O Jornal do Poder

25/02


2008

Mais um petista na mira da CPI das ONGs

 O impasse entre base aliada e oposição paralisou a CPI das ONGs. Não se votam pedidos de quebra de sigilo bancário ou convocação de representantes de entidades suspeitas de cometer irregularidades no uso do dinheiro público. Longe dos holofotes, porém, os técnicos da comissão seguem na garimpagem. E têm feito descobertas que exigem aprofundamento da investigação. A mais nova coloca um político da base aliada na linha de fogo: o deputado Carlos Abicalil (PT-MT).

Pessoas ligadas ao petista aparecem vinculadas a uma organização não-governamental do Mato Grosso, base eleitoral do parlamentar. Trata-se do Instituto de Apoio ao Desenvolvimento Humano e do Meio Ambiente. Ou apenas Instituto Trópicos, seu nome fantasia. A entidade recebeu verbas da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), ligada ao Ministério da Saúde, e do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). No total, foi beneficiada com cerca de R$ 13 milhões entre 2001 e 2004.(Correio Braziliense)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Potencial Pesquisa & Informação

25/02


2008

Mendonça e Guerra têm encontro secreto

EXCLUSIVO

 

O pré-candidato do DEM a prefeito do Recife, Mendonça Filho, teve, ontem, um encontro secreto com o senador Sérgio Guerra, presidente nacional do PSDB. A conversa ocorreu por volta das 20 horas, na casa de Guerra, em Piedade. Em pauta, a sucessão na capital.

Mendonça pediu a Guerra o apoio do PSDB. Os tucanos ainda não se definiram. Um grupo defende candidatura própria, outro quer selar uma aliança com o candidato do PMDB, Raul Henry. Esta deve ser a tendência do partido, segundo o senador informou ao democrata. De qualquer forma, Mendonça assegurou o apoio do PSDB no segundo turno, caso chegue lá.

Na condição de presidente do DEM em Pernambuco, Mendonça acertou com Guerra, ainda, algumas alianças municipais, entre elas Carpina, onde o prefeito Manoel Botafogo, do PSDB, irá à reeleição já sabendo que contará em seu palanque com as forças do DEM.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

josé arnaldo amaral

Caso Jacilda aceite ser a cabeça de chapa dos candidatos a vereador pela Frente de Oposição de Olinda, será mais fácil unir Tucanos//Democratas/PMDB/PSC/PSDC/PV contra a candidatura do PCdoB de Luciana e Renildo Calheiros, e esbirros Arlindo/Alf...

guilherme alves

Vamos ver agora se o senador quitou a fatura com Jarbas.

João Batista

Grangeiro, tu sabes o que é EXCLUSIVO ??? só Magno tem essa exclusividade, escrizofrênico !

João Batista

O Grangeiro ainda não tomou o seu AMPLIQUITIL, está comenda as unhas .....

adriano da mota silveira

Sergio Guerra ainda está analisando o proximo aliado que irá trair. Já disse que nao tem nada a dever a Jarbas Vasconcelos.


Banco de Alimentos

25/02


2008

Ouça Magno Martins na Rádio Olinda

Clicando aqui , você escuta, sempre de segunda-feira a sexta-feira, o
comentário deste blogueiro no programa do radialista Edivaldo Moraes, um dos maiores comunicadores de Pernambuco, na Rádio Olinda. Meu comentário vai ao ar por volta das sete da manhã.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


25/02


2008

Coluna de hoje na Folha

          Mendonção rompe o silêncio

 

Desde a derrota do filho na eleição para governador em 2006, o deputado federal José Mendonça Bezerra (DEM) não dá um pio. Provocado sobre as interpretações de que Mendonça Filho estaria isolado na sucessão do Recife, embora lidere as pesquisas, Mendonção rompeu o silêncio numa conversa, ontem, com este colunista.

 

“Um candidato que tem o apoio de quatro ex-governadores – Roberto Magalhães, Joaquim Francisco, Gustavo Krause e Marco Maciel, além de quatro ex-prefeitos do Recife – Joaquim, Krause, Magalhães e Gilberto Marques – tem uma representatividade maior do que muitas alianças”, diz.

 

Na sua visão, os quatro ex-prefeitos são políticos sérios, experientes e bem-sucedidos. “ “Tanto isso é verdade – ressalta – que já tem pré-candidato buscando conselhos para enriquecer seus programas de governo com aliados que governaram a cidade e que estão no palanque de Mendonça Filho”.

 

“Tem candidato que às vezes arregimenta 10 partidos, mas sem densidade nem representatividade eleitoral não vai a lugar algum.  Portanto, a questão não “é numérica”, acrescenta. Com apoios tão expressivos, o deputado conclui que o melhor palanque é o do DEM.

                                                             

RECIFE VIRA ALVO –  As investigações do Ministério Público em cima da Finatec, fundação ligada à Universidade de Brasília e que torrou quase meio milhão de reais na reforma do apartamento do reitor da UNB, já chegaram a algumas prefeituras administradas pelo PT, incluindo Recife. No seu primeiro mandato, João Paulo celebrou um contrato milionário com a instituição, que tem fortes ligações com o PT de São Paulo. Só na gestão de Marta Suplicy, a Finatec embolsou R$ 23 milhões.

 

Boca-preta x Taboquinha - Em Santa Cruz do Capibaribe, o bloco da oposição atende pelo cognome de Bocas-pretas, enquanto a situação é carimbada de Taboquinhas. Ali, os candidatos de ambos os lados já estão escolhidos. O deputado Toinho do Pará (PTB) é taboquinha e o deputado Edson Vieira (DEM) virou boca-preta.

 

 

 

 

Freire de olho na Câmara - A surpresa desta semana na eleição proporcional pode ficar pela confirmação da candidatura do presidente nacional do PPS, Roberto Freire, a vereador do Recife. Ele se animou depois que Raul Junggman ganhou o apoio do PV.  Tem muita gente, como Cadoca, apostando que Freire não se elege. Quem te viu, quem te vê, hein?

 

Prefeito ameaçado - O tempo esquentou para o lado do prefeito de Custódia, Neemias Gonçalves (PSB). Ele perdeu a maioria na Câmara, que, por pouco, não coloca em votação, na sexta-feira passada, a cassação do seu mandato. É bom ficar atento ao que vai rolar ao longo desta semana. O prefeito dorme sob efeitos de Lexotan.

 

Crise em Olinda - A candidatura de Renildo Calheiros a prefeito de Olinda, com o apoio quase certo do governador, gerou uma crise entre os partidos da base. Arlindo Siqueira, pré-candidato pelo PTB, afirma que Renildo blefou ao afirmar que tem o apoio dos três níveis de poder. “Pelo que sei, o Palácio não se pronunciou”, diz.

 

 

 

Curtas

 

OS ESQUECIDOS – Os aprovados no concurso da CEF de 2004, principalmente no pólo de Caruaru, perderam as esperanças de nomeação. A validade expira em agosto e não há indicativos de convocação pela Caixa.

 

INTERVENÇÃO – Não está descartada uma intervenção da executiva estadual no PSB de Garanhuns, que não se curva à candidatura de Zé da Luz a  prefeito. A mais interessada no assunto é a deputada Ana Arraes.

 

CLÍNICA – O prefeito de Abreu e Lima, Flávio Gadelha (PMDB), entregou, na última sexta-feira, mais uma obra na área de saúde: uma clínica de fisioterapia, com capacidade para atender 30 pacientes por dia.

 

''Como é bonito ver um mensageiro correndo pelas montanhas, trazendo notícias de paz, boas notícias de salvação!'' (Isaías 52-7)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

roberto de pessoa

Roberto Freire não esqueceu seus eleitores. Ele deu foi um pé-na-bunda de todo mundo. Indaguei certa vez ao falecido Byron Sarinho de como Freira conseguiu se aliar e trabalhar com Fernando Collor. Roberto Freira é ex-tudo. Ex-comunista, Ex-deputado, aliás, tb é ex-político. Só ele não percebeu.

Severino Isidoro Fernandes Guedes

O DEMO é um partido que já nasceu e já está em estágio terminal. Suas velhas (e reacionárias) lideranças nada acrescentam e estão escondidas para não espantar o eleitor. E as "novas" lideranças (crias das velhas) tampouco tem rumo. Adiós direitona!

Edinaldo Hermínio

E, se Maciel der o mesmo apoio que deu na campanha de governador, Mendoncinha vai acabar tendo menos votos do que Bob Freire terá para vereador. Haja bobagem...

Edinaldo Hermínio

Isso, vamos tentar levantar a bola de mendoncinha, pq tá difícil de ele decolar. Desses "apoios" citados pelo papai três não têm sequer cargo eletivo. Roberto Magalhães está em declínio eleitoral, reconhecido por ele mesmo.

Gisonaldo Grangeiro

Duvido que Roberto Freire tenha coragem de ser candidato a vereador. Seria o fim do seu oportunismo político.



25/02


2008

"Eduardo é a carta na manga de Lula", diz Lula Cabral

Gestor de um dos municípios que mais serão beneficiados pela refinaria de petróleo, o prefeito do Cabo, Lula Cabral (PTB), diz que a grande surpresa nas eleições presidenciais de 2010 pode ser a candidatura do governador Eduardo Campos (PSB). “Fala-se muito em Brasília que Eduardo é a carta na manga que Lula tem fora do PT”, afirmou.  Isso, segundo Cabral, é o que mais se ouve nos bastidores da política nacional.

 

Se Lula optar por Eduardo e não Dilma Roussef (PT) ou Ciro Gomes (PSB), o prefeito prevê uma tremenda reviravolta em Pernambuco na sucessão estadual. Sem Eduardo no páreo, Cabral aposta que os partidos que estão na base governista tenderão a se unir em torno da candidatura do presidente da CNI, Armando Monteiro Neto. “Temos grandes quadros para substituir Eduardo, como Fernando Bezerra Coelho, Humberto Costa e João Lyra Neto, mas Armando é o mais preparado, e sua candidatura deve surgir de forma agregadora, naturalmente”, afirma.

 

Lula Cabral evitou o confronto com a família Gomes, que lhe faz oposição no Cabo, ignorou as críticas ao seu governo e preferiu enaltecer sua gestão, ressaltando que, nos próximos dias, entregará a obra de número 200. “Em outubro, não é apenas um mandato que estará em jogo, mas a própria continuidade de um projeto político e administrativo. Haverá um confronto de projetos. Vamos às ruas com o apoio dos dois níveis de poder – estadual e federal. Quem vai julgar o que é melhor para o Cabo será o povo”, observa. A entrevista do prefeito Lula Cabral foi dada ao blog na última sexta-feira. A Folha de Pernambuco publicou, hoje, parte dela. Segue, portanto, a sua íntegra:

 

Alguns prefeitos têm reclamado que não viram ainda a cor do dinheiro do Governo Eduardo. Cabo é uma exceção?

 

Sinceramente, não tenho ouvido isso dos prefeitos. Falo com a autoridade de quem foi vice-presidente da Amupe e hoje participo do Conselho da Frente Nacional de Prefeitos.  Pernambuco tem 186 municípios e é claro que não dá, no primeiro ano, para atender todos. No caso do Cabo, não tenho do que reclamar. Com as obras da Compesa, que ligam Pirapama a Gurjaú, ainda este ano o problema da água estará resolvido. Recebemos viaturas e em breve teremos o hospital regional, sem falar em trabalhos permanentes de capacitação profissional para os trabalhadores que estão disputando vagas nas empresas que investem no Cabo e no Complexo de Suape.

 

O Cabo parece sofrer uma revolução com o início das obras da refinaria?

 

Não tenha dúvida. O Cabo está sendo um dos municípios mais beneficiados com a chegada da refinaria, juntamente com Ipojuca. Já atraímos grandes investimentos. Eu vim da iniciativa privada e tenho um diálogo fácil com os empresários. Hoje em dia, as empresas estão conscientes de que têm uma responsabilidade social. Quando tratamos de novos empreendimentos, procuramos sensibilizar os empresários quanto ao seu papel social no município. Como resultado disso, várias obras, principalmente no entorno desses investimentos, têm sido realizadas em parceria com a iniciativa privada. A aquisição dos equipamentos do hospital infantil, por exemplo, teve a participação da Odebrecht e dos grupos Cornélio Brennand e Ricardo Brenannd, em contrapartida aos investimentos no Complexo Turístico da Praia do Paiva.

 

Seus adversários dizem que o senhor não tem muito que apresentar em termos de resultados e que há é muito marketing. O que diz sobre isso?

 

Encontrei, ao contrário do que o meu antecessor propalava, um quadro de muitas dificuldades no Cabo. Contas em atraso, frota e equipamentos sucateados, déficit de pessoal, principalmente na área de saúde, saque no fundo de Previdência dos servidores municipais, entre outros descalabros. Os primeiros seis meses foram integralmente dedicados a botar a casa em ordem. Ouvimos a população, planejamos e hoje estamos colhendo os frutos. Nossa administração é amplamente aprovada pela população. Vamos inaugurar, nos próximos dias, a obra de número 200. São obras de porte, espalhadas por todo o município. E o que é mais importante: novas obras estão licitadas, muitas em andamento e serão entregues até o fim do ano. Além disso, temos programas inovadores, simples, mas que repercutem na vida das pessoas, a exemplo do Projeto Rebocar, que melhora a paisagem, valoriza as moradias, combates as doenças e aumenta a auto-estima.

 

As críticas recaem mais na área social.

 

Temos realizações importantes em todas as áreas, com prioridade para educação, saúde e bem-estar da população. Quem diz que não invisto no social tem miopia. O Hospital Infantil, projetado e executado na nossa gestão, é uma obra que orgulha todo o Cabo, tendo sido objeto de elogio em rede nacional pelo ministro da Saúde. Pela primeira vez, o Cabo tem um Plano Diretor, discutido com todos os segmentos da sociedade. Essa é uma das iniciativas mais importantes da nossa gestão, pois garantirá um crescimento ordenado e sustentável para o município.

 

O senhor terá, entre os adversários,  o ex-deputado Betinho Gomes, filho do ex-prefeito Elias Gomes. Acha que a campanha será polarizada com ele?

 

Nós não escolhemos adversários. Estamos prontos para enfrentar a campanha com humildade e determinação. Em outubro, não é apenas um mandato que estará em jogo, mas a própria continuidade de um projeto político e administrativo. Estamos alinhados com o governador Eduardo Campos e o presidente Lula. Vamos para a rua mostrar o que fizemos, o que Eduardo e Lula estão fazendo para nos ajudar e o que podemos fazer ainda mais para melhorar o bem-estar da população e o perfil econômico do município. Toda eleição é um julgamento. Do gestor, do projeto. Então, não se trata apenas de fulano contra beltrano, mas de um projeto contra outro. Hoje, não é possível separar a administração do Cabo do projeto de transformação e avanços econômicos e sociais do Estado e do País. A esperança de um novo tempo, que a nossa gestão representa no município, é atualmente cada dia mais palpável também para o Estado. Pernambuco espantou o marasmo e respira novos ares. Tudo isso estará na pauta da eleição de outubro.

 

Por falar em Eduardo, como o senhor faria uma avaliação do seu primeiro ano?

 

O governador está transformando o Estado com uma gestão moderna, eficaz, que cobra resultados da sua equipe. Nunca vi um homem com tanto amor ao que faz como Eduardo. Encontro com ele muitas vezes em Brasília, arrancando dinheiro para o nosso Estado. E esses recursos têm chegado aos municípios, repartidos com todos, não apenas com os que lhe deram apoio político. Se um prefeito tem bons projetos, pode contar com o governador.

 

O senhor acredita num vôo mais alto do governador. Falo numa possível candidatura ao Planalto?

 

Olha, vou lhe revelar algo que tenho ouvido muito em minhas constantes idas a Brasília: Eduardo é a carta na manga do presidente Lula para 2010. Falam na Dilma e também em Ciro, mas com todo respeito que tenho aos dois, Eduardo, pela administração que vem fazendo em Pernambuco, pode ser o fato novo da sucessão presidencial. A seu favor pesam a boa gestão, a liderança regional, o espólio de Arraes e o fato de representar a renovação. Ele é a juventude no poder. Se tudo isso não bastasse, diferente de Ciro, Eduardo é amigo pessoal do presidente e tem a sua plena e absoluta confiança.

 

Se isso ocorrer, quem pode ser o candidato de Eduardo a governador?

 

Vou arriscar um palpite: Eduardo alçado como candidato de Lula a presidente em 2010, o nome mais forte para governador seria o do presidente da CNI, Armando Monteiro Neto, com todo respeito que tenho a outros políticos de projeção no Estado, como Fernando Bezerra Coelho, Humberto Costa, Inocêncio Oliveira e o vice-governador João Lyra Neto. Esse cenário, certamente, provocaria uma revolução nas eleições de Pernambuco em 2010. Eduardo trabalha com o cenário da reeleição em 2010, mas ele não pode abrir mão de uma convocação nacional, de um projeto para o Brasil.

 

Mas, diferentemente, o que temos lido é que Lula sonha em disputar o Senado em Pernambuco. Isso não seria um complicador?

 

Não creio que Lula pense em trocar São Paulo, onde fez toda a sua trajetória política, por Pernambuco. É claro que em política nada é impossível, mas Lula não precisa de mandato depois que cumprir sua missão presidencial. Estar no Senado para ele próprio ficar respondendo a desaforos da oposição, muitas vezes de políticos que não têm o respeito do povo brasileiro, não é o melhor caminho para Lula. Por outro lado, se isso visse a ocorrer seria muito bom para Pernambuco, mas não atrapalharia a escolha de Eduardo para presidente, porque o que diz em Brasília é que Dilma não decola e que Ciro não une o PT e nem tem a confiança que Lula tem em Eduardo.

 

No caso de Eduardo não ser candidato a presidente, como o senhor aposta, mas à reeleição, o prefeito João Paulo, elegendo o sucessor no Recife, pode atrapalhar o projeto de reeleição do governador?

 

Não creio. João Paulo administra as suas circunstâncias de acordo com o seu estilo de trabalho. Ele tem uma gestão aprovada e hoje é uma liderança respeitável. O processo de escolha do candidato à sucessão varia em cada lugar, de acordo com as peculariedades locais. João Paulo está para somar e não será bobo de entrar numa eleição para se opor a tudo e a todos. Acho, na verdade, é que tem muita gente querendo nos dividir e atrapalhar os projetos verdadeiramente importantes para o Estado. Eduardo deixou a sucessão de João Paulo sob a coordenação dele – João – ou seja, em nenhum momento interferiu. Sabidamente, João Paulo não vai querer interferir em 2010.

 

O que o presidente já fez pelo Cabo?

 

Lula tem dado uma atenção especial a Pernambuco e não apenas ao Cabo. O nosso município é um dos beneficiados diretos por essa atenção. A refinaria, o estaleiro e outros empreendimentos  em Suape repercutem na região. Nossa localização estratégica abre as portas para um futuro promissor. É preciso, entretanto, que nos preparemos para esse futuro e nossa administração está atenta e alinhada nesse processo. Obras estruturadoras como a duplicação da BR-101, com a participação dos governos federal e estadual, proporcionarão um impacto muito positivo. Nosso município está recebendo este ano, através do PAC, cerca de R$ 40 milhões para obras de infra-estrutura, além de recursos provenientes de outros projetos do Governo Federal.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Julio cassimiro lins Neto

Lula, você só esqueceu de citar o melhor nome da atualidade na política em Pernambuco: JOSÉ MÚCIO, meu sonho de vê-lo GOVERNADOR nâo morreu!

Evilásio Mateus da Silva Cardoso

Piada mesmo é Dilma.Como pernambucano e admirador dos grandes exemplos de homens públicos vejo o nome do Ministro José Múcio,que tem demostrado muita articulação no meio politico e é detentor de um carisma incrivel, acho que o nosso pernambucano passou a ter tamnho majoritário.

Gilberto Carvalho Moura

Com dimensão nacional em muito superior a Eduardo o PT tem 12 duzias. Menino, o Brasil é grande, vai muito além do Cais de Santa Rita.

Caro Gilberto, em política nada é impossível. Se Eduardo fizer uma revolução no Estado, ele pode, sim, ser candiodato, até porque o PT não tem nome.

Gilberto Carvalho Moura

O livre pensar é só pensar, mas o pensamento desse senhor cheira a ridiculo. Eduardo suceder LULA? Conversa mais besta!



25/02


2008

"Não dependemos mais dos EUA nem da Europa", diz Lula

 O presidente Luiz Inácio Lula da Silva usou o programa de rádio “Café com o presidente”, que foi ao ar na manhã desta segunda-feira (25), para avaliar o saldo das reservas do Brasil.  Lula disse que o país está sólido e blindado o suficiente para encarar qualquer instabilidade econômica estrangeira.

“Não dependemos mais dos Estados Unidos e da Europa. Agora exportamos para muitos países do mundo. Isso nos dá tranqüilidade para enfrentar uma crise americana. Encontramos um ponto de equilíbrio”, afirmou. De acordo com o presidente, o Brasil está pronto e maduro para enfrentar as turbulências da economia mundial.

“Muita gente imaginava que o Brasil iria quebrar. Mas o país está mostrando solidez. Até agora, a crise americana não chegou e não vai chegar. E se chegar, nós estamos preparados para enfrentá-la”, disse Lula. “Durante 20 e poucos anos a economia brasileira não recebeu o respeito internacional”, lembrou.
Na avaliação do presidente, o país deu um passo importante para ser levado a sério no mundo financeiro. “O Brasil sempre foi um país devedor”, recordou Lula.

“Mas o país tem reservas de quase US$ 190 bilhões, superior a tudo o que deve. Temos um saldo positivo de US$ 4 bilhões. Isso dá tranqüilidade para a família, ao governo e ao país. É resultado da seriedade e uma demonstração de que vamos transformar esse país numa grande economia”. 

Lula estimou ainda que, se o país crescer entre 4,5% e 6,5% ao ano entre 2009 e 2010, a economia se manterá estável por muito tempo. “As condições estão dadas. Importante é crescer de forma equilibrada e constante. Vamos reduzir o desemprego, aumentar o crescimento industrial, a produtividade da indústria e continuar exportando”.(Portal G1)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Sérgio J. Cadena Bandeira de Melo

DE QUE IMPORTA ESTA INDEPENDÊNCIA FINANCEIRA SE O PAIS ESTA NO ABISMO COM A SAÚDE,RODOV FED., SEGURANÇA(Pe.ESTÁ HOJE COM 698 ASSASSINATOS E ESTE MÊS ;HOJE 25 ESTAMOS EM MEDIA 19 ASSASSINATO ESTE MÊS.AQUI ESTÁ ASSIM, IMAGINEM E NO PAIS ? QUE GOV. É ESTE? E VOCÊS NÃO ABRIRAM OS OLHOS E REELEGERAM.

Raimundo Eleno dos Santos

Os do contra vão dizer que Lula é a personificação da besta-fera. Que quem nele votar vai direto para o inferno.



25/02


2008

Saindo faiscas

Coluna de Cláudio Humberto

O presidente do PPS, Roberto Freire, disse que é inviável a candidatura a prefeito do Recife do deputado Carlos Eduardo Cadoca (PE), que deu o troco: chamou o chefe do PPS de "auxiliar de Jarbas [Vasconcelos]".


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Ricardo Guerra

Roberto Freire é simplesmente o maior TRAIDOR da história de Pernambuco. Procure um cidadão que já votou neste sujeito, que teria coragem de confiar outra vez nele.

Raimundo Eleno dos Santos

Uma coisa é certa, o que Cadoca errou foi no adjetivo. O nome é xeleléu, puxa-saco, bajulador...

milton tenorio pinto junior

E tu Cadoca? Fosse auxiliar por tantos anos! É o sujo falando do mal lavado.

milton tenorio pinto junior

E tu Cadoca? Fosse auxiliar por tantos anos! É o sujo falando do mal lavado.

Paulo Kigrer

Um já é defunto, e o outro se prepara para se tornar moribundo político!



25/02


2008

Jarbas, indicado pelo PSDB presidirá CPI dos cartões

 O senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) será o nome indicado bela oposição para presidir a CPI mista dos Cartões Corporativos, informa matéria do blog do Josias de Souza.

A indicação, feita pelo senador Arthur Virgílio (PSDB-AM), foi aceita também pelo líder do DEM José Agripino Maia (RN). A oposição visa ao cargo ocupado por Neuto de Conto (PMDB-SC), indicado pelo governo.

Em conversa com Virgílio, Jarbas disse que o PMDB jamais o indicaria. Virgílio respondeu que a indicação seria patrocinada pela oposição. "Disse ao Arthur [Virgílio] que, se ele conseguir viabilizar isso, ouvindo os outros setores, eu aceiro", disse Jarbas ao blog.

Por sua vez, Lula continua negando qualquer tipo de composição com PSDB e DEM. Acha que deve prevalecer o regimento interno do Congresso, que assegura aos dois maiores partidos do Legislativo --PMDB e PT-- a indicação do presidente e do relator da CPI.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Edinaldo Hermínio

No afã de servir, o blogueiro coloca no título algo que não está na matéria. Em nenhum momento, Josias diz que o governo aceitaria a indicação, nem que Jarbas presidirá, de fato, a CPI. Notaram?

Tajmahal Cruz

Moito bom para o PSDB, oferecer o que não tem.É o exagero da pretensão.Algo nos diz que a futura CPI vai realmente dar em NADA!



25/02


2008

PT: investigar em São Paulo pode, em Brasília não

Carlos Chagas - Tribuna da Imprensa

 O PT de São Paulo decidiu cobrar do governador José Serra que torne públicas todas as informações sobre as empresas em que foram feitos gastos com cartões corporativos da administração estadual. Foi feita até uma representação ao Ministério Público para investigar tudo e até abrir processo de improbidade administrativa contra o governador.

A pergunta que fica é se voltamos aos tempos da República Velha, onde os partidos eram estaduais, não nacionais. Porque se os companheiros petistas optam pela fórmula cirúrgica de combater a corrupção, por que o mesmo não acontece em Brasília? Aqui, o PT mostra-se disposto a abafar as mesmas indagações que a CPI dos cartões corporativos poderia fazer ao governo federal. Se vão esmiuçar as despesas feitas pelo governo Serra, por que deixar de fora aquelas do governo Lula porventura referentes a ele e seus familiares? Trata-se de dois pesos e duas medidas. O exemplo do PT de São Paulo precisa ser seguido pelo PT nacional.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Ricardo Guerra

O mesmo eu digo. para os tucanalhas , investigar Brasília pode, SP não Pode.



25/02


2008

Raul promete parceria com Eduardo Campos se for eleito

 O deputado federal Raul Henry (PMDB) disse ontem, em visita ao bairro da Várzea para uma movimentação de campanha que, se eleito para Prefeitura do Recife, buscará o diálogo com o governador Eduardo Campos (PSB) - situado em campo político oposto ao do peemedebista. Com isso, Henry sinaliza que buscará repetir a relação amistosa entre o senador Jarbas Vasconcelos (PMDB)  - quando era governador do Estado - e o prefeito da capital João Paulo(PT).

“Se for eleito para a prefeitura, vou procurar o governador Eduardo Campos para debater com ele, principalmente, a segurança pública. Acredito que a participação do município nessa questão é fundamental. Quero trabalhar em parceria com ele”, afirmou Henry, sem cerimônias.

Tratado pelas lideranças do bairro como prefeito, o peemedebista fez críticas tímidas à atuação do prefeito João Paulo, demostrando que não deve partir para uma linha mais agressiva quando for dada a largada da campanha. “A prefeitura ampliou o número de postos de saúde, mas o acesso a esses locais é precário. Isso resulta na superlotação dos grandes hospitais. Não adianta ter mais postos e não ter material e nem equipe para trabalhar”, criticou.(Folha de Pernambuco)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha