.

No texto, o vereador afirmou que o único que pode falar em nome da sigla é o presidente em exercício, o senador Tasso Jereissati (CE).


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

bm4 Marketing 8

20/08


2017

Vídeo de Lula expulso de restaurante não é bem assim

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Embate entre manifestantes: grupo protestava contra Dória e clientes do restaurantes Camarões, em Natal, levantaram gritos de 'Fora PT' (Reprodução/Youtube)

 

Imagens que circulam pela internet na verdade estão ligadas às viagens de outro político brasileiro

VEJA

Textos ligados a uma gravação compartilhada na internet por alguns portais afirma, erroneamente, que o ex-presidente Lula foi expulso da unidade do restaurante Camarões no Shopping Midway, em Natal, por manifestantes. No vídeo, que viralizou, é possível ver uma pequena multidão concentrada em frente ao estabelecimento que, dividida, sustentava gritos de “Fora PT” e “Lula na Cadeia” contra um tímido coro de “Fora Doria”. 

Segundo Leonardo, funcionário do restaurante, as imagens não são do último sábado (19), como dizem os boatos. “O vídeo não foi gravado ontem, mas no início da semana”, disse. “Teve um evento aqui no shopping, mas nem João Doria (prefeito de São Paulo que tem viajado o Brasil com intenções de se candidatar à presidência em 2018) nem Lula almoçaram no restaurante”.

O evento citado aconteceu na última quarta-feira (16), quando o prefeito de São Paulo participou de uma cerimônia de condecoração proposta pelo presidente afastado da Câmara de Natal, Raniere Barbosa (PDT), que é acusado de desviar dinheiro público. Na data, Doria foi titulado cidadão natalense, sob protestos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


20/08


2017

Temer e presidente paraguaio discutem segurança

Os presidentes do Brasil, Michel Temer, e do Paraguai, Horacio Cartes, reúnem-se amanhã (21), em Brasília, e discutem temas como a relação econômica entre os dois países, segurança na região de fronteira, a crise na Venezuela e a eliminação de barreiras ao comércio no Mercosul.

No encontro, Temer e Cartes vão avaliar os resultados das recentes operações conjuntas de combate ao crime organizado, de acordo com o porta-voz da Presidência da República, Alexandre Parola.

Brasil e Paraguai tem 1.300 quilômetros de fronteira. Outro tema que deve ser tratado pelos presidentes é a usina hidrelétrica de Itaipu, que abastece os dois países.

Mercosul

Em relação ao Mercosul, a previsão é de que, além da questão sobre barreiras ao comércio, os presidentes abordem as negociações sobre a celebração de um acordo comercial entre o bloco e a União Europeia. O Brasil está na presidência temporária do Mercosul e o Paraguai será o próximo país a assumir o posto, no primeiro semestre de 2018.

Pela manhã, Temer recebe o presidente do Paraguai no Palácio do Planalto. Em seguida, oferece um almoço no Itamaraty a Cartes e a delegação paraguaia. Como parte da visita de Estado, Horacio Cartes será recebido na Câmara dos Deputados, no Senado e no Supremo Tribunal Federal.

Relação comercial

O Brasil é o principal parceiro comercial do Paraguai. Absorve cerca de 20% do total das exportações paraguaias e fornece aproximadamente 25% de suas importações. Entre os principais produtos exportados pelo Brasil estão adubos e fertilizantes, cervejas, fumo, fungicidas e ladrilhos/cerâmica. Já entre os importados estão o milho, trigo, material elétrico e soja.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


20/08


2017

Previdência: perda de R$ 56 bilhões ao ano com fraudes

O Globo

O Brasil é um país em que ricos fingem ser pobres, presidiários reconhecem a paternidade de filhos de mulheres que nunca viram, crianças recebem licença-maternidade, bebês indígenas são adotados e esquecidos em suas tribos, homens assassinam esposas fictícias e ciganos mudam de identidade como trocam de cidade. O Brasil é um país que paga por tudo isso. E a conta imposta por tanta “criatividade” à Previdência Social é alta. Uma fatura maior que o governo supunha: pode chegar a R$ 56 bilhões por ano. Ao cruzar dados de uma força-tarefa — formada por Secretaria de Previdência, Ministério Público Federal (MPF), Polícia Federal e os ministérios do Trabalho e do Desenvolvimento Social — e pedir uma análise de especialistas, o Tribunal de Contas da União (TCU) chegou à conclusão de que a “percepção de irregularidades” é que um, em cada dez benefícios, é pago com erros ou por fraude.

Com um rombo recorde previsto para este ano, a Previdência é considerada um empecilho para o Brasil voltar a crescer. Em 2017, devem faltar R$ 185,8 bilhões para fechar a conta. Sem fraudes e erros, esse déficit poderia ser 30% menor. No entanto, a fiscalização, apesar dos avanços obtidos nos últimos anos, ainda está bem longe de conseguir impedir tudo o que desfalca o sistema de aposentadorias e benefícios assistenciais do país.

Essas fraudes e erros ocorrem no momento em que a sociedade se confronta com o dilema de reformar a Previdência, ou começar a cortar despesas em áreas essenciais. Tudo porque falta dinheiro. Mas foram as contribuições pagas pelos brasileiros que bancaram a luxuosa jornada de uma família de ciganos pelo país. O ponto de partida foi uma das áreas mais pobres do Brasil: o Vale do Jequitinhonha, em Minas Gerais. De cidadezinha em cidadezinha, eles requisitaram uma coleção de certidões de nascimento tardias. Com elas, conseguiram vários benefícios, entre eles, aposentadorias rurais. A pobreza dos lugares por onde o grupo passou contrastava com as caminhonetes de luxo usadas para trilhar o caminho. Foram presos em Sergipe. Os 11 parentes foram condenados por estelionato contra a Previdência.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


20/08


2017

Temer diz que reunião com Aécio tratou da Cemig

Teorias da conspiração são assunto de quem não tem o que fazer", escreveu Michel Temer

Encontro no Palácio do Jaburu foi criticado pela Executiva do PSDB em São Paulo

O presidente Michel Temer declarou neste domingo (20) em sua conta no Twitter que a reunião de sexta-feira (18) com o senador Aécio Neves (PSDB-MG) no Palácio do Jaburu foi realizada para tratar sobre a situação da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig). A reunião gerou especulações sobre a possibilidade da motivação do encontro ser um esvaziamento do poder do presidente interino da legenda, Tasso Jereissati.

Na quinta-feira (17), o PSDB veiculou propaganda na TV, destacando que o Planalto faz cooptação de congressistas com favores. "Erramos ao ceder ao jogo da velha política", dizia a peça publicitária, que teria sido idealizada por Jereissati.

"Senadores tratam dos assuntos de interesse de seu Estado. Nada mais normal. Teorias da conspiração são assunto de quem não tem o que fazer", comentou Michel Temer.

"Teorias da conspiração são assunto de quem não tem o que fazer", escreveu Michel Temer

Temer também reforçou que não entra em assuntos internos de outras legendas. “Não o fiz, nem o faria em relação ao PSDB"


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


20/08


2017

PSDB-SP repudia articulações entre Temer e Aécio

Folha de S.Paulo

Em mais um capítulo do aprofundamento das divisões internas do PSDB, o diretório do partido na cidade de São Paulo divulgou uma nota neste domingo (20) em que "repudia veementemente" qualquer tentativa de articulação política entre o senador Aécio Neves (MG) e o presidente Michel Temer.

"A presença de Aécio Neves hoje, em reuniões internas ou públicas, só nos causa desconforto e embaraços. Prove sua inocência, senador, e aí sim retorne ao partido", diz o comunicado do diretório, publicado pelo vereador Mario Covas Neto, presidente do PSDB paulistano.

"Que fique claro: quem pode falar em nome do PSDB é quem está no exercício da presidência. No caso, o senador Tasso Jereissati", acrescenta a nota.

Aécio se licenciou da presidência da legenda em maio, após ter sido gravado pelo empresário Joesley Batista pedindo R$ 2 milhões, e foi alvo de denúncia da Procuradoria-Geral da República ao STF (Supremo Tribunal Federal). Em seu lugar, Jereissati assumiu interinamente (CE).

O grupo ligado a Aécio e ministros tucanos do governo Temer tem criticado decisões tomadas por Jereissati, como um programa partidário em que se refere ao atual sistema de governo como "presidencialismo de cooptação" e defende o parlamentarismo. Esse grupo se movimenta para que Aécio reassuma o comando da sigla.

O senador mineiro tem se reunido com o presidente Michel Temer nos últimos meses, e faz parte da ala que defende que os tucanos continuem no governo federal.

Já Tasso tem defendido que o PSDB entregue os quatro ministérios ao Palácio do Planalto.

Em São Paulo, o prefeito João Doria critica publicamente a permanência de Aécio no comando do partido.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


20/08


2017

Supremo virou sucursal da Casa de Mãe Joana

Josias de Souza

Certas decisões dão ao Supremo Tribunal Federal a aparência de sucursal da Casa da Mãe Joana. A OAB requereu ao Supremo que obrigue o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, a analisar um pedido de impeachment feito pela entidade contra Michel Temer. O caso caiu sobre a mesa de Alexandre de Moraes. Ex-ministro da Justiça de Temer, o magistrado deveria se declarar impedido de julgar a matéria. Mas Alexandre de Moraes não se deu por achado.

Num país lógico, a própria OAB deveria arguir a suspeição do ministro. Independentemente do veredicto de Alexandre de Moraes, está em jogo a credibilidade da Justiça. Mal comparando, numa ação sobre a guarda de filhos, por exemplo, um advogado da mãe jamais deixaria de questionar a atuação de um juiz que fosse amigo do pai. E um pedido de impeachment não é menos importante do que uma ação da Vara de Família.

Alexandre de Moraes era subordinado de Temer até outro dia. Foi indicado por ele para o Supremo. E a lei prevê que um juiz deve se declarar impedido de atuar em determinado processo sempre que há razões capazes de comprometer a imparcialidade do julgamento. Essa regra tem sido negligenciada. Que o diga outro ministro do Supremo, Gilmar Mendes. Expansiva, Mãe Joana já não se contenta em dar expediente apenas no Congresso e no Planalto. Ela agora veste toga.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

MARCOS MORAIS

Alexandre de Moraes apenas foi o último. Se fosse assim nenhum dos ministros do Supremo poderia julgar ninguém pois todos foram colocados por ex-presidentes.



20/08


2017

Calote na União: Vale e Petrobras lideram

Ricardo Boechat - IstoÉ

Mudanças na lista dos maiores devedores da União. No último relatório elaborado pela Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, a Petrobras (R$ 30,3 bilhões) desbancou a antiga Parmalat (R$ 27,2 bilhões) no segundo lugar do pódio. A liderança isolada continua com a Vale (R$ 50 bilhões). Mas o destaque do novo ranking não está no topo. Coube à Samarco, que saiu da 307ª para a 56º posição, cobrada em R$ 1,5 bilhão. A mineradora causou o maior desastre ambiental do Brasil, em 2015, o rompimento da barragem de Fundão (MG). Cifras tão expressivas não significam dinheiro em caixa para o Tesouro. Enredada em discussões jurídicas, boa parte do ervanário jamais chegará aos cofres públicos.

Em pelo menos uma das muitas delações premiadas ainda mantidas em segredo pelos procuradores de Curitiba há o relato de um operador de propinas detalhando seu romance com uma parlamentar federal. De viagens ao exterior, bancadas com recursos público, a brigas movidas por “ciúme doentio”, tudo está narrado ricamente. Detalhe: madame é casada.

Enquanto ISS, inédito em português, um estudo do Banco Mundial (“Como preencher a lacuna de infraestrutura no Brasil”) alerta para uma questão simples – e importante: diante da escassez de recursos públicos é preciso gastar de forma eficiente, “não necessariamente mais”, além de atrair o capital privado para fazer frente a esses custos. Segundo analistas do banco, um ganho de eficiência está em exigir que as emendas parlamentares ao orçamento sejam feitas a partir de um banco de projetos pré-selecionados. Ou seja, nada de dinheiro público ao gosto dos políticos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


20/08


2017

Gilmar e as críticas: "O rabo não abandona o cachorro"

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, reagiu enfaticamente às críticas da Procuradoria da República que pede sua suspeição e impedimento por mandar soltar o empresário Jacob Barata Filho, o ‘rei do ônibus’. Ele atacou o que chama de ‘inversão’ de valores.

“Se isso acontecer, o rabo abana o cachorro”, disse o ministro.

“Aí, o Supremo passa a ser um órgão inferior em relação a promotores e juízes”, argumenta.

Em 24 horas, entre quinta-feira, 17, e sexta, 18, Gilmar despachou duas vezes, esticando um habeas corpus em favor do ‘rei do ônibus’. Ele revogou decreto de prisão preventiva expedido pelo juiz Marcelo Bretas, da 7.ª Vara Federal do Rio.

Barata é o alvo maior da Operação Ponto Final, desdobramento da Lava Jato que desmontou esquema de corrupção no setor de transportes do Rio.

Os procuradores se apegam ao fato de Gilmar ter sido padrinho de casamento da filha de Barata Filho, Beatriz, em julho de 2013. E que sua mulher, Guiomar Mendes, trabalha num escritório de advocacia que defende investigados da Lava Jato, o escritório Sergio Bermudes.

“As regras de impedimento e suspeição para atuar no processo estão previstas em lei”, diz o ministro. “A minha mulher é tia do noivo. Era madrinha. Eu a acompanhei. Só. Não tenho qualquer relacionamento com a família (Barata). A primeira vez que os vi e isso foi só. Além disso, o casamento se desfez em seguida. O casal se separou. Eu não tenho nenhuma relação.”

O ministro mostra indignação com o cerco que sofre cada vez que manda soltar algum investigado da Operação Lava Jato.

“Toda vez que se concede habeas corpus vem essa onda toda. Eles imaginam que não se pode soltar as pessoas, não pode dar liberdade.”

“Você sabe como é a vida pública. Se a gente ficar impedida de julgar todas as pessoas com quem cruzamos ia ser uma tragédia. Não poderia nem julgar. Eu dei habeas corpus para o Edinho (filho de Pelé). Conheço o pai dele. Então, estava impedido?” (AE)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


20/08


2017

Boa Viagem: delegado reage a assalto e mata bandido

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

G1 - Assalto ocorreu entre as ruas Agenor Lopes e Ribeiro de Brito (Foto: Reprodução/Google Maps

O delegado titular da delegacia de Santa Cruz do Capibaribe, no Agreste do estado, Rodolfo Bacelar, foi baleado ao reagir a um assalto em Boa Viagem, Zona Sul do Recife, na manhã deste domingo (20). Na troca de tiros, o suspeito também foi atingido e morreu ao dar entrada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Imbiribeira, na mesma região.

A tentativa de assalto ocorreu próximo a um posto de combustíveis localizado entre as ruas Agenor Lopes e Ribeiro de Brito. O delegado foi atingido na cintura e no braço. Ele também foi socorrido para a UPA da Imbiribeira, mas foi transferido para um hospital particular em seguida.

Por telefone, o policial informou que foi atendido e que seu estado de saúde não é grave. Já o delegado de plantão do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), João de Brito, adiantou que ele precisará passar por uma cirurgia.

O corpo do suspeito vai ser encaminhado para o Instituto de Medicina Legal (IML) do Recife.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Coluna do Blog
TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores