Versão Sertão do Moxotó

16/12


2017

Prefeito de Colniza (MT) é perseguido e morto a tiros

Folha de S.Paulo –Cristina Camargo

O prefeito de Colniza (MT), Esvandir Antônio Mendes (PSB), foi assassinato a tiros no final da tarde de sexta-feira (15) dentro de um carro em uma avenida da cidade. Segundo informações da Polícia Militar, os assassinos estavam em outro veículo, atiraram e fugiram em seguida.

Além do prefeito, o secretário municipal de Finanças, Admilson Santos Ferreira, a primeira-dama Rosemeire Costa e o genro de Vando –como era conhecido o prefeito– também estavam no carro. O secretário foi baleado e está internado em um hospital da cidade. A primeira-dama e o genro do prefeito não sofreram ferimentos.

A caminhonete onde estavam os quatro foi perseguida por cerca de quinze quilômetros na rodovia BR 174. O prefeito, que dirigia o veículo e estaria voltando de Cuiabá, a 1.065 km de distância, tentou escapar da perseguição e dos tiros, mas foi alcançado na entrada de Colniza, bateu o veículo e não resistiu aos ferimentos provocados pelos tiros.

O carro parou em um posto de gasolina e fotos que circulam nas redes sociais mostram o veículo com várias marcas de tiros.

Vando tinha 61 anos e, além de político, era empresário do setor de transportes. Ele era proprietário de uma empresa de ônibus. Na administração anterior, era vice, mas assumiu o cargo de prefeito em abril de 2016 após a cassação do titular, Assis Raup (PMDB). Nas eleições de outubro de 2016 foi reeleito com 51,14% dos votos.

Segundo a Secretaria de Segurança de Mato Grosso, policiais militares e civis da região noroeste do estado procuram os assassinos. Policiais da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Cuiabá vão ao município para ajudar na investigação.

O governador Pedro Taques, o secretário de Estado de Segurança Pública, Gustavo Garcia, o comandante geral da Polícia Militar, coronel Marcos Cunha, e o delegado geral da Polícia Judiciária Civil, Fernando Vasco, também vão ao município acompanhar as buscas e as investigações.

MASSACRE

Em abril deste ano, nove trabalhadores rurais foram assassinatos em uma chacina ocorrida na gleba Taquaruçu do Norte, na área rural de Colniza. Os corpos apresentavam sinais de tortura. Em maio, o Ministério Público Estadual de Mato Grosso denunciou um madeireiro e outros quatro homens por terem planejado e executado a chacina.

Eles foram acusados de formação de milícia privada e homicídio qualificado. O motivo da matança seria a disputa por terras e extração de madeira.

Na ocasião, a Prelazia de São Félix do Araguaia (MT) divulgou nota afirmando que a região sofre violência desde 2004 e que Colniza já foi considerado o município mais violento do país.

Em março, o ex-vereador Élpido da Silva Meira (PR), de 53 anos, também foi assassinado a tiros na cidade. Ele foi atingido por disparos no tórax no momento em que chegava em casa.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Versão Sertão do Araripe

16/12


2017

Candidato condenado não existiria sem o eleitor

O PT reuniu o seu diretório nacional para reafirmar que a candidatura presidencial de Lula será mantida na base do vai ou racha. Ele será candidato mesmo com a reputação rachada por uma eventual sentença condenatória emitida pela segunda instância do Judiciário brasileiro. Lula continuará no páreo ainda que a rachadura moral o leve para a cadeia. Não há Plano B, diz a ré Gleisi Hoffmann, presidente do PT.

Em discurso, Lula, com uma condenação de nove anos e meio de cadeia nas costas, reiterou que não seria candidato se fosse culpado. Em privado, ele diz ter a convicção de que será condenado em outros processos. Mas considera-se uma inocente vítima de perseguição política. Lula atingiu o ápice da perfeição. Ele mesmo comete os crimes, ele mesmo se julga e ele mesmo se absolve.

Não faz sentido pensar mal de Lula e alisar a cabeça dos eleitores. Assaltado e vilipendiado, o Brasil é presidido hoje por um denunciado criminal, cercado de ministros e aliados que não têm biografias, mas prontuários. E o primeiro colocado nas pesquisas é um condenado que flerta com a cadeia. Num cenário assim o problema não é os políticos tentarem fazer o eleitorado de idiotas. O grande problema é que eles ainda encontram material.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Versão Mata Sul

16/12


2017

Alckmin: de anti-Lula a anti-Bolsonaro

Cerco a Lula faz aliados de Alckmin o aconselharem a se firmar como o anti-Bolsonaro em 2018

cerco jurídico ao ex-presidente Lula levou aliados do governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP) a recomendarem o redirecionar Painelmento de sua estratégia. O grupo mais próximo ao tucano diz que ele precisa se firmar, o mais rápido possível, como o anti-Bolsonaro. A tese ganhou força após o TRF-4 marcar a data do julgamento do petista na segunda instância, o que cristalizou no universo político a sensação de que Lula não conseguirá chegar até o final da eleição presidencial de 2018.

O realinhamento da estratégia de Alckmin passa pela leitura de que, sem Lula no páreo, o tucano terá que crescer no eleitorado que hoje aposta no deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ). O figurino a ser vestido é o da antítese do radicalismo.

Outro flanco que poderia ser atacado é o da experiência. Alckmin seria vendido como um gestor já testado e aprovado, enquanto Bolsonaro seria a aventura, alguém que nunca exerceu cargo executivo (As informações são Daniela Lima, na coluna Painel, da Folha de S.Paulo)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Pesquisa: Lula vence com folga contra qualquer candidato. Luiz Inácio Lula da Silva (PT) será o vencedor no 1º e no 2º turnos, revela pesquisa do DataPoder360 realizada de 8 a 11 de dezembro.

Fernandes

ARGENTINOS PROTESTAM E GRITAM: ISTO AQUI NÃO É BRASIL. O Brasil do governo de Michel Temer virou referência internacional: uma má referência, no entanto; um dos gritos de guerra dos manifestantes argentinos contra a Reforma da Previdência imposta por Macri é Isto aqui não é o Brasil!; os argentinos saíram às ruas para protestar contra mudanças nas aposentadorias e pensões de funcionários já aposentados e aumento na idade mínima de aposentadoria

Fernandes

Cenários para Lula vão da absolvição a campanha com liminares. Vão perder de novo, direitistas.

Fernandes

Bolsonaro, o encantador de burros e analfas.

Fernandes

Os brasileiros paneleiros, estão congelados calados com as panelas enfiadas no FIOFÓ, pois o fumo tá entrando e todos parecendo carneirinhos seguindo para o abate. É vergonhoso isso, essa genética brasileira, até que ponto vamos chegar?


Versão Agreste Central

16/12


2017

Se ceder a juíz e procurador, governo mata a reforma

Lobby por aposentadoria privilegiada é vergonhoso e injusto

Blog do Kennedy

Ao adiar a votação da reforma da Previdência para fevereiro, o governo ganha mais tempo para buscar os votos que ainda não tem. A princípio, isso parece dar uma sobrevida à reforma.

No entanto, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e o relator do texto, o deputado federal Arthur Maia (PPS-BA), começaram ontem a negociar uma concessão que privilegia os servidores públicos, especialmente os magistrados e integrantes do Ministério Público que ingressaram nas suas carreiras até 2003 e fazem lobby para se aposentar com o valor do último salário recebido, a chamada integralidade, e com direito aos mesmos reajustes dos servidores que continuarem na ativa, a dita paridade.

É um tremendo privilégio no Brasil. Não se conhece algo desse tipo em nenhum país civilizado que tenha um sistema de aposentadoria justo. A reforma da Previdência corre risco de se tornar mais injusta do ponto de vista social. Será, portanto, mais difícil aprová-la num ano eleitoral.

Servidores públicos que ingressaram nas carreiras até 2003 reivindicam uma regra de transição para aumentar gradativamente a idade de aposentadoria. Reivindicar é um direito democrático. Não deve ser demonizado.

Mas é preciso discutir se a reivindicação é justa. Neste caso, não é. Trabalhadores da iniciativa privada recebem uma aposentadoria muito menor do que os servidores públicos. O teto da aposentadoria na iniciativa privada é de R$ 5.531 _poucos ganham isso.

Segundo o CNJ (Conselho Nacional de Justiça), o gasto mensal com cada juiz no Brasil, da ativa e aposentados, é de R$ 47.703 em média _a paridade e a integralidade contribuem para esse alto valor. Logo, não dá para tratar situações diferentes com a mesma regra, sob pena de beneficiar privilegiados.

Ontem, o presidente da ANPR (Associação Nacional dos Procuradores da República), José Robalinho Calvacanti, se reuniu com o presidente da Câmara e o relator da proposta de reforma da Previdência. Segundo a coluna “Painel”, da Folha de S.Paulo, um ministro do STJ (Superior Tribunal de Justiça), Marco Aurélio Belizze, esteve no encontro em nome da Associação dos Magistrados Brasileiros. O procurador Robalinho e o ministro Belizze foram fazer lobby com os deputados Rodrigo e Arthur Maia.

Esse lobby quer uma regra de transição para aumentar progressivamente a idade mínima até que se chegue a 65 anos para homens e 62 anos para mulheres a fim de terem direito à paridade e à integralidade. Não faz sentido aplicar essa norma de transição para quem ganha muito mais do que os trabalhadores da iniciativa privada.

Os absurdos privilégios da paridade e da integralidade serão mantidos, mas haverá um caminho mais longo para obtê-los. O governo reduziu o valor do benefício proporcional dos trabalhadores da iniciativa privada e o teto demandará 40 anos de contribuição. É injusto tratar com igualdade situações tão desiguais. Se a reforma mexe com a expectativa de direito de trabalhadores da iniciativa privada, pode mexer também com a expectativa de direito dos que desejam paridade e integralidade.

Um argumento frequentemente invocado é que a contribuição previdenciária dos servidores seria suficiente para sustentar uma aposentadoria integral e paritária com os funcionários da ativa. Isso não é verdade, porque os servidores se aposentam cedo em média e passam duas ou três décadas recebendo um benefício alto. O deficit do regime previdenciário dos servidores públicos é a prova de  que a conta não fecha. No ano passado, esse buraco foi de R$ 77 bilhões, incluindo a conta das aposentadorias dos militares.

O atual lobby é vergonhoso, porque defende privilégios que transferem renda dos mais pobres para os mais ricos. A presidente do STF, Cármen Lúcia, deveria dizer se o apoia. O procurador Deltan Dallagnol e o juiz Sergio Moro também deveriam se manifestar, porque procuradores e magistrados invocam com frequência o combate à corrupção para justificar salários acima do teto constitucional e aposentadorias irrealistas para a saúde financeira do Estado brasileiro.

Os recursos do Tesouro têm origem nos impostos de um sistema tributário que penaliza mais os pobres e beneficia mais os ricos. Divulgado ontem, um estudo de um grupo liderado pelo economista francês Thomaz Piketty mostrou que o segmento de 1% dos mais ricos no Brasil fica com 27% da renda nacional.

Supersalários e superaposentadorias contribuem para essa desigualdade social. Esse lobby pelas altas aposentadorias é o mesmo que defende os supersalários e os penduricalhos usados para furar a regra do texto constitucional, como o auxílio-moradia concedido por uma liminar do ministro do STF Luiz Fux a todos os magistrados do país. O combate à corrupção deveria enfrentar também esses privilégios.

Nas últimas semanas, o esforço do governo foi vender uma reforma mais enxuta e mais justa socialmente. A nova proposta está socialmente mais justa que o texto anterior, mas essa versão é uma meia verdade. Privilégios estão sendo amenizados, porém mantidos. O lobby em curso é para aumentar os benefícios das castas mais ricas do Estado brasileiro.

Se for feita essa nova concessão, o governo jogará fora todo o avanço que obteve nas últimas semanas ao pregar que combatia privilégios, porque essa eventual mudança pioraria a reforma da Previdência do ponto de vista social. Mais uma vez, a conta ficaria mais pesada para os mais pobres e para os trabalhadores da iniciativa privada. É a receita para a proposta não passar.

Será difícil deputados e senadores aprovarem um texto desse tipo, porque manteriam privilégios e sofreriam dano eleitoral por isso. Se aceitar a concessão, o governo poderá inviabilizar a reforma, que é, em resumo, o último objetivo desse lobby vergonhoso de magistrados e integrantes do Ministério Público. Há interesse desse lobby em melar qualquer reforma e manter tudo como está.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura do Ipojuca

16/12


2017

Julgamento de Lula: esquerda vai acampar no tribunal

Em apoio a Lula, movimentos de esquerda planejam acampar em frente a tribunal

Folha de S.Paulo – Catia Seabra

Os movimentos de esquerda —incluindo MTST, MST e CUT— lançaram nesta sexta-feira (15) uma campanha pelo direito à candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Reunidos em um comitê intitulado "defesa da democracia", os dirigentes da Frente Brasil Popular planejam acampar em frente ao TRF (Tribunal Regional Federal) da 4ª Região, em Porto Alegre, em 24 de janeiro, dia do julgamento do recurso apresentado por Lula no caso do tríplex do Guarujá.

Coordenador do MST (Movimento dos Sem Terra), João Paulo Rodrigues informou, durante reunião de lançamento, que a intenção é concentrar todos os militantes do movimento do Sul do país nos arredores do TRF. A ideia é acampar no Parque da Harmonia, vizinho ao tribunal.

Na terça (19), os movimentos de esquerda, PT e partidos que integram a frente vão inaugurar o comitê de defesa da democracia de Porto Alegre. Escalado para coordenar a campanha, o ex-ministro Alexandre Padilha, hoje na vice-presidência do PT, afirmou será apresentada uma agenda de atividades para Lula. Não está descartada a antecipação da caravana que o ex-presidente pretendia realizar no Sul apenas após o carnaval.

Estão programadas atividades no Natal e Ano Novo, além de um jogo de futebol no dia 23 na Escola Florestan Fernandes com a presença do cantor Chico Buarque.

"Vamos ocupar Porto Alegre. Mas ele [Lula] também terá uma agenda ofensiva em janeiro", disse Padilha.

Líder da Minoria na Câmara, José Guimarães (CE) disse que o partido vai instalar um "estado de mobilização geral".

"Vamos antecipar tudo", disse Guimarães, afirmando que os petistas reduzirão o tempo destinado ao descanso do fim de ano.

Apesar do tom de seus dirigentes, petistas admitiam suas incertezas acerca do futuro político do ex-presidente durante reunião do Diretório Nacional do partido, que ocorre em São Paulo.

Coube à presidente do PT, a senadora Gleisi Hoffmann (PR), a tarefa de ratificar já no início da reunião que não se admite a hipótese de discussão de um plano alternativo à candidatura de Lula.

Já na abertura do encontro, Gleisi interveio, afirmando que havia na imprensa reportagens sobre a busca de outro nome para o caso de Lula ficar impedido de concorrer. Segundo participantes da reunião, Gleisi afirmou que não sabia se era real a origem da informação. Mas advertiu: "Não existe plano B".

Embora reconheça que este é "um processo em aberto", um integrante da cúpula do PT afirmou que a busca de uma alternativa cumpriria a estratégia adversária. A ideia, afirma, é levar a candidatura adiante até chegar às instâncias superiores.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Pesquisa: Lula vence com folga contra qualquer candidato. Luiz Inácio Lula da Silva (PT) será o vencedor no 1º e no 2º turnos, revela pesquisa do DataPoder360 realizada de 8 a 11 de dezembro.

Fernandes

ARGENTINOS PROTESTAM E GRITAM: ISTO AQUI NÃO É BRASIL. O Brasil do governo de Michel Temer virou referência internacional: uma má referência, no entanto; um dos gritos de guerra dos manifestantes argentinos contra a Reforma da Previdência imposta por Macri é Isto aqui não é o Brasil!; os argentinos saíram às ruas para protestar contra mudanças nas aposentadorias e pensões de funcionários já aposentados e aumento na idade mínima de aposentadoria

Fernandes

Cenários para Lula vão da absolvição a campanha com liminares. Vão perder de novo, direitistas.

Fernandes

Os brasileiros paneleiros, estão congelados calados com as panelas enfiadas no FIOFÓ, pois o fumo tá entrando e todos parecendo carneirinhos seguindo para o abate. É vergonhoso isso, essa genética brasileira, até que ponto vamos chegar?



16/12


2017

Temer fala de Previdência sem medo do ridículo

Josias de Souza

Um presidente chamado Temer —assim, sem o acento circunflexo no primeiro ‘e’, como se fosse sinônimo de ter medo— sofre do mesmo problema de uma mulher chamada Vitória. A qualquer momento os acontecimentos podem desmentir o nome. Recém saído de sua mais recente internação hospitalar, Temer falou sobre a reforma da Previdência sem temer o ridículo.

Ao dar posse ao novo ministro Carlos Marun (Coordenação Política), Temer disse não ter “a menor dúvida” de que a reforma previdenciária será aprovada. Acha que a aprovação virá porque o governo tem o apoio dos presidentes da Câmara e do Senado. É apoiado também pelos líderes governistas. Conta até mesmo com “a compreensão oculta'' dos líderes da oposição.

Não é só. Segundo Temer, a reforma é avalizada por ''boa parte da população''. Na sua avaliação, os parlamentares que ainda resistem às mudanças vão perceber a posição favorável do eleitorado no período de recesso parlamentar. E voltarão a Brasília em fevereiro, às vésperas do Carnaval, “muito mais animados” com a perspectiva de dizer “sim” à emenda que mexe com as regras da Previdência.

Tomado pelas palavras, Temer parece acreditar que o problema da Previdência não é com ele, mas com os presidentes das Casas legislativas, com os líderes, com os parlamentares e, no limite, com a própria sociedade. Lorota. É com ele mesmo. Quem vendeu a alma para enterrar duas denúncias criminais na Câmara foi Temer.

Depois de gastar toda sua munição fisiológica para arrematar os votos que mantiveram sua cabeça sobre o pescoço, Temer converteu-se numa espécie de contador de padaria. Precisa dos votos de 308 deputados para prevalecer no plenário da Câmara, enviando a emenda da Previdência para o Senado. E tudo o que tem a dizer é o seguinte:

“Vai ficar para fevereiro? Ótimo! Para fevereiro vocês sabem por quê? Porque nós contamos votos. Enquanto não tivermos os 308 votos, não vamos constranger nenhum deputado. Nem nós queremos nem o Rodrigo [Maia] quer nem o Eunício quer. Ninguém quer isso.”

Em fevereiro, quando os deputados governistas voltarem dos seus Estados ainda mais constrangidos pela proximidade com a impopularidade radioativa do presidente, Temer talvez diga: “Vai ficar para abril, para setembro ou para as calendas? Ótimo. O importante é que eu não tenho a menor dúvida de que a reforma da Previdência será aprovada.”

O Brasil seria um país extraordinário se, de repente, por uma dádiva dos céus, baixasse no Palácio do Planalto um surto de rídículo capaz de impedir Temer de desmentir o próprio nome. Temer faria um enorme bem a si mesmo se voltasse a temer o ridículo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

JOÃO FREIRE CORRÊA LIMA

É lamentável como o Josias ficou. Frustrado por, junto com o Janot, não conseguiu tirar o Temer. Para o Josias e a maioria dos jornalistas, não importa o País, importa seu bolso e suas \"convicções\" esquerdistas. É lamentável a degradação da nossa imprensa.


Prefeitura de Camaragibe

16/12


2017

Lula, o candidato e o eleitor

Apolo Silva – Blog Os Divergentes

Candidato ou inelegível, preso ou fora das grades, as eleições presidenciais de 2018 serão um grande desafio para o ex-presidente Lula. Em qualquer das circunstâncias, sua liderança política será comprovada, ou não, saindo vencedor ou derrotado das eleições de outubro.

A mais recente pesquisa Datafolha revela que o petista é competitivo mesmo não sendo candidato. Os eleitores estariam dispostos a votar em Lula, mesmo que ele esteja representado por outra pessoa. Foi assim duas vezes com a ex-presidente Dilma, em 2010 e 2014, porque não seria com outro em 2018?

Pelo Datafolha, publicado neste dezembro, 29% dos entrevistados disseram que votariam no candidato de Lula. Outros 21% disseram que talvez votassem. Ou seja, cerca de 50% dos pesquisados teriam disposição de votar no representante do petista. Isso indica que talvez não resolva, para seus adversários, excluir o petista da cédula eleitoral.

Há exemplo na América Latina que pode ilustrar esta possibilidade. Ele revela que mesmo quando um líder político não é candidato, pode fazer seu sucessor e, em seguida, pode até assumir o poder. Isso aconteceu na Argentina com seu grande líder político Juan Domingo Perón, na década de 70.

Proibido de disputar as eleições presidenciais pelos militares, no pleito após o fim da ditadura, Perón elegeu o seu candidato, Héctor Cámpora. O peronista recebeu 49,5% dos votos. Este tomou posse no dia 25 de maio de 1973 e renunciou ao mandato menos de dois meses depois, em 13 de julho.

No cargo, Cámpora libertou os presos políticos e aprovou lei que proibiu que os argentinos fossem processados por suas posições políticas. Perón voltou à Argentina em 20 de junho. Por fim, em 13 de julho, o presidente peronista renunciou ao mandato e convocou nova eleição, da qual Perón saiu-se vencedor com 62% dos votos.

Essa história revela que podem estar enganados aqueles que acreditam que a prisão de Lula encerra sua carreira. Ou que sua exclusão coloca representa um ponto final na crise política aberta com o impeachment da ex-presidente Dilma. Pode ser que Lula fora da eleição não resulte no PT fora da presidência da República. A radicalização, acentuada pela Lava Jato, pode adquirir contornos ainda mais agudos.

Lula poderia eleger um herdeiro. Um petista eleito por Lula poderia convocar novo pleito, no qual o principal líder petista poderia ser candidato. Fica a pergunta: Mas como? Um presidente ungido pelo líder petista poderia lhe reabrir as portas. Poderia conceder uma anistia ou um indulto para o ex-presidente. Imaginem? A prisão de Lula pode não ser o fim da história. Pode ser o começo de outra história. Serão muitas emoções!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Pesquisa: Lula vence com folga contra qualquer candidato. Luiz Inácio Lula da Silva (PT) será o vencedor no 1º e no 2º turnos, revela pesquisa do DataPoder360 realizada de 8 a 11 de dezembro.

Fernandes

ARGENTINOS PROTESTAM E GRITAM: ISTO AQUI NÃO É BRASIL. O Brasil do governo de Michel Temer virou referência internacional: uma má referência, no entanto; um dos gritos de guerra dos manifestantes argentinos contra a Reforma da Previdência imposta por Macri é Isto aqui não é o Brasil!; os argentinos saíram às ruas para protestar contra mudanças nas aposentadorias e pensões de funcionários já aposentados e aumento na idade mínima de aposentadoria

Fernandes

Cenários para Lula vão da absolvição a campanha com liminares. Vão perder de novo, direitistas.

Fernandes

Os brasileiros paneleiros, estão congelados calados com as panelas enfiadas no FIOFÓ, pois o fumo tá entrando e todos parecendo carneirinhos seguindo para o abate. É vergonhoso isso, essa genética brasileira, até que ponto vamos chegar?



15/12


2017

Dodge: foro privilegiado a Moreira é inconstitucional

Folha de S.Paulo

A procuradora-geral Raquel Dodge se manifestou contra a lei que deu a Moreira Franco o status de ministro (Secretaria-Geral). Um dos principais conselheiros e aliados do presidente Michel Temer, Moreira Franco já foi denunciado na Lava Jato.

Em parecer enviado nesta sexta-feira (15) ao STF (Supremo Tribunal Federal), Dodge afirma que a lei é inconstitucional.

No começo do ano, na mesma semana em que o STF (Supremo Tribunal Federal) homologou 78 delações premiadas da Odebrecht, Temer concedeu status de ministro ao amigo peemedebista.

O presidente editou a medida provisória 768 e criou a Secretaria-Geral da Presidência. No entanto, a MP 768 perdeu validade porque não foi transformada em lei pelo Congresso.

Até então, Moreira Franco era secretário-executivo do PPI (Programa de Parcerias em Investimentos). Semanas antes, havia se tornado público o depoimento de um dos executivos da empreiteira, Cláudio Melo Filho, que o citou 34 vezes em seus depoimentos e o acusou de ter recebido dinheiro para defender os interesses da empreiteira. O peemedebista, apelidado de "Angorá" na delação, sempre negou irregularidades.

Com isso, Moreira Franco ganhou foro privilegiado junto ao STF, o que garante que investigações contra ele não sejam tocadas pela força-tarefa da Lava Jato no Paraná e nem caiam nas mãos do juiz Sergio Moro, considerado duro pelos advogados criminalistas.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Hapvida - Mais saúde para você e sua família

15/12


2017

Sindicato protesta contra demissões na editora Abril

Os trabalhadores e trabalhadoras da editora Abril foram surpreendidos, nesta quarta-feira (13), por uma demissão em massa. Pelas informações que corriam nos corredores da empresa, perderam o emprego entre 130 e 170 profissionais, em sua maioria do setor administrativo e da publicidade e marketing.

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP) enviou diretores para a empresa tão logo soube do ocorrido para conversar com os jornalistas e combater as demissões. O número de jornalistas demitidos ainda é incerto: falou-se em 17, e a empresa afirmou que foram 14.

O Sindicato manifestou sua oposição às demissões, e ainda mais às condições em que ocorreram: a empresa comunicou aos trabalhadores que não pretende pagar no prazo legal as verbas rescisórias (dias trabalhados, aviso prévio, 13º salário e 13º proporcional, férias vencidas e férias proporcionais, folgas devidas e outros direitos).


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

ArcoVerde

15/12


2017

Renan ganha indenização de VEJA e festeja nas redes

O senador Renan Calheiros (PMDB-AL) foi indenizado pela revista Veja após vencer um processo por danos morais. Ele publicou um vídeo nas redes sociais em que comemora o resultado da ação.

"Recebi indenizações por danos morais da Veja e do jornalista Ricardo Noblat. Fui atacado injustamente por setores da imprensa, que fizeram campanhas difamatórias sem precedente", diz Renan.

"A Veja fez cerca de 20 matérias contra mim, insistindo em acusações sem fundamentos. A condenação da revista não apaga o sofrimento e o desgaste pessoal. Mas é uma forma de demonstrar que injustiças podem ser reparadas, mesmo que 10 anos depois", completa.  (BR247)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banner Arrecadação Pref. Garanhuns

15/12


2017

Juiz Bretas alfineta o novo ministro Marun no Twitter

Josias de Souza

Marcelo Bretas, juiz da Lava Jato no Rio de Janeiro, espetou no Twitter o novo ministro Carlos Marun (Coordenação Política). Tachou de “inconstitucional” o projeto que inibe as delações premiadas. De autoria do deputado Wadih Damous (PT-RJ), a proposta foi endossada por Marun (PMDB-MS) e incorporada ao relatório final da da CPI da JBS, redigido por ele.

Bretas anexou ao post uma notícia veiculada sobre o tema na Agência Senado. E lembrou ao novo auxiliar de Temer que a troca de informações por benefícios penais, prevista em lei, é um direito do réu. Aconselhou Marun, que é advogado, a buscar o auxílio de profissionais do ramo:

“Com o devido respeito, se o senhor deputado buscar uma boa orientação jurídica saberá que é inconstitucional restringir o direito de defesa de qualquer acusado, mesmo se preso. A colaboração premiada é também meio de defesa, não só meio de obtenção de provas.”


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/12


2017

São Joaquim do Monte: 65,5% aprovam prefeito

Em São Joaquim do Monte, município a 134 km do Recife, o prefeito Joãozinho Tenório (PSDB), finaliza o primeiro ano do seu segundo mantado com altíssima aprovação. 65,5% do eleitorado aprovam a gestão do tucano, enquanto 23,4% desaprovam e 11,1% não sabem ou não responderam. De uma forma detalhada, 19,1% da população avalia o desempenho da administração do prefeito como ótimo, 35,7% bom, 28,6% regular, 4,3% ruim e 11,4% classificam o mandato como péssimo. O levantamento é do Instituto Opinião, de Campina Grande, e foi a campo entre os dias 11 e 12 de novembro, sendo aplicados 350 questionários.

Os maiores percentuais de aprovação do tucano estão entre os eleitores de meia idade, na faixa etária de 45 a 49 anos (38,6%), entre os eleitores com grau de instrução até o 9º ano (38,9%) e entre os eleitores com renda familiar até dois salários (36,2%). Por sexo, sua aprovação está mais concentrada entre os homens 37,2% ente 34,1% das mulheres.

Já suas piores taxas de aprovação se situam também entre os eleitores com grau de instrução até o nono ano (11,6%), entre os eleitores na faixa etária de 16 a 24 anos (14,8%) e entre os eleitores com renda familiar até dois salários (12,1%). Por sexo, sua maior reprovação aparece entre os eleitores masculinos (13,2%) ante 9,8% dos eleitores femininos. A aprovação do prefeito também é identificada entre os outros questionários da pesquisa.

Quando o eleitor é forçado a responder se a cidade está andando para frente com a tucano no comando da Prefeitura, 53,7% afirmam que está progredindo, 34,6% dizem que o município está parado e apenas 5,7% da população diz que está andando para trás. Em outra pergunta básica – se a Prefeitura está atendendo e resolvendo os problemas da cidade – 44,9% disseram que sim, 28% mais ou menos e 24% disseram que não.

Entre os problemas mais graves de São Joaquim do Monte, os entrevistados citaram, pela ordem, segurança pública (48,9%), saúde (21,1%), desemprego (17,4%) e calçamentos/estradas (3,7%). Para 30% dos entrevistados, o prefeito deveria focar mais sua gestão na segurança pública e 25,7% apontaram a geração de emprego.

As entrevistas foram realizadas nas localidades Areial, Aureliano, Cecílio, Centro, COHAB, Creche, João Paulo II, Bananeirinha, Barra do Riachão, Cajueiro, Formigueiro, Goiabeira, Monte Alegre, Monte Azul, Quanduz, Terra Preta e Vila de Santana.

A modalidade de pesquisa adotada envolveu a técnica de Survey, que consiste na aplicação de questionários estruturados e padronizados a uma amostra representativa do universo de investigação. Foram realizadas entrevistas pessoais e domiciliares. O intervalo de confiança estimado é de 90,0% e a margem de erro máxima estimada é de 4,4 pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Supranor 1

15/12


2017

Pernambuco tem o ano mais violento da história

Por Silvio Costa Filho*

O ano de 2017, infelizmente, vai ficar marcado como o ano mais violento da história de Pernambuco. Em 11 meses, já foram registrados em Pernambuco mais de 5 mil assassinatos, a pior marca desde que esse tipo de crime passou a ser acompanhado pela SDS, em 2004. Nos três anos do governo Paulo Câmara, 13.398 pernambucanos foram assassinados, número que ainda deverá crescer quando foram contabilizados os números de dezembro.

A sensação de insegurança no Estado amedronta o povo pernambucano e já compromete o ambiente de negócios em Pernambuco, que tem atraído cada vez menos investimentos privados. A sociedade pernambucana é penalizada duplamente, quando paga o pior dos impostos, o imposto do medo, e assiste o baixo crescimento econômico nos levar ao posto de campeão nacional do desemprego.

Lamentavelmente, o atual governo revela-se completamente incapaz de reagir. As ações anunciadas, como entrega de novas viaturas e contratação de mais policiais, são importantes, mas na verdade é mais uma tentativa de confundir a opinião pública, uma vez que as novas viaturas apenas repõem as que saíram de circulação e os novos soldados apenas substituem os policiais que passaram para reserva.

Na prática, as ações do governo na segurança se limitaram à troca de comando da Polícia Militar e da Civil e a substituição de secretários – já foram três na atual gestão. Iniciativas que não se traduziram em resultados. Além do recorde de assassinatos, temos um dos menores índices de resolubilidade de crimes, elevado déficit de homens nas policias, baixos investimentos em inteligência e prevenção da violência, além de integração com os municípios para combater a criminalidade.

O povo de Pernambuco merece respostas. Uma política de segurança pública eficaz só se constrói com a participação de toda a sociedade. A hora é de unir os poderes Legislativo, Executivo e Judiciário; as entidades da sociedade civil, como a OAB, as universidades; os agentes de segurança e os movimentos sociais em prol da redução da violência. O governo do Estado precisa ter a humildade de reconhecer que está perdendo a guerra para a criminalidade e aceitar a ajuda de quem está disposto a contribuir para mudar esse quadro.

*Deputado estadual e líder da Bancada de Oposição na Alepe


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Pesquisa: Lula vence com folga contra qualquer candidato. Luiz Inácio Lula da Silva (PT) será o vencedor no 1º e no 2º turnos, revela pesquisa do DataPoder360 realizada de 8 a 11 de dezembro.

marcos

Silvinho Gasparzinho, faz um Show Fantasma que a violência diminui!


Mobi Brasil 2

15/12


2017

Paulo Câmara prestigia confraternização de Jarbas

O governador Paulo Câmara prestigiou, hoje, a confraternização do deputado federal Jarbas Vasconcelos, no Debate – escritório do político, na Ilha do Leite, no Recife. Acompanharam o governador, o vice-governador e secretário de Desenvolvimento Econômico, Raul Henry, o ministro da Defesa, Raul Jungmann; e o secretário de Trabalho, Alexandre Valença.

Estiveram presentes na ocasião o ex-governador de Pernambuco Roberto Magalhães; os deputados federais Fernando Monteiro e André de Paula; e o deputado estadual Ricardo Costa; o sociólogo José Arlindo; o provedor do Real Hospital Português (RHP), Alberto Ferreira; o ex-presidente da OAB-PE Pedro Henrique Reinaldo; o presidente do Sindaçúcar Renato Cunha; o pintor João Câmara; e artista plástica Marisa Lacerda.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Asfaltos

15/12


2017

Marun: Não há “compromisso” em flexibilizar Previdência

Do G1

O novo ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun (PMDB-MS), afirmou, hoje, que não há um "compromisso" do Palácio do Planalto em flexibilizar a proposta de reforma da Previdência em relação aos servidores públicos.

A declaração de Marun foi dada um dia após o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmar que o governo estuda fazer uma "modificação pontual" no texto da reforma.

Pela proposta enviada pelo governo ao Congresso, servidores públicos e trabalhadores da iniciativa privada deverão respeitar as mesmas regras de aposentadoria.

"Não temos nenhum compromisso com qualquer tipo de flexibilização. Estamos ouvindo, como já ouvimos, e podemos ouvir. Compromisso nenhum foi firmado", disse Marun nesta sexta, após tomar posse como ministro.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

sonia

Esse dançarino safado nem dançar sabe rirriririririririiriiriririririririiririrririi


BM4 Marketing

15/12


2017

Alckmin supera Lula como favorito

Congresso em Foco

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), superou o ex-presidente Lula (PT) na bolsa de apostas das principais lideranças do Congresso Nacional para ser o próximo presidente da República. A polarização da disputa entre os dois já era o cenário projetado pela cúpula do Parlamento em agosto. Mas agora, porém, as posições se inverteram. Há quatro meses, 31% dos parlamentares ouvidos acreditavam que Lula era o candidato com mais chances de vitória em 2018. Alckmin aparecia na segunda colocação, com 16%.

De lá para cá, o tucano cresceu 13 pontos percentuais e chegou a 29% na cotação da cúpula da Câmara e do Senado. Por outro lado, o petista viu o seu favoritismo cair seis pontos, e ficou com 25%. Quem também registrou queda foi o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ). Os dados são do Painel do Poder, ferramenta criada pelo Congresso em Foco para mostrar o que pensa e para onde vai o Legislativo brasileiro.

O universo dos entrevistados compreende apenas os congressistas com maior capacidade de decisão: líderes partidários, membros das Mesas Diretoras da Câmara e do Senado, presidentes de comissões e influenciadores das principais bancadas temáticas.

A inversão na projeção eleitoral não é a única novidade da pesquisa, que mostra a variação do humor da cúpula do Congresso ao longo do ano em relação a outros assuntos: quase 80% dos parlamentares ouvidos acreditam que a reforma da Previdência não passará ou só será aprovada com profundas mudanças; cresceu o índice de insatisfação das lideranças sobre a relação entre Executivo e Legislativo, e subiu para próximo de 100% o índice de parlamentares que avaliam que o presidente Michel Temer concluirá o seu mandato.

Bolsonaro e Doria

Quanto ao cenário eleitoral, o crescimento de Alckmin coincide com o “desaparecimento” do prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), entre os candidatos com maior potencial no entendimento dos entrevistados. Ele era citado, em agosto, por 13% dos parlamentares ouvidos como o candidato com mais chance de chegar ao Palácio do Planalto em 2018. Dessa vez não foi sequer citado pelas lideranças do Congresso.

Ignorado no levantamento anterior, o senador Alvaro Dias (Podemos-PR) foi apontado agora como o nome mais forte por 10% dos deputados e senadores ouvidos. Quem também saiu do zero foi o ex-governador do Ceará Ciro Gomes, pré-candidato pelo PDT. Ele é apontado por 6% dos parlamentares. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), oscilou para baixo: de 5% para 4%.

Queda mais brusca teve Jair Bolsonaro, que pretende se candidatar à Presidência pelo Patriota, novo nome do PEN. Em agosto, ele despontava como favorito para 7% dos entrevistados. Agora, é apontado nessa condição por apenas 4%. A avaliação das lideranças não coincide com as pesquisas eleitorais, que indicam uma polarização entre Lula e Bolsonaro nas intenções de voto. Alckmin aparece apenas na quarta colocação, atrás também de Marina Silva, de acordo com a última pesquisa Datafolha, divulgada no início de dezembro.

Também são citados pelos entrevistados como possíveis favoritos para a disputa presidencial Joaquim Barbosa, que negocia filiação ao PSB, Henrique Meirelles (PSD), Cristovam Buarque (PDT), Marina Silva (Rede) e Paulo Rabello de Castro, que já se apresenta como pré-candidato pelo PSC. Cada um deles é lembrado por 2%. Nenhum deles figurava na lista em agosto. Não responderam: 10%.

Reforma da Previdência

Embora o governo tenha adiado para fevereiro a votação da reforma da Previdência, ainda é pequeno o entusiasmo dos parlamentares com o assunto. Para 48% das lideranças ouvidas, é baixa a chance de a proposta ser votada. Outros 29% avaliam como média essa possibilidade. Apenas 6% afirmam que é grande a tendência; 15% entendem que não há chance de a votação ocorrer até março; e outros 2% disseram não saber opinar.

Também há grandes reservas em relação à aprovação da versão mais enxuta da reforma, proposta pelo relator, Arthur Oliveira Maia (SD-BA) – objeto ainda de resistência por parte do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, mas considerada a mais viável pelos parlamentares.

Na avaliação de 48% dos entrevistados, a reforma da Previdência será rejeitada. Para 31%, passa, mas com profundas alterações. Outros 17% apostam que será aprovada com poucas mudanças. Apenas 2% acreditam que a proposta avançará sem alteração. Outros 2% não responderam.

Futuro de Temer

Para a cúpula do Congresso, Temer virou o jogo em relação ao seu futuro político. Em maio, quando foram reveladas as gravações de Joesley Batista que resultaram no oferecimento de duas denúncias criminais contra o presidente, apenas 28% acreditavam que ele concluiria o seu mandato. Em agosto, quando a Câmara barrou o andamento da primeira investigação, esse índice subiu para 56%. Disparou para 92% em dezembro.

Caiu para inexpressivos 4% o índice dos que consideram que Temer terá o mandato abreviado. Em maio, esse era o entendimento de 72%. Percentual que havia caído para 31% em agosto.

A quarta rodada do Painel do Poder ouviu 48 parlamentares entre os dias 30 de novembro e 6 de dezembro. Entre eles, 81% eram deputados e 19%, senadores. Na seleção das lideranças ouvidas, 71% eram governistas, e 27%, da oposição. Como partidos oposicionistas foram considerados o PT, o Psol, o PCdoB, o PDT e a Rede. Não responderam 2%.

Também foi considerada a proporção da distribuição das cadeiras por região: Sudeste (44%), Nordeste (23%), Sul (15%), Norte (10%) e Centro-Oeste (8%).


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

sonia

VENTA DE CHU CHU



15/12


2017

Garotinho anuncia greve de fome em carta

O ex-governador do Rio de Janeiro Anthony Garotinho enviou a carta abaixo à direção do presídio Bangu 8, onde está preso desde novembro, para anunciar que está em greve de fome.

Garotinho diz que está sendo vítima de injustiça e, por isso, partiu para o ato extremo. Segundo o ex-governador, sua prisão se deve às acusações que fez contra o grupo político de Sérgio Cabral.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

marcos

Na paz do senhor irmão, cabra safado ladrão.

sonia

MORRA QUE EU ACHO É BOM rrriririririririrririiririririrriirriirririririiririri



15/12


2017

Pernambuco garante manutenção de benefícios fiscais

O Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) aprovou, hoje, a validação dos benefícios fiscais já adotados pelos estados, medida fundamental para que o Governo de Pernambuco possa garantir a manutenção de programas como Prodepe (indústria), Prodeauto (indústria automobilística), Prodinpe (indústria naval) e de Estímulo à Atividade Portuária. A lei de convalidação dos incentivos fiscais havia sido sancionada em agosto pelo Governo Federal e aguardava regulamentação do Confaz.

"Trata-se de uma decisão fundamental para as regiões mais desiguais do Brasil, como o nosso Nordeste. Enquanto não tivermos uma política de desenvolvimento regional definida no País, os incentivos são necessários para atrair empreendimentos e gerar emprego e renda para o nosso povo", defendeu o governador Paulo Câmara.

Para o secretário da Fazenda, Marcelo Barros, a validação dos benefícios é de extrema importância para assegurar a competitividade do Estado na atração de empresas. “As regras também trazem disciplina e transparência à situação fiscal, pois será possível saber onde estão as empresas beneficiadas e quais os incentivos oferecidos. Vale ressaltar o papel que o governador Paulo Câmara teve nessa questão, tanto na articulação com os demais governadores do Nordeste, quanto no diálogo com o Congresso Nacional e o Poder Judiciário, que já analisavam também esse assunto”, afirmou.

De acordo com o convênio, os estados deverão informar os dados dos benefícios ao Governo Federal para publicação no Portal da Transparência. A partir de 2018, os programas de incentivo em vigor passam a ter validade de 15 anos para indústrias; oito anos para importação; e cinco anos para o comércio atacadista.

A medida também assegura a manutenção em Pernambuco das sistemáticas de tecidos e confecções, atacado de alimentos, gesso e derivados e materiais de construção, além da atração via ICMS das operações com voos internacionais.

Para a validação dos benefícios era necessária anuência de dois terços dos estados presentes na 167ª reunião do Confaz, realizada em Vitória (ES). São Paulo, Minas Gerais, Paraná e Amazonas votaram contra.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/12


2017

MP, Policia Civil e CGU detalham Operação Gênesis

Blog da Folha

Os resultados preliminares da Operação Gênesis, deflagrada na manhã de ontem, identificaram que um pool de empresas – até o momento são nove – atuavam em Quipapá, na Mata Sul do Estado, e outros municípios. Foram identificados pagamentos de R$ 18 milhões – valor liquidado até julho de 2017.

As informações foram divulgadas hoje pelo Ministério Público de Pernambuco (MPPE), Polícia Civil de Pernambuco (PCPE) e Controladoria Geral da União (CGU). O foco principal da operação é a prefeitura de Quipapá, mas existem ações também em outros cinco municípios, incluindo o Recife.

Os serviços, entre transporte escolar, construção de creches e unidades de saúde, eram terceirizados por essas empresas para outras que nem sempre cumpriam o serviço. Foram apreendidos nos computadores da prefeitura notas fiscais da empresa Gênesis Locações com o nome do arquivo "Nota de Alvaro", dono da empresa SA Souza; notas fiscais das empresas referentes a outros municípios; e boletins de medição com o timbre da empresa SA Souza.

Segundo o MPPE, foram desviados do transporte público um total de R$ 10.148.843,74, valor que poderia ter comprado 63 ônibus escolares.

As investigações apontam que os boletins de medições apreendidos, notas fiscais e conluio em procedimentos licitatórios confirmam, a princípio, a prática de venda de notas fiscais. Foi identificado também que os investigados, supostos comerciantes de notas fiscais, efetuavam habitualmente saques acima de R$ 2 mil em espécie.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/12


2017

Marun é empossado como ministro da articulação política

O presidente Michel Temer deu posse, na tarde de hoje, ao deputado Carlos Marun (PMDB-MS) como novo ministro da Secretaria de Governo. À frente da pasta, o peemedebista do responderá pela articulação do Planalto junto ao Congresso Nacional.

Marun substitui na Secretaria de Governo o tucano Antonio Imbassahy (PSDB-BA), que retomou o mandado de deputado federal.

A mudança na articulação política contempla os partidos do chamado ‘centrão’ e o PMDB, que estavam insatisfeitos com o tucano e a postura do PSDB em relação aos temas prioritários do governo.

Um dos desafios do novo ministro é auxiliar o Planalto a conquistar os 308 votos necessários para aprovar a reforma da Previdência na Câmara dos Deputados, a partir de fevereiro do ano que vem.

O governo tentou viabilizar a votação na próxima semana, porém não conseguiu a garantia de vitória na votação.

Ao discursar na cerimônia, o presidente pediu a Marun que se dedique "18 horas por dia, se possível 20 [horas]" à reforma da Previdência.

Temer admitiu ainda que o governo não conseguiu reunir todos os votos para aprovar o texto e, por isso, decidiram adiar a votação para "não constranger" os apoiadores da proposta.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Os brasileiros paneleiros, estão congelados calados com as panelas enfiadas no FIOFÓ, pois o fumo tá entrando e todos parecendo carneirinhos seguindo para o abate. É vergonhoso isso, essa genética brasileira, até que ponto vamos chegar?



15/12


2017

“Pacto Pela Vida será exemplo para o Brasil”, diz Paulo

O governador Paulo Câmara recebeu, na manhã de hoje, no Palácio do Campo das Princesas, os deputados federais Alessandro Molon (RJ), Aliel Machado (PR) e Tadeu Alencar (PE), coordenadores nacional e estaduais, respectivamente, da Frente Parlamentar pela Prevenção da Violência e Redução de Homicídios.

Lançada no último dia 6, no Congresso Nacional, a iniciativa tem como objetivo formular projetos e disseminar ações e estratégias de prevenção à violência em todos os Estados brasileiros. Em Pernambuco, o projeto será lançado oficialmente em fevereiro. Paulo aproveitou o encontro para ratificar a importância da parceria entre os estados e o Governo Federal no combate à violência, principalmente no reforço do policiamento nas fronteiras.

"Com as drogas e armamento pesado entrando em nosso país com facilidade, o trabalho dos estados se torna ainda mais árduo”, destacou Paulo Câmara, lembrando que o Brasil faz fronteira com três dos maiores produtores de cocaína do mundo: Bolívia, Peru e Colômbia.

"De 2000 para cá, todos os presidentes da República lançaram um plano nacional de segurança próprio, mas o que tivemos de fato foi um aprofundamento da crise de segurança em todo o país. Passou da hora de esse desafio ser enfrentado de forma conjunta, integrada, com responsabilidades claras de cada um dos entes da Federação”, afirmou o governador pernambucano.

Paulo Câmara reforçou também que "O Pacto Pela Vida é uma política bem concebida e que fez Pernambuco ser o único estado a reduzir por 7 anos o número de homicídios".  "O Pacto é um plano de segurança dinâmico, com planejamento, que conta com a participação de representantes da sociedade, em reuniões que eu comando semanalmente. Portanto, o PPV é aperfeiçoado sempre que necessário. Para o Governo de Pernambuco, é motivo de orgulho ver o Pacto servir de referência nacional".

Para o coordenador nacional da Frente, o deputado federal Alessandro Molon, Pernambuco tem muito a contribuir a partir das experiências estratégicas do Pacto Pela Vida. “Queremos aprender com a experiência do Pacto Pela Vida, que é uma referência para o País. Então, combinamos de voltar aqui, junto com o deputado federal Aliel Machado, que é coordenador da Frente no Paraná, e com o deputado Tadeu Alencar para participarmos de uma reunião do Pacto Pela Vida, aprender com a experiência e levar iniciativas positivas bem-sucedidas daqui para outros lugares do Brasil. Ao mesmo tempo, vamos trocar experiências, trazer ideias, enfim, trabalhar juntos para reduzir a violência no Brasil”, registrou.

De acordo com o deputado federal Tadeu Alencar, que representa Pernambuco na Frente, a iniciativa é um conjunto de esforços importante para a discussão de um problema tão delicado que é a segurança pública do Brasil. “O nosso objetivo é juntar todos aqueles que vêm para fortalecer esse tipo de visão sobre o enfrentamento à violência para que a gente tenha, não só uma visão de um Estado isolado, mas uma política nacional que é o que falta, de defesa das nossas fronteiras, de qualificação das nossas polícias e a consolidação de uma política federativa, que é mais forte e que pode investir pesado numa articulação com os estados”, frisou.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/12


2017

DEM recebe Rodrigo Maia com faixa de “presidente”

Coluna do Estadão – Andreza Matais

Dirigentes do DEM receberam o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (RJ), no Ceará, com uma faixa de “presidente”, numa iniciativa de lançá-lo candidato ao Planalto, como revelou hoje a Coluna do Estadão. Um grupo do DEM aproveitou o palanque de filiação do deputado federal Danilo Forte (CE) para apresentar Maia como opção para unificar o País.

O cartaz traz, além do nome de Rodrigo Maia presidente, o slogan “Coragem para mudar o Brasil”, mesmo usado na campanha do falecido Eduardo Campos (PSB) e de Marina Silva (Rede) na campanha eleitoral de 2014.

Maia tem afirmado que vai concorrer à reeleição na Câmara e tentar mais um mandato como presidente da Casa. Mas defende que o partido lance candidato na disputa presidencial que tenha “clareza ideológica de centro-direita”. O líder do DEM na Câmara, Efraim Filho (PB), define a situação do colega de partido. “Rodrigo Maia pode até não ser o candidato à Presidência, mas a sucessão de Michel Temer passará por ele”.

Com 30 deputados federais, o DEM acolheu 8 dissidentes do PSB e deve formar a quarta maior bancada na Câmara. O partido sonha em lançar 12 candidaturas próprias aos governos estaduais.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/12


2017

IBGE: 52 milhões estão abaixo da linha da pobreza

Veja Online

Um quarto da população, ou 52,168 milhões de brasileiros, estava abaixo da linha de pobreza do Banco Mundial em 2016, ano mais agudo da recessão. Esse é o total de brasileiros que vive com menos de 5,50 dólares (18,24 reais) por dia, equivalente a uma renda mensal de 387,07 reais por pessoa em valores de 2016. Os dados, da Síntese de Indicadores Sociais 2017, foram divulgados nesta sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O Brasil não tem uma linha oficial de pobreza; há diversas linhas que atendem a vários objetivos. Chega-se a 4,2% da população segundo o recorte de pobreza extrema do Bolsa Família (85 reais mensais), 6,5% no recorte de pobreza extrema global do Banco Mundial (1,90 dólar por dia, ou 6,30 reais, equivalente a 134 reais mensais) e 12,1% com um quarto de salário mínimo per capita. Recortes de pobreza mais altos incluem a população com até meio salário mínimo per capita (29,9%) e a linha do Banco Mundial que leva em conta o nível de desenvolvimento brasileiro (e da América Latina) de 5,5 dólares por dia.

Quando considerada a Linha Internacional de Pobreza do banco multilateral, de 6,30 reais por pessoa, 13,350 milhões de brasileiros, ou 6,5% da população total, vivem com menos desse valor por dia. Esse contingente é superior à população da capital paulista (12,1 milhões, segundo o IBGE). Conforme o IBGE, a linha de extrema pobreza do Banco Mundial equivale a uma renda mensal média de 133,72 reais por pessoa do domicílio.

Na prática, é como se cada pessoa desse grupo vivesse, ao longo de um mês, com valor insuficiente para pagar um tanque de 50 litros de gasolina pelo preço médio do estado de São Paulo — 192,40 reais, conforme a pesquisa mais recente da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Ou com o equivalente a um terço do preço da cesta básica do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) em São Paulo, de 423,23 reais.

A linha de 5,50 dólares (18,24 reais) foi criada no mês passado pelo Banco Mundial para países emergentes de renda média-alta, categoria a qual inclui o Brasil. A Linha Internacional da Pobreza de 1,90 dólar (6,30 reais) continua sendo o limite do organismo multilateral, que norteia o objetivo de acabar com a extrema pobreza no mundo até 2030, mas o Banco Mundial criou ainda uma faixa que considera 3,20 dólares (10,60 reais) por dia. Na Síntese de Indicadores Sociais, além dos patamares do Banco Mundial, o IBGE usou como referência o salário mínimo e os valores mínimos para adesão ao Bolsa Família.

“A gente tem muitos recortes. O objetivo é ver a diferença no território. Quem está mais exposto a esse baixo rendimento”, afirmou a coordenadora de População e Indicadores Sociais do IBGE, Barbara Cobo Soares.

Regiões

Tanto a pobreza quanto a extrema pobreza estão concentradas no Norte e no Nordeste. Quando se usa a linha de 5,50 dólares (18,24 reais) por dia, 43,1% dos habitantes do Norte e 43,5% dos moradores do Nordeste vivem com renda igual ou inferior a essa, contra os 25,4% na média nacional.

Já na linha dos extremamente pobres, com 1,90 dólar (6,30 reais) por dia, 11,2% dos habitantes do Norte e 12,9% da população do Nordeste vivem nessas condições. São 7,3 milhões de nordestinos vivendo com essa renda, ou seja, mais da metade do total de extremamente pobres do País.

Além da concentração regional, as condições sociais também influenciam na pobreza. Conforme o estudo do IBGE, na população de zero a 14 anos, 42,4% vivem em domicílios que possuem renda inferior aos 5,50 dólares (18,24 reais) por pessoa por dia do Banco Mundial. Já entre os arranjos familiares formados por mulheres de pele identificada como preta sem cônjuge e com filhos de até 14 anos, 64% vivem com renda inferior aos 387,07 reais por pessoa por mês.

O estudo divulgado nesta sexta-feira usa os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad-C), do próprio IBGE. Não há comparação com outros anos, porque uma mudança no questionário da Pnad-C tornou os dados incomparáveis, exigindo tratamento estatístico. No mês passado, o IBGE informou que faria os cálculos da série histórica, até o primeiro semestre do próximo ano.

Piores condições

As pessoas pobres no Brasil não vivem apenas com pouco dinheiro, mas as condições de vida em suas casas também são piores do que a média, revela a Síntese de Indicadores Sociais 2017.

Na média nacional, 62,1% dos brasileiros vivem em domicílios que possuem acesso simultâneo aos três serviços de saneamento básico (abastecimento de água por rede geral, esgotamento sanitário por rede coletora ou pluvial e coleta direta ou indireta de lixo). Entre os 52 milhões de brasileiros que vivem com menos de 5,50 dólares (18,24 reais) por dia, uma das linhas de pobreza do Banco Mundial, só 40,4% vive em domicílios com esses três serviços.

Com essa abordagem, o IBGE procurou tratar a pobreza de forma “multidimensional”. “A pobreza é multidimensional, mas o dinheiro é uma unidade de medida. É mais difícil medir acesso a serviços”, afirmou Leonardo Queiroz Athias, analista da Coordenação de População e Indicadores Sociais do IBGE.

O estudo também mediu quatro “inadequações” das moradias (ausência de banheiro ou sanitário de uso exclusivo dos moradores; paredes externas do domicílio construídas predominantemente com material não durável; adensamento excessivo, ou seja, a presença de um número de moradores superior ao adequado no domicílio; e ônus excessivo com aluguel, ou seja, quando o gasto com aluguel iguala ou supera 30% do rendimento).

No conjunto da população, 12% moram em domicílios com ao menos uma dessas inadequações. Entre os que ganham abaixo de 5,50 dólares (18,24 reais) ao dia, são 26,2%. O destaque é o “adensamento excessivo”: na média nacional, 5,7% da população vive nessas condições, enquanto entre os mais pobres são 14,2%.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Os brasileiros paneleiros, estão congelados calados com as panelas enfiadas no FIOFÓ, pois o fumo tá entrando e todos parecendo carneirinhos seguindo para o abate. É vergonhoso isso, essa genética brasileira, até que ponto vamos chegar?

marcos

Você perdeu, Foragido....////.... O foragido Rodrigo Tacla Durán foi denunciado hoje por corrupção no Comperj. O foragido tentou bancar o inocente e enlamear Sérgio Moro, com a ajuda de deputados e jornalistas petistas. Os fatos o recolocaram no seu devido lugar.....Podem bater uma Panelinha. kkkkk

marcos

Ainda sobre os dados do IBGE divulgados hoje, há 52 milhões de brasileiros vivendo abaixo da linha da pobreza — essa linha é de 387 reais por mês. Repetindo: agradeçam também ao PT, que atrasou o país em pelo menos 20 anos.

marcos

Olha a herança PTista: ......IBGE: 52 milhões estão abaixo da linha da pobreza.....Parabéns Lula, Dilma, PT e o vice da Jumenta Temer.

Fernandes

Condenado a mais de dez anos por estelionato, em 2016, um coronel do Exército perdeu o posto e patente por decisão do Superior Tribunal Militar, por unanimidade, quinta-feira. O pedido foi feito pelo Ministério Público Militar (MPM). De acordo com as investigações, o oficial exerceu a função de chefe de finanças e de ordenador de despesas do comando da 1ª Região Militar, no Rio de Janeiro, e participou de um esquema de desvio de verbas em conluio com outros militares e civis, no período de 1993 e 2003. Riririririririririririri



15/12


2017

Brasileiros deverão fazer 74 milhões de viagens no verão

No Brasil, o início do verão na próxima quinta-feira (21) corresponde também ao início da alta temporada e os números revelam um crescimento de 0,8% em relação ao mesmo período do ano passado. Isso significa que até fevereiro de 2018, os brasileiros deverão realizar 74,13 milhões de viagens. O período é marcado por importantes datas – Natal, Réveillon e Carnaval.

São Paulo, Florianópolis e Rio de Janeiro aparecem como os principais destinos de verão dos brasileiros em uma lista com os 10 mais procurados, concentrando 10% do total de viagens. A previsão é de que a movimentação injete R$ 100,8 bilhões na economia durante esse período com a movimentação de vários setores do turismo brasileiro.

“Os números confirmam a força do turismo e apontam para um cenário de recuperação da economia brasileira. As perspectivas para o próximo ano também são animadoras”, avaliou o ministro do Turismo, Marx Beltrão.

O ministro lembrou dos números divulgados no início do mês pelo IBGE, que revelaram um crescimento de 0,6% no setor de serviços. Outro fator fundamental para o aumento no número de viagens, segundo o ministro, foi a redução dos preços das passagens aéreas. De acordo com Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, as passagens estão 10% mais baratas.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/12


2017

As relações perigosas entre Gilmar Mendes e Joesley

Blog do Noblat

O ministro Gilmar Mendes, há quinze anos no Supremo Tribunal Federal (STF), é um homem de posses muito além de seu salário de 33 700 reais. Uma de suas principais fontes de renda é o Instituto Brasiliense de Direito Público (IDP), do qual é sócio junto com seu filho Francisco Schertel Mendes, de 34 anos. O IDP, além de uma fonte de receita, passou a ser uma fonte de dor de cabeça para o ministro, depois que veio a público o caso da JBS e das traficâncias dos irmãos Joesley e Wesley Batista.

Isso porque, nos últimos dois anos, Gilmar e Joesley mantiveram uma parceria comercial e uma convivência amigável, a ponto de se visitarem em Brasília e São Paulo, trocarem favores, compartilharem certezas e incertezas jurídicas e tocarem projetos comuns. De 2016 a junho deste ano, a JBS transferiu 2,1 milhões de reais para o IDP em patrocínios que nem sempre foram públicos. Os valores de patrocínios de empresas iam parar, por vezes, na conta pessoal de Gilmar Mendes. É o que revela uma das mensagens obtidas por VEJA, que na edição desta semana traz mais detalhes sobre a relação entre o juiz e o empresário.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Ministro corajoso, parabéns!

sonia

SAFADO E BEM SAFADINHO


Coluna do Blog
TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores