O Jornal do Poder

07/10


2006

Morre a voz do sertanejo oprimido

Morreu hoje, no Recife, o bispo emérito de Afogados da Ingazeira, Dom Francisco Austregésilo de Mesquita, 82 anos. Ele estava internado no Hospital Santa Joana há mais de dois meses, devido a um quadro considerado irreversível, depois que se submeteu a uma cirurgia na cabeça, motivada por uma queda no banheiro de sua casa em Afogados. O sepultamento será na próxima segunda-feira,às 9h, na Catedral de Afogados da Ingazeira, onde ocorrerá o velório  logo após a chegada do corpo àquela cidade, prevista para a madrugada deste domingo.

Natural de Sobral, no Ceará, o bispo foi uma voz firme e corajosa em defesa do povo sertanejo. Além de orientador espiritual, ensinava o povo a ter consciência política e pregava métodos considerados revolucionários.

Na época de grandes secas no Sertão do Pajeú, D. Francisco chegou a defender, sem nenhuma cerimônia o saque às feiras livres da região por parte dos trabalhadores atingidos pelo fenômeno climático, como último recurso para que as famílias sertanejas não passassem fome.  


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Morreu um grande homem, defensor dos pobres e sem voz. Que Deus o tenha!


Potencial Pesquisa & Informação

07/10


2006

Marta Suplicy volta a dizer que Alckmin fará privatizações

A coordenadora da campanha do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) à reeleição em São Paulo, Marta Suplicy, insistiu neste sábado no discurso de que uma eventual gestão de Geraldo Alckmin (PSDB) vai trazer de volta uma política de privatizações.

''Não adianta o senhor Alckmin, o Fernando Henrique dizerem que nós estamos mentindo com a história da privatização porque eles fizeram isso no nosso Estado [São Paulo] com o Banespa, a Ceagesp [Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo], as [empresas] energéticas, a Comgás, eles privatizaram tudo'', disse a petista, que fez campanha para Lula nesta tarde em Suzano, na Grande São Paulo.

A ex-prefeita de São Paulo fez ataques diretos a Alckmin e mencionou a polêmica entrevista à Folha na qual o atual governador de São Paulo, Cláudio Lembo, admitiu que seu antecessor deixou um rombo de R$ 1 bilhão nas contas do Estado. ''Este é o grande gerente?'', questionou, com ironia.

Segundo ela, o governo tucano em São Paulo arrecadou R$ 71 bilhões com as privatizações. Apesar disso, ''não conseguiram diminuir a dívida do Estado''.

Marta participou de uma reunião feita pelo PT no sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção Civil de Suzano. Lá, ela disse que não é o momento de o partido fazer um balanço nem de agradecer votos. É hora de ir para a rua.

''Não adianta ficar discutindo, falando entre a gente, que somos militantes. Nós precisamos ir para a rua'', defendeu.

Para a ex-prefeita de São Paulo, a campanha de Lula precisa falar diretamente com o povo do Estado. A idéia é fazer comparações e mostrar a diferença entre os governos tucanos e petistas. Como exemplo, ela apelou para o Bolsa Família.

''Nós temos que mostrar que no governo do Lula houve queda de 62% nas internações infantis por problemas de desnutrição. Isso é Bolsa Família'', afirmou. (Folha Online)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

josé arnaldo amaral

.... A EX-PREFEITA NÃO EXPLICOU AINDA SUA ALIANÇA COM PCC PERUEIRO EM SÃO PAULO E A MESADA SEMANAL DE $ 50 MIL DO MARIDÃO NUMA ONG DO LULLISMO... XÔ SUPLÍCIO....!!!....ABAIXO A PERUAGEM FRANCESA !!! 45 NELLA$$$$ !!!

O candidato que falar que vai realizar privatização tará o voto de muitos .Governo nenhum deveria ter empresas para servir de cabide de emprego e antro de corrupção.

Essa perua saqueou a Prefeitura de São Paulo. Seu atual marido recebe do Duda Mendonça R$ 30.000.000,00 por mes sem trabalhar. Quando prefeita tentou fazer um contrato de "lixo" por 20 anos no valor de R$ 20 bilhões que o Ministério Público impediu. Faz parte do esquema da "gang".


Banco de Alimentos

07/10


2006

Lula reúne assessores e se prepara para debate

O debate que acontece na noite do próximo domingo mobilizou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e seus principais colaboradores neste sábado. Distante do confronto com os outros candidatos no primeiro turno, Lula reuniu, na Granja do Torto, o coordenador geral da campanha pela reeleição, Marco Aurélio Garcia e os ministro Tarso Genro (Relações Institucionais) e Guido Mantega (Fazenda). O embate entre Lula e o tucano Geraldo Alckmin irá ao ar a partir das 20h, na TV Bandeirantes.

O presidente chegou da Bahia, onde fez campanha na sexta-feira, por volta das 3h da madrugada. De manhã, se reuniu com assessores para repassar os principais temas a serem abordados no debate. Os petistas consideram que o afastamento do deputado Ricardo Berzoini (SP) da presidência do PT, oficializada na última sexta-feira, deixará o presidente mais à vontade para falar sobre a compra de um dossiê contra o governador eleito de São Paulo, José Serra. Pelo menos oito pessoas ligadas ao PT ou ao presidente, entre elas Berzoini, estão envolvidas no episódio. Na reunião da executiva nacional, sexta-feira, foram expulsos quatro suspeitos de negociarem o dossiê. Marco Aurélio Garcia assumiu a presidência no PT no lugar de Berzoini.

A estratégia de Alckmin será cobrar insistentemente a origem de R$ 1,7 milhão apreendido com Gedimar Passos, que trabalhava na campanha petista, e Valdebran Padilha, empresário ligado ao PT, ambos presos há três semanas. O tucano vem dizendo, desde o primeiro turno, que o governo impede a Polícia Federal de avançar nas investigações. A resposta de Lula é que a PF nunca investigou tanto quanto em seu governo e que todos os responsáveis por crimes serão identificados e punidos.

Lula tentará voltar o debate para as realizações de sua administração, mas sabe que os escândalos de seu governo serão tema recorrente quando Alckmin tiver a palavra. Os dois adversários vão se encontrar também no dia 27, a partir das 22h30, no debate da TV Globo.  (Agência Estado)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Vai ter que explicar ao povo brasileiro porque tanto desmandos. Montou uma "gang" para saquear o país.

Raimundo Eleno dos Santos

Lula só tem que mostrar a diferença do seu governo para os 501 e1/2 anos dos outros. Especialmente do FHC e suas privatarias. Pois, quanto aos problemas internos do PT estão sendo exorcizados. O povo sabe disso. No dia 29 vai ser assim: 40 cá e l3 lá!

José Rodrigues da Silva

Sendo verdadeira a afirmativa do Luiz de que a Polícia Federal "nunca investigou tanto", como justifica-se ainda estar solto o Luiz? Avanti Dudu! Fora Luiz!



07/10


2006

Zeca do PT quer virar "governador vitalício"

O governador José Orcírio dos Santos, o Zeca do PT, pode receber R$ 22 mil mensais após deixar o cargo em 1º de janeiro, se os deputados de Mato Grosso do Sul aprovarem uma emenda constitucional que traz de volta a pensão vitalícia para ex-governadores. O projeto de emenda constitucional (PEC) nº 9 já tramita na Assembléia Legislativa.

Banida pela Constituição Estadual em 1989, a pensão garante a ex-governadores um rendimento equivalente ao salário integral do atual mandatário. Zeca do PT é o primeiro ocupante do cargo que, pela atual norma constitucional, não tem direito ao subsídio já que os ex-governadores Marcelo Miranda, Pedro Pedrossian, Wilson Barbosa Martins e Ramez Tebet já haviam adquirido o direito nos anos 80.

''O que os deputados vão decidir é se é justo ou não eu ter direito depois de ficar oito anos no cargo se o Ramez Tebet (atualmente senador pelo PMDB), que foi governador só oito meses, recebe'', disse Zeca do PT.

A tramitação de uma emenda constitucional é bem diferente de um projeto de lei ordinária. Para apresentar uma proposta de mudança da Constituição são necessárias as assinaturas de pelo menos oito deputados, um terço da Assembléia. O PEC nº 9 (projeto de emenda constitucional) tem os pedetistas Ary Rigo, Bela Barros, Loester Nunes (suplente pedetista), Humberto Teixeira e Onevan de Matos, os petistas Pedro Kemp e Semy Ferraz, e  Paulo Corrêa (PL) e Sérgio Assis (PSB).

Hoje, o projeto está na fase embrionária. Ainda não seguiu sequer ir para a Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR), que suspendeu as reuniões semanais no início de agosto quando a campanha eleitoral começou. Se passar pela CCJR, o projeto vai para uma comissão especial de emendas constitucionais. Só depois disso chega ao plenário para ser votado e precisa ter no mínimo dois terços dos votos dos deputados (16 de 24 no total) em dois turnos. A previsão é que, se não for rejeitada nas comissões, a emenda seja votada em novembro.

O principal responsável pela costura política da pensão é Ary Rigo. ''Tem que fazer justiça, em todos os Estados brasileiros e na Presidência ex-governadores e ex-presidentes têm direito ao subsídio após o cumprimento do mandato, só aqui não?'', questiona. Rigo, aliás, evita usar o termo pensão, preferindo ''subsídio''. Embora o governador costume contar com maioria folgada na Assembléia, pouca gente se arrisca a fazer um prognóstico sobre as chances do projeto já que mesmo deputados que assinaram a petição para a emenda começar a tramitar se dizem em dúvida.

O petista Semy Ferraz afirma que ainda não sabe como irá votar. ''Assinei para que houvesse a discussão sobre o assunto, mas ainda não tenho uma opinião formada. Vou avaliar os pareceres sobre a constitucionalidade do projeto, não vou votar em nada que possa ser derrubado depois por ser inconstitucional'', disse Semy. Zeca do PT também não deverá contar com outro fiel governista. Maurício Picarelli (PTB) foi o autor do artigo da Constituição Estadual que acabou com a pensão que antes vigorava. ''Estou impedido de votar nisso, fui eu que criei o artigo que pôs o fim ao privilégio'', diz. (Portal Terra)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

luta desse país, e afaste os petistas incoerentes do objetivo maior, que é moralizar o nosso Brasil.

São estes petistas que o partido em nível nacional tem que efetivamente expulsá-los. Não adianta ter uma posição quando é oposição, e quando é governo esquece tudo, como o FHC pediu para fazermos. Idiotas como estes terão que ser colocados às margens da política nacional. Lula continue firme na

Zeca do PT, estás tendo um surto de mentalidade da época da ditadura é? cuidado companheiro, com as colocações, sempre foi dito que esta prática era abominável, agora porque não estás, sendo contemplado ela não presta? Olhe a demagogia Petista incoerente.

O homem é conhecido por Zeca do PT... daí não se pode esperar coisa boa.

Raimundo Eleno dos Santos

A questão não é o dinheiro q será dispendido pelo Estado(erário).É q o homem,qualquer deles irá,pelo resto da vida ostentar o nome de "governador".Vai que ele entre em crise financeira e vá viver miseravelmente.Será uma vergonha.Isso pode acontecer.Dirão olha ali, esse homem foi governador!Acho!



07/10


2006

PFL vai discutir apoio de Roseana a Lula

O suposto apoio do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, candidato à reeleição pelo PT, à candidatura de Roseana Sarney (PFL) ao governo do Maranhão anunciado nesta semana já rendeu problemas para a filha do ex-presidente José Sarney em seu partido.

Ontem, o PFL divulgou que o senador Jorge Bornhausen (PFL-SC), presidente do partido, convocou uma reunião da comissão executiva do PFL no próximo dia 17 para discutir sobre o apoio que Roseana teria anunciado a Lula.

No site da candidata, ela afirma que o apoio de Lula à sua candidatura teria sido anunciado por Sarney, que teria recebido um telefone do presidente para comunicar sua decisão de apoiar a candidatura de Roseana no segundo turno das eleições no Maranhão.

De acordo com Bornhausen, partido coligado com o PSDB na disputa presidencial, o PFL exige fidelidade partidária e seu estatuto prevê ''penalidades duras'' para quem diverge das resoluções do partido.

O partido divulgou que ''é provável que a maioria dos integrantes da comissão executiva decida abrir processo disciplinar para apurar a conduta da filiada''. Segundo o PFL, são deveres dos filiados do partido participar das campanhas eleitorais, defendendo o programa e os candidatos, votar nos candidatos a cargos eletivos indicados pelas convenções partidárias e participar das convenções municipais.

No estatuto do PFL também consta que fazer campanha para candidatos ou partidos adversários pode render advertência, suspensão das atividades partidárias , destituição de função em órgão do partido e a expulsão com cancelamento de filiação partidária para os filiados. (Folha Online)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Roseana Sarney, pai, irmão e marido formam uma das maiores fortuna do Brasil, enquanto 95% do povo maranhense não tem salário digno. Estão bem a altura do Lulla.

Raimundo Eleno dos Santos

Fernando Henrique Cardoso disse alto e bom som:"Ninguém deve rejeitar votos. Venha de onde vier;"Outro da Aliança disse:"não só se faz alianças com anjos,arcanjos,querubins e serafins."Esses elementos,PFListas e PSDBistas,pelo poder,fazem aliança até com baal-zebube.É o poder pelo poder.Arre égua!

José Rodrigues da Silva

Pôxa, esqueci! Avanti Dudu! Fora Luiz!

José Rodrigues da Silva

Como não fazer? Seu pai Sarney, acompanhado de Marco Maciel inauguraram a traição partidária no Brasil, ela, Roseane, dócilmente segue-lhes o (mau) exemplo!



07/10


2006

Alckmin: Lula priveligia sua patota no governo

O candidato do PSDB à Presidência da República, Geraldo Alckmin, criticou na manhã deste sábado a estrutura do governo de Luiz Inácio Lula da Silva, que concorre à reeleição pelo PT. Segundo ele, o petista privilegia sua ''patota'', o que leva à ''ineficiência'' e à ''corrupção''.

O tucano afirmou ainda que, se eleito, vai diminuir o número de ministérios para acabar com que ele classificou de ''aparelhamento do Estado'' --a indicação de militantes do PT e de deputados do partido ou aliados para cargos públicos.

''Eu não vou aparelhar o Estado porque governo não é patota, não é para os amigos. Esse aparelhamento leva, num primeiro momento, à ineficiência. E, num segundo, à corrupção'', afirmou o tucano após visita ao município de São Vicente.

Debate

Apesar de ter elevado o tom das críticas a Lula, sobretudo na questão dos escândalos de corrupção, Alckmin não quis responder se vai levar para o debate deste domingo na Band, o primeiro do segundo turno, o tema da crise do dossiê.

''A nossa campanha vai ser propositiva. Mostrar para o eleitor que o Brasil pode ir melhor, sob o ponto de vista ético, sob o ponto de vista da eficiência. Agora, é dever de todo brasileiro combater a corrupção. Nós não podemos achar que essas coisas são normais'', disse.

Após a insistência dos jornalistas sobre o assunto do dossiê, o tucano se limitou a afirmar que é preciso descobrir a origem do dinheiro. Mais uma vez, ele se posicionou como porta-voz da vontade popular, mas não deixou claro se vai explorar o tema no debate.

''O que a população toda está esperando é a verdade. De quem é o dinheiro? Por que não aparece o dono do dinheiro? O dono das contas? O dono do dólar? Primeiro estava escondendo [a origem do dinheiro] para o primeiro turno. Esperaram acabar o primeiro turno. E agora, vão esperar acabar a eleição?'', questionou com ironia.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Não é patota Alkimin, é gang. Aquí em Pernambuco quem fex a maior privatização do Nordeste (Celpe) foi o Alckmin? Com a palavra o seu Raimundo...

Raimundo Eleno dos Santos

Antes de virar gov de SP,Alckmin conduziu todo processo de privatização das estatais,q arrecadou R$32,9bilhões entre 1995-2000.Apesar da vultuosa soma arrecadada,o Balanço Geral de SP mostra q a dívida paulista consolidada cresceu de R$34 bilhões,em 1994,p/R$138bilhões,em 2004.Aí é competência?!



07/10


2006

Alckmin acredita na vitória, apesar do Datafolha

A vinte e um dias do segundo turno das eleições presidenciais, o candidato à Presidência da República Geraldo Alckmin (PSDB) visitou esta manhã a cidade litorânea de São Vicente a 70 km de São Paulo.

Em seu primeiro comentário sobre as pesquisas de intenção de voto divulgadas ontem, o candidato disse que está bastante contente com a diminuição da vantagem em relação ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

''No primeiro turno, cheguei a ter mais de 20 pontos de desvantagem. Agora a diferença é muito pequena. Acho que a eleição já está caminhando para o empate e nós vamos ganhar'', declarou Alckmin. O candidato-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) não fez campanha pela manhã.(Portal Terra)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernando Vieira

o ALCKMIN também acredita em PAPAI NOEL!!!!

Querida Irania, dizer à sverdades para vocês, é falar cretinices? Que defenda o chuchuzeiro, tudo bem, até porque entendemos, sua posição política, agora ser incoerente nas defesas do Alckmin é demais. Juízo por favor.

milton tenorio pinto junior

A ex- primeira Dama de São Paulo ganhou um bocado de vestido? Segundo a mídia mas de 300 ou eu tô doido?Ou foi invenção da imprensa?

Votando em Lulla passaremos de eleitores a cumplices. Estaremos dando aval ao PT para que continuem saqueando o país.

irania Olivia Benicio

Tadinho do Raimundo. Isso tu fazes gratuitamente ou te pagam para escrever cretinices.



07/10


2006

Edson Barbosa: "Luedi saiu por motivo pessoal"

O publicitário Edson Barbosa, dono da Link Propaganda, responsável pelo guia eleitoral do candidato do PSB ao Governo do Estado, Eduardo Campos, confimou agora há pouco, por telefone, ao signatário deste blog, a saída da equipe do guia, do também publicitário Raimundo Luedi. Barbosa entretanto negou que o afastamento de Luedi foi motivado por desentendimento com ele.

''Isso não existe. Nós somos amigos e não brigamos. Luedi deixa nossa equipe por problemas de natureza pessoal'', disse Barbosa, acrescentando que continuará tendo com Raimundo Luedi uma relação de sócio e amigo. ''Não houve conflito nenhum entre nós. Só Luedi é que pode explicar quais as razões pessoais que motivaram sua saída da equipe'', concluíu Barbosa.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

milton tenorio pinto junior

Drácula tu não sabe de nada.Toda eleição a um desgaste e muita briga,é natural.Agora meu velho,bota teu nome completo pra nós ver?! Homem que é homem não vem com apelido não,bota a careta para mandar ver!!!!!!!!!!!!!!!!!!!1

Francisco Filho

ESSE É O PRIMEIRO "DRÁCULA" BEM HUMORADO QUE JÁ APARECEU POR AQUI. OS DEMAIS SÃO PETISTAS. SÓ QUEREM SUGAR NOSSO "SANGUE" DEPOSITADO NA CONTA-CORRENTE.

Drácula

É A MAIS PURA VERDADE ISSO MAGNO....LUEDI DEIXOU A CAMPANHA POR MOTIVO PESSOAL:.....A PESSOA DELE......QUER MATAR A PESSOA DO BARBOSA.....HAHAHAHAHAHAHAHA



07/10


2006

CPI das Sanguessugas terá reunião na PF

Os quatro sub-relatores da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Sanguessugas - deputados Júlio Delgado (PSB-MG), Vanessa Graziotin (PcdoB-AM), Paulo Rubem Santiago (PT-PE) e Carlos Sampaio (PSDB-SP) devem se reunir na segunda-feira com delegado da Polícia Federal (PF) Diógenes Curado.

O delegado é o responsável pelas investigações da negociação de um dossiê que associaria políticos do PSDB à compra de ambulâncias por preços superfaturados. A reunião deve acontecer em Cuiabá, capital do Mato Grosso.

Sampaio, que é sub-relator de Sistematização da CPMI, disse que levará ao encontro um cruzamento de informações do inquérito da PF, do banco de dados das CPIs dos Correios e dos Sanguessugas e de notícias divulgadas pela imprensa. O levantamento foi feito pelo deputado e por técnicos da comissão na madrugada de quinta (5) para sexta-feira.

Na avaliação dele, o ex-presidente nacional do PT, Ricardo Berzoini, está envolvido direta ou indiretamente com a negociação do dossiê. ''Tenho certeza que Berzoini sabia de tudo, porque esse organograma mostra que as pessoas envolvidas na compra do dossiê tinham ligação direta ou indireta com ele. Não tem como ele não saber''.

Ontem (6), Berzoini se licenciou da presidência do partido, cargo que ocupava desde o início do ano. Em entrevista coletiva na sede do PT em São Paulo, ele afirmou não ter ''qualquer temor'' em relação a ''qualquer investigação''.

Segundo o deputado tucano, o ex-coordenador da campanha do presidente Luiz Inácio Lula da Silva também tinha conhecimento da origem do dinheiro supostamente usado para a compra do documento.

''Na medida em que ele não perguntou a nenhum dos envolvidos a origem do dinheiro, e não fez um movimento para apurar responsabilidades, é porque sabia de tudo'', disse, acrescentando ter ''convicção'' de que o montante é ''de origem ilícita''.

O deputado Fernando Gabeira (PV-RJ), que também é sub-relator da CPMI, pondera que as investigações tanto da negociação do dossiê como dos envolvidos no esquema de compra superfaturada de ambulâncias deve ser feita com cautela.

''Este é um momento de muita tensão por causa da disputa presidencial envolvendo o PT e o PSDB. É preciso ter muita tranqüilidade para não deixar as investigações tomarem outros rumos''. (Portal Terra)

 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

SE NOSSO MINISTRO DA jUSTIÇA FOSSE SÉRIO ESSA CAMBADA DO PT JÁ ESTARIA PRESA. DINHEIRO PÚBLICO NÃO É DINHEIRO DA SOGRA.



07/10


2006

Tucanos investem no interior de São Paulo

Ribeirão Preto, São João da Boa Vista, Santos, São José dos Campos e Presidente Prudente são sede do primeiro encontro pró-Alckmin do interior do Estado de São Paulo, organizado pelo PSDB. Outras 11 reuniões regionais estão programadas pelo partido, em apoio ao candidato tucano para o segundo turno da eleição presidencial.

Em Ribeirão Preto, o encontro foi realizado na manhã deste sábado no Centro de Convenções. Estavam presentes deputados eleitos do PSDB e de partidos coligados, lideranças políticas da região, além do vice-governador eleito Alberto Goldman.

Segundo Goldman, o objetivo dos encontros é promover uma "ampla campanha intensificada no interior paulista, principalmente nas sedes das regiões onde Alckmin obteve boa votação".

Em Ribeirão Preto, o candidato tucano foi o preferido dos eleitores no primeiro turno. Ele ficou com 58,50% dos votos válidos. Índice acima da média nacional, que foi de 41,64%. Lula obteve 29,34% dos votos no município, apesar de ficar com a média 48,61% no Brasil. (Agência Estado)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha