ArcoVerde

20/11


2018

Chega ao STF inquérito que investiga plantonista que mandou soltar Lula

O inquérito que investiga o desembargador do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) Rogério Favreto foi remetido do Superior Tribunal de Justica (STJ) para o Supremo Tribunal Federal (STF). Em julho deste ano, Favreto na função de plantonista mandou soltar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Pela Constituição, desembargadores têm foro no STJ. Mas, no caso, há suspeita de que Favreto tenha participado de “ato orquestrado” envolvendo parlamentares petistas, que pediram o habeas corpus. Por isso, a relatora do caso no STJ, Maria Thereza de Asssis Moura, mandou o inquérito para o Supremo. Agora, o caso está nas mãos do ministro Luís Roberto Barroso.

O inquérito foi pedido pela procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pela suspeita do crime de prevaricação.

Dodge chamou a apresentação do habeas corpus de "ato orquestrado meticulosamente para, em detrimento da lei vigente, alcançar a soltura do réu, que havia sido negada pelas vias processuais lícitas e competentes".

Segundo ela, a conduta de Favreto apresentou “elementos de ato ilícito praticado dolosamente com o objetivo de satisfação de sentimentos e objetivos pessoais, tipificado pela lei penal".

O pedido de liberdade foi feito pelos petista Paulo Pimenta (RS), Paulo Teixeira (SP) e Wadih Damous (RJ).


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

marcos fascista de Camaragibe.

marcos

No Brasil o Fascismo está tão Esculhambado, que tem até Mortadela Fascista!

Fernandes

MINISTRO DA SAÚDE DE BOLSONARO. JUMENTO ACUSADO DE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA E CAIXA DOIS ? A FALÁCIA NÃO ERA SÓ GENTE HONESTA?

marcos

Desembargador pau mandado fascista.


Asfaltos

20/11


2018

Marina contra “Plano Guedes” de privatização

Sempre criticada por “desaparecer” depois de cada eleição, Marina Silva parece ter mudado de postura depois de ter conseguido apenas 1% dos votos na corrida para o Planalto. Ativa nas redes sociais desde a derrota, a ex-ministra do Meio Ambiente voltou suas baterias contra o futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, a quem atribui um plano de privatizar empresas de peso, como a Petrobras. Segundo o portal BR18, para Marina, a indicação de Roberto Castello Branco para presidir a empresa faz parte dessa estratégia de futura venda da estatal.

“Roberto Castello Branco na presidência da Petrobrás é parte do “Plano Guedes” de privatização da empresa, contrariando a expectativa dos brasileiros de valorização e gestão técnica e eficiente desse patrimônio que deve estar a serviço dos interesses do País”, diz Marina. 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

marcos

Mais Médicos foi negociado secretamente por governo Dilma Jumenta. ........ ////// ....... A Folha teve acesso a telegramas diplomáticos que relatam as negociações secretas do governo Dilma com a ditadura cubana para a criação do Programa Mais Médicos. Segundo os documentos, Cuba queria cobrar 8 mil dólares por médico, mas acabou aceitando metade desse valor – sendo 3 mil dólares para o governo cubano e apenas 1 mil dólares para o médico. Para não precisa submeter o acordo ao Congresso, o embaixador José Eduardo Felício propôs que fosse um “contrato comercial de compra de serviços médicos” através da OPAS. Como a sede da organização é em Washington, o então ministro Alexandre Padilha propôs que as transferências fossem feitas diretamente entre os escritórios da organização no Brasil e em Cuba, sem passar pelos EUA. Nos telegramas, fica estampada a preocupação do governo em tratar do caso secretamente para evitar a reação da comunidade médica brasileira. Onde tem PT, tem Safadeza, Bandidagem e Corrupção!

marcos

Essa Marina ET é uma Fascista.



20/11


2018

Deputado realiza audiência para debater igualdade racial na educação

A Comissão de Educação da Câmara Federal aprovou requerimento do presidente do colegiado, deputado Danilo Cabral (PSB/PE), que solicita a realização de audiência pública para debater a igualdade racial na educação. 
 
O parlamentar acredita que o tema é de extrema relevância e será um espaço onde autoridades poderão apresentar os desafios e perspectivas na área. “Na semana que vem, também estaremos comemorando o Dia da Consciência Negra, que nos proporciona uma reflexão sobre em que parâmetro está a igualdade racial na educação brasileira. Ainda é preciso abordar profundamente o tema”, explicou Danilo. 
 
A audiência está marcada para amanhã, na Comissão de Educação.

 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Uma coisa é certa se o negro tivesse consciência não entraria na igreja católica .

marcos

Mais Médicos foi negociado secretamente por governo Dilma Jumenta. ........ ////// ....... A Folha teve acesso a telegramas diplomáticos que relatam as negociações secretas do governo Dilma com a ditadura cubana para a criação do Programa Mais Médicos. Segundo os documentos, Cuba queria cobrar 8 mil dólares por médico, mas acabou aceitando metade desse valor – sendo 3 mil dólares para o governo cubano e apenas 1 mil dólares para o médico. Para não precisa submeter o acordo ao Congresso, o embaixador José Eduardo Felício propôs que fosse um “contrato comercial de compra de serviços médicos” através da OPAS. Como a sede da organização é em Washington, o então ministro Alexandre Padilha propôs que as transferências fossem feitas diretamente entre os escritórios da organização no Brasil e em Cuba, sem passar pelos EUA. Nos telegramas, fica estampada a preocupação do governo em tratar do caso secretamente para evitar a reação da comunidade médica brasileira. Onde tem PT, tem Safadeza, Bandidagem e Corrupção!



20/11


2018

Coluna da terça-feira

Veta, Temer!

Por Arthur Cunha – especial para o blog

No ocaso do seu conturbado mandato, permeado de denúncias de corrupção e tentativas frustradas de tirar o país da crise, o presidente Michel Temer (MDB) tem uma oportunidade de ouro para tentar melhorar um pouco o seu lugar nos livros de história do Brasil. Para isso, tem que descer do muro e tomar posição – uma postura que ele pouco adotou no seu período na Presidência. Temer precisa vetar o projeto de lei que aumenta em 16,38% os salários de suas excelências, os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e dos membros da Procuradoria-Geral da República (PGR).

Motivos para se posicionar contra esse escárnio não faltam. Além de provocar um efeito cascata, reajustando salários no Judiciário Brasil afora, o projeto é – para ser educado – uma falta de respeito ao “País dos desalentados”, onde uma grande parte da população sequer tem ânimo para procurar emprego. Atualmente, falta trabalho para 27,6 milhões de brasileiros, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD), estudo trimestral feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Enquanto isso, suas excelências, os ministros do STF, avaliam que os R$ 33,7 mil de salário que ganham por mês é pouco. Querem ganhar 39,3 mil, fora as inúmeras benesses do poder que não aparecem no contracheque. Nada contra quem ganha bem. As pessoas precisam ser bem remuneradas pelo seu trabalho, evita até que caiam na tentação de se corromperem; sobretudo os “guardiões da Constituição”. Mas, em uma nação afundada na crise, chega a ser desumana essa medida aprovada pelo Congresso. Mas suas excelências não estão nem aí.

A bola está com Temer. O presidente, que dizem ter receio de sofrer alguma represália dos ministros do STF quando deixar o poder, caso não sancione a matéria, continua em cima do muro. Mas o tempo, neste caso, é inimigo do presidente. Do outro lado, uma imensa e crescente pressão popular contra esse acinte se faz perceber. Jair Bolsonaro - que não faz mais do que a obrigação de quem foi eleito pelo voto popular cansado do stablishment – já se posicionou contra a matéria. Fato que só aumenta a agonia do seu antecessor. Temer vai para lá e para cá sem tomar uma decisão. Mais uma batata quente na mão do emedebista.

Mandado de segurança – Ministro do STF, Ricardo Lewandowisk rejeitou mandado de segurança impetrado pelo deputado federal Chico Alencar (PSOL-RJ), com o objetivo de suspender a possibilidade do presidente Michel Temer (MDB) sancionar o projeto de lei que reajusta os salários dos “guardiões da Constituição” em 16,38%. Para Alencar, o projeto, concebido na Câmara, sofreu alterações ao chegar ao Senado, tendo, por isso, que voltar para a análise dos deputados após a aprovação dos senadores. Lewandowisk tergiversou, disse que questões envolvendo normas regimentais são de natureza do Legislativo, e que não cabe ao Judiciário intervir em tais procedimentos. Em resumo, o nobre ministro quis dizer que o aumento do seu salário não diz respeito a ele. Oi?!

Mais pressão – Não bastassem suas excelências, os ministros do STF, pressionarem o presidente Michel Temer (MDB) cobrando a sanção ao projeto de lei que reajusta em 16,38% os seus proventos, associações de magistrados também resolveram fazer coro em prol do aumento. Presidentes da Associação de Magistrados do Trabalho (Anamatra) e da Associação Nacional do Ministério Público, Guilherme Guimarães Feliciano (foto) e José Robalinho Cavalcante, respectivamente, argumentam que o reajuste repõe parte de uma suposta defasagem salarial por perdas inflacionárias. Chega deu pena. Sugiro disponibilizar uma conta corrente para “doações emergenciais”. Vamos fazer uma cotinha para ajudar.

Batendo panela – Embora sua excelência, o ministro Luiz Fux, do STF, já tenha assegurado que juízes não receberão cumulativamente auxílio-moradia e o reajuste salarial em cascata, caso Temer sancione o projeto de lei que aumenta os proventos dos ministros do Supremo, líderes da categoria rejeitam a ligação entre o fim do benefício e o aumento nas carreiras do Judiciário. A seu favor, entidades de classes de juízes e procuradores dizem que o impacto do aumento será menor do que foi divulgado. Estou vendo a hora juiz bater panela na hora do Jornal Nacional contra tamanha “injustiça”. Em que Brasil eles vivem?

Saneamento – Em entrevista ao Frente a Frente dessa segunda, o deputado federal Danilo Cabral (PSB) comemorou a perda de validade da Medida Provisória 844/2017, que alterava o marco legal do saneamento público brasileiro. Presidente da Frente Parlamentar em Defesa do Saneamento Básico, o pernambucano enalteceu a vitória da mobilização contra a proposta do governo federal que facilitava a venda de companhias públicas do setor. “Foi mais uma conquista do povo brasileiro na luta contra a privatização da água e do saneamento básico, uma vitória de todos que defendem a água e o saneamento como direitos e não como mercadorias”, pontuou Danilo.

CURTAS

A INTERNET NÃO PERDOA – Nem bem saiu a notícia que o ex-candidato à presidente da República, Fernando Haddad (PT), fora indiciado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, que algum engraçadinho já soltou a piada: “Haddad é Lula” e “Lula é Haddad”. A internet não perdoa.

PRIVATIZAÇÃO – Futuro presidente da Petrobras, o economista Roberto Castello Branco, que já defendeu a privatização da estatal em artigo, se apressou em garantir que a questão não está em pauta. Mal foi indicado e já começou a sofrer críticas pela suposta intenção. 

ELEIÇÃO – Eleito em chapa única presidente da Ordem dos Advogados do Brasil em Pernambuco, Bruno Baptista afirmou que sua gestão vai privilegiar o jovem advogado, além dos profissionais idosos e da mulher advogada. Também prometeu um olhar especial para os que moram e trabalham no interior.

Perguntar não ofende: O programa Mais Médicos vai acabar?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


20/11


2018

CNJ: ações de Moro devem ser investigadas

exoneração de Sergio Moro da magistratura não acalmou os ânimos no CNJ (Conselho Nacional de Justiça). Alguns de seus integrantes defendem que os procedimentos contra ele não perdem o objeto. E que as acusações de que atuou politicamente como juiz devem ser, sim, investigadas.

O corregedor nacional de Justiça, Humberto Martins, decidirá nesta semana se arquiva os procedimentos, se segue com eles no conselho —ou se envia tudo para o Ministério Público Federal.

Se ele arquivar, os denunciantes podem recorrer e o plenário terá a palavra final. (Mônica Bergamo)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Dois fascistas, Moro e marcos de Camaragibe.

marcos

Mortadela fascista acompanha meu raciocínio, se Doutor Sérgio Moro como Juiz botou no @ de Lula e do PT, imagina esse cidadão honesto Brasileiro como Ministro da Justiça? ui ui ui

Fernandes

marcos fascista, sem-vergonha.

marcos

Fernandes, a mortadela fascista que estuda na cartilha gay do PT.

Fernandes

Sou um juiz. Então, não existe o risco de eu entrar na política. — Sérgio Moro (2016)



20/11


2018

A PEC da bengala de Bolsonaro e filho

A ideia do grupo de Jair Bolsonaro de revogar a PEC da bengala, que adiou a aposentadoria de ministros do STF de 70 para 75 anos, é uma guinada: em 2015, ele e o filho, o deputado Eduardo Bolsonaro, votaram a favor da medida.

Na época, a ideia era impedir que o PT, então no governo, nomeasse cinco ministros para o 
lugar dos que se aposentariam por idade.

Como Bolsonaro ganhou, seus apoiadores querem revogar a medida. Assim, ele indicaria ao menos quatro magistrados até 2022. (Mônica  Bergamo)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

marcos fascista de Camaragibe, sem-vergonha.

marcos

No Brasil o Fascismo está tão Esculhambado, que tem até Mortadela Fascista!

Fernandes

Mourão volta a criticar 13º e diz que com ele todos são prejudicados.

Fernandes

marcos fascista. É mais fácil entrar um camelo pelo fundo de um rico do que entrar uma agulha no Reino de Deus. aprende idiota imbecil jumento fascista.

marcos

É mais fácil um camelo passar pelo fundo de uma agulha, de que um rico entrar no Reino de Deus. Aprende mortadela fascista.



20/11


2018

Imagem de Lula envelhecido, depondo, impactou juízes

A imagem de Lula, envelhecido, prestando depoimento à Justiça na quarta (14) impressionou juízes de tribunais superiores em Brasília.

Os trechos considerados mais deprimentes foram aqueles em que a juíza que substituiu Sergio Moro faz reprimendas ao ex-presidente.

A ideia de prisão domiciliar para Lula voltou a ser discutida em gabinetes, embora seja considerada remota.

Ela foi aventada há alguns meses. Mas, com a alteração da composição das turmas do STF, acabou temporariamente arquivada.(Mônica Bergamo)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Lula uma lágrima de Cristo.

Fernandes

Bolsonaro Jumento deu dignidade aos burros, elevou a autoestima dos fascistas como marcos de Camaragibe e idiotas, valorizou a estupidez, deu voz aos imbecis e cargos aos canalhas.

marcos

Isso é uma Carniça!

marcos

No Brasil o Fascismo está tão Esculhambado, que tem até Mortadela Fascista!

Fernandes

Mourão volta a criticar 13º e diz que com ele todos são prejudicados.



20/11


2018

Fux deve derrubar liminar que garante auxílio-moradia

Mônica Bergamo – Folha de S.Paulo

Medida pode ser tomada quando Temer sancionar o aumento de 16,3% dos salários da corte

O ministro Luiz Fux, do STF (Supremo Tribunal Federal), deve revogar as liminares que concedeu em 2014 garantindo o pagamento de auxílio-moradia aos juízes federais. A medida pode ser tomada no mesmo dia em que Michel Temer sancionar o aumento de 16,3% dos salários da corte.

O aumento para o STF é estendido automaticamente aos juízes federais, compensando a perda do benefício.

A solução foi discutida internamente no tribunal e também com o governo de Temer. Ela seria mais rápida do que o debate do tema no plenário do STF.

Atenderia também a apelos do presidente da República, que resiste em aprovar o aumento sem contrapartida imediata do tribunal.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Bolsonaro Jumento deu dignidade aos burros, elevou a autoestima dos fascistas como marcos de Camaragibe e idiotas, valorizou a estupidez, deu voz aos imbecis e cargos aos canalhas.

marcos

Lula também é papa, Papa-Pixuleco.

Fernandes

Silas Malafaia também é papa. Papa-dízimo.


bm4 Marketing 3

20/11


2018

Meirelles recusa Fazenda de Doria. Fim é o Lloyds bank

Amigos do ex-ministro Henrique Meirelles dizem que ele tende a não aceitar convite para chefiar a Fazenda paulista.

Meirelles está em conversas com o Lloyds bank, instituição financeira do Reino Unido.Dirigentes do PSDB contam que o governador eleito, João Doria (PSDB-SP), estuda repetir mais uma vez Bolsonaro e fundir as pastas de Planejamento e Fazenda. (Painel)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


20/11


2018

Quem manda mesmo é o homem

 A recepção calorosa de investidores ao nome de Roberto Castello Branco para o comando da Petrobras não fez um profundo conhecedor do sistema financeiro e do governo deixar de observar que, em anos, esta é a primeira vez que o chefe da maior estatal do país é anunciado pelo titular da economia, e não pelo presidente.

Para esse observador privilegiado, o rito do convite a Castello Branco comprova a delegação total de poderes a Paulo Guedes, o ministro da economia de Bolsonaro.

O problema, ele alerta, é que esta é uma via de mão dupla: quem leva louros pelo sucesso também carrega a culpa pelos erros. Sem chance de compartilhamento.(FSP)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


20/11


2018

Respeito: filho de Bolsonaro tem concorrentes

Os desencontros entre os bolsonaristas não poupam nem o filho do presidente eleito, Eduardo Bolsonaro (PSL-SP).Atual líder da bancada do partido na Câmara, ele agora ganhou concorrência interna na disputa pela função em 2019. Marcelo Álvaro Antônio (MG) e Joyce Hasselman (SP) são citados como opções para o posto.

Enquanto isso, ntegrantes do grupo de transição, do DEM e também dirigentes de entidades médicas acreditam que o deputado Luiz Henrique Mandetta (DEM-MS) será confirmado nesta terça (20) como o nome de Bolsonaro para o Ministério da Saúde. A indicação de Mandetta para a pasta foi dada como certa na semana passada, mas arrefeceu após as notícias de que o deputado é investigado por suspeita de ter recebido recursos por meio de caixa 2.

Como mais nada apareceu, dizem aliados, ele se segurou na dianteira das preferências para o posto.(Folha)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Fascista.



20/11


2018

Vida pregressa: bater na mulher e na mãe

Uma das figuras mais próximas a Bolsonaro, o deputado eleito Julian Lemos (PSL-PB) desponta nas bolsas de apostas para assumir a liderança do governo na Câmara. Gustavo Bebianno, ex-presidente do partido, está entre os que o apoiam. Seguindo o que parece ser um padrão dos bolsonaristas, Julian também enfrenta resistências internas.

Uma ala dos aliados do presidente eleito diz que ele não parece ser a melhor opção por, além de ser parlamentar de primeira viagem, carregar o passivo de acusações de agressões contra a ex-mulher e a irmã.

Procurado, Julian disse que desconhece qualquer tratativa em torno de seu nome e classificou sua cotação para líder como “fake news”. “Recebo ordens do presidente, assumo o que ele demandar, mas, como falei, não sei nada sobre isso”, afirmou. (Folha)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


20/11


2018

Onyx quer mais poder

Encabeçado por Onyx, núcleo político de Bolsonaro reclama de tese que esvazia Casa Civil

Daniela Lima – Painel – Folha de S.Paulo

A proposta de entregar parte das atribuições da Casa Civil ao vice-presidente, general Hamilton Mourão, não foi bem digerida pelo núcleo político do grupo de Jair Bolsonaro (PSL). Onyx Lorenzoni (DEM-RS), que vai assumir a pasta em 2019, não teria gostado da ideia de dividir poderes, ainda sob a tese de que, com isso, ele teria espaço para se dedicar apenas à articulação política –a chaga aberta do próximo governo. A insatisfação do democrata foi notada nos gabinetes da transição.

Onyx indicou que quer escalar o ex-deputado Abelardo Lupion (DEM) à subchefia da Casa Civil para auxiliá-lo no trato com o Legislativo. O nome, porém, é visto com desconfiança pela ala dos militares. Lupion foi citado em delações da Odebrecht. O desenho que desencadeou a insatisfação do futuro chefe da Casa Civil é o que prevê Mourão à frente do gerenciamento de projetos, enquanto Onyx ficaria encarregado apenas das relações com o Congresso.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


20/11


2018

Magno Malta está na geladeira da transição

Aliado recusou ser vice do presidente eleito para tentar, sem sucesso, a reeleição ao Senado 

Natália Portinari - O Globo

O senador Magno Malta (PR-ES) deu um chá de cadeira em Jair Bolsonaro quando, na pré-campanha, esperou até o último minuto para declarar oficialmente que não seria seu vice. Agora, quem aguarda é ele. Cotado para assumir um ministério que uniria as pastas de Direitos Humanos e Desenvolvimento Social, Malta, segundo a equipe do presidente eleito, não é prioridade. Com a transição entrando na terceira semana, Bolsonaro ainda não anunciou se tem planos para o aliado capixaba.

A espera a que Malta sujeitou Bolsonaro foi de mais de um mês, de meados de junho a julho. Em entrevista ao Diário do Nordeste, em 11 de julho, o evangélico disse que era "importante no Senado", insinuando que gostaria de ficar lá. Sua assessoria confirmou, ao GLOBO, que ele não seria vice. À época, Bolsonaro foi ao gabinete do senador tirar satisfação. Os dois abafaram o caso enquanto o pesselista buscava um plano B.

Alguns dias depois, Malta participou de um evento com 250 pastores no Espírito Santo, já lançando sua candidatura ao Senado. Poucos dias após a eleição, Malta garantiu ao GLOBO: "vou ser ministro, sim" .


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Dois fascistas.



20/11


2018

No Brasil não houve ditadura, diz Bolsonaro

Bolsonaro: brasileiro "não sabe" o que é ditadura porque não houve ditadura no Brasil

Presidente eleito disse que primeiro-ministro da Hungria está muito feliz com o resultado da eleição

Agência Brasil

O presidente eleito Jair Bolsonaro conversou hoje (19) à tarde por telefone com o primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orbán. O primeiro-ministro está no posto desde 2010 e integra o Fidesz, partido de extrema direita que tem, atualmente, a maior bancada de deputados no país europeu. Orbán é alvo de críticas principalmente pelo política anti-migratória.

Bolsonaro disse que recebeu o telefonema para parabenizá-lo por sua vitória nas eleições de outubro. Orbán também teria manifestado a intenção de comparecer à posse do presidente eleito no dia 1º de janeiro. "Ele está muito feliz com a nossa eleição", disse Bolsonaro, na portaria do condomínio onde mora na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, ao voltar de uma agência bancária.

"A Hungria é um país que sofreu muito com o comunismo no passado, tem um povo que sabe o que é ditadura. O povo brasileiro não sabe o que é ditadura aqui ainda. Não sabe o que é sofrer nas mãos dessas pessoas, disse Bolsonaro."


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Ontem, eu era um bosta. Hoje, sou presidente. Só no Brasil mesmo, ha, ha, ha! — Jair Bostanaro



20/11


2018

Privatização em parte da Petrobras, diz Bolsonaro

Folha de S.Paulo

O presidente eleito Jair Bolsonaro disse hoje (19), no Rio de Janeiro, que a Petrobras pode ser privatizada em parte. Ao mesmo tempo, ele avaliou que a estatal é uma empresa estratégica e que deve continuar existindo: "alguma coisa você pode privatizar. Não toda. É uma empresa estratégica."

Segundo Bolsonaro, não há decisão tomada. "Estamos conversando. Eu não sou uma pessoa inflexível. Mas nós temos que ter muita responsabilidade para levar adiante um plano como esse."

Pela manhã, em Brasília, o vice-presidente eleito Hamilton Mourão afirmou que o futuro governo pretende preservar o "núcleo duro" da estatal, mas a equipe estuda a possibilidade de negociar áreas como distribuição e refino.

Nomeação

Mais cedo, o economista Roberto Castello Branco foi confirmado para presidir a Petrobras. Em artigos recentes publicados na imprensa, ele defendeu a privatrização da empresa.

Indicado por Paulo Guedes, que assumirá o Ministério de Fazendo, Castello Branco aceitou o convite. Bolsonaro reiterou que Guedes tem carta branca no seu governo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Coluna do Blog
TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores